Projeto Ouricuri Contra as Drogas: Resgatando Vidas Através da Arte
 
Projeto Ouricuri Contra as Drogas: Resgatando Vidas Através da Arte
 


 

 

 

ESCOLA MUNICIPAL MOYSÉS MENDES DA COSTA

 

 

CURSISTAS:

  • EDE ROSTAND CORDEIRO MENDES;
  • EDNILSON JOSÉ DE BARROS
  • MARIA CLAUDIA ARAÚJO DA SILVA
  • EDICLEIDE DE ALMEIDA LIMA
  • CLEITON DE CARVALHO CRUZ

 

TUTORA:

FLÁVIA RAMPONI

 

 

OURICURI CONTRA AS DROGAS:

RESGATANDO VIDAS ATRAVÉS DA ARTE

 

 

 

 

 

APOIO INSTITUCIONAL:

  • ASSEMBLÉIA DE DEUS MISSÃO JOSUÉ / TRINDADE-PE;
  • PMPE / 7° BPM – BATALHÃO VOLUNTÁRIOS DA PÁTRIA;

 

 

 

 

 

OURICURI – PE

2011.

 

 

  1. INTRODUÇÃO

 

Nos últimos anos, o consumo de drogas tem aumentado no Brasil e preocupado cada vez mais a sociedade e as autoridades públicas. No entanto, seu uso não é exclusivo dos tempos modernos. Ao longo da história, o homem sempre conviveu com a utilização de substâncias psicoativas embora seus motivos nunca fossem idênticos. Na evolução dos povos, vemos que o consumo de drogas foi adquirindo características próprias. Na nossa sociedade, o seu uso também tem variado significativamente no tempo e depende do contexto e posição social dos consumidores. Desta forma, vemos que o consumo de drogas adquire as características próprias de cada época e de cada segmento social: ele pode agregar ou marginalizar, ter caráter religioso ou profano, de comunhão ou contestador, coletivo ou individual.

Neste contexto, falar em prevenção é falar de um empreendimento dialético, dinâmico e evolutivo. É buscar compreender o uso de drogas como fenômeno complexo da vida em sociedade, permeado por questões políticas, econômicas, sociais e culturais que se relacionam com a subjetividade humana, a moral, as relações de poder, as relações institucionais e pessoais, entre outras.

Prevenção significa uma pré-intervenção, ou seja, uma intervenção a ser efetivada antes que determinado fenômeno ocorra. É importante enfatizar a falta de sentido que existe em falar de prevenção de drogas, uma vez que drogas não são previsíveis. As drogas são apenas substâncias psicoativas, naturais ou sintéticas, que podem ser utilizadas pelo homem com diferentes finalidades. Não podemos dar a uma determinada droga uma conotação de algo bom ou ruim, assim não podemos considerar uma droga em si como algo destrutivo ou criativo. O que vai poder ser destrutivo ou criativo é a maneira pela qual o homem se relaciona com uma droga independentemente do produto químico em questão.

Nesse sentido, em países como o nosso o uso da droga é feito menos com a finalidade de obter prazer do que de amenizar o sofrimento. A pessoa que vive em condições sociais tão precárias a ponto de passar fome, estará obrigatoriamente em contato com outros problemas e outras restrições: falta de perspectivas profissionais; dificuldades de relacionamento humano decorrentes da situação social, por exemplo, discriminação; problemas de saúde; dificuldades de acesso à informação e à formação cultural. Isto terá repercussões em sua vida emocional, gerando sentimentos mais ou menos duradouros de angústia, nervosismo, desânimo e tristeza que poderão ser minorados através do uso de drogas psicotrópicas.

Isto posto, consideramos que a prevenção é uma intervenção que visa evitar o estabelecimento de uma relação destrutiva de um indivíduo com uma droga, levando em consideração o seu contexto social, econômico e cultural. Optamos, assim, por falar em Prevenção ao Uso Indevido de Drogas, reconhecendo, por conseguinte a existência de diversos padrões de uso que não necessitam de qualquer tipo de intervenção. Acrescentamos que a legalidade ou ilegalidade de uma substância química não tem qualquer relação com esta questão, pois observamos uso indevido de substâncias ilegais, bem como o uso recreativo destas.

Ao prevenir, devemos diferenciar a forma de abordagem a ser empregada. Comparando o indivíduo à sociedade, prevenção significa o domínio de uma dialética universal entre liberdade e dependência, mas para a sociedade, prevenção significa o domínio dos limites e riscos contidos nas relações com os objetos que esta sociedade produz no âmbito do bem-estar e do prazer.

Nenhuma ação preventiva deve buscar a supressão do uso do álcool e de outras drogas, pois este seria um objetivo utópico além de questionável: o estabelecimento de uma sociedade livre de drogas, preconizando a abstinência do uso e não reconhecendo a existência de distintos padrões de consumo recreativo, abusivo e dependência.

Numa visão mais realista, temos observado a grande preocupação presente em nosso país a respeito da proliferação do uso de drogas ilícitas em nossa sociedade.  Tal fato vem a refletir a importância desta questão por gestores públicos ao longo dos tempos, em que fora ignorados investimentos na educação e em trabalhos preventivos e sociais, deixando nossos jovens e gerações futuras a mercê desse submundo das drogas.

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, em nosso país, os custos decorrentes do uso indevido de substâncias psicoativas são estimados em média de 7,9% do PIB por ano, ou seja, cerca de 28 bilhões de dólares. Em destaque, não podemos de citar os custos decorrentes de tratamento de doenças ligadas ao uso de tabaco, que pode corresponder a um número superior a 2,2% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional. O custo total para o SUS (Sistema Único de Saúde) das patologias relacionadas com uso de tabaco elevam-se em mais de 900 milhões. Ressalta-se que o tabaco não é usualmente incluído nas estatísticas sobre dependência química.

Regionalizando a problemática das drogas na Região do Araripe, na qual está inserido o município de Ouricuri, observamos que no passado recente, os governos federal, estadual e municipal pouco se importavam com as ações preventivas ao uso de drogas. Suas ações eram norteadas para a repressão, valorizando o caráter ilícito da questão, dando tratamento de marginal e de criminoso às pessoas que faziam o uso e consumo de drogas ilícitas, não atribuindo o caráter biológico de dependente químico, ou seja, de enfermo ao usuário dependente de drogas.

Nesse trabalho poderemos ver que, no decorrer de pesquisa entre os alunos, desenvolvida no módulo II do Curso de Prevenção ao Uso de Drogas, pesquisa essa feita no dia 16 de dezembro de 2010, com os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental II, com idades de 12 a 16 anos, da nossa escola, podemos constatar que, o nosso ambiente escolar, por ser situado em um bairro que ainda sofre com problemas de estrutura social, tais como saneamento básico, e que parte da comunidade vive em moradias sem conforto, associado a diversos problemas de cunho social, por exemplo, poluição sonora, poluição ambiental e falta de coleta de lixo, também apresenta pessoas ligadas ao uso, venda e consumo de drogas, serve como refúgio para nossa comunidade. Naquele encontro, apresentamos vídeos que mostraram dados sobre o uso indevido de drogas, fazendo um alerta sobre as conseqüências que o envolvimento com as drogas provoca na relação com a família, na escola, com a comunidade e com os amigos. Isto fez com que escutássemos a comunidade, dando a liberdade e confiança para que alunos e comunidade relatassem experiências vividas, além de dar opinião sobre o tema abordado, e sugerindo atividades preventivas.

Observamos com os dados obtidos, que a escola é um verdadeiro refúgio, fonte de esperança e mudança de vida daquela comunidade, tendo famílias com grandes desestruturas familiares, sociais e econômicas, bem como membros envolvidos com drogas, quer queira pelo uso, venda e/ou consumo, fazendo com que a comunidade busque na escola alternativas para diminuir o uso de drogas, através dos tratamentos de usuários e da prevenção, além de buscar a valorização da saúde e da vida, para o pleno fortalecimento de nossos jovens.

Despertaremos ainda, a vontade dos jovens de exporem as suas idéias, necessidades, angústias e dúvidas sobre o mundo das drogas, trazendo uma linguagem mais próxima do público juvenil, com interpretações teatrais e testemunhos de jovens que viveram nesse submundo e conseguiram a superação.

Todavia, ficou notório que a abordagem com linguagem jovem e contemporânea, sem esconder as estatísticas e os prejuízos das drogas, são as principais alternativas para a sensibilização sobre os males, e também é o melhor caminho para que se economize o dinheiro público oferecendo informações para a sensibilização do não uso de drogas.

Com o vislumbrar de uma comunidade escolar ativa, os discentes se sentirão bem, pois, há o comprometimento de profissionais da Educação, bem como de projetos sociais desenvolvidos ao longo do ano de 2010, como foi o caso do PROJETO PATRULHEIRO MIRIM, desenvolvido na Escola em parceria com a Polícia Militar de Pernambuco, através do 7º BPM – Batalhão Voluntários da Pátria. Porém, fora do ambiente escolar, os alunos se sentem em situação de risco, pois embora haja os órgãos da rede de proteção social, há influências negativas no bairro em que vivem, e diversos fatores contribuem para isso, como falta de: atividades esportivas na comunidade, saneamento básico, educação de trânsito, controle de natalidade, etc..

Por finalidade, esse projeto buscará promover uma ação preventiva, educativa e social, ao ponto de despertar na comunidade estudantil da Escola Municipal Moysés Mendes da Costa mecanismos protetores e de repúdio às drogas ilícitas, bem como resgatar vidas já entregues às drogas não só no bairro em que a escola está inserida, mas em toda cidade, no intuito de melhor contribuir para a responsabilização dos indivíduos a que se destina, buscando a sensibilização coletiva e individual para mudanças de seus comportamentos e atitudes, de modo a extrapolar os muros das escolas e abranger as famílias desses discentes.

Vislumbramos que, com a aplicação desse projeto de prevenir e resgatar vidas através das artes cênicas, despertaremos para uma maior conscientização política para cobrar dos gestores públicos ações de prevenção mais eficazes, valorizando sempre os princípios fundamentais da Democracia, da Cidadania e dos Direitos Humanos. Lembremos, por fim, que nunca teremos uma política ideal nem única de prevenção. Cada modelo deverá considerar as peculiaridades e a realidade sócio-econômica e cultural em que a população está inserida, com o tempo de aplicação previamente estabelecido e ser avaliado continuamente, ao ponto de formar pessoas e intervir pedagogicamente sobre os problemas decorrentes do abuso de drogas. A articulação com a rede protetora é indispensável para que esse projeto consiga mobilizar os diferentes atores sociais, pois prevenir o uso e abuso de drogas é uma tarefa não apenas de especialistas, mas também da sociedade como um todo.

 

 

 

 

  1. OBJETIVOS

 

2.1 Objetivo Geral:

 

  • Incentivar os adolescentes a ter amplo conhecimento sobre as conseqüências provocadas pelo uso de drogas lícitas e ilícitas, despertando seu discernimento para que não caiam nas armadilhas desse mundo.

 

2.2 Objetivos Específicos:

 

  • Apresentar, através das artes cênicas, uma peça teatral, transmitindo a importância do combate às drogas, bem como as conseqüências de seu uso;

 

  • Identificar as dúvidas dos instruendos sobre drogas ilícitas e dirimi-las e, no fim de cada encontro teatral, realizar um debate, bem como colher, anonimamente, informações que ajudem a acionar a rede de proteção social, tanto de forma repressiva, com acionamento das polícias, como também de forma assistencial e educativa, para resgatar vidas envolvidas nas drogas;

 

  • Identificar adolescentes interessados em participar do projeto de levar a educação sobre drogas através das artes cênicas após o ciclo de peças teatrais, e no final, formar um grupo de teatro para realizar trabalhos educativos em todo município;  

 

  • Estimular os docentes da Escola Moysés Mendes da Costa para trabalharem com seus alunos o tema de forma interdisciplinar, servindo de exemplo para os professores das outras escolas do município de Ouricuri-PE;

 

  • Formar um grupo de adolescentes que desenvolva atividades educativas, utilizando peças teatrais e palestras para que possam instruir outros adolescentes de mesma faixa etária;

 

 

3. Metodologia

 

3.1 Público-alvo:

 

No primeiro momento, o público-alvo deste projeto será a comunidade escolar da Escola Moysés Mendes da Costa, estimado em 300 adolescentes.  Entretanto, quando este projeto extrapolar os muros de nossa escola, nossa atenção será voltada para toda sociedade ouricuriense, estaremos prevenindo, educando e, também, colhendo informações que possam melhorar ou otimizar ações de segurança pública, de assistencial social e de saúde

Outrossim, com tal aplicabilidade, a comunidade juvenil poderá despertar e/ou melhor desenvolver grande potencial criativo, para participarem das peças teatrais passando confiança, para que eles próprios se sintam importantes no que estão fazendo, dando o melhor de si no caminho da plenitude de seus objetivos como cidadãos de bem.

 

 

3.2   Recursos Humanos, Físicos e Materiais:

 

3.2.1  Recursos Humanos;

 

No primeiro momento, para as peças teatrais, contaremos com o apoio do Grupo de Teatro da Igreja da Assembléia de Deus Missão Josué, do município de Trindade-PE, que será parceiro, e após o ciclo de palestras, com a identificação de jovens com aptidão para artes cênicas, os membros dessa igreja ficarão responsáveis de formar os nossos jovens atores, e após serem considerados aptos, será formado o grupo de teatro de Ouricuri-PE;

Concomitantemente às peças teatrais, teremos um grupo de palestrantes formados pelos cursistas e professores voluntários deste projeto.

Por fim, no segundo momento, após a formação do grupo teatral, os recursos humanos serão os próprios adolescentes da comunidade escolar de Ouricuri-PE, engajados nessa missão nobre de levar a palavra educativa.

 

3.2.2  Recursos Físicos:

 

No primeiro momento, as peças teatrais serão desenvolvidas no pátio interno da Escola Moysés Mendes da Costa, localizado no endereço contido no rodapé deste projeto.

Contudo, com o início do ciclo teatral em todo o município, serão utilizados os pátios de cada escola participante deste projeto. Na abertura ou no lançamento do ciclo, será realizada uma peça teatral no Teatro Carlota Peixoto de Alencar, e serão convidadas as autoridades locais, a imprensa falada e escrita, e também os professores do Ensino Fundamental, membros da rede de proteção social e a sociedade local.

 

3.2.3  Recursos Materiais:

 

  • Folders, banner e panfletos sobre o projeto;
  • Figurino adequado;
  • Som;
  • Data-show;
  • Notebook;
  • Roteiro das peças teatrais (anexos a este Projeto);
  • Refletores;
  • Cenários móveis;
  • Camisetas com o slogan do projeto;
  • Microfones móveis auriculares;

 

 

 

3.3 Atividades Pedagógicas:

 

  • Apresentação de peças sobre os diversos temas relacionados às drogas ilícitas e suas conseqüências danosas;
  • Jingle da Campanha contra as drogas;
  • Concomitantemente, com o ciclo teatral, haverá o ciclo de palestras;
  • Coleta de informações através de avaliações abertas e denúncias anônimas;
  • Concomitantemente, com as peças teatrais, repasse de mensagens educativas através de repentistas, e de Rap´s em estilo hip-hop;
  • Evento policultural de prevenção às drogas, envolvendo mini-peças, Rap´s estilo hip-hop, Funk, poesia e etc, concretizada através de gincanas entre as escolas participantes do nosso município.

 

Através do repente, e dos rap´s ao som de hip-hop, haverá uma maior integração e aceitabilidade no recebimento da mensagem que queremos transmitir, sendo uma aprendizagem recíproca e desenvolvimento de temas do nosso cotidiano, fazendo com que nossos adolescentes possam melhor escolher os seus verdadeiros amigos, bem como lidar melhor com as situações de risco e com a violência.

 

 

3.4 Custos

 

Discriminação dos custos

Valor em Reais

01

Folders e panfletos  para divulgação do Projeto

R$ 300,00

02

Material para avaliação e denúncias anônimas

R$ 250,00

03

Banners sobre o ciclo de Palestras

R$ 500,00

04

Notebook

R$ 1000,00

05

Data-show

R$ 2200,00

06

Aluguel de equipamento de som

R$ 700,00

07

Aquisição de microfones auriculares

R$ 300,00

08

Aluguel de refletores

R$ 300,00

09

Subsídio para aquisição de materiais cenográficos

R$ 1200,00

10

Aquisição de camisetas para divulgação do projeto

R$ 800,00

11

Subsídio para alimentação

R$ 500,00

12

Transporte para deslocamentos dos envolvidos no projeto

R$ 1000,00

13

Aquisição de figurino adequado

R$ 700,00

14

Urna para coleta de informações sigilosas e anônimas

R$ 100,00

15

Serviços gráficos

R$ 500,00

16

Subsídio artístico para elaboração das peças teatrais

R$ 500,00

17

Subsídio para divulgação na imprensa falada e escrita

R$ 500,00

18

Subsídio mensal para os 14 adolescentes arte-educadores

R$ 1400,00

TOTAL

R$ 12.750,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.5  Cronograma

 

Atividades

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

Elaboração do Projeto

x

X

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Conclusão do Projeto

 

X

-

-

-

-

-

-

-

-

-

Apresentação do projeto às Escolas Públicas locais

-

X

x

-

-

-

-

-

-

-

-

Mobilização para execução do projeto

x

X

x

Até 15/04

-

-

-

-

-

-

-

-

Entrevistas nos meios de comunicação

 

X

x

 Até 20/04

 

 

 

 

 

 

 

 

Agendamento de peças teatrais com o respectivo ciclo de palestras

x

X

x

 25/04

-

-

-

-

-

-

-

-

Definição do Ciclo Teatral

x

X

x

 25/04

 

 

 

 

 

 

 

 

Articulação para ativação da rede de Proteção Social

x

X

x

x

x

x

x

x

x

x

x

Início do Projeto

 

 

X

29/04

 

 

 

 

 

 

 

 

Início do Ciclo Teatral

-

-

X

29/04

x

x

x

x

x

x

x

x

1º Fórum de debates e avaliação do projeto aplicado

-

-

-

-

-

-

X

05/08

-

-

-

-

Formação do grupo interdisciplinar teatral juvenil de Ouricuri.

-

-

x

x

x

x

x

x

x

x

x

05/12

2º Fórum de debates e avaliação do projeto aplicado

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

x

10/12

Confecção de relatório retrospectivo das ações realizadas e envio de cópia às secretarias municipal e estadual de educação.

-

-

-

-

-

-

-

-

-

-

x

20/12

 

 

 

 

  1. 4.       CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

 

Finalizando este projeto, vemos a real possibilidade de que possamos ter mais cidadãos conscientes de seus direitos e obrigações, permitindo que cada um colabore para a melhoria da nossa sociedade, afastando as drogas, não só do ambiente escolar, mas também de nossa comunidade, pois vislumbramos que os malefícios e conseqüências negativas causadas pelas drogas têm aumentado, e cada vez mais entre os jovens, que ainda não possuem, ou pouco possui informações dessas substâncias danosas a nossa saúde, acaba se envolvendo.

Observamos que nossa sociedade está na UTI, carente de idéias inovadoras que possam dar informações, aplicar projetos e transmitir informações que possam alertar, e de fato, resgatar vidas – vidas estas que se encontram no mundo das drogas. Nosso projeto visa, juntamente ao caráter preventivo, no decorrer das peças teatrais e palestras, identificar usuários de drogas, que se encontrem carente de tratamento, através da apresentação voluntária desses dependentes, ou por indicação de um amigo que assista as nossas apresentações, chegando ao nosso conhecimento, através de questionário entregue em cada encontro, momento em que a platéia poderá indicar anonimamente, tanto os usuários e dependentes de drogas, como também relatarem pontos de venda de drogas.

Igualmente, com informações de usuários e dependentes, poderemos acionar a rede protetora, a fim de dar o devido encaminhamento para acompanhamento e tratamento da dependência, já que a finalidade do nosso projeto é prevenir e resgatar vidas. Porém, com relatos sobre a localização dos pontos de venda de drogas, poderemos debelar, encaminhando tais informações para as polícias (PMPE, PCPE e PF), a fim de que possam atuar repressivamente, prendendo e afastando o perigo da droga em nossa comunidade.

Esse projeto é de grande valia, haja vista que temos em nosso município, uma grande população carente de informações, e com a aplicabilidade dos instrumentos desse projeto, poderemos levar alegria – por levar as encenações teatrais para a população carente –, além de integrar a valorização da cultura teatral inserida no contexto da educação, de modo a atingir nossas crianças e jovens no recebimento da mensagem preventiva e divertida, mas que tenha seu caráter de seriedade sobre os malefícios das drogas, trazido para contextos da nossa realidade, transmitida intrinsecamente no texto das encenações teatrais e das palestras.

A apologia às drogas na busca de falsa sensação de prazer que se possa buscar ou sentir com o uso e consumo de drogas, de modo a proporcionar euforia, força, poder, ou ainda, falta de fome e/ou de memória, nunca poderá ser superada pelos trabalhos coletivos na busca da prevenção e do bem comum para todos nós. Essa apologia às drogas deve ser repudiada, pois essa demagogia barata está destruindo a base familiar de nossa sociedade, produzindo pessoas frágeis e a mercê de várias doenças, sejam físicas ou mentais.

 Somos sabedores de nossas limitações, contudo, com responsabilidade social e apoio de parceiros, sejam instituições públicas ou de iniciativa privada, em busca do exercício da cidadania, poderemos com um simples gesto, contribuir para uma mudança na vida de várias pessoas, principalmente naquelas que estejam no mundo das drogas, como também naquelas que, com a palavra preventiva, nunca estarão propícios a qualquer armadilha das drogas.

Com o caráter preventivo, depois de identificado o jovem envolvido, seja de forma casual ou dependente, a REDE PROTETORA poderá descobrir talentos em diversas áreas, tais como musicais, sociais, literárias e artísticas, nunca demonstrados por falta de oportunidades, mas que poderão resgatar a auto-estima dessas vidas angustiadas através das artes cênicas.

Concluindo nosso pensamento, quem ama educa. Trabalhar um projeto como esse é exercer o papel de cidadão. É educar nossos filhos com a finalidade de prepará-los para as crises que os esperam ao longo de suas vidas. Prevenir é o despertar do comodismo. É querer o melhor àqueles que nem mesmo conhecemos, pois no mundo de hoje, encontramos pessoas que fogem das crises através das drogas. É necessário que se proponha soluções, e que sejamos realistas diante das dificuldades no enfrentamento da dependência. Prevenir é fazer parte do exército salvador cristão.

 

Por fim, prevenir é amor!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. 5.      BIBLIOGRAFIA

 

 

  • BRASIL, Presidência da República. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. Curso de prevenção do uso de drogas para educadores de escolas públicas. – Brasília: Secretaria Nacional de Políticas sobre as Drogas, 2010. 286p.

 

  • Camargo, Robson (2005). O Espetáculo do Melodrama. ECA/USP 2005, tese de doutorado;

 

  • Juventude: tempo presente ou tempo futuro? Dilemas em propostas de políticas de juventudes/ Mary Garcia Castro. Miriam Abramomovay. Alessandro de Leon. – São Paulo: GIFE – Grupo de institutos,Fundações e Empresas, 2007.1899p.

 

  • Projeto Patrulheiro Mirim da PMPE, 2010

 

  • Inalantes: Informação e Prevenção. Brasília: Presidência da República, Gabinete de Segurança Institucional, Secretaria Nacional Antidrogas, 2004. 20p.

 

  • Apostila do Curso de Teatro Cristão da Assembléia de Deus Missão Josué. – Trindade-PE; 2010.06p.

 

  • BRASIL. Presidência da República. Secretaria Nacional Antidrogas. Drogas: cartilha sobre tabaco/ Secretaria Nacional Antidrogas. – Brasília: Presidência da República, Secretaria Nacional Antidrogas. – Brasília: Presidência da República, Secretaria Nacional Antidrogas, 2007.36p.

 

  • Álcool: o que você precisa saber. Brasília. SENAD 2001. 26p.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • ·_______________________________________________________________________________________________________________________________ a nossa maior fonte de felicidade e realizaçormas de melhorar a sua qualidade de vida, agindo com responsabilidade, preservand

palestras s e muraisressorao de AlencarPREVENÇo que se almeja.menos sofrimento e menos uso de dogase ester e por acreditar mui

 

 

 

 

 

 

ANEXO “A”

 

PEÇA TEATRAL DO PROJETO

Título:  LEILÃO DE ALUNA

Autor: Ismael  - Grupo Teatral da Assembléia de Deus Missão Josué / Trindade-PE;    

 

ELENCO:

LEILOEIRO - RENE

BEBIDA – ISMAEL

MALANDRAGEM – MATEUS

DROGA - ALEXANDRE

PROSTITUTA – MARISA

DIABO - DIEGO

JESUS – FRANKINHO

DEPRESSÃO – IARA

NARRADOR DA PEÇA TEATRAL: BRUNO ARAÚJO

 

A ALUNA ESTÁ COM A FARDA DO COLÉGIO

 

Vamos iniciar o leilão. Porém este leilão será diferente, o objeto aqui leiloado não irá para sua casa, e sim a destruição deste objeto.

 

Serva traz a aluna (que entra gritando)

 

- LEILOEIRO

Pode deixar ela aí! Aqui está uma pobre aluna. Para muitos ela vale mais do que o mundo. Para outros, não significa nada. Eu quero ver aqui nesta manhã, pessoas com estratégia de destruição e qual for melhor, levará essa aluna. Então eu pergunto a cada um de vocês: tem alguém com plano de destruição pra esta aluna? Tem alguém?

 

- BEBIDA

Peraí, peraí, tem sim, eu quero essa aluna, ela é minha.

 

-LEILOEIRO

Quem é você?

 

-BEBIDA

Eu? Eu sou a bebida! O álcool é um dos maiores prazeres que o ser humano pode desejar nesses dias de miséria. Eu faço com que os jovens esqueçam as tristezas da provas, as desilusões, as insatisfações e tudo que o preocupa, quando está aflito o ano todo.

 

-LEILOEIRO

E qual é o seu plano de destruição para essa aluna?

 

-BEBIDA

Essa aluna aí! Eu vou fazer ela beber socialmente, socialmente só um pouquinho, final de semana – aí é uma coisa que todos fazem, daí eu vou botar todos os dias, aí todos os dias ela vai beber tudo.

 

-LEILOEIRO

E qual será o fim desta aluna?

 

-BEBIDA

Eu vou colocar ela viciada em mim, ela vai gastar todo o dinheiro, todinho comigo, vai ter briga, ela vai cair.

 

-LEILOEIRO

Isso é muito pouco! Esta aluna é muito valiosa! Será que nesta manhã não tem ninguém com plano de destruição para essa aluna? Será? Dou-lhe uma, dou-lhe duas...

 

-MALANDRAGEM

Que negócio é esse aí mano! Fala sério! Se liga nesse lance aí, essa aluna já é minha.

 

-LEILOEIRO 

Quem é você?

 

- MALANDRAGEM

Você não sabe quem sou eu, não? Se liga, meu irmão, eu sou a malandragem! Sou eu quem fico nos corredores dos colégios, dando asa para todo mundo dar um rolé, fazendo o que todos dizem – nada! Sou eu mesmo.

 

-LEILOEIORO

Quem é você?

 

-MALANDRAGEM

Eu sou a malandragem!

 

-LEILOEIRO

Qual será o seu plano de destruição pra essa aluna?

 

-MALANDRAGEM

Meu plano de destruição para ela? Meu plano para ela é colocar ela para se sentir a tal, e depois eu vou colocar para matar aula, brigar com as professoras.

 

-LEILOEIRO

Qual será o fim desta aluna?

 

-MALANDRAGEM

O fim desta aluna: vai crescer sem compromisso, vai se tornar um adulto analfabeto e aí ela vai ser presa e vai apodrecer na cadeia.

 

-LEILOEIRO

Até agora a tua estratégia é a melhor. Mas ainda é pouco, muito pouco! Tenho certeza que nesta noite alguém tenha estratégia de destruição melhor que o da bebida e da malandragem. Dou-lhe uma, dou-lhe duas...

 

-DROGA

Peraí, maluco! Pode bater o martelo que essa aluna já é minha.

 

-LEILOEIRO

Quem é você, boy?

 

-DROGAS

Sabe quem sou eu não, maluco? E aí malandragem, beleza? Você não sabe quem sou eu, não?

 

-LEILOEIRO

Eu estou perguntado quem é você.

 

- DROGA

Eu sou a droga!

 

- LEILOEIRO

Qual será o plano de destruição para essa aluna?

 

DROGA

Meu plano de destruição para essa aluna, eu vou colocar ela pra fumar maconha como eu faço em muitos lares por aí, cristalzinho, uma cheiradinha, só. Cigarrinho da paz não faz mal a ninguém, depois eu boto cocaína, pra depois que pegar no vício ela vai ter que roubar vocês aí que trabalham, e por último,  cocaína na veia.

 

-LEILOEIRO

Qual será o fim desta aluna?



 

- DROGA

O fim desta aluna? Será a mamazinha dela sentada na cozinha tomando seu cafezinho e lendo seu jornalzinho. E vai estar estampada na primeira capa do jornal, mais um corpo encontrado morto de overdose de baixo do viadulto, e pode dar fim a este leilão que essa aluna já é minha e se quiser eu já dou um pipoco nela agora.

 

-LEILOEIRO

 Espera!

 

-DROGA

Espera o quê, loteria?

 

-LEILOEIRO

 Com certeza o seu plano de destruição é o melhor.

 

-DROGA

Não tenha dúvida!

 

-LEILOEIRO

Então pode levar essa aluna, que eu já vou bater o martelo, ela já é tua. Dou-lhe uma, dou-lhe duas...

 

-PROSTITUIÇÃO

Espere!

 

-LEILOEIRO

Quem é você?

 

-PROSTITUIÇÃO

Você não me conhece?

 

-LEILOEIRO

Estou perguntado quem é você.

 

-PROSTITUIÇÃO

Eu? Eu sou a prostituição, e você me conhece (ela aponta de um lado para o outro), eu estou nos lares, na internet, nas revistas, faço as pessoas se prostituírem por elas mesmas.

 

-LEILOEIRO

Qual será o seu plano de destruição pra essa aluna?

 

 

- PROSTITUIÇÃO

Ah! Essa pobre aluna, a prostituição mudaria o corpo dela, farei ela se sentir uma mulher, e usarei o seu corpo com vários homens.

 

-LEILOEIRO

Qual será o fim desta pobre aluna?

 

-PROSTITUIÇÃO

O fim desta aluna rá,rá, rá! O fim dela são apenas três letras.

 

-LEILOEIRO

Qual são estas três letras?

 

-PROSTITUIÇÃO

Essa três letras são: HIV.

 

O LEILOEIRO BATE PALMAS

Parabéns! Prostituição, o teu plano de destruição eu gostei, pois você entra na vida dela, no lar dela, vai contaminar seus filhos, pode se aproximar dela, que esta alma já é tua. Dou-lhe uma, dou-lhe duas...

 

- DEPRESSÃO ENTRA CHORANDO

 

- LEILOEIRO

Quem é você?

 

- DEPRESSÃO

Ah, não! Eu estou cansada de sofrer, eu não agüento mais, que dor na minha alma (ela chora)!

 

-LEILOEIRO

Eu estou perguntado quem é você.

 

-DEPESSÃO

Eu sou a depressão.

 

-LEILOEIRO

Qual é o seu plano de destruição para essa aluna?

 

- DEPRESSÃO

Eu vou fazer ela ficar naquele quarto escuro depois que reprovar na escola, sem vontade de ver ninguém, sem vontade de fazer nada e ela vai ficar vegetando.

 

 

-LEILOEIRO

Qual será o fim desta aluna?

 

 

-DEPRESSÃO

Ela vai tomar aqueles antidepressivos, e ela vai ficar com uma tristeza profunda, com tanta solidão. E ela vai ficar triste, mas tão triste, eu vou dizer no ouvido dela ‘morra, você não tem mais jeito, você não tem mais esperança’. (chora).

 

-LEILOEIRO

Isso! É isso mesmo! Essa pobre aluna vai morrer, teu plano de destruição realmente é surpreendente, então esta aluna já é tua! Dou-lhe uma, dou-lhe duas...

 

-SATANÁS

 Espere!

 

-LEILOEIRO

Quem é você?

 

-SATANÁS

Como ousa? Começar essa seção sem a minha presença!

 

-LEILOEIRO

Quem é você?

 

-SATANÁS

Eu? Eu sou o senhor das trevas, sou eu quem mando em todos esses aí, eu faço com que eles entrem e coloquem o vício, a prostituição, coloco para roubar, matar e destruir a vida de alunos, como estes que estão aqui.

 

-LEILOEIRO

E o fim desta aluna?

 

-SATANÁS

O fim desta aluna e de todas essas que estão aqui, eu vou levar essa alma para o inferno. (todos riem).

 

-LEILOEIRO

Isso mesmo, parabéns! Vão todos os alunos para o inferno e vão sofrer, vão sofrer bastante.

 

-SATANÁS

Pode bater o martelo!

 

-LEILOEIRO

Dou-lhe uma, dou-lhe duas... (ele fica com as mão estendidas).

 

- JESUS

Eu sou o alfa, o ômega, o princípio e o fim (todos saem gritando e caem).

Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, se não por mim. Fora, satanás!

 

-LEILOEIRO

Quem é você?

 

- JESUS

Eu sou Jesus.

Filha por que saíste do meu caminho? Pois saiba que ainda te amo, chegasse até a mim com teu coração aberto, eu perdôo todos os seus pecados, porque lá na cruz eu morri por ti, vai e não peques mais.

 

ALUNA

Eu te amo, Jesus!.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ANEXO “B”

 

PEÇA TEATRAL DO PROJETO

Título:  CADEIA DAS DROGAS

Autor: Ismael  -  Grupo Teatral da Assembléia de Deus Missão Josué / Trindade-PE;    

 

Certo rapaz que gostava de freqüentar ambientes pesados, turmas rebeldes onde eram usados bebidas, violências e principalmente drogas. 

Um dia Hugo estava em casa sentindo-se triste, abatido e não sabia o porquê. 

Chegaram então uns amigos, viram a sua situação e comentaram: 

 

Amigos: -- Qual é meu? Sai desse bode compade! Toma aí uma parada pra tu ficar ligado! Aí sabe qual é, tem uma parada da boa mais tarde lá no baile. Aparece lá! 

 

Hugo: -- Valeu mano, mais tarde eu tô lá! 

 

Chegando a noite, Hugo se arrumou e foi para onde a rapaziada se encontrava. Hugo ainda estava muito abatido, sentindo-se triste, com medo, mas não sabia o porquê. 

Como já havia costume, resolveu usar a droga que o amigo tinha lhe dado. Começou então a tocar as músicas, as luzes se acenderam e todos começaram a dançar. 

 

No efeito da droga Hugo começou a dançar, pular e consumir mais e mais aquela droga. 

 

De repente tudo começou a ficar diferente, o som parecia falhar, as luzes pareciam apagar-se e acender-se mutuamente, as pessoas olhavam para ele e começavam a rir.

 

Hugo então começou a sentir calafrios, suava muito e tremendo o tempo todo. As pessoas começavam a sumir no meio da fumaça. Hugo foi ficando desesperado gritando. 

De repente tudo parou. Ele começou a chamar os nomes, os amigos, ele gritava, gritava e ninguém respondia, com muito medo ele começou a ver vultos em sua frente, ele gritava: 

 

Hugo: -- O que está acontecendo?! O que é isso? Sai daqui! Sai da minha frente! O que é isso? Sai daqui! (ENTRAM AS MORTES) Quem são vocês?! O que vocês querem? SOCORRO! Sai daqui! Sai de perto de mim! Socorro, alguém me ajuda! Tira isso daqui! Não! Não! NÃAAOO!!!!! Tira isso de mim! Pra quê isso? Socorro, socorro! 


Hugo ajoelha-se e grita em grande voz: SOCOROO!!! 

(MEU DEUS, ME AJUDAAA!!) 

 

Então Hugo desmaia. Eis que aparecem uns Anjos a Hugo e o chama: (ENTRAM OS ANJOS) – Hugo, Hugo, Hugo! Hugo abre os olhos, levanta-se e pergunta aos Anjos: 

 

Hugo: -- Quem são vocês? 

 

Anjos: -- Nós somos Anjos de Deus. 

 

Hugo: -- Anjos?! 

 

Anjos: -- Querubins, Serafins, Arcanjos, Gabriel. 

 

Hugo: -- O que está acontecendo? O que aconteceu? 

 

Anjos: -- Você não lembra de nada? 

 

Hugo: “Confuso” -- Eu me lembro que estava em casa, chegaram uns amigos, eu não me lembro direito, eles me chamavam pra sair, era estranho, tinha umas coisas me perseguindo, eu estava com muito medo, gritando, gritando e ninguém me ouvia. “ Desespero” -- Eu morri? Foi isso, eu morri? E a minha família, meus amigos e agora, o que eu faço? 

 

Anjos: “Gabriel” – Não, você não morreu. E no último suspiro da sua vida, em que você gritou em alta voz: MEU DEUS ME AJUDA! Eis que Deus ouviu o seu clamor e estendendo suas mãos nos enviou para lutar contra os espíritos do mal e te libertar da Cadeia das Drogas!.!. 

 

 

 

 

FIM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

JINGLE DA CAMPANHA

(Estilo Hip-Hop!!!)

 

TÍTULO: OURICURI CONTRA AS DROGAS!!!

 

DIGA NÃO ÀS DROGAS

VENHA PRA PREGAR A PAZ!!

POIS ELAS PROVOCAM PROBLEMAS PESSOAIS.

 

NA FAMÍLIA, NO TRABALHO, ACARRENTANDO DOENÇAS

PRISÃO E  ATÉ MORTES,  NÃO CAIA NESSA  SENTENÇA!!

 

OURICURI CONTRA AS DROGAS!!!

VAMOS LUTAR!

ESSA CAMPANHA CHEGA AQUI

É PARA CONSCIENTIZAR!!

TER MAIS SAÚDE E PAZ PRA TODA JUVENTUDE!!

PRA GENTE  TER UMA CIDADE BEM MELHOR

ESSA É A GRANDE VIRTUDE!!!!

.... GRANDE VIRTUDE,  VIRTUDE .......

 

 

UMA CAMPANHA PREVENTIVA DE  SEGURANÇA, EDUCAÇÃO  E  SAÚDE PÚBLICA

 DAS  POLÍCIAS  MILITARES E CIVIL

PODER JUDICIÁRIO, ESCOLAS  E  IGREJAS!!!

 

 

FIM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROJETO OURICURI CONTRA AS DROGAS:

Resgatando Vidas através da Arte.

 

AJUDE A REDE DE PROTEÇÃO A RESGATAR VIDAS QUE ESTÃO PERDIDAS NO SUBMUNDO DAS DROGAS, BEM COMO, AFASTAR OS TRAFICANTES DE SUA ESCOLA E DE SUA COMUNIDADE.

 

QUESTIONÁRIO AVALIATIVO, SUGESTIVO E INFORMATIVO;

 

1)     O QUE VC ACHOU DO EVENTO?

 

(     )  Excelente;        (     )  Muito Bom;        (     )  Bom;        (     )  Regular;       (     )  Péssimo

 

2)     VOCÊ CONHECE ALGUÉM NA SUA ESCOLA OU NA SUA COMUNIDADE QUE É USUÁRIO DE DROGAS OU DEPENDENTE QUIMICO? (Ajude essa Pessoa com a sua Informação)   (     )  NÃO       (     )  SIM.    Caso responda SIM, favor indicar nome, endereço e o tipo de droga que usa.        

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

3)      VOCÊ CONHECE ALGUM LOCAL EM QUE HÁ VENDA DE DROGAS ILÍCITAS NA SUA COMUNIDADE?   (     )  NÃO       (     )  SIM.   Caso responda SIM, favor indicar nome, endereço e o tipo de droga que é vendida.

 

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

4)      VOCÊ CONHECE OU SABE INFORMAR DE ALGUM TRAFICANTE DE DROGAS QUE ESTÁ ATUANDO NA SUA ESCOLA OU NA SUA COMUNIDADE?    (     )  NÃO      (     )  SIM.   Caso responda SIM, favor indicar nome dessa pessoa, endereço, tipo de droga que vende, e de que forma está procedendo com o tráfico).

 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

UTILIZE ESSE ESPAÇO PARA MAIS INFORMAÇÕES

 

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Colabore. Para dar essas informações, não é preciso você se identificar.  *

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Ednilson José De Barros
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Oficial da PMPE, Bacharel em Direito pela FACISA - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Araripina-PE, Pós-Graduado pela URCA - Universidade Regional do Cariri, no aguardo de avaliação da Monografia sobre a Ressocialização de Detentos da Cadeia Pública de Ouricuri-PE.
Membro desde dezembro de 2011
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: