O DESENHO INFANTIL: UM CAMINHO PARA A APRENDIZAGEM
 
O DESENHO INFANTIL: UM CAMINHO PARA A APRENDIZAGEM
 


Mª Jacqueline Alves dos Santos Matos

O desenho foi à primeira forma usada pelo homem para se comunicar através da escrita e continua sendo a primeira forma de expressão da criança. O desenho é arte, e essa arte contribui para que cada criança atue numa forma mais simples no mundo.

"A criança incorpora suas manifestação expressiva:
canta ao desenhar, pinta o corpo ao representar,
dança enquanto ouve histórias, representa enquanto
fala". (DERDYK, Edith.2003)

Através do desenho a criança canta, brinca, teatriza, coloca todos os seus sentimentos e pensamentos no papel, criando um universo só seu. Aprende noções de espaço, tempo, quantidade, sequência e desenvolve sua linguagem oral e escrita. Suas criações, desde as mais simples às mais elaboradas, representam no fundo à sua vida interior e afetiva.
Conforme Piaget, "o desenho é uma forma de representação que supõe a construção de uma imagem bem distinta da percepção". O que a criança desenha não é a reprodução da imagem percebida visualmente, nem a imagem mental que se tem do objeto, consiste sim, na construção gráfica que ela tem naquele momento. Desta forma não se deve interferir, direcionar ou dar desenhos prontos para a criança, isso inibi a auto-expressão e projeta na mesma a incapacidade de desenhar.
No ambiente escolar o desenho se encaixa dentro de uma atividade artística que faz parte da vida curricular do educando, principalmente na educação infantil. O desenho é uma expressão de caráter mais inconsciente e menos controlador que a linguagem oferece, integra as dimensões cognitivas e afetivas , está situada como uma manifestação simbólica por excelência. Quando observa-se a criança ao desenhar e sua atitude frente a essa atividade criativa, analisa-se seu envolvimento e concentração, prazer e relaxamento, seu estado emocional, permitindo um acesso ao mundo interno.
Para Izabel Galvão (p.55), " o olhar que o professor dirige ao desenho da criança apóia-se nas concepções que ele tem sobre o desenho enquanto linguagem, ideias constituídas na sua própria historia e experiência com a linguagem".
Se o educador não possuir uma vivência prática da linguagem expressiva , facilmente incorrerá de erros grosseiros na avaliação daqueles rabiscos e figuras aparentemente inúteis. O educador deve valorizar sempre o desenho dos educandos, por mais que seja indecifrável ao seu olhar, todo desenho vem carregado de significados e a criança quando vê seu desenho valorizado fica entusiasmada e aprende cada vez mais.
Nessa perspectiva , o desenho da criança favorece o seu desenvolvimento criativo e sua aprendizagem. Faz necessário conscientizar o educador para refletir sobre seu papel que é de formar um ser humano completo dentro de seus ideais, valorizando assim o desenho da criança e olhando para o mesmo como algo importante, fazendo com que o educando se torne um conhecedor da arte. O desenho deve ser visto como forma de expressão e não como um passatempo nas escolas ele se faz necessário pois não se trata apenas de uma função cultural-educativa, mas utilitária.


Referências :
COX, Maureen. Desenho da criança. São Paulo: Martins Fontes, 1995
DERDYK, Edith. Formas de pensar o desenho ? desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo: Scipione, 2003.
GALVÃO, Izabel. O desenho na pré-escola: o olhar e as expectativas do professor. Disponível em www.crmariocovas.sp.gov.br Acesso em: 23/04/2010
LUQUET, G.H. O desenho Infantil. Porto Alegre: Duminho. 1969
PIAGET, Jean. INHERLDER, Barbel. A Psicologia da criança. Rio de Janeiro: 17ºed. Bertrand Brasil, 2001
 
Avalie este artigo:
2 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Jacqueline Alves
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Pedagoga pela Faculdade Pio Décimo com especialização em Psicopedagogia.
Membro desde fevereiro de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: