O SISTEMA DE ORGANIZAÇÃO E DE GESTÃO DA ESCOLA: TEORIA E PRÁTICA
 
O SISTEMA DE ORGANIZAÇÃO E DE GESTÃO DA ESCOLA: TEORIA E PRÁTICA
 

A qualidade da educação está diretamente relacionada à competências de seus profissionais em propiciar experiências educacionais que possibilitem a sua formação humana, o desenvolvimento de habilidades e atitudes e a construção de novos conhecimentos para enfrentar os desafios da atualidade. Quanto ao administrar, a formação especifica e continuada é uma necessidade para desenvolver competências que possam promover a organização da escola, possibilitar a participação dos diferentes segmentos da comunidade escolar nas decisões educacionais, assim como articular as condições materiais e financeiras para garantir o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem. Para administrar uma escola, são necessárias inúmeras competências. Trabalhar com essa diversidade é um grande desafio para o administrador escolar. A gestão escolar numa perspectiva compartilhada, deve promover o comprometimento e a participação das pessoas envolvidas no processo educacional da escola (pais, alunos, profissionais da educação e segmentos da comunidade) na tomada de decisões. Não há formulas ou receitas para assegurar que a função sociopolítica se efetive. porem, como todo processo, é um caminho que é feito ao caminhar, nada impedindo o administrador escolar de analisar e prever os obstáculos e potencialidades que a realidade apresenta para desempenhar esta função. O desempenho da função sociopolítica do gestor escolar exige competência em dois aspectos: a intermediação da unidade escolar com as instancias superiores do sistema escolar e a intermediação das relações entre professores, funcionários, pais, alunos e comunidade. A ação planejada em conjunto possibilita ao gestor escolar orientar o trabalho coletivo para poder desempenhar o que compete atuar como mediador entre o sistema de ensino e a unidade escolar, sistematizando idéias e sugestões para que as ações planejadas no coletivo, relacionadas ao projeto político pedagógico da escola e integrantes da proposta do sistema de ensino da entidade mantenedora, no qual a unidade escolar está inserida, se concretizem. A participação dos profissionais da educação, dos pais, dos alunos e da comunidade nas atividades da escola. Esta é uma das competências do gestor escolar: criar formas de participação nas decisões educacionais da escola e na promoção de ações que contribuam com a comunidade na qual a escola está inserida. para tanto, algumas ações estratégicas são fundamentais. Dentre elas, destacamos as seguintes: • Ouvir e considerar as opiniões dos participantes; • Estar atento às solicitações da comunidade escolar; • Delegar responsabilidades às pessoas; • Valorizar a participação das pessoas. Em face às ações estratégicas apresentadas, vale ressaltar a importância de refletir que toda a escola necessita de uma estrutura de organização interna. Sendo assim, cabe ao gestor escolar garantir que a gestão aconteça de forma participativa e compartilhada na sua organização. A gestão coletiva acontece num ambiente democrático, em que parcerias são formadas num clima de colaboração, com responsabilidade e solidariedade no espaço de formação humana que é a escola. a colaboração, a responsabilidade, o respeito e a solidariedade são conceitos essenciais para que o patrimônio imaterial da comunidade escolar seja preservado. a participação efetiva dos alunos, dos pais e da comunidade nas decisões da escola, por meio da sua gestão, legitima a administração escolar considerando a dimensão sociopolítica. A competência pedagógica do gestor escolar, já como foi dito, é a essência de toda a ação desenvolvida na escola e garante a articulação com conhecimento relacionado ao saber escolar. Cabe ao gestor escolar buscar a participação dos diversos segmentos que compõe a escola (profissionais da educação, alunos, pais e comunidade), desde o planejamento, na organização e execução do projeto político pedagógico, pois ele é um instrumento de organização do coletivo e de como é o funcionamento da escola. É a sua identidade o elemento norteador de todas as atividades que serão desenvolvidas. O projeto político-pedagógico, como instrumento de organização da escola, deve ser fruto de pesquisa sobre a realidade escolar e uma reflexão acerca das diferentes concepções de sociedade, educação e escola existentes entre os participantes. O projeto político pedagógico é o resultado das discussões para definir as ações e os caminhos a serem construídos com o envolvimento e a responsabilidade de todos que fazem parte de unidade escolar

 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)

Membro desde junho de 2013
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: