Contribuição do programa pibid para a formação docente de licenciandos em ciências biológicas
 
Contribuição do programa pibid para a formação docente de licenciandos em ciências biológicas
 


CONTRIBUIÇÃO DO PROGRAMA PIBID PARA A FORMAÇÃO DOCENTE DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

 

Maria Luciete dos Santos1

Carmen Virgínie Sampaio Avelino2

Isabel Cristina Higino Santana3

 

RESUMO

 

 

Este trabalho tem por objetivo identificar e analisar a contribuição do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência - PIBID para a formação de licenciandos em Ciências Biológicas de uma instituição de Ensino Superior no estado do Ceará. O projeto A vida docente na escola: ensinar e aprender pela pesquisa, incentiva aos bolsistas participantes a uma inserção e vivência na Educação Básica, articulando a isso uma reflexão crítica do seu fazer pedagógico, colocando estes em contato direto com os fazeres da docência, visando uma aprendizagem mais aprofundada, onde a pesquisa é colocada como um importante instrumento para essa aprendizagem. A pesquisa se concretizou através da elaboração e aplicação de um questionário com  os bolsistas, contemplando questões abertas e apresentando aspectos relevantes quanto a contribuição do  PIBID no processo de formação inicial desses futuros professores de Biologia. Ao analisar as respostas pôde-se concluir que as experiências vivenciadas  no  projeto  têm  sido  enriquecedoras,  representando  uma  importância  significativa  na formação destes estudantes, onde há uma maior aproximação dos mesmos com o cotidiano escolar de forma mais direta e contextualizada.

 

 

 

PALAVRAS – CHAVE: PIBID - Contribuição - Ensino e pesquisa - Formação docente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1   Bolsista do Programa PIBID/CAPES; Licencianda do Curso de Ciências Biológicas Faculdade de Educação        de                   Itapipoca            /     FACEDI      da    Universidade    Estadual    do    Ceará     –    UECE. [email protected]

 

2   Bolsista do Programa PIBID/CAPES; Licencianda do Curso de Ciências Biológicas Faculdade de Educação        de                   Itapipoca            /     FACEDI      da    Universidade    Estadual    do    Ceará     –    UECE. [email protected]

 

3  Professora Assistente da Faculdade de Educação de Itapipoca / FACEDI da Universidade Estadual do Ceará – UECE. Doutoranda em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará – FACED/UFC. [email protected]

 

1

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

 

 

A formação inicial de professores é algo que merece uma atenção especial, pois, se trata do momento onde seu alicerce profissional é construído visando, assim, uma docência eficiente capaz de suprir várias deficiências do ensino. Sendo assim, o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência- PIBID, financiado pela Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de  Nível Superior-CAPES,  vem  valorizar  o  processo  de  formação  inicial de estudantes que optaram pela licenciatura, através da inserção desses futuros professores no cotidiano  das escolas públicas a fim de que os mesmos possam se aproximar de forma verdadeira dos fazeres docentes. O projeto PIBID da Universidade Estadual do Ceará-UECE traz como  proposta “A vida docente na escola: aprender e ensinar pela pesquisa”, onde os licenciandos têm a  oportunidade de vivenciar a prática docente de forma mais significativa para sua formação como também têm a oportunidade de se inteirar na prática da pesquisa que é vista como um importante meio na formação e o  exercer da docência. “A iniciação do professor à pesquisa transforma-se assim em uma necessidade formativa de primeira ordem” (PÉREZ, 1995, p.63).

Vivenciar experiências docentes ainda na condição de aluno poderá contribuir para uma preparação de um melhor exercício da docência. O PIBID é um mediador entre a teoria e a  prática,  visto  que, os  bolsistas  do  projeto  têm  a  oportunidade  de  articular  essas  duas dimensões tão relevantes no cotidiano de um professor.

 

 

Então, acreditamos que a interação entre a teoria e prática, pela confrontação teórica   com   a   realidade   vivida   no   cotidiano   das   escolas,   ajudará significativamente na superação dessas limitações, presentes nos cursos de formação de professores (BORGES, 2010. p. 165).

 

 

A partir de maio de 2010, o Curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Educação de Itapipoca-FACEDI/UECE foi contemplado com o projeto PIBID, priorizando 24 meses de duração, proporcionando uma iniciação à docência de forma concreta e específica, relacionada aos fazeres pedagógicos. Para participar desse projeto foram selecionados vinte alunos. O processo de seleção ocorreu por meio de duas fases, onde a pr imeira fase se deu através de uma prova escrita, a qual os selecionados tiveram que elaborar textos relatando o porquê da importância de fazer parte do PIBID, já na segunda fase do processo de seleção os licenciandos  participaram  de  uma  entrevista,  onde  novamente  tiveram  que   falar   da importância de sua inserção no projeto. Desse modo o PIBID ganhou espaço na formação

 

2

 

 

 

 

docente  desses  licenciandos,  estes  por  sua  vez  ganharam  um  novo  estímulo  para  dar seguimento a sua  formação docente, aperfeiçoando na sua própria graduação.                                    Dentro do projeto  está  inserido  o  subprojeto  de  Biologia  que  tem  como  foco  uma  aproximação  e interação entre as escolas e a universidade, a inserção dos licenciandos nas práticas e saberes da docência, visando à formação de um profissional comprometido, reflexivo e pesquisador de sua ação docente. Nesse sentido, o projeto traz a valorização do magistério por esses licenciandos, visto que é permitido aos estudantes um contato direto com os fazeres, saberes, e dilemas característicos do trabalho docente no cotidiano escolar.

O subprojeto propõe diversas ações entre elas: a observação do cotidiano escolar, a observação da ação docente no contexto da sala de aula, o planejamento de aulas, o exercício docente em sala através de regências, estudos em grupos, dentre outras atividades que surgem como importantes instrumentos relevantes para a formação desses futuros professores de Biologia. Desse modo, a vivência desses momentos relacionados à prática pedagógica, poderá proporcionar um exercício docente satisfatório pelo futuro professor e consequentemente a certeza de uma educação de qualidade, onde o PIBID vem contribuir para a formação inicial dos licenciandos e também para o aprendizado dos alunos das escolas contempladas com o

projeto.

 

Diante do que foi apresentado, o objetivo deste trabalho é identificar e analisar a contribuição do PIBID nesse primeiro ano de projeto, para a formação docente de licenciandos em Ciências Biológicas, que ainda em processo de formação já  estão  se deparando com a prática docente por  mediação do referido projeto. Nessa perspectiva, a investigação realizada dentro desse processo torna-se de grande relevância, visto que, mostrará as contribuições do projeto PIBID, nesse processo formativo.  Pois para Borges (2010), vivenciar a prática docente faz parte da formação e realização dessa profissão, para que o futuro professor se inteire de sua realidade, dos problemas e desafios enfrentados pela equipe da escola, no cotidiano dessas unidades de ensino. As práticas investigativas  são propostas como meios de formar professores que possam articular a pesquisa até mesmo em sua própria formação, tornando-se assim professores pesquisadores capaz de aprender através dessa pesquisa. “A pesquisa é deste modo, considerada como fator de aprendizagem docente, ao visar a uma maior apropriação do conhecimento através de reflexão, crítica, investigação e intervenção, processos a serem integrados na docência (AZEVEDO, 2010. p. 275)”.

A pesquisa de caráter qualitativo teve como procedimento metodológico a utilização do questionário como instrumento para a coleta dos dados, pois se enquadram como o mais

 

3

 

 

 

 

representativo para esse tipo de trabalho, devido aos objetivos e questões que orientam essa investigação.  O questionário segundo Marconi; Lakatos  (1999,  P.100)  é um instrumento desenvolvido cientificamente,  apresenta-se constituído por perguntas ordenadas de acordo com um critério predeterminado, o qual deve ser respondido sem a presença do entrevistador . Características como ser a espinha dorsal de qualquer levantamento, reunir todas as informações necessárias e uma linguagem adequada são citadas por Oliveira (1997, p. 165), enquanto para Marconi e Lakatos (1999, p. 100), esse instrumento deve ser limitado em sua extensão e em sua finalidade, pois um questionário muito longo causa cansaço e desinteresse e um questionário muito curto pode não oferecer informações suficientes, além do seu tema está relacionado com os objetivos da investigação. Apesar de todas essas observações feitas por alguns autores, há aqueles que percebem neste meio de coleta de dados, algumas vantagens e também desvantagens, como citado por Ruiz (1997, p. 166), Marconi e Lakatos (1999, p. 100) e Hair  et  al.  (2004),  que  apresentam  vantagens  para  a  utilização  do questionário: economia de tempo, eliminação de deslocamentos, obtém um grande número de dados,  atinge  um  determinado  grupo  de  maneira  simultânea,  abrange  uma  ampla  área geográfica, não necessita do pesquisador no campo, obtém respostas mais rápidas e precisas, mantém o respondente no  anonimato, não há a influência do pesquisador, o respondente escolhe  o  melhor  momento  para  respondê-lo  e  maior  uniformidade  na  avaliação.  Como desvantagens, os autores apresentam as seguintes: baixo retorno de questionários, grande número de questões sem resposta, impossibilidade do auxílio ao informante em questões mal compreendidas, a devolução tardia causa prejuízos ao cronograma e exige um universo mais homogêneo.

O trabalho foi desenvolvido especificamente com cinco licenciandos, pelo fato de facilitar a obtenção de dados, contribuindo para o andamento e efetivação da pesquisa.  Para a realização desta pesquisa, inicialmente foi elaborado um questionário, com a intenção de alcançar dados que pudessem responder aos questionamentos levantados.  O questionário contemplou cinco questões abertas relacionadas com a contribuição do projeto PIBID para a formação inicial dos alunos de licenciatura do Curso de Ciências Biológicas da FACEDI- UECE.

 

O questionário foi elaborado com base nos objetivos que direcionam essa pesquisa, os quais visam identificar e analisar a contribuição do PIBID para o processo de formação docente dos integrantes da pesquisa. Após a elaboração do questionário, este foi aplicado aos cinco participantes. As perguntas foram todas direcionadas sobre contribuição que os bolsistas

 

4

 

 

 

 

atribuem a esse projeto que se preocupa com o processo de formação inicial, destacando aspectos,  como,  mudanças  no  processo  de  formação  após  ser  inseridos  no  projeto  que implicarão em uma eficaz profissão e motivação dos licenciandos para se tornar professores. A questão da integração da universidade com a escola foi outro ponto abordado no questionário, a fim de obter respostas concisas a seu respeito, assim como também foi prioridade do questionário identificar algumas possíveis dificuldades enfrentadas pelos bolsistas no desenvolvimento de alguma atividade dentro do projeto.  Os participantes puderam dispor de um tempo necessário para responder ao questionário de forma que analisassem cada interrogação antes de responder.

 

 

DESENVOLVIMENTO

 

 

 

O procedimento desenvolvido para a análise dos dados obtidos fundamentou-se nas respostas do questionário de cada participante da investigação, buscando, assim, uma analise sucinta dessas respostas. Para facilitar a análise dos dados os questionários dos participantes foram identificados como a1, a2, a3, a4 e a5.

A partir da coleta dos dados cabe ressaltar que os sujeitos investigados citam o PIBID como  importante instrumento para seu processo de formação e após a inserção no projeto foi possível perceber uma série de mudanças nesse processo de formação segundo a essas afirmações:

 

 

(a1) - Hoje vejo a docência como uma profissão prazerosa e percebo que nós enquanto professores precisamos mudar algumas tristes realidades que existem no ambiente escolar.

(a2) - Com o PIBID, a formação inicial torna-se mais completa.

(a3) - As leituras de cunho pedagógico me incentivam cada vez mais ser um

agente pedagógico de metodologias inovadoras.

(a4)  –  Na  verdade  só  aconteceram  mudanças.  Passei  a  ler  mais  sobre formações de professores, entender meu futuro local de trabalho de outra forma. Talvez sem o PIBID, eu não quisesse ser professora hoje.

(a5) - Várias mudanças ocorreram, fazendo com que eu tivesse um maior interesse pela docência.

 

 

Após a leitura e análise dos dados da primeira questão foi possível observar que os cinco participantes da pesquisa sofreram transformações em seu processo de formação inicial após participar do  PIBID. Essas mudanças fizeram com que, especificamente o participante (a4), chegasse à decisão de ser  professor (a) e que se não estivesse inserido (a) no projeto talvez não seguisse essa profissão.

 

5

 

 

 

 

Na segunda questão os participantes afirmaram que durante sua inserção dentro do PIBID  já  desenvolveram  várias  atividades  que  estão  contribuindo  para  seu  processo  de formação docente, destacando as regências como a atividade que representa um maior grau de contribuição.

 

 

(a1) –  Várias atividades  já foram vivenciadas. Os textos  que lemos  nos encontros são riquíssimos em conteúdo para nos auxiliar na prática docente e uma das atividades que mais contribuiu foi às regências.

(a2) – Estou vivenciando muitas atividades importantes para esse processo, como observação de sala de aula e regências.

(a3) – Já vivenciei várias atividades relevantes para minha formação, dentre estas estão: as observações das ações docentes em sala de aula, a regência de aulas e participação em congresso relacionado ao ensino de Biologia.

(a4) - Aprofundamento teórico que considero muito importante e a prática

em sala de aula através das regências, além do contato aproximado com o cotidiano docente e discente na escola pública.

(a5) - Já realizei várias atividades que estão contribuindo de forma muito

positiva   com   minha   formação   docente,   como   observação   de   aulas, planejamento de aulas, aplicação de regências, essa ultima é sem duvida a atividade que está mais contribuindo, pois através dessa da mesma vivencio de  forma prática a ação docente. Também elaboração e apresentação de oficina   são   uma   das   atividades   vivenciadas   importantes   para   minha formação.

 

De acordo com as respostas da segunda questão, os licenciandos têm o PIBID como uma oportunidade que dispõem para desenvolver atividades importantes que contribuem para o processo de formação docente. Percebe-se que através dessas atividades desenvolvidas esses licenciandos estão tendo um melhor preparo acerca do cotidiano escolar.  Na questão seguinte os participantes da pesquisa demonstraram motivação para se tornar professores da educação básica após fazer parte do PIBID.

 

 

(a1)  -  Como  comentei  anteriormente,  hoje  vejo  a  docência  como  uma profissão encantadora que me motiva a atuar nessa área e ser o diferente positivamente para contribuir com a melhoria do ensino.

(a2) - No PIBID estou recebendo uma formação adequada e desse modo a cada  dia  que passa, tenho certeza que quero ser atuante como professora e tentar melhorar a forma do ensino.

(a3) - Por ser um programa que prioriza a pesquisa no ensino, futuramente, no exercício do magistério terei uma formação de qualidade.

(a4) - Já tenho planos para minha futura carreira e a educação básica faz parte  dela. Pretendo ser uma professora diferente dos que tive no ensino médio e, para isso, a experiência com o PIBID está me ajudando muito.

(a5) - Sinto uma grande motivação para ser professora do ensino básico, na verdade  desde quando entrei na licenciatura já queria ser professora e o PIBID  surgiu  para  ajudar  a  comprovar  que  minha  verdadeira  profissão realmente será a docência.

 

6

 

 

 

 

Diante das respostas obtidas para a terceira questão é evidente que os participantes realmente querem ser professores e que alguns se sentem insatisfeitos com o ensino atualmente e que quando se tornar professores desejam ser o diferencial no ensino.

Na questão quatro foi feita a seguinte afirmação: O PIBID proporciona uma maior aproximação da Universidade com as escolas públicas, essa afirmação foi acompanhada da seguinte interrogação: Como essa aproximação tem contribuído com sua formação docente? Foram obtidas as seguintes respostas:

 

 

(a1) – Eu, como futura educadora estou conhecendo a realidade das turmas que futuramente irei trabalhar a frente como professora e isso contribui para me deixar preparada e assim saber o que me espera.

(a2) - Com o PIBID, os bolsistas são inseridos nas escolas públicas para

desenvolver  esse  projeto  e  desse  modo  acabamos  tendo  uma  grande experiência.

(a3) - O reconhecimento pela escola por ser licenciando com potencial diferente.

(a4) - Uma vez que essa aproximação põe o licenciando em contato com o seu futuro local de trabalho, mostrando antecipadamente o que acontece, as

dificuldades, desafios, isso serve para prepará-lo ao mercado de trabalho.

(a5) - Essa aproximação da universidade com a escola pública tem me proporcionado um contato direto com a realidade do cotidiano dos professores, certamente quando eu estiver atuando como profissional já irei apresentar uma melhor adaptação com esse cotidiano.

 

 

A quarta questão possibilitou perceber que esses bolsistas do PIBID aprovam essa atitude do projeto em aproximar a universidade das escolas públicas, pois segundo as respostas obtidas, essa aproximação tem contribuído bastante com seu processo de preparação para a docência, proporcionando um maior contato com o cotidiano docente.

A última questão buscava compreender as dificuldades vividas pelos investigados ao desenvolver alguma atividade referente ao projeto PIBID. As respostas foram:

 

 

(a1) - Quando fui ministrar minha 3ª regência a turma era muito complicada e isso  impediu que eu  desse minha aula como havia planejado, isso  me deixou   bastante  triste,mas  não  desanimei  preparei  uma  aula  melhor  e consegui na segunda tentativa da aula naquela turma.

(a2) - O inicio das regências foram complicados, pois não é fácil encarar uma sala de aula com pouca experiência e não sentir dificuldades, mas essas dificuldades estão sendo mais bem trabalhadas.

(a3)- Até o momento não tive nem uma dificuldade.

(a4)- Quando você precisa dos outros para realizá-las. Um grande atraso

para os trabalhos é que, como a maioria acontece em grupos, uns esperam pelos outros, não há tempo ou horários livres para todos que coincidam para um encontro,  ou quando uma reunião é marcada, geralmente ela foge do

 

7

 

 

 

 

foco. Talvez trabalhos que envolvem no máximo duas pessoas fossem a alternativa.

(a5)-Encontrei  dificuldades  ao  apresentar  minha  1º  regência,  pois  como ainda não vivenciei a disciplina de estágio supervisionado na faculdade, foi bastante difícil pra mim está de frente com a sala de aula pela primeira vez.

 

 

Como dado obtido na quinta questão percebeu-se que às regências foram consideradas como uma das principais dificuldades enfrentadas pelos participantes da pesquisa, sendo a justificativa do participante (a5) para essa dificuldade o fato de ainda não ter vivenciado a disciplina de estágio supervisionado. Isso mostra que o PIBID antecipou a inserção desse aluno nos espaços e cotidiano da escola.

 

 

 

 

CONCLUSÃO

 

 

 

Mediante a metodologia usada neste trabalho, foi possível concluir que o programa PIBID, na proposta de projeto A vida docente na escola: aprender e ensinar pela pesquisa proporciona uma significante contribuição para o processo de formação inicial dos licenciandos (futuros professores de Biologia) da faculdade de Educação de Itapipoca. As atividades desenvolvidas pelos estudantes, como as regências, planejamentos, oficinas, estudo em grupo entre outras, têm um papel fundamental na construção do conhecimento científico pedagógico do aluno, além das reflexões feitas sobre a prática pedagógica, levando tais estudantes a pensar formas e metodologias diferenciadas dessa prática.

Os participantes apresentaram um maior interesse em exercer a docência, observação feita a partir das respostas analisadas dos alunos participantes desta investigação.  Tal característica não se verificava antes de entrarem no projeto como bolsistas. A contribuição que o projeto proporciona a estes estudantes implicará na sua formação profissional, e ainda como cidadãos críticos e reflexivos da sua ação docente.

Através da leitura e análise dos dados foi possível se ter um maior esclarecimento a respeito das ideias dos alunos quanto às contribuições do PIBID no processo de formação profissional dos alunos bolsistas, especificamente naqueles participantes desta pesquisa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

 

 

 

AZEVEDO,  Maria  Raquel  de  Carvalho.  A  docência  universitária  face  ao  desafio  de integrar ensino e pesquisa: reflexões sobre o “aprender na prática”. Vozes da FACEDI: reflexões, experiências e perspectivas em educação. Fortaleza: EdUECE, 2010.

 

 

BORGES, Maria Célia. A formação de professores na UFTM: o PIBID como experiência desafiadora. 2010.                                                     Disponível                                                             em: http://www.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.Php/revistatriangulo/article/ view/152. Acesso em 21/03/2011

 

 

 

GIL-  PÉREZ,  Daniel.  Formação  de  professores  de  ciências.  2.  ed.  São  Paulo:Cortez,

 

1995.(Coleção questões da nossa época: v.26).

 

 

 

HAIR Jr., Joseph F.; BABIN, Barry; MONEY, Arthur H.; SAMOUEL, Phillip. Fundamentos de Métodos de Pesquisa em Administração. Porto Alegre: Bookman, 2005, 471 p.

 

 

 

MARCONI. M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1999

 

 

 

 

OLIVEIRA, S. L. Tratado de Metodologia Científica. São Paulo, Pioneira, 1997.

 

 

 

RUIZ, J. A. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo: Atlas,

 

1996.

 

 
Download do artigo
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Meu nome é Luciete sou estudante do curso de Ciências Biológicas em uma unidade da Universidade Estadual do Ceará (UECE), Faculdade de Educação de Itapipoca. Atualmente também sou bosista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência. Tenho interresse em assuntos da área educacional.
Membro desde março de 2012
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: