COMO SAIR DAS DÍVIDAS?
 
COMO SAIR DAS DÍVIDAS?
 


Welinton dos Santos é economista e psicopedagogo

Várias pessoas ficam endividadas pela falta de controle das despesas do mês, outros, no impulso do crédito fácil, como compras do cartão de crédito, carnês e cartões de lojas; existem ainda pessoas que são impulsivas e outras que não avaliaram de forma correta os custos totais a serem pagos, depois se vêem em situação financeira delicada.

Digo que é rápido para entrar em dívidas, para quitá-las, às vezes é demorado, portanto faz-se necessário empenho, persistência e paciência.

Agora é essencial fazer um planejamento, algumas regras como: levantar todas as contas, escrever em papel ou numa planilha todas as obrigações na data de vencimento, os valores hoje, as empresas, o custo do atraso (exemplo: valor cobrado na rolagem da dívida  juros, despesas judiciais, multa e taxas inseridas) e separar por prioridades.

Antes, vamos estabelecer um critério de separação:

Contas básicas: contas de água, luz, gás, condomínio, prestação do imóvel financiado, aluguel, despesas de alimentação, condução, prestação do automóvel e outros. (contas de difícil negociação, mas é possível queimar algumas gorduras  gasolina por transporte coletivo é um exemplo)

Contas necessárias: telefone, seguro de vida, convênio médico, convênio farmácia e outras. (estas contas precisam de análise da real necessidade e se for o caso a suspensão temporária)

Contas de manutenções: cartões de crédito, carnês de lojas, impostos, internet, salão de beleza, lazer, outros. (estas são mais fáceis para negociar, evitar ou protelar)

Prioridades são aquelas contas que podem gerar problemas mais sérios, como exemplo: o aluguel ou a prestação da casa própria; existe alguém doente na família a prioridade é o pagamento do convênio médico e assim por diante. Claro que cada um tem suas necessidades, porém, fiquem atentas aquelas que levam a tribunal (pensão alimentícia), penhora (veículo e moradia financiada), despejo (aluguel) etc.

Existem 3 tipos de devedores, o endividado light aqueles que estouraram o orçamento há pouco tempo, o endividado pleno que usaram limites de cartões de crédito e financeiras para rolagem de dívidas e terceiro o endividado máster que já perderam todos os créditos possíveis e a dívida parece enorme aos seus rendimentos.

Algumas dicas para sair destas dívidas:

Se você ainda é o endividado light, procure o mais rápido possível os bancos e faça acordos, com juros mais baixos. Peça empréstimo para pagar o cheque especial e o cartão de crédito, coloque todas as dívidas em um único pacote e guarde todos os seus cartões de crédito temporariamente. Compre tudo que for possível à vista e dê cheque pré-datado somente nas compras do supermercado e de combustíveis. Atenção a todos os gastos e aos cheques futuros.

O endividado pleno precisa parar a dívida. A primeira sugestão é cancelar o cheque especial e o cartão de crédito, através de documento por escrito, via carta registrada em cartório ou AR, para cessar as rolagens juros sobre juros. Comprar somente o necessário, cortar alguns serviços temporariamente, TV por assinatura, internet, pizza fora de casa, diminuir o uso de telefone e coloque tudo no papel, inclusive as pequenas despesas para ter noção real de onde está gastando.

Já o endividado máster deve pagar um credor por vez, priorize os mais flexíveis primeiro, pague à vista e peça desconto para priorizar o pagamento daquela conta.

Se possível peça um empréstimo consignado em folha de pagamento, mesmo que sua empresa não autorize, converse e explique sua situação, este tipo de modalidade tem taxa de juros muito mais baixos. Outra opção é pedir um empréstimo a família.

Procure o PROCON em caso de abusos, o Código de Defesa do Consumidor assiste o direito de pleitear a renegociação de valores. Existe um site muito bom de auxílio que pode ser acessado: www.endividado.com.br.

O salário não pode ser penhorado, mesmo que tenha dívidas no banco em que recebe seus vencimentos. Procure o equilíbrio e boa sorte!

 
Avalie este artigo:
(2 de 5)
21 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Welinton Santos
Talvez você goste destes artigos também