Ebenezer: Até Aqui Nos Ajudou o Senhor
 
Ebenezer: Até Aqui Nos Ajudou o Senhor
 


Pastor George Emanuel Lira Ferreira1.

·RESUMO: Se não experimentarmos a cura das memoráveis derrotas do passado, jamais iremos experimentar as extraordinárias vitórias do presente. Sem a cicatrização das más lembranças, nada aprenderemos a respeito da soberania e graça de Deus para nosso presente e futuro. E a única maneira de transformar as desastrosas derrotas e péssimas lembranças do passado em Memoriais de Triunfo no Presente é reconhecemos e dependermos do maravilhoso socorro e ajuda de Deus, e em seguida negar-se terminantemente a cometer os meus erros do passado no presente para podermos nos preparar-mos melhor para o futuro. Ebenézer: Até aqui nos ajudou o Senhor. Esta frase é um marco, um memorial erguido pelo profeta Samuel para marcar o local onde Deus ajudou Israel a derrotar os filisteus. Nas palavras de John Newton: Seu amor no passado proíbe-me de pensar que Ele me deixará em tribulação, a sucumbir. Cada doce Ebenezer que trago à lembrança confirma o Seu deleite de ajudar-me até o fim. Então, clamem quando estiverem desesperados; não abram mão disso, se estiverem sobressaltados, clamem, e Ele os ouvirá e sustentará.

·PALAVRAS-CHAVE: Ebenézer, Memorial, Graça, Soberania, Socorro, Ajuda e Vitória.

I.Saudações Iniciais.

a.Excelentíssima Senhora, Professora Edna Maria Barroso, Diretora do Seminário Teológico Pentecostal do Ceara.

b.Nobríssimas Autoridades Governamentais Presentes ou Representadas.

c.Ilustríssimo Senhor, Pastor Natanael Moreno Tussini, Coordenador dos Cursos Teológicos desta Casa de Profetas e dos demais Núcleos espalhados pela grande Fortaleza.

d.Ínclitos Pastores, Professores, e demais membros administrativos que compõe o quadro do secretariado deste Magnífico Seminário.

e.Caríssimos Formandos.

f.E Prezados Convidados.

g.É com imensa satisfação que vos saúdo com a Paz e Graça do Senhor Jesus.

_________________________________________________________________

[1] George Emanuel Lira Ferreira é casado com Elza Rosimeire Pafume Lira, nasceu em 8 de novembro de 1975 em Fortaleza, capital do Ceará. Seus pais são Manuel Cardoso Ferreira e Ângela Maria Lira Ferreira. É pastor congregacional, tendo sido ordenado pelo Ministério Internacional Emanuel. É Bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Pentecostal do Ceará, é Mestre em Bíblia pelo Seminário Teológico Presbiteriano Independente de Fortaleza. Sua área de especialização é em Antigo Testamento, onde fez curso de Estudos Bíblico e Hebraico Bíblico nos anos de 2001 a 2004, no Seminário Teológico Batista Peniel e na Fatece; Faculdade Teológica do Ceará. É professor do Seminário Teológico Pentecostal do Ceará, Seminário da Igreja de Deus e do Seminário Batista Independente; sendo autor de diversos artigos teológicos, entre eles: Reflexões Missiológicas em Isaias 42 e 49, conforme a interpretação do Novo Testamento / O Profeta vs. O Sacerdote; Uma Análise Sócio-Teológica dos Tipos Religiosos de Max Weber / Nossos Maiores Opositores: Os Demônios e muitos outros. É fundador de um projeto paraeclesiastico denominado "Projeto Ramáh: Uma Escola de Profetas". Projeto que visa à preparação de pastores e lideres para o ministério cristão. É o Fundador da Igreja Congregacional Emanuel em Fortaleza, onde pastoreia a quase uma década ao lado de sua amada esposa e com os demais membros do ministério.

II.Uma Palavra de Agradecimento

Ao Seminário Teológico Pentecostal do Ceara que é mais do que uma instituição eclesiástica. A designação "Seminário Teológico" expressa seu Prisma Educacional-Cristocêntrico, enquanto a rubrica Pentecostal expressa sua Cosmovisão de espiritualidade e princípios éticos. A palavra "Seminário2" vem do termo latim "seminariu", cujo significado original era "viveiro de plantas onde se fazem as sementeiras". Por isso, a este viveiro de plantas das mais excelentes sementes do Evangelho de Cristo, o meu muito obrigado.

