Projeto de intervenção em uma escola: objetivos e resultados
 
Projeto de intervenção em uma escola: objetivos e resultados
 


PROJETO DE INTERVENÇÃO EM UMA ESCOLA: OBJETIVOS E RESULTADOS

 

"Além de um ato de conhecimento, a educação é também um ato político. É por isso que não há pedagogia neutra."

Paulo Freire

 

1 OBJETIVOS TRAÇADOS NO PROJETO DE INTERVENÇÃO

 

Quando o Projeto de Intervenção foi implantado na Escola Municipal Vereador Odércio Nunes de Matos, foram levantados alguns problemas que buscamos, com o PI solucionar para alcançar um ensino de melhor qualidade. Durante esse tempo em que discutimos e debatemos sobre a questão, procuramos buscar meios para efetivar as mudanças necessárias. E toda a comunidade tem se empenhado para atingir os objetivos propostos. Sendo assim, segue os objetivos pontuados, apresentando os resultados das intervenções propostas.

 

1.1 Alunos com pouca aprendizagem

 

Quanto aos alunos com pouco aprendizado, os professores têm buscado novas metodologias que supram as necessidades que surgem, além de trabalhar também com reforço em horário diferente com aqueles que apresentam maiores dificuldades ou pré-requisitos necessários a série na qual está inserido. Além disso, o professor também procura trabalhar com uma recuperação paralela aos conteúdos, conforme evidencia o trabalho realizado pelos professores após diagnosticar o problema “aluno com pouca aprendizagem”, além de ficar claro que o aluno necessita de um atendimento individual para recuperar o que não foi bem absorvido pelo aluno, dando-lhe uma nova oportunidade de se obter um ensino de qualidade.            

 

1.2 Falta de motivação por parte de elementos da comunidade escolar

 

Em relação à falta de motivação por parte de elementos da comunidade escolar. A direção e a coordenação tem feito um trabalho de incentivo e estímulo para que se resolva o problema existente e isso já tem se concretizado desde o início do ano letivo em fevereiro, após reunião realizada com cada segmento. Nesse quesito da falta de motivação, a partir da celebração feita da passagem da Páscoa onde aconteceu uma profunda reflexão que levou todos os membros da comunidade escolar a se comprometer com um bom propósito para melhoria da escola. Observou-se que após esse fato a escola está mais motivada, e mais participativa.

 

1.3 Alunos que não comparecem na escola

 

No que diz respeito a alunos faltosos, não é um problema de grande dimensão, todavia alguns casos que surgiram, procuramos resolver, dialogando com os alunos e familiares para entender o motivo das faltas e buscar meios para que as mesmas não continuem. Assim, sempre que algum aluno falta por (03) três dias consecutivos, e a família não avisa o porquê, professores e coordenação entram em contato com a família e resolve a situação.

Um problema que angustia bastante também é o relacionamento dos alunos com seus colegas, que geram discussões e brigas. A escola procura intervir chamando os alunos para uma conversa, tentando soluções para essas questões. Os professores sugeriram que se elabore um projeto com um recreio dirigido. Esse projeto ainda não está efetivado, mas estamos reorganizando o Grêmio Estudantil para com a colaboração do mesmo tentar solucionar essa problemática, delegando a eles a organização de um recreio dirigido buscando envolver os alunos com atividades de diversão que gerem um bom relacionamento entre todos.

 

1.4 Responsabilidade, compromisso, profissionalismo e incremento de metodologias inovadoras

 

 Quanto às metodologias, nossos professores contam com um amplo acervo de tecnologias a disposição para que procurem inovar e ainda rever suas próprias metodologias analisando o que está falho e dessa forma corrigir o que for necessário. Em 2008, ainda não tínhamos um espaço preparado para uma biblioteca e a Sala de Tecnologia não contava com um número suficiente de computadores, o que às vezes dificultava o trabalho do professor. Nesse ano, com o apoio e a colaboração de diversos segmentos da comunidade escolar e com o apoio da Gerência Municipal de Educação e Prefeitura Municipal, conseguimos avançar com uma Sala de Tecnologia mais equipada e com duas professoras para trabalhar e apoiar o professor regente, além de um maior espaço para biblioteca, onde os alunos podem fazer leitura e trabalhos com mais conforto e eficiência.

 

 

 

1.5 Relação comunidade escolar interna e externa

 

A escola procura estabelecer uma relação estreita com a comunidade externa, além das reuniões de pais estabelecidos, temos membros da comunidade que estão sempre em contato com a escola. Inclusive a escola tem um projeto que deve iniciar sua efetivação em breve, onde procuraremos trazer a comunidade para a escola e juntamente com alunos e professores voluntários participar de jogos e recreações estreitando os laços entre a escola e a comunidade. A escola tem estado aberta para toda a comunidade do bairro, isso se comprova nos finais de semana, onde vários moradores, jovens participantes de grupos de igreja e também ex-alunos da escola utilizam as dependências da mesma para eventos e para jogos. Na medida do possível com a participação da professora de Educação Física.

 

1.6 Valorização da escola como um todo

 

Um ponto importante também é a valorização da escola como um todo. Estamos buscando uma forma de mostrar a importância de nossa escola para que todos abracem nossa causa e possa contribuir para nosso crescimento mútuo.

 

1.7 Questão do relacionamento por parte de alunos

 

Estamos envolvendo nossos alunos com o Grêmio Estudantil para que esses possam sentir-se valorizados e valorizem o espaço escolar em que estamos organizando a nova eleição para que o Conselho Escolar seja mais atuante e participe mais nas tomadas de decisões necessárias.

 

 

1.8  Falta de integração profissional dos membros da comunidade escolar

 

Outro ponto apresentado no Projeto de Intervenção é a falta de integração profissional dos membros da comunidade escolar. A escola tem buscado propiciar essa integração, por meio de reuniões que integrem todos os segmentos, levando em conta que nosso maior desafio consiste em lavar o conhecimento ao aluno.

 

1.9   Questão do desempenho das funções

 

Um fato muito importante e que tem sido de grande relevância para a efetivação dessas ações é a implantação do Pro-funcionário, curso de capacitação oferecido para os administrativos que tem mostrado satisfação e empenho daqueles que dele participam. Isso fica muito claro em um depoimento de um dos funcionários administrativos que diz: “A escola boa e de qualidade é onde há justiça, sabedoria e a inclusão, assim teremos uma escola onde se forma cidadãos”.

A escola ainda não tem todos os seus problemas solucionados, entretanto estamos caminhando para que nossas ações se efetivem. Assim estamos estudando, debatendo e reestruturando nosso PPP e dessa forma, juntos procurar soluções que nos possibilite sanar nossas problemáticas. 

 

Maior conscientização do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica

 

Outro fato de suma importância está relacionado ao IDEB- Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, a escola tem uma média de 5.1 nos anos finais e 5.0 nos anos iniciais do Ensino Fundamental. É uma média de grande relevância, pois mostra que o desempenho de nossa escola está no caminho certo. A direção tem tido a preocupação de divulgar com frequência esse índice para toda a comunidade escolar, principalmente enfatizando o assunto nas reuniões de pais. Neste ano de 2009 contamos com cursos de formação voltados aos professores do 1º ao 5º Ano e do 6º ao 9º Ano nas disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa.

A escola incentiva a todos os professores para que participem dessas capacitações, afinal as mesmas têm contribuído bastante para o nosso fazer pedagógico e com certeza terá influência no processo de aprendizagem de nossos alunos, dessa forma também contribuirá muito no índice de desenvolvimento da escola, somada as ações já realizadas. Professores têm se empenhado para que os fatores relacionados a esse índice sejam positivos e busquem sua elevação, todavia há ainda alguns professores que não participam desses cursos de formação por motivos diversos, e a escola tem procurado mostrar a importância deles no crescimento profissional e na qualidade de suas aulas e que haverá dessa forma também uma maior interação entre os colegas de trabalho e maior compromisso com o aluno.

 

 

 

REFLEXÃO CRÍTICA

 

            Primeiramente agradecemos à Deus por nos ter dado a oportunidade de participar desse curso de Gestão Escolar, pois nos trouxe um novo foco na forma de gestão democrática.

            Um ponto principal na construção do Projeto de Intervenção-PI e na reelaboração do Projeto Político Pedagógico– PPP, é quanto ao envolvimento de toda a comunidade escolar, pois como afirma Paro (1998) “a participação de toda a comunidade escolar requer medidas corajosas, para que todos participem da vida escolar, especialmente as que não tem vez e voz” (p.13). Nesse sentido nosso PI buscou essa participação de toda a comunidade escolar na reflexão e busca de solução dos problemas.

            Como foram apontados no capítulo anterior, os objetivos de nosso PI foram traçados no coletivo, ou seja, professores, alunos, pais e funcionários deixaram de lado as aparências e elencaram os problemas relacionados à escola, isso exigiu reflexão sobre como era o nosso “antes” (de certa forma impotente) e os espinhos encontrados no decorrer desse processo de mudança e transformação do cotidiano escolar. Esse processo, muitas vezes foi feito em discussões acaloradas, mas nos levou ao crescimento e a perceber que a qualidade do ensino só ocorre quando todos participam. Percebemos que por meio de reuniões (ver atas em anexo) e discussões, nos aproximamos mais da comunidade escolar que participou efetivamente no enfrentamento dos problemas existentes, isso fez com que a gestão na escola se tornasse democrática, descentralizada, autônoma, eficiente, competente e principalmente cidadã.

            Conseguimos, nessa forma democrática de gestão, avanços em nossos objetivos, metas, procedimentos e resultados que fizeram a escola avançar em muito na qualidade de ensino.

O que se conclui é que não conseguimos resolver todos os problemas existentes na escola com esse PI, mas que muitos deles foram solucionados. Portanto, se faz necessário que continue essa grande obra iniciada com o curso de Gestão Escolar que é fazer com que exista na escola uma política pedagógica baseada na gestão compartilhada para que sejamos, de fato, uma instituição inclusive democrática.

             



 “A questão não é gerenciar o educador. É necessário acordá-lo. E, para acordá-lo, uma experiência de amor é necessária, O acordo mágico do educador tem, então, que passar por um ato de regeneração do nosso discurso, o que sem dúvida exige fé e coragem: coragem para dizer em aberto os sonhos que nos fazem tremer.”

 Rubens Alves. 

 

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
5 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Ciro Toaldo
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Professor Me. Ciro José Toaldo. Graduado em História pela UNOESC. Mestrado em História pela UFMS. Professor no Ensino Superior. Foi Diretor de Escola Pública, Presidente do Conselho Municipal de Educação, Membro do Conselho do FUNDEB. Faz parte da Associação Naviraiense dos Poetas e Escritores (A...
Membro desde fevereiro de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: