RELAÇÕES INTERPESSOAIS
 
RELAÇÕES INTERPESSOAIS
 


Ao desenvolver este trabalho pretende-se discutir sobre as formas de relações humanas, voltadas para as organizações empresarias, trabalho em equipe, lidar com situações conflituosas e entender sobre o comportamento dos diferentes grupos seja os formais ou informais. As relações interpessoais acontecem de forma mais precisa quando há uma interação mais efetiva entre os indivíduos seja em meio familiar, educacional, institucional ou profissional, pois estas estão ligadas a resultados finais de harmonia, sucesso e rendimento produtivo. O relacionar-se bem, a boa comunicação e valorização do profissional, permite maior interação e mais cooperativismo entre o líder e os demais membros, por meios de trocas de experiências e conhecimentos, possibilitando maior expressão de suas competências e contribuição para desenvolver as atividades da equipe de trabalho.

As relações interpessoais podem ser consideradas todos e quaisquer contatos entre pessoas, esses contatos ocorrem entre indivíduos em diferentes circunstâncias e em deferentes espaços, voltados tanto para o âmbito tecnológico e educacional como para as relações empresarias.

No ambiente profissional das mais diversas áreas, a maior parte dos esforços empresariais é direcionada para o aumento e o aprimoramento da produção, deixando de perceber a importância do plano das relações interpessoais e dentro dela a importância deste processo para obtenção de qualidade.

O desenvolvimento das relações interpessoais é fundamental, pois esse é o eixo existencial para que os indivíduos possam alcançar uma integração real e um rendimento efetivo, o ambiente de trabalho pode influir no comportamento das pessoas e, por conseguinte influenciar nas relações interpessoais que por conseqüência poderá afetar o progresso e os resultados das empresas em todos os sentidos. Esse desenvolvimento pode ser planejado para atender objetivos tanto individuais como grupais.

Pode-se considerar que relacionar é dar e receber ao mesmo tempo, é abrir-se para o novo é aceitar e fazer-se aceito, buscar ser entendido e entender o outro. A aceitação começa pela capacidade de escutar o outro, colocar-se no lugar dele e estar preparado para aceitar ao outro em seu meio. Um dos fatores que colaboram para a realização favorável das relações interpessoais é o trabalho em equipe, no qual o grupo busca uma interação entre o objeto e sua finalidade, como exemplo, o trabalho interdisciplinar da Escola, no qual se agrupam professores de áreas afins para o desenvolvimento de um projeto que visa trabalhar o mesmo tema, com objetivos específicos. Na área empresarial, pode-se observar também a integração existente entre o administrador e seus colaboradores, no qual se objetiva trabalhar para a realização do objetivo comum da empresa, que é: alcançar metas.

Para o trabalho interdisciplinar podem-se utilizar as dinâmicas de grupo para socializar os membros da equipe que automaticamente sentirá à vontade para dialogar com outros membros, que ao se aproximar por meio de uma atividade lúdica e divertida, melhorará a relação no ambiente. A proximidade fará com que as inseguranças para se portar diante do colega diminuirão, pois todos estarão num mesmo nível de socialização. Segundo Pepe (2008) o objetivo de um arranjo funcional é garantir conforto, bem-estar, satisfação e segurança para os funcionários.

Pode-se considerar que duas características são fundamentais para o sucesso de qualquer instituição, seja ela pública ou privada: primeira o desenvolvimento contínuo da relação interpessoal, ou seja, saber relacionar-se bem com as pessoas, de uma maneira saudável e em segundo ter uma comunicação forte e positiva para haver interações satisfatórias entre gestor e colaborador. Para Coelho (2006):

Sem dúvida a linguagem é a principal forma de comunicação e transmissão do conhecimento, idéias, crenças e até emoções. Sua expressão no processo do relacionamento social é determinante. O convívio coletivo garante a saúde do grupo e enriquece, sobremaneira, o indivíduo que se dispõe a dedicar-se na arte da conversa. Seja ela técnica, acadêmica, social, não importa, é a conversa que cria o elo que ativa a liga da sociedade.

A boa comunicação é um fator relevante para a qualidade da relação interpessoal, pois se num ambiente de trabalho, os funcionários possuem a mesma linha de pensamento, no qual se tem um gestor que direciona o trabalho com informações necessárias para o desenvolvimento das atividades planejadas para a equipe, as ações ocorrerão com maior êxito. È preciso que o líder esteja atento às atitudes de sua equipe, para melhor direcionar sua atuação frente aos acontecimentos, visando os interesses interpessoais e institucionais, pois numa organização as diferentes atividades devem se integrar em função de que elas não se desenvolvam separadamente, é necessário uma comunicação eficiente entre os diversos integrantes para que o aproveitamento e rendimento seja satisfatório. Segundo Brunetta (2008):

A comunicação ocorre entre as pessoas e é caracterizada pelo envio e recebimento de símbolos e dados agregados com significados. O processo de comunicação humana é contingencial, pelo fato de cada indivíduo ser um microssistema único e diferenciado dos demais por sua constituição genética e por seu histórico psicológico. Assim podemos dizer que o processo de comunicação depende, em grande parte, do grau de homogeneidade de significados entre a fonte e o destinatário final e não significa exclusivamente passar uma informação adiante, mas torná-la comum entre as pessoas envolvidas.

A inexistência da comunicação entre os indivíduos em ambientes de trabalho é um fator negativo que influencia diretamente na organização de pessoas e consequentemente na má qualidade do processo produtivo, seja ele, por motivo de horário (os funcionários não são devidamente avisados de reuniões importantes), desenvolvimento das ações, falta de afinidade entre os grupos e a precária liderança do gestor.

Os itens citados anteriormente podem contribuir para o fracasso de uma empresa, no qual o mercado competitivo exige dinamismos, inovações, criatividades, praticidades, rapidez nas ações e outros para ter chance de concorrer com distintas empresas e manter-se no mercado. Assim, deve-se focalizar no funcionário que tem o papel de elevar a empresa. Ainda segundo Pepe (2008):

Não se pode exigir resultados de uma equipe se esta não tiver um mínimo de comodidade e de condições para realizar suas necessidades básicas. Mas se acredita que quanto melhor e mais bem atendida estas necessidades, tanto melhor será o desempenho de uma equipe.

A não valorização do profissional, a falta de autonomia (impossibilidade de expor idéias), juntamente com a ausência de incentivo financeiro faz com que o profissional sinta desmotivado para o trabalho. Existem empresas que têm programas que estimulam a auto-estima de seus colaboradores por meio de premiações pela produção. Como exemplo, o Magazine Luiza. Observando as afirmações anteriores, pode-se ter a certeza que ao valorizar o funcionário, ele trabalhará com maior disposição e produzirá mais, ou seja, todos ganham (empresa e colaborador).

A qualificação profissional é adjuvante no processo de progressão empresarial, pois o funcionário qualificado terá mais segurança para desempenhar as funções a que foi designado. Observando que além da qualificação funcional, seja ela de cunho setorial administrativo, pessoal, existem cursos como o de línguas estrangeiras (inglês, espanhol) ou portuguesa (estrutura da língua: leitura e produção de texto), informática, matemática comercial e financeira que colaboram efetivamente parao currículo do empregado. Com estas formações, ele poderá ter mais chances de concorrer a um cargo mais elevado dentro da empresa, pois terá uma qualificação que servirá de incentivo.

O desenvolvimento das habilidades e competências dos funcionários é fundamental para o crescimento da empresa, pois adquirindo maior conhecimento o profissional poderá exercer funções diferenciadas de acordo com sua formação e adquirir mais experiências. Ter visão estratