Aline Tenório Meira, rhalinetenorio@hotmail.com

Diana da Costa Gomes, diana.c.gomes@hotmail.com

Fernanda Aparecida Souza de Jesus, fernandasouzadejesus15@gmail.com

MarisaTeodoria Alves Queiroz, marisa.taa07@hotmail.com

Thiago Nogueira Sobral,t.nogueira.sobral@bol.com.br

Anhanguera Educacional Campus Osasco

 

RH NA ESTRATÉGIA: VANTAGEM COMPETITIVA

 

Trabalho Complementar de Avaliação da disciplina Desenvolvimento Organizacional lecionada pelo Prof°MSc. John Frank Pisani para obtenção da nota parcial.

 

Osasco

2019

 

INTRODUÇÃO

 

O presente artigo fala sobre Recursos Humanos na Estratégia: Vantagem Competitivae foi elaborada por um grupo de cinco pessoas, estudantes do MBA em Gestão de Pessoas na Universidade Anhanguera unidade Osasco. No início do artigo iremos demonstrar mais concretamente o motivo pelo qual se desenvolveu a necessidade da evolução da estratégia, com modelos básicos e referências extraídas de livros disponíveis na biblioteca da Anhanguera.

O objetivo deste trabalho é traçar as principais formas do planejamento estratégico nos RH´s, e discutir sobre vantagem competitiva na prática, quais sistemas devem ser utilizados, quais pesquisas devem ser aplicadas e como explorar as vantagens, da melhor forma e de uma maneira que aumente o desenvolvimento organizacional.Falaremos também sobre sistema de planejamentos inseridos estrategicamente e suas barreiras.

Está organizado em três partes. Na parte um será abordado como os executivos se dedicavam aos planejamentos estratégicos antigamente e a necessidade de mudanças e novas estratégias para desenvolvimento positivo. Na parte dois, optamos por abordar o planejamento estratégico em Recursos Humanos e quais as dificuldades na implantação de um novo processo. Falaremos também sobre vantagem competitiva em uma empresa e como isso auxilia a ter um forte posicionamento no mercado. E por fim, na terceira e última parte trouxemos a importância de como a empresa deve se posicionar perante seus clientes, como elaborar estratégias para se diferenciar no mercado competitivo, ela deve saber gerenciar suas estratégias para agregar valores e se diferenciar de seus concorrentes.

A metodologia utilizada para elaboração do trabalho foi à pesquisa bibliográfica, enriquecida com pesquisas de livros citados na referência.

RH NA ESTRATÉGIA: VANTAGEM COMPETITIVA

Há alguns anos atrás, os executivos que se dedicavam aos planejamentos estratégicos eram encontrados em todas as empresas. Então, houve um desgaste na competitividade, como a falta de criatividade, inovação e o medo de assumir riscos, estagnando a iniciativa de todos os lados. O uso de modelos básicos, que geravam números duvidosos foi mencionado como um dos principais motivos do fracasso. Deste modo, os processos burocráticos e formais foram substituídos por outros modernos e eficazes. Sistemas de planejamentos foram inseridos a formas enxutas e descentralizadas de desenvolvimento da estratégia.

Apesar das mudanças necessárias, de criar uma nova estratégia com equilíbrio e restaurar as influências descendentes e ascendentes, e simplificar o processo de planejamento estratégico deixava muito a desejar. E com a nova estrutura muitas empresas pagaram um preço alto. E na busca por resultados em alcançar a concorrência, os executivos passaram a se preocupar com questões táticas e operacionais como a reengenharia, benchmaking, dowsing, programas de qualidade total, trabalho em equipe e empowerment.

Um grande desempenho sustentado e de longo prazo requer pensamento estratégico e planejamento estratégico. O foco do pensamento estratégico está em criar uma visão para o futuro da empresa e elaborar um projeto com clareza e de alta precisão. 

          Uma das barreiras no planejamento estratégico é as dos programas de recursos humanos, na sua operacionalização, isto é, na transição da decisão para a execução, na expectativa dos negócios, do objetivo para o resultado que determina o plano de ação.

          Os projetos firmam formas de ação, partindo de uma visão macro. Agora, a dinâmica do ambiente externo e da vida empresarial é contínua. Constantemente mudanças significativas ocorrem em sua execução, que impactam nos planos estabelecidos, exigindo novas mudanças, adaptações e análise das decisões.

          Para o planejamento estratégico é necessário à atenção dos fatores e variáveis que poderão comprometer os objetivos futuros da organização.

Será necessário, portanto, estabelecer critérios de acompanhamento permanente e sistemático, de modo a ajustar, adaptar e atualizar diretrizes e formas de atuação e não reduzir o planejamento a um exercício intelectual que não consegue sobreviver às turbulências do ambiente externo ou interno. Quantas vezes objetivos significativos foram sacrificados porque não houve o bom senso de alterar os planos. (LUCENA, 1999, p174)

No planejamento estratégico dos recursos humanos, algumas variáveis podem tornar-se críticas na implementação de um processo, o importante é desenvolver o controle e avaliação de todas as ações a serem implementadas, no que se refere aos planos de contingência, para assegurar o alcance dos objetivos pretendidos.

A discussão de vantagem competitiva hoje é muito complexa, com o novo modelo de economia do país, pois vários modelos de negócios foram surgindo, e o empreendedorismo crescendo fortemente, fazendo com que o a economia seja reestruturada. Então a única maneira de deixar tudo mais estável é criar uma vantagem competitiva.

A estratégia deixou de ser um caminho traçado em torno de 15 e 20 anos, e passou a ser mais de longo prazo, porém com planos táticos,onde a visão holística se faz necessária, pois o mercado está a todo vapor para se reinventar,e é muito importante estar atento a tudo que afeta seu modelo de negócio.

A vantagem competitiva nada mais é do que uma vantagem que sua empresa, ou negócio tem e que permite ter um posicionamento forte, mas de difícil replicação.

Os principais desafios dos gestores são desenvolver uma estratégia competitiva, como compreender o ambiente competitivo, perceber os principais concorrentes, verificar opções estratégicas e optar entre as alternativas.

Para o ambiente competitivo é importante lidarmos com duas situações: com quem iremos competir no agora, no futuro e como podemos criar uma vantagem competitiva sustentável. Em análise requer entender o ambiente remoto, o ambiente do setor e das competências internas da empresa. O segundo desafio, verificar como os concorrentes reagem aos movimentos estratégicos. O terceiro desafio requer um equilíbrio entre defensivas e preventivas. O quarto desafio ‘optar entre as alternativas’, visar uma análise referente ao impacto de longo prazo por diferentes estratégias para uma escolha conclusiva.

A vantagem competitiva é quando a empresa planeja e escuta com sucesso uma estratégia, de valor que os concorrentes não estejam visando no momento. As empresas procuram meios de explorar competências e vantagens para agregar valores de várias maneiras.

Os 15 minutos de permanência em solo das aeronaves da Southwest Airlines antes de voltarem a voar, o melhor tempo do setor, por exemplo, é uma vantagem competitiva que economiza $175 milhões anuais em despesas de capital para a empresa e a diferencia, permitindo que ofereça mais voos por aeronave por dia. O uso da análise de valor ajuda uma empresa a concentrar-se em áreas nas quais possui vantagens competitivas e a terceirizar funções naquelas em que não possui. (KLUYVER, 2010, p101)

          É essencial que os executivos entendam como funciona a vantagem competitiva de uma empresa. Eles devem assegurar que a gerência compreenda as vantagens competitivas, porque saber explorar melhor essas vantagens leva ao aumento do desempenho organizacional como um todo. Consequentemente estabelecendo um ambiente organizacional em criar, reter e motivar um trabalho com foco nas habilidades e no conhecimento, para que um ambiente empresarial desenvolva-se de forma acelerada de acordo com tais mudanças.

Os clientes diferenciam os valores dos produtos e da importância da empresa atender as suas necessidades. A ocupação para criação do valor, portanto, são componentes da vantagem competitiva.

          A junção de valores visa negócios, que define atividades começando no processamento de matérias-primas e concluindo com as vendas e serviços finais para os clientes. A análise para estrutura de valor envolve estudos dos gastos, a diferenciação dos produtos e serviços na vinculação das fontes atuais e capacitadas para a vantagem competitiva.

Uma empresa diferencia-se de seus concorrentes quando oferece algo único que os compradores valorizam, além do preço baixo. A habilidade da Dell Computer Corporation em vender, produzir sob encomenda e enviar um computador para o cliente em poucos dias é um diferencial único de sua cadeia de valor. (KLUYVER, 2010, p103)

Na análise estruturada de valor (cadeia), pode ser também usada para moldar respostas nas condições de mercado, como cadeia acima ou cadeia baixo, na colaboração com os clientes e fornecedores em melhorar tal agilidade, como cortar custos, melhorar a percepção de valor do consumidor final e visar o futuro.

CONCLUSÃO

Em nosso artigo abordamos o tema RH na estratégia vantagens competitivas, vemos a importância que um bom planejamento pode ter em qualquer área e não seria diferente no departamento de recursos humanos, trazendo assim inovação e mudança, desenvolvendo as tomadas de decisões mais objetivas, práticas e rápidas, o tornando menos burocrático e mais competitivo, pois cada vez mais as empresas estão sendo modernizadas e com o RH não poderia ser diferente.

Ao passar do tempo o planejamento estratégico ganhou força nas organizações, que buscaram vantagem competitiva, para trazer um bom desenvolvimento organizacional e bons resultados na inovação, pois o departamento de recursos humanos deve sempre buscar se reinventar, procurando o novo para seus colaboradores na organização. 

As vantagens competitivas chegaram para trazer uma nova cara ao RH, tornando menos burocrático e mais estratégico, visando tornar a gestão de pessoas uma fonte de vantagens competitivas para empresa, pois os colaboradores que garantem o diferencial e a qualidade de produtos e serviços, por isso da importância do departamento de recursos humanosserem cada vez mais estratégico e delimitar bem seus planejamentos, para obter um bom resultado as empresas estão cada vez mais competindo e um bom planejamento estratégico faz toda a diferença para melhores resultados e um bom desenvolvimento organizacional.

REFERÊNCIAS

KLUYVER, Cornelis A. de; PEARCE II, John A. Estratégia: Uma visão executiva. 3. Ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.

LUCENA, Maria Diva da Salete. Planejamento de Recursos Humanos. 1. Ed. São Paulo: Atlas, 1999.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Estratégia Empresarial & Vantagem Competitiva: Como Estabelecer, Implementar e Avaliar. 9. Ed. São Paulo: Atlas, 2014.