Aos Bacharelandos que me escolheram como Paraninfo da turma de 2008 (Ebenézer). Sinto-me por vós muito amado, e considero um privilégio indizível poder servi-los exercendo esta maravilhosa função deste dia tão especial. Ser paraninfo significa acompanhá-los neste momento histórico de transposição dos marcos de conclusão deste curso. Desde os tempos das culturas greco-romanas cabia ao paraninfo o caráter de padrinho nas cerimônias de iniciação. E esta solenidade de formatura é a cerimônia que encerra em si a consagração máxima de vossa iniciação vocacional no ministério cristão, a serviço do Rei e do Reino.

·Lembrando das palavras do reformado João Calvino, que disse que abominava a religião limitada ao gabinete, à sala de aula ou à igreja. Pois, Deus está presente em todos os aspectos da nossa vida, e com a influência de seu poder Onipresente e Todo-Poderoso, nenhuma esfera da vida humana pode ser concebida se não houver a verdadeira piedade e vocação que são os sustentáculos da Fé. Exigências estas para que Deus seja louvado, para que as ordenanças de Deus sejam observadas, e para que todo trabalho seja impregnado com sua glória por meio de uma fervente e contínua oração.

Aos Cônjuges, Pais, Parentes e Amigos dos Formandos, que sempre acreditaram que o Ensino e a Aplicabilidade das Sagradas Escrituras é a única proposta e solução de Deus aos desafios da nossa contemporaneidade pragmática e utilitarista, e que apesar de toda crise de identidade que tem se incubado nas cátedras de muitas instituições teológicas em nosso país; Ao Seminário Teológico Pentecostal do Ceara, vós amados, confiastes, não apenas, a vocação ministerial especializada e o trabalho intelectual dos vossos Formandos, mais confiaram a nós Pastores, Professores e Mestre, os corpos, almas e corações destes Bacharéis que hoje engrossam as fileiras daqueles que batalham pela fé que foi entregue de uma vez por todos a todos os santos.

A Vós Caríssimos as nossas mais sublimes congratulações.

Que Deus em Cristo abençoe a todos vocês.

______________________________________________________

[2] O conceito de "seminário" como instituição teológica só veio surgir mais tarde, no Concílio de Trento, para designar os cursos de formação eclesiástica organizada em decorrência dos decretos dos respectivos concílios. 

III.Sermão: Ebenézer: Até aqui nos ajudou o Senhor!

·Introdução: Contexto Histórico.

·Nota Homilética: O tema central dos capitulo 4-7 é a Arca do Concerto, citada mais de 30 vezes em 68 versículos. As peregrinações da Arca do Concerto de Yahweh: A Arca de Deus representava: o Trono, a Presença e a Shekináh (Glória) do Deus de Israel. As peregrinações da Arca começariam por Gilgal (Js. 6:12).Silo (Js 18:10).Betel (Jz. 20:27).Silo (1 Sm. 4:3).Ebenezer e Afeca (1 Sm. 4:4-5).Asdode (1 Sm. 5:1).Gate (1 Sm. 5:8).Ecrom (1 Sm. 5:10).Bete-Semes (1 Sm. 6:12,14).Quiriate-Jearim. (7:1). Gibeá Elohim (I Sm 14:1-3); Casa de Obede-Edom (II Sm 6:1-11). Tabernáculo de Davi (I Cro 15).

I. 3 Características deste Memorial da Graça de Deus chamado de Ebenézer.

  1. O Local da sua edificação: Era o mesmo em que, vinte anos antes, os israelitas foram derrotados e destroçados antes as tropas dos filisteus (Cp. 4:2, 10) 34 mil israelitas caíram diante dos Filisteus em Ebenézer, Hofni e Finéias, também marcharam rumo aos seus funerais. I Sm 7:1-2, (um número redondo indicando um bom número de anos não marcar o período de tempo em que à Arca esteve na casa de Abinadabe, porquanto o texto hebraico mostra que até que a Arca fosse levada para Jerusalém por Davi, passaram-se quase 100 anos). Esta nota bíblica indica o período durante o qual Samuel foi crescendo até tomar a sua posição como o profeta de Yahweh (Em I Sm 4, o profeta um jovem de 17 anos; a fim de que Israel pudesse ouvir mais uma vez a voz do Senhor Deus por intermédio do profeta, 20 anos até a maior idade de Samuel, agora aos 38 anos Samuel está pronto para ser o Reformador e Reavivalista da Nação. Por isso, não o vemos nos capítulos anteriores quando a Arca é tomada). O texto nos mostra que levou mais de 20 anos para que Israel se arrependesse de seus pecados.
  1. A Ocasião da sua Inauguração. A vitória em Ebenezer começaria a pôr fim a 40 anos de opressão dos filisteus 1124 - 1084 A.C. O Julgamento de Deus para com Eli e sua Casa, começou I Sm 3:30, e perdurou seu juízo sobre a nação de Israel até I Sm 14:48. Os israelitas tinham estado submetidos aos filisteus durante 40 anos desde os dias de Elí, e depois da morte de Elí e de seus filhos ímpios (Hofni e Finéias) o povo continuava a gemer debaixo do amargo julgo filisteu. O povo dificilmente sabia o que significava conversão genuína e arrependimento com quebrantamento, pois tinham estado demasiado tempo sob o poder da idolatria. O Arca do Pacto tinha desaparecido do Tabernáculo em Siló e se tinha interrompido o serviço do santuário.

§Não tinha festas anuais nas que os adoradores pudessem receber instruções.

§Praticamente, uma geração sem conhecimento de Deus tinha surgido desde que foi tomada o Arca.

§O povo de Israel era como ovelhas extraviadas a beira do precipício de uma montanha.

§Todavia, não se davam conta de que estavam perdidos, não sabiam como voltar ao aprisco.

§Deus, por meio da predição profética, antecipando o tempo quando seu povo desejaria apartar-se de seus maus caminhos, Deus preparou um fiel pastor que procuraria aos perdidos para levá-los de volta ao verdadeiro Deus. E este Pastor se chamava Samuel

  1. O Significado da sua Inscrição. rz<[eh' !b,a, hb: 'Even ha-`ezer.Ebenezer = "pedra de ajuda". Pedra memorial erguido por Samuel para marcar onde Deus ajudou Israel a derrotar os filisteus - ao norte de Jerusalém. Ebenézer significa pedra de auxílio. Um marco fronteiriço estabelecido pelo profeta Samuel entre Mispa e Sem. A arca do Senhor havia sido retomada, os deuses estranhos banidos, e arrependidos dos seus pecados, Israel estabeleceu um novo tempo de adoração e serviço ao Senhor, seu Deus. Com isso, impôs pelo Senhor grande derrota aos filisteus.
    • Josefo: Os israelitas mataram grande número deles, perseguiram o resto até o lugar chamado Bete-Car, onde Samuel mandou fixar uma pedra como sinal da vitória e chamou ao lugar Ebenézer, para dar a conhecer que tudo o que haviam conseguido de força naquela célebre jornada deviam a Deus somente. Fato tão maravilhoso lançou tal terror no espírito dos filisteus que eles não ousaram mais atacar os israelitas, e a ousadia que antes manifestavam passou, por estranha modificação, ao coração dos vitoriosos. Samuel continuou a fazer-lhes guerra, matou muitos filisteus em diversos combates, domou-lhes o orgulho, reconquistou um país situado entre as cidades de Gate e Ecrom que eles, pelas armas, haviam conquistado dos israelitas. E Estes, enquanto estavam ocupados com essa guerra, viveram em paz com os cananeus.

·Ebenézer: Um memorial de que a Glória do Senhor não é manipulável pelos homens (presunção ministerial).

·Ebenézer: Um memorial de que as desastrosas derrotas humanas podem se transforma em magníficas vitórias divinas.

·Ebenézer: Um memorial de que é o Senhor que batalha contra nós ou por nós, e que no final a gloria sempre pertence unicamente a Ele.

I.Ebenézer: Um memorial de que a Glória do Senhor não é manipulável.

·Nem pelo Institucionalismo.

·Nem pelo Clericalismo.

·Nem pelo Laicalismo.

Sem ordenação, sem jejum, sem oração, sem consagração e sem consultar a Deus, os israelitas decidem fazer o que Dale Ralph Davis chama de "Teologia do Pé de Coelho". A Arca não é vista como símbolo da presença de Deus, mas como uma lâmpada mágica, que eles só precisam esfregar direito para invocar o auxílio do gênio da lâmpada. M.L.J, disse: A Arca é vista como um mascote, que, onde quer que eles a levem ele os possa abençoar.

________________________________________________________________

[3] Passaram muitos dias: Precisaram-se 20 anos para que os israelitas reconhecessem que não era Deus o que os tinha deixado senão que eles, por seu egoísmo e rebelião, tinham abandonado a Deus e por isso colhiam amargura e sofrimento. Em I Sm 7:3, se diz: Então falou Samuel a toda à casa de Israel, dizendo: Se com todo o vosso coração vos converterdes ao SENHOR, tirai dentre vós os deuses estranhos e os astarotes... Esta é uma frase usada para representar aos diversos deuses e deusas aos quais os israelitas adoravam quando se esqueciam do Senhor. Astarotes (forma plural no original hb: tArT'v.[;) estava associada aos Baalins fenícios ou cananeus, pois era a principal deidade feminina destes (ver com. Jz. 2: 13). Considerava-se que esta deidade representava os poderes reprodutores da natureza. Em geral, seu culto consistia em orgias lascivas fomentadas muitas vezes por mulheres dirigentes que se convertiam em suas devotas e se intitulavam como "mulheres sagradas (kodesha)" ou prostitutas do templo. Sem dúvida tinham em muitos lares israelitas estatuetas de deuses filisteus e cananeus e gradualmente o povo de Israel tinha caído sob o domínio e controle dos povos da planície com quem tinha trato comercial (1 Sm. 13: 19) e intercâmbio social (Jz. 14). O fato de que Israel deixasse o Arca do Pacto em Queriate-Jearim durante muitos anos e não fizesse nada para restaurar o serviço do templo ou para proporcionar um devido lugar de descanso para o Arca, mostra até que ponto, Israel, se tinha apartado de Deus. A história não registra sequer uma deportação dos israelitas às planícies costeiras, similar às deportações posteriores a Asiria e Babilônia, pois viviam em perfeita unidade ecumênica. No entanto, Israel sofreu por sua relação com os filisteus em quase todos os tratos da vida, servindo-lhes (1 Sm. 4: 9), e pagando um tributo anual com diversas classes de produtos. Deleitando-se nas orgias dos lugares altos tão comuns em todo o país, Israel, só poderia buscar a restauração do Arca do Pacto se Deus soberanamente agisse por meio de sua Palavra e profeta.

II.Ebenézer: Um memorial de que as desastrosas derrotas da nossa humanidade podem se transforma em magníficas vitórias divinas4.

oVeja a contraposição dos textos e dos protagonistas, tanto do lado de Israel quanto do lado dos Filisteus havia:

a.Sacerdotes corruptos, vis e impenitentes.

b.Toda sorte de pecados está sendo praticada no mesmo lugar onde a Arca era mantida.

c.Israel sai para guerrear com os filisteus, levando a Arca para garantir a vitória, sendo miseravelmente derrotado e a Arca capturada e levada para Asdode em território filisteu como um troféu, mas o Senhor trás grande juízo sobre os filisteus, sendo grande o clamor. Serão os 7 meses mais hilários e lamentáveis da historia dos filisteus.

d.Ainda assim, no final da história, a Arca está de volta. Israel se arrepende de seus pecados, abandona seus ídolos e confia somente em Yahweh.

A Arca não é o instrumento pelo qual Deus se manifesta (como os israelitas erroneamente supunham); Deus sempre interagiu e dirigiu a historia da redenção humana por meio de Sua Palavra, e do fiel ministério dos seus profetas.

O regresso da Arca, o arrependimento e reavivamento de Israel, e a vitória militar decisiva sobre os filisteus ocorrem em conseqüência da graça e do poder de Deus, não pelos méritos espirituais de Israel ou pelo uso mágico da Arca.

________________________________________________________________

[4] Estranhamente, Samuel está ausente da narrativa dos capítulos 4 a 6. Seu nome não é mencionado desde o capítulo 4, verso 2, até o capítulo 7, verso 2.

i.Ele não está com a Arca quando ela é levada para a batalha contra os filisteus no capítulo 4.

ii.Ele não faz parte da humilhação dos filisteus nos capítulos 5 e 6. Mas ele é uma parte muito importante do reavivamento de Israel descrito no capítulo 7.

iii.Charles Haddon Spurgeon, o Príncipe dos Pregadores, disse: "Quando você estiver lidando com Aquele (Deus) que é Onipotente, Fiel e Verdadeiro; fique certo, as coisas que para você parecem absolutamente impossível, serão aquelas com maiores probabilidades de se realizarem.

iv.Aprendemos com Samuel que o Senhor é o grande curador das más e terríveis recordações. Ele sabe que não podemos agarrar o presente nem nos entregar ao futuro enquanto as recordações calamitosas do passado não forem apagadas. Samuel ajudou Israel a lidar com o passado e a prosseguir para o desafio do futuro.

v.A expressão até aqui denota esse futuro. Ela não sugere que o povo de Israel já o tivesse alcançado, mas que o Deus que os trouxe ate ali lhes reservava um futuro empolgante.

vi.Que recordações do passado ainda lhes perseguem e lhes embaraçam, meus queridos Formandos? Ainda há recordações de mágoas, sentimentos alheios à espiritualidade real em Cristo, ainda existem demônios que se aproveitam das vossas culpas ocultas e reprimidas. Em nome de Jesus lembre-se que foi o Senhor que nos trouxe até aqui, e não nossa inteligência ou habilidade.

vii.EBENEZER É UM MARCO DE TRANSPOSIÇÃO: A arca do Senhor havia sido retomada, os deuses estranhos banidos de Israel e o povo se arrependido dos seus pecados. Israel estabeleceu um novo tempo de adoração e serviço ao Senhor, seu Deus. Com isso, impôs pelo Senhor grande derrota aos filisteus. Samuel ao tomar a pedra e pô-la entre Mispa e Sem, a chamou de Ebenézer, e disse: "Até aqui nos ajudou o Senhor". Samuel não somente retribuiu ao Senhor a honra pela vitória sobre os filisteus no mesmo lugar em que por estes haviam sido derrotados há muitos anos antes; mas, também, com este ato, proclamou que até ali haviam sido ajudados pela graça soberana, e que, se desejassem continuar sendo vitoriosos, deveriam conservar a mesma disposição mental e espiritual de ter Yahweh como único e Soberano Senhor e Deus.

viii.Os filisteus também têm de aprender, para a sua grande tristeza, que a Arca de Deus não deve ser usada como amuleto. Quando levam a Arca para dentro da casa de adoração de Dagom, em Asdode, o deus deles cai estirado de bruços. No dia seguinte, Dagom cai de novo estirado na soleira, desta vez com a cabeça e as palmas de ambas as mãos decepadas. Com isto começa o costume supersticioso, entre os filisteus, de 'não pisar no limiar de Dagom'. (5:5) Os filisteus mandam apressadamente a Arca para Gate, e daí para Ecrom, mas tudo em vão! Sobrevêm tormentos em forma de pânico, hemorróidas e uma praga de roedores. Os príncipes e satrapas dos filisteus, em desespero final com o aumento do número de mortos, devolvem a Israel a Arca num novo carro puxado por duas vacas que amamentam. Em Bete-Semes, sobrevém calamidade sobre alguns dos israelitas, porque olham para a Arca. (I Sm.6:19; Nm.4:6,20) Finalmente, a Arca descansa na casa de Abinadabe, na cidade levítica de Quiriate-Jearim.

III. Ebenézer: Um memorial de que é o Senhor que batalha contra nós ou por nós, e que no final a gloria sempre pertence unicamente a Ele.

  • Batalhou contra Eli e seus Filhos: (I Sm 2:23-25, 34) O SENHOR os queria matar...
  • Batalhou contra os Israelitas e seus exércitos.(I Sm 3:11-14) Eis que vou fazer uma coisa em Israel
  • Batalhou contra Dagon e os Filisteus. (I Sm 5) a humilhação de Deus à Dagom, pai de Baal.
  • Batalhou contra os Irreverentes de Bet-Semes.(1 Sm. 6:19; Nm. 4:6, 20).
  • Batalhou contra os Pecados do Povo. (I Sm 7:3) Israel suspirou por Yahweh.Os "vinte anos" (um número redondo indicando um bom número de anos) não marcar o período de tempo em que à Arca esteve na casa de Abinadabe, porquanto o texto hebraico mostra que até que a Arca fosse levada para Jerusalém por Davi, passaram-se quase 100 anos.Esta nota bíblica indica o período durante o qual Samuel foi crescendo até tornar-se adulto e tomar a sua posição como o profeta a fim de que Israel tivesse mais uma oportunidade de ouvir a voz da Deus por meio da pregação de Samuel.

C.H Spurgeon, disse: Eu não sei o que ele estava a fazer durante esses vinte anos, mas tenho uma firme convicção de que ele estava pregando onde quer que haja uma reunião pública; advertindo o povo dos seus pecados, e exortando-os a procurar o Senhor, assim se esforçava para infundir alguma espiritualidade na nação de Israel.

Nosso texto mostra claramente uma série de acontecimentos e mudanças que levaram Israel ao Reavivamento Espiritual em Ebenézer 5.

______________________________________________________

  • Como Deus Promove um Reavivamento

1.A Preparação:

·Um sincero arrependimento, v. 3.

·Uma verdadeira preparação espiritual, v. 3.

·Um firme compromisso de servir somente a Deus, v. 3

·Uma completa confissão dos pecados, v. 6.

·Uma petição humilde e sincera de ajuda diante de Deus, v. 12.

2.As Características da Época:

·Corrupção Religiosa, 2:12, 17, 30, 31, 34.

·Desrespeito para coisas espirituais, 2:17.

·Apostasia Espiritual, 3:1.

3. Os Fatores:

·Fome de Deus. 7:2 b.

·Fome da Pregação de Samuel, v. 3a.

·Fome da Ação de Deus, v. 3b.

4. O Modus Operandi:

·Uma mensagem a toda a congregação, v. 5.

·Uma mensagem solicitando consagração, v. 6.

·Uma mensagem convidando à oração, vv. 5, 8. (12:23).

·Uma mensagem ordenando a Tirar a outros deuses...

5.O Resultado: 7:14.

·Confissão dos pecados, v. 6.

·O abandono da idolatria, v. 4.

·Recuperação da Terra, v. 14.

·Proteção Divina e a Paz por todos os lados, v. 14.

·Ergueram o Memória: "Ebenézer".

6. As Implicações:

·O capítulo 7 começa com a Arca sendo levada, a fim de que todos saibam que o reavivamento espiritual de Israel e suas vitórias militares não são conseqüências de nenhum uso mágico da Arca, mas do arrependimento e da fé de Israel em Deus.

·A Arca é levada para a guerra como se fosse um pé de coelho. Depois que muitas pessoas são levadas à morte simplesmente por olharem para a Arca (ou para dentro dela), os israelitas começam a se perguntar quem é capaz de permanecer na presença do Senhor (6:20). Agora, o povo de Deus está começando a compreender quão superior e quão diferente é o único e verdadeiro Deus. Este é o ponto de partida para a renovação espiritual de Israel. Estou convicto de que é aqui que começa o verdadeiro reavivamento, com um profundo senso da santidade de Deus e o senso correspondente da magnitude de nosso pecado e da nossa indignidade diante de Deus. Os israelitas vêem sua idolatria e se arrependem, abandonando seus ídolos e voltando-se somente para Deus. É isto que os homens precisam fazer hoje.

·O resultado do Reavivamento é o fim do domínio filisteu sobre Israel. Daí em diante, eles não invadem Israel novamente nos dias de Samuel, pois a mão do Senhor é com Israel e contra seus inimigos.As cidades tomadas pelos filisteus são devolvidas a Israel. Também é estabelecida a paz entre os israelitas e os amorreus. O autor relaciona todas estas coisas diretamente ao governo de Samuel. Ele é sacerdote, profeta e juiz sobre todo Israel. Ele é uma espécie de "juiz itinerante", que circula de Betel a Gilgal e a Mispa, julgando Israel em cada um destes lugares. Quando faz seu circuito, ele sempre retorna à sua casa em Rama. A pedra memorial testemunha da eficácia da graça de Deus e a da confiança do povo no Senhor e Seu designado juiz.

·Vemos muitas vezes que Deus ou Jesus Cristo são chamados a Pedra (a Rocha) como em Gênesis 49:24 ou a Pedra Angular (Sl118:22). Em Isaías 28:16 é uma Pedra Provada e Preciosa. Jacó marcou o seu lugar de encontro com Deus (Gn 28:18). Josué marcou a localização da sua passagem da Jordânia (Js. 4:7). No NT "Pedra" ou "Rocha" é utilizado pelo menos 12 vezes no relacionamento do cristão com Jesus Cristo. Ele é o nosso "Ebenézer".


Conclusão: Ebenézer é um memorial de que tudo depende da revitalização do nosso relacionamento íntimo com Deus, relacionamento que deve ser permanente, eficaz e santo.

  • Samuel, então, reúne todo Israel em Mispa ou Mispé ("Torre de Vigia").
  • Mispa era um lugar de adoração com vista para a área ao seu redor.
  • Militarmente falando, era um local ideal para se defender na guerra.
  • Mas filisteus ainda não aprenderam à lição dada por Deus. Eles presumem que Israel tenha se reunido em Mispa para guerrear.
  • Eles já tinham se saído vitoriosos sobre os israelitas antes e, por isso, presumem que serão bem sucedidos novamente.
  • Os israelitas ficam amedrontados quando ouvem que os filisteus estão chegando.
  • Eles não têm a Arca para levar com eles para a batalha (além disso, ela não funcionou da última vez que a usaram); portanto, tudo o que podem fazer é se lançar sobre o Senhor e confiar Nele.
  • Eles terão que apelar para Ele na base da graça, não da mágica. Eles suplicam ao profeta Samuel, implorando que ele ore ao Senhor em seu favor, pedindo-Lhe que os livres dos filisteus que se aproximam.
  • O estrondo de Deus sobre os Filisteus foi grande, ensurdecedor e perturbador.

Josefo, diz: Por efeito da onipotência de Deus, sentiram a terra tremer de tal modo sob os pés que mal podiam equilibrar-se e viram-na abrir-se em alguns lugares e tragar os que ali se encontravam. Estrugiu nos ares um trovão tão espantoso e acompanhado de raios tão fortes que os olhos deles se ofuscaram e as mãos, semi-queimadas, não podiam segurar as armas. Assim foram obrigados a lançá-las por terra e buscar a salvação na fuga. [Historia dos Hebreus; Livro VI, Cap. 2, pág 244].

  • O resultado da ação de Deus foi à confusão do inimigo. (I Sm 7:10b)
  • O resultado é o fim do domínio filisteu sobre Israel. (I Sm 7:13)
  • O autor relaciona todas estas coisas diretamente ao governo de Samuel. (Deus usa homens fieis no ministério).(I Sm 7:15). E julgou Samuel... Ele é sacerdote, profeta e juiz sobre todo Israel. Ele é uma espécie de "juiz itinerante", que circula de Betel a Gilgal e a Mispa, julgando Israel em cada um destes lugares.

·Quando faz seu circuito, ele sempre retorna à sua casa em Ramá.

·Ali ele também julga Israel e constrói um altar ao Senhor. ( I Sm 7:17).


Últimos conselhos aos Formandos, Ebenézer me lembra que:

1. O Senhor é Deus Vivo não podendo ser restringindo ou manipulável.

2. O Senhor é o Único Deus, não compartilhar Sua Majestade e Glória.

3. O Senhor é Zeloso, nada pode obstacular Seus desígnios.

4. O Senhor é Eterno, seus princípios permanecem inamovíveis.

Ebenézer: Até aqui nos ajudou o Senhor. Esta frase é um marco do passado, lembrando nosso presente, com um olhar de expectativas e esperanças para o futuro.

Nas palavras de John Newton: Seu amor no passado proíbe-me de pensar que Ele me deixará em tribulação, a sucumbir. Cada doce Ebenézer que trago à lembrança confirma o Seu deleite de ajudar-me até o fim. Então, clamem quando estiverem desesperados; não abram mão disso, se estiverem sobressaltados, clamem, e Ele os ouvirá e sustentará.

Soli Deo Glória

 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de George Ferreira
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
George Emanuel Lira Ferreira nasceu em 8 de novembro de 1975 em Fortaleza, capital do Ceará. É Bacharel em Teologia pelo SeminárioTeológico Pentecostal do Ceará, Mestre em Bíblia pelo STF e Conferencista. Contato: [email protected]
Membro desde dezembro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: