A Festa das Primícias
 
A Festa das Primícias
 


·Pastor George Emanuel

Também guardarás a festa das semanas, que é a festa das primícias da sega do trigo, e a festa da colheita no fim do ano. Êxodo 34:22.

O que significa o termo "primícias"? No Antigo Testamento esta palavra era usada para descrever os primeiros frutos do campo ou dos rebanhos, que eram oferecidos em gratidão a Deus (Dt 18.4; 26.2; Nm 10.35-37; 28:26). As primícias, portanto, representavam o início da colheita. E embora fosse uma ocasião verdadeiramente importante, a festa deveria ser observada somente em um único dia.

Neste dia de descanso, se apresentavam comidas especiais e uma oferta de duas peças de pão ao Senhor no tabernáculo, significando com isso que o pão de cada dia era proporcionado pela graça e benevolência do Senhor (Lv 23.15-20). Nesta alegre ocasião, os israelitas não esqueciam nunca dos menos afortunados, deixando alimentos nos campos para os pobres e os necessitados.

A festa das Primícias no Novo Testamento ficou conhecida como o dia de Pentecostes ou festa das Semanas. A palavra Pentecostes vem da palavra grega "qüinquagésima", porque a festa era comemorada 50 dias após a Páscoa. O Pentecostes dos judeus era a comemoração da entrega da Lei na Sinai, bem como sinalizava para as bênçãos de Deus sobre a nação. A festa sempre era celebrada no início da colheita, Israel se reunia em assembléia solene neste período para comemorar a paz e a prosperidade do Senhor. Neste período eram oferecidos os melhores produtos do campo e do rebanho como expressão de agradecimento (Números 28:26).

Simbolicamente a festa das Primícias apontava para a outorga do Espírito Santo a Igreja. O que de fato ocorreu exatamente neste dia festivo (At 2:1). O apostolo Paulo chamou o Espírito Santo de "primícias" (Rm 8.23). O Espírito, então, é descrito como o início de uma colheita. Neste caso é Deus, e não o adorador, quem dá as primícias. São as primícias de Deus para o homem (2 Co 5.5). Assim como nos tempos do Antigo Testamento as primícias eram o início de uma colheita muito maior que estava ainda por vir, assim o recebimento do Espírito Santo pelo crente, é apenas o prenúncio das coisas melhores que hão de vir. Agora, nós temos o Espírito Santo e após o Arrebatamento, deveremos ter a bênção da colheita inteira que inclui a ressurreição e a glorificação dos eleitos de Deus.

A Festa das Primícias no Novo Testamento marcou o início da presença bendita do Espírito Santo na igreja. Os crentes agora estão sob Sua direção assim como os discípulos eram guiados por Jesus. Jesus exerce Seu Senhorio sobre nós do céu, e na terra o Espírito Santo nos transmite Sua vida e instruções, fazendo de Cristo uma realidade em nossa vida. O apostolo Paulo nos diz que fomos ressuscitados com Cristo (Cl 3.1), que estamos assentados com ele nos lugares celestiais (Ef 2.6) e que possuímos "as primícias do Espírito" (Rm. 8.23). É fato consumado que o Novo Testamento nos ensina que Deus habita em nós pelo seu Espírito Santo (Rm 8.9).

Ora, se os dons de Deus nos são finalmente administrados pelo Espírito Santo, e somos santificados por Ele, certamente se vê que seria um abuso condenável negligenciar a imensa divida que temos para com Deus. Por outro lado, seria uma verdadeira loucura pensar que podemos de alguma forma enriquecer a Deus dando-lhes as coisas materiais que temos em nossas mãos. Todavia somos seus servos, seus mordomos, e devemos administrar com zelo, justiça e santidade aquilo que o Senhor nos tem proporcionado. E foi exatamente para nos mostrar que essa é a maneira divina e altamente recomendada de administração, que Deus recomendou antigamente ao povo de Israel realizar a Festa das Primícias.

Por isso, amados irmãos em Cristo, recordemos que Deus ordenou que fossem ofertadas as primícias, ou seja, os primeiros frutos das colheitas, para que desse modo o povo testificasse que não lhe era lícito desfrutar nenhuma espécie de bens antes de lhe serem consagrados ao Senhor, o nosso Deus.

 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
14 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de George Ferreira
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
George Emanuel Lira Ferreira nasceu em 8 de novembro de 1975 em Fortaleza, capital do Ceará. É Bacharel em Teologia pelo SeminárioTeológico Pentecostal do Ceará, Mestre em Bíblia pelo STF e Conferencista. Contato: [email protected]
Membro desde dezembro de 2008
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: