Como Entender A Deus
 
Como Entender A Deus
 


COMO ENTENDER A DEUS

I - INTRODUÇÃO

Seria uma grande pretensão alguém querer entender um Ser Perfeito, Soberano, Pai das Luzes (TG 1:17), criador dos Céus e da Terra (GN 1:1). Mas, com Jesus, nos tornamos filhos, co-herdeiros de Deus. Logo, necessário se faz que busquemos conhecer a Deus, porque já sabemos que ele nos gerou e que aqui cuida de nós.

Embora desejemos entender a Deus, constatamos ser impossível, tendo em vista o que nos relata as Escrituras Sagradas. Em Isaías 55:8, assim fala Deus:
"Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor, porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos e os meus pensamentos, mais altos que os vossos pensamentos".

Outra afirmação Bíblica que nos deixa a meditar está, também, no Livro de Isaías 45:7, que diz:
"Eu formo a luz e crio as trevas; faço a paz e crio o mal; eu, o Senhor, faço todas essas cousas"

Na minha insipiência, creio, que a única forma de entendermos a Deus seja por meio de seu Filho, Jesus Cristo. Este nos revelou cousas essenciais para o nosso relacionamento com Deus. Ele nos mostrou o único caminho que possibilitaria vermos a Deus. Este caminho é o próprio Jesus, que aqui esteve e nos fez ver cousas importantes ( II Pedro 1:16 ao 20), como seguir a Lei estabelecida (princípios de Deus), como amá-lo e também aos nossos irmãos, orando até pelos nossos inimigos.

Ora, você poderá não entender porque devemos orar pelos inimigos. Mas, Jesus e o próprio Paulo nos revelaram que somos assediados pelo mundo espiritual, por potestades, principados e dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais (Efésios 6:12).

Todavia, o crente deve ser "guerreiro" se quiser ter o Poder de Deus consigo. A nossa principal arma é a espada do espírito (Escrituras Sagradas), a que Deus se utiliza para falar a cada um que se dispõe a seguir a Jesus (Apocalipse 1: 1 ao 3).

A Igreja deveria ser como um quartel, onde estes guerreiros (servos do Senhor) buscariam maior aprendizado, partindo para um treinamento em equipe, ou seja, uma espécie de especialização, que nada mais é do que a busca pelos dons espirituais, em especial, a sabedoria e o discernimento dos espíritos.

Creio que isso seja extremamente necessário no presente século, haja vista o que fala a própria Bíblia, referindo-se aos finais dos tempos, onde satanás fará obras impossíveis, confundindo até ovelhas do rebanho de Jesus (Apc. 13: 1 ao 10) Mas, serão salvos aqueles que estiverem com os seus nomes inscritos no Livro da Vida (Apc. 14: 1 ao 5).

A nossa salvação é construída dia a dia, assim como o construtor edifica a sua casa na rocha. Jesus é a nossa rocha (Isaías 26:4). Se o homem não se deixar guiar pelo Espírito Santo, em vão será o seu trabalho debaixo do sol (Salmos 127:1 e 2). Nós somente precisamos nos dispor, nos entregando de todo o coração a Jesus, o messias.

Mas, para se chegar ao recrutamento, para ser habilitado como "soldado de Cristo", temos que dar ouvidos as Escrituras Sagradas e eliminar de nós mesmos as cousas que nos prende às trevas. E Paulo, ao escrever a Igreja de Éfeso, assim admoestava:
"Mas a impudícia e toda a sorte de impurezas ou cobiças nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, cousas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças. Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas cousas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais participantes com eles" (Efésios 5:3 ao 7).


II ? SEGUINDO O CAMINHO


O Livro de João nos dá muitos testemunhos de Jesus em relação a Deus Pai. No capítulo 1, versos 12 e 13, está dito: "Mas a todos quanto o conheceram (a Jesus), deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus."

Todas as pessoas que buscam muito a Deus já ouvirão de alguns parentes o chavão de ser "fanáticos" ou "loucos". A sociedade é a primeira a se posicionar contra uma busca maior a Deus, pois esta tem como argumentos às cousas materiais, que se sobrepõem as espirituais. Um exemplo disso é o pensamento expresso por algumas pessoas, ao dizerem: "comamos e bebamos porque amanhã morreremos". Esta afirmação representa o pensamento da maioria dos homens, restando uma pequena parcela dos que foram escolhidos desde a eternidade e que aqui são guiados pelo Criador.

Esta pequena parcela, a que me referi, são as ovelhas de Jesus, que estão voltadas à palavra de salvação, aqui se empenhando na divulgação do caminho, desmistificando outras crenças a quem muitos atraem, dando opções de caminhos, que certamente levarão aos homens a uma condenação diante de Deus, pois este diz ser "Eu Sou" e além de mim não há outro.

A sua palavra nos ensina a buscá-lo (Jesus) e todo aquele que o busca, o acha. Também, devemos pedir ao Senhor a sabedoria (TG 1:5-6) e o entendimento ao lhe pedir cousas materiais, pois a sua palavra nos fala para pedirmos tudo que desejamos em seu nome, ao Pai, e nos seria concedido.

Muitos pedem e não recebem e aí poderão ocorrer duas hipóteses: a primeira poderá ser um livramento de Deus, no sentido de que aquilo que desejamos seja mais tarde revertido para o nosso próprio mal ou o pedido seja ilícito diante de Deus, a exemplo de pedirmos algo que pertença de fato e de direito a outra pessoa. A segunda hipótese ocorre quando pedimos alguma cousa a Deus e não perseveramos até alcança-la, desistindo daquilo que havíamos pedido ao Senhor.

Jesus nos disse que o Pai trabalha dia e noite sem cessar. O que significa dizer que nós, como filhos, devemos ter a mesma mente, criando e exercitando trabalhos, dignos de nós mesmos.

Observamos, doravante, que pessoas que nascem e vivem na miséria (pobreza), esperando que outros supram as suas necessidades. A estas pessoas, Deus dá as costas, pois assim está dito no Livro de Provérbios: "cada um se farta de bem pelo fruto de sua boca, e o que as mãos do homem fizerem ser-lhe-á retribuído" (PV 12:14). Aqui está dito que Deus retribui o bem por aquilo que falamos, ou seja, o que vem do nosso coração, que chega aos nossos lábios. Há pessoas que amaldiçoam aqueles que têm fartura de bens. Esta atitude demonstra a inveja, fruto da carne, reprovada por Deus (GL 5:19-21).

Quem busca a Deus deverá, antes saber, que Ele é justiça e amor, não habitando junto a perversos e murmuradores, invejosos. Na sua palavra, assim é manifesto aquele que pratica a maldade:
"O homem de belial, o homem vil, é o que anda em perversidade na boca, acena com os olhos, arranha com os pés e faz sinais com os dedos. No seu andar (conduta) semeando contendas; pelo que a sua destruição virá repentinamente; subtamente, será quebrantado, sem que haja cura. Seis cousas o Senhor aborrece e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos" (PV 6:12-19). (grifo nosso)

Sendo Deus justo, não poderia tratar o iníquo como justo, pois assim estaria negando a sua própria natureza. Logo, a sua sabedoria, Ele a reserva para os retos (coração puro), dizendo a sua palavra que "Ele é escudo para os que caminham em sinceridade, o que guarda as veredas do juízo e conserva o caminho dos santos. Então, entenderás justiça, juízo e equidade, todas as boas veredas, porquanto a sabedoria entrará no teu coração e o conhecimento será agradável à tua alma" (PV 2:7 ao 10).

Irmãos, nos diz a palavra de Deus que "bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus" (MT 5:8). A Biblia não se refere aqui a ver a Deus em carne e osso, mas vê-lo como um único Deus, ou seja, a fonte da vida (João 7:38 e 39), o Pai presente, que fala conosco por meio de sua palavra, que utiliza o seu exército de anjos celestiais para nos livrar do mal, antes que ele nos toque (I João 5:18).

O Senhor é Deus amoroso e que até permite que passemos por aflições (TG 1:12) para que percebamos que devemos viver neste mundo sob vigilância, porque o diabo, seu inimigo, nos persegue para matar (João 10:10).

Muitos desejam receber bênçãos materiais e gozar de plena paz, sem, contudo, trabalhar e semear o bem. Impossível é se ter paz sem ter a Deus em primeiro lugar em sua vida. Deus nos fala para não amarmos as riquezas, pois esqueceríamos Dele, o Senhor. E muitos fazem opção de buscar os bens materiais, não dispondo de tempo para o Senhor. Estes, talvez, se fartem nas suas próprias cobiças (Judas 18), mas um dia, fala o Senhor, todo o joelho se dobrará e reconhecerá a Jesus Cristo como Senhor (FP 2:10 e 11).

Por fim, não nos esqueçamos que ninguém verá Deus senão por Jesus Cristo, que é o caminho, a verdade e a vida (João 14:6). E um dos textos mais claros acerca deste tema, está no Livro de João, capítulo 3, versículos 16 ao 21, que diz:
"Porque Deus amou ao mundo (homem) de tal maneira que deu o seu Filho unigênito para que todo que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou seu filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê, já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. O julgamento é este: que a luz veio ao mundo; porquanto as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz; a fim de não serem argüidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus". (grifo nosso)

Deus, luz da vida, guia você e eu que desejamos ir além desta vida, que crê ser Jesus o caminho que nos levará as moradas eternas. Todas as nossas obras deverão estar voltadas para a construção do Reino de Deus, não podendo o homem fazê-las para outros homens, a fim de serem reconhecidos.

Este propósito puro de coração será um dia mostrado por Deus a todo aquele que assim procedeu nesta vida. Muitos se colocarão à frente de Jesus lhe dizendo ter pregado o evangelho, curado e libertado os cativos, mas o Senhor não lhe confirmará a salvação, porque as suas obras foram feitas de qualquer maneira, com o objetivo de serem vistos e reconhecidos por homens.

A luz na nossa vida é resultante da nossa intimidade com Deus. Aquele que compreende a sua "palavra" vive no caminho, não se desviando, porque ouviu a voz do seu Pastor, Jesus Cristo. Ele foi assentar-se ao lado do Pai, mas nos deixou o Espírito Santo para discernir em nós todas as cousas, pois assim está escrito: "a unção que dele recebeste permanece em vós e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vós ensina a respeito de todas as cousas, e é verdadeira, e não é falsa, permanecei nele, como também ela vós ensinou" (I João 2:27).

Que todos nós permaneçamos na presença do Espírito Santo.

Paz !

Zenaide Alcântara de Sousa
Irmã em Cristo Jesus
 
Avalie este artigo:
1 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Zenaide Alcantara De Souza
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Advogada do Serviço Público Federal. Cursou a Escola da Magistratura do DF no ano de 2000. Tem Trabalho Jurídico publicado na Revista da Associação dos Magistrados do Distrito Federal-AMAGIS. Estudou pintura, estilo acadêmico, por 12 anos. Cristã, é membro da Capelania Evangélica do Hospital de Base...
Membro desde abril de 2007
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: