DESLANDES, Suely Ferreira et al. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010, p. 79 - 106.

José Paes de Santana[1]

 

Um dos desafios da Pesquisa Quantitativa é definir seus critérios de qualidade. Entre tais critérios podemos enquadrar as estratégias de análise de seus dados. Sobre isso, lembremos que “[...] a análise e a interpretação dentro de uma pesquisa qualitativa não têm como finalidade contar opiniões ou pessoas,” (DESLANDES et al., 2011, p. 79) mas explorar o conjunto dessas opiniões e suas representações do ponto de vista social acerca do que se investiga, pois segundo a mesma autora “[...] em geral, a dimensão sociocultural das opiniões e representações de um grupo que têm as mesmas características, costumam ter muitos pontos em comum” (DESLANDES et al., 2011, p. 79), ao mesmo tempo em que apresentam singularidades peculiares aos participantes.

Na análise e interpretação de tais informações deve-se convergir para aquilo que é homogêneo, quanto para o que se diferencia em um mesmo meio social. Levando-se sempre em conta: descrição e análise que conduzam a uma interpretação, que em pesquisa qualitativa não apenas é ponto de partida com também ponto de chegada  (DESLANDES et al., 2011).

Em si tratando de análise de conteúdo, esta tem um conjunto variado de técnicas que indicam várias maneiras para análise de conteúdo de materiais pesquisados, destacando-se entre elas: “(a) análise de avaliação ou análise representacional; (b) análise de expressão; (c) análise de enunciação; (d) análise temática” (DESLANDES et al,, 2011, p. 85).

As várias maneiras de analisar os conteúdos em pesquisa qualitativa podem ser assim explicadas:

A análise de avaliação ou análise representacional se presta para medir as atitudes do locutor, quanto aos objetos de que fala, levando em conta que a linguagem representa e reflete quem a utiliza; [...] na análise de expressão trabalhamos com indicadores para atingir a inferência formal, partindo do princípio de que existe correspondência entre o tipo de discurso e as características do locutor e de seu meio; [...] a análise de enunciação costuma ser usada para analisar entrevistas abertas; [...] na análise temática, como o próprio nome indica, o conceito central é o tema (DESLANDES, 2011, p. 85 - 86).

A segunda forma de análise de dados qualitativos seria o método de interpretação de sentidos em que se caminha além do conteúdo dos textos na direção de seus contextos no sentido de buscar revelar explicações mais abrangentes de determinada cultura, a partir da relação texto contexto, ainda segundo Deslandes (2011). Dessa forma concluímos que em pesquisa qualitativa se pode contar com duas formas de análise de dados: a análise de conteúdo e método de interpretação de sentidos.



[1] Mestre em Educação. Graduado em Ciências, Matemática, Bacharel em Direito e atualmente é Diretor do Centro de Ensino Fundamental 02 do Guará - Secretaria de Estado de Educação do DF - Brasil. Trabalha com  Educação, com ênfase em Educação Matemática, Mediação de Conflitos, e Direito. jose.santana@professor.unidesc.edu.br