Dificuldades de aprendizagem
 
Dificuldades de aprendizagem
 


                                            DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM                                                              Maria das Graças Sampaio do vale

  

                                                            INTRODUÇÃO

         Com base nos pressupostos explorados no contexto da disciplina, compreende-se que a dificuldade de aprendizagem ocorre no processo da não aquisição da aprendizagem, sendo este um processo constitutivo entre o sujeito e a realidade onde ela se insere. Se reportando em diferentes distúrbios, transtornos e problemas de aprendizagem, como por exemplo: dislexia(dificuldade em decodificar palavras simples), dispraxia(dificuldade na planificação motora), disgrafia(dificuldade na escrita), discalculia( dificuldade na realização de cálculos matemáticos), entre outros.

         Os problemas de dificuldades de aprendizagem ocorrem quando a escola não favorece o desenvolvimento dos processos cognitivos  dos  educandos, tornando-se imprescidivel que esta eleja como  objetivo primordial  proporcionar o desenvolvimento do pensamento lógico, dentre outros aspectos fundamentais para o desenvolvimento do aluno.Para tanto, faz-se necessário priorizar as potencialidades e não as dificuldades, promovendo  um espaço educativo prazeroso e significativo que vise atender as reais necessidades dos alunos.

           

         DESENVOLVIMENTO

        As teorias de aprendizagem buscam reconhecer a dinâmica envolvida nos atos de ensinar e aprender, partindo do reconhecimento da evolução cognitiva do homem, e tentam explicar a relação entre o conhecimento pré-existente e o novo conhecimento. A aprendizagem não seria apenas inteligência e construção de conhecimento, mas também identificação pessoal  e relação através da interação entre as pessoas; é um processo de mudança de comportamento obtido através da experiência construída por fatores emocionais, neurológicos, relacionais e ambientais. O professor é co-autor nesse  processo de aprendizagem dos alunos, onde o conhecimento é construído e reconstruído continuamente. Nesse processo professores e alunos interagem usando a co-responsabilidade, a confiança, a dialogicidade, fazendo a auto-avaliação de suas funções. O professor exerce a sua habilidade de mediador das construções de aprendizagem.

       Para tanto os objetivos da aprendizagem são classificados em: domínio cognitivo (ligados a conhecimentos, informações ou capacidades intelectuais), onde temos as habilidades de memorização, compreensão, aplicação, análise, síntese e avaliação; domínio afetivo (relacionados a sentimentos, emoções, gostos ou atitudes), que podem ser observadas nas habilidades de receptividade, respostas, valorização, organização e caracterização; domínio psicomotor ( que ressaltam o uso e a coordenação dos músculos), no domínio psicomotror apresentamos habilidades relacionadas a movimentos básicos fundamentais, movimentos, reflexos, habilidades perceptivas e físicas e a comunicação não discursiva.

               Quando falamos em educação e aprendizagem, estamos falando em processos neurais, redes que se estabelecem, neurônios que se ligam e fazem novas sinapses. E o que entendemos por aprendizagem? Aprendizagem, nada mais é do que esse maravilhoso e complexo processo pelo  qual o cérebro reage aos estímulos do ambiente, ativa essas sinapses (ligações entre os neurônios por onde passam os estímulos), tornado-as mais “intensas”. A cada estimulo novo, a cada repetição de um comportamento que queremos que seja consolidado temos circuitos que processam as informações, que deverão ser então consolidadas.

            Os avanços e descobertas na área da neurociência ligada ao processo de aprendizagem é sem duvida, uma revolução para o meio educacional que vem descortinar o que antes desconhecíamos sobre o momento da aprendizagem. Conhecer o papel do hipocampo na consolidação de nossas memórias, a importância do sistema límbico, responsável pelas nossas emoções, desvendar os mistérios que envolvem a região frontal, sede da cognição, linguagem e escrita, poder entender os mecanismos atencionais e comportamentais de nossas crianças com TDAH, as funções executivas e o sistema de comando inibitório do lobo pré-frontal é hoje fundamental na educação.

         A neurociência se constitui assim em atual e uma grande aliada do professor para poder identificar o individuo como ser único, pensante, atuante, que aprende de uma maneira toda sua única e especial. Por nos apresentar um vasto campo de preciosas informações relacionadas ao aluno e ao processo de absorção da aprendizagem a ele proporcionada. Inclusive atentando para os processos relacionados as dificuldades de aprendizagem, comprendendo este como uma desordem de origem neurobiológica que tem como fundamento uma estrutura ou um funcionamento cerebral diferentes. Esta desordem afeta a forma como a criança processa a informação, resultando em problemas quanto à sua capacidade de falar, escutar, ler, escrever, raciocinar, organizar e reclamar informação ou de fazer cálculos matemáticos. Esta multiplicidade de problemas não significa que uma criança os apresente todos. Assim sendo, cada caso é um caso com características específicas (por exemplo, problemas graves na área da leitura, ou na da leitura e escrita, ou na da matemática, ou em aptidões sociais), o que faz com que, muitas vezes, usemos o termo dificuldades de aprendizagem específicas.

        Portanto as dificuldades de aprendizagem inserem-se no quadro das necessidades educativas especiais permanentes e, como tal, os alunos que as apresentam têm direito a uma igualdade de oportunidades traduzida numa educação apropriada que leve em conta as suas características e necessidades. O mesmo é dizer que, no caso dos alunos com dificuldades de aprendizagem severas, haverá sempre a necessidade de se recorrer aos serviços e apoios de educação especial para que, conjuntamente com os seus professores e com os seus pais, possam elaborar programações educativas que conduzam ao  sucesso.

 CONSIDERAÇÕES FINAIS

       De acordo com as premissas expostas, podemos perceber que o processo de aquisição da aprendizagem está relacionado a diversos aspectos da vida do ser humano, sejam estes orgânicos, sociais, afetivos e psicológicos. Entretanto é pertinente que o professor esteja sempre buscando um embasamento teórico e metodológico que possa subsidiar a sua intervenção pedagógica de forma significativa, fomentando a compreensão dos fatores relevantes para proporcionar o desenvolvimento do processo de aprendizagem do aluno.

        Portanto é imprescindível tomarmos posse de novos conhecimentos afim de, promovermos uma pedagogia moderna, ativa, contemporânea, que se mostre atuante e voltada às exigências do aprendizado em nosso mundo globalizado, veloz, complexo e cada vez mais exigente.Onde o professor torna-se um  facilitador e mediador promovendo os avanços educacionais numa aprendizagem lúdica e significativa, objetivando o desenvolvimento global do aluno.

         Para tanto é primordial que a escola busque uma interlocução que perpassem os seus muros e atraiam as famílias, visando inseri-las no processo educativo, assim como, é fundamental a articulação de políticas públicas primando pelo redimensionamento das questões inerentes ao fazer pedagógico.

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Maria Das Graças Sampaio Do Vale
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Olá sou professora do Ensino Fundamental I, atualmente ensino o 1º ano. Sou formada em Pedagogia, com Especialização em Educação Infantil , Especialização em Psicomotricidade Relacional e formanda em Gestão Escolar.
Membro desde maio de 2012
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: