O Livramento De Sadraque, Mesaque E Abednego
 
O Livramento De Sadraque, Mesaque E Abednego
 


Daniel 3

10 Tu, ó rei, fizeste um decreto, pelo qual todo homem que ouvisse o som da trombeta, da flauta, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles, e de toda a sorte de música, se prostraria e adoraria a estátua de ouro;

11 e qualquer que não se prostrasse e adorasse seria lançado numa fornalha de fogo ardente.

12 Há uns homens judeus, que tu constituíste sobre os negócios da província de Babilônia: Sadraque, Mesaque e Abednego; estes homens, ó rei, não fizeram caso de ti; a teus deuses não servem, nem adoram a estátua de ouro que levantaste.

13 Então Nabucodonosor, na sua ira e fúria, mandou chamar Sadraque, Mesaque e Abednego. Logo estes homens foram trazidos perante o rei.

14 Falou Nabucodonosor, e lhes disse: E verdade, ó Sadraque, Mesaque e Abednego, que vós não servis a meus deuses nem adorais a estátua de ouro que levantei?

15 Agora, pois, se estais prontos, quando ouvirdes o som da trombeta, da flauta, da harpa, da cítara, do saltério, da gaita de foles, e de toda a sorte de música, para vos prostrardes e adorardes a estátua que fiz, bom é; mas, se não a adorardes, sereis lançados, na mesma hora, dentro duma fornalha de fogo ardente; e quem é esse deus que vos poderá livrar das minhas mãos?

16 Responderam Sadraque, Mesaque e Abednego, e disseram ao rei: Ó Nabucodonosor, não necessitamos de te responder sobre este negócio.

17 Eis que o nosso Deus a quem nós servimos pode nos livrar da fornalha de fogo ardente; e ele nos livrará da tua mão, ó rei.

18 Mas se não, fica sabendo, ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste.

19 Então Nabucodonosor se encheu de raiva, e se lhe mudou o aspecto do semblante contra Sadraque, Mesaque e Abednego; e deu ordem para que a fornalha se aquecesse sete vezes mais do que se costumava aquecer;

20 e ordenou a uns homens valentes do seu exército, que atassem a Sadraque, Mesaque e Abednego, e os lançassem na fornalha de fogo ardente.

21 Então estes homens foram atados, vestidos de seus mantos, suas túnicas, seus turbantes e demais roupas, e foram lançados na fornalha de fogo ardente.

24 Então o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa; falou, e disse aos seus conselheiros: Não lançamos nós dentro do fogo três homens atados? Responderam ao rei: É verdade, ó rei.

25 Disse ele: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e nenhum dano sofrem; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses.

26 Então chegando-se Nabucodonosor à porta da fornalha de fogo ardente, falou, dizendo: Sadraque, Mesaque e Abednego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde! Logo Sadraque, Mesaque e Abednego saíram do meio do fogo.

27 E os sátrapas, os prefeitos, os governadores, e os conselheiros do rei, estando reunidos, viram que o fogo não tinha tido poder algum sobre os corpos destes homens, nem foram chamuscados os cabelos da sua cabeça, nem sofreram mudança os seus mantos, nem sobre eles tinha passado o cheiro de fogo.

28 Falou Nabucodonosor, e disse: Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abednego, o qual enviou o seu anjo e livrou os seus servos, que confiaram nele e frustraram a ordem do rei, escolhendo antes entregar os seus corpos, do que servir ou adorar a deus algum, senão o seu Deus.

29 Por mim, pois, é feito um decreto, que todo o povo, nação e língua que proferir blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abednego, seja despedaçado, e as suas casas sejam feitas um monturo; porquanto não há outro deus que possa livrar desta maneira.

30 Então o rei fez prosperar a Sadraque, Mesaque e Abednego na província de Babilônia.

Na cultura religiosa babilônica, as estatuas eram freqüentemente adoradas. Nabucodonosor esperava usar imagem de ouro criada como estratégia para unir a nação e solidificar seu poder através da adoração centralizada.

 Provavelmente, a imagem foi inspirada em seu sonho. Nabudodonosor queria que seu reino durasse para sempre. Ao fazer a estátua, ele mostrou que sua devoção ao Deus de Daniel era efêmera. Na realidade, ele não temia  nem obedecia ao Deus que estava por trás do seu sonho.

Não sabemos se outros judeus se recusaram a curvar-se diante da imagem, mas estes três homens (Sadraque, Mesaque e Abednego) foram escolhidos para servirem de exemplo público.

Por que eles simplesmente não se ajoelharam diante da imagem, dizendo a Deus que aquilo nada significava para eles?  Eles tinham determinado nunca adorar outro deus, e corajosamente resistiram. Como resultado, foram condenados e levados à execução.

Os três homens não sabiam se poderiam ser salvos  do fogo; o que sabiam é que não podiam ajoelhar-se e adorar um ídolo. Qualquer que seja a situação, você está pronto para se posicionar ao lado de Deus? Fazendo isto, você irá sobressair no mundo.  Esta pode ser uma atitude penosa e talvez não tenha sempre um final feliz. Esteja preparado para dizer: "Quer me livre, quer não, servirei somente a Deus".

Sadraque, Mesaque e Abednego foram pressionados a negar a Deus, mas escolheram ser-lhe fiéis sem importar o que acontecesse.

Confiavam em Deus para salvá-los, mas estavam determinados a ser fiéis a despeito das conseqüências.

Se Deus sempre resgatasse aqueles que lhe são fiéis, os cristãos não precisariam de fé. A religião seria uma grande apólice de seguro e haveria filas de pessoas egoístas e interesseiras prontas para fazer parte dela.

Devemos ser fiéis e servir a Deus, quer Ele interfira em nosso favor, quer não. Nossa recompensa eterna é digna de qualquer sofrimento que venhamos suportar.

Estava evidente para os que observavam que esta quarta pessoa era sobrenatural. Não se pode afirmar com certeza quem era o quarto homem. Poderia ter sido um anjo ou o próprio Jesus Cristo. Em ambos os casos, Deus enviou um visitante celestial para acompanhar estes três homens fiéis em sua grande provação.

O livramento que Deus deu a Sadraque, Mesaque e Abednego, foi uma grande vitória de fé para os judeus que estavam no cativeiro. Eles foram protegidos do mal, confortados na provação. Deus foi glorificado e eles, recompensados.

Decidamos ser fiéis a Deus apesar das dificuldades, pressões ou ameaças de punição. A proteção de Deus transcende tudo o que possamos imaginar.

Esses jovens foram absolutamente guardados do fogo e do calor. Somente a corda que os amarrava foi queimada  ela pertencia a Nabucodonosor.

Nenhum ser humano é capaz de nos prender se Deus quiser que sejamos livres. O poder que nos é disponível é o mesmo que salvou Sadraque, Mesaque e Abednego e ressuscitou a Cristo dentre os mortos.

Confie em Deus em todas as situações. Há razões eternas para as provações temporárias; então agradeça a Deus porque o seu destino está nas mãos dEle, e não em mãos humanas.

Louvado seja o Nome do Altíssimo!

 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
58 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de João Placoná
Talvez você goste destes artigos também