RESENHA CRÍTICA: Educação como Processo na Construção da Cidadania Ambiental
 
RESENHA CRÍTICA: Educação como Processo na Construção da Cidadania Ambiental
 


HIGUVHI, Maria Inês Gasparetto. AZEVEDO, Genoveva Chargas de. Educação como Processo na Construção da Cidadania Ambiental. Brasília. Rede Brasileira de Educação Ambiental,2004.140 p.

Manuela Rocha Paixão

                                                          Professora de Geografia, licenciada pela Faculdade

                                                                                            de Tecnologia e Ciências - FTC/Ead e especialista em Educação Ambiental pela Unidade Baiana de Ensino Pesquisa e Extensão - UNIBAHIA

Os problemas ambientais vivenciados atualmente exigem que a sociedade reveja e repense as bases de sustentação do planeta. Nesse contexto a educação ambiental se constitui um elemento promotor de mudanças de comportamentos visando à formação de uma nova cidadania ambiental. A educação ambiental deve ser desenvolvida a partir de múltiplas experiências teórico-metodológicas, em diversos níveis de abrangência, que transcendam as fronteiras do interesse individual superficial e atinjam o âmbito político coletivo.

Considerando que a escola representa historicamente o locus do saber social e ideologicamente valorizado, as questões ambientais e ecológicas passam a compor um novo paradigma para a atuação da escola na sua missão de modificar mentes e comportamentos. A escola é mediadora de conhecimentos, de consciência crítica e promotora de ações de cidadania. É um consenso que se começarmos pela escola, estaremos dando um passo muito importante nesse processo de transformação e resgate de valores como os do cuidado e do zelo com o meio ambiente em seu sentido mais amplo possível.

A reflexão da educação ambiental como um elemento fundamental na promoção de mudanças de comportamentos visando à formação da cidadania ambiental inclui um processo de formação teórico-metológico crítico e embasado num compromisso ético. Portanto, a educação ambiental deve trabalhar com duas dimensões básicas: estimular as habilidades individuais e munir esse indivíduo com habilidades sociais que permitam ações coletivas na busca da cidadania ambiental.

A reflexão sobre as práticas sociais, em um contexto marcado pela degradação permanente do meio ambiente e do seu ecossistema, cogita formular uma educação ambiental que seja crítica e inovadora em dois níveis: formal e não formal. Esta, deve ser acima de tudo um ato político voltado para a transformação social. O seu enfoque deve buscar uma perpesctiva de ação holística que relaciona o homem, a natureza e o universo, tendo como referência a sustentabilidade e a concepção da cidadania ambiental.

O educador tem a função de mediador na construção de referenciais ambientais e devem saber usá-los como instrumentos para o desenvolvimento de uma prática social centrada na formação de cidadãos conscientes, crítico e reflexivos. Assim, o convívio escolar é decisivo na aprendizagem de valores sociais e o ambiente escolar é o espaço de atuação mais imediato para os alunos. Deste modo, a educação ambiental deve ser vista como um processo de permanente aprendizagem que valoriza as diversas formas de conhecimento e forma cidadãos com consciência local e planetária.

É notório que a prática pedagógica da Educação Ambiental, possa contribuir para formar uma mentalidade conservacionista e, portanto, um cidadão empenhado na defesa da vida e do meio ambiente. Neste contexto, se faz imprescindível à atuação de professores devidamente capacitados para trabalhar além dos conceitos científicos, temas diretamente relacionado com o social, o ambiental e o cultural do entorno em suas esferas local e global.

Fundamental ainda ressaltar, que pequenas ações pedagógicas ambientais restritas ao ambiente escolar ou praticada em espaço reduzido de tempo, não são capazes de produzir a mudança de mentalidade necessária para que as atitudes se estabeleçam e transcendam para além do ambiente escolar. Assim sendo, deve-se buscar alternativas que transcendam uma contínua reflexão, com atividades e projetos não meramente ilustrativos, mas que promovam um desenvolvimento conceitual do conteúdo e das estruturas mentais do aluno, proporcionando o desenvolvimento integral destes e o exercício prático da cidadania.

 
Avalie este artigo:
3 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Manuela Rocha Paixão
Talvez você goste destes artigos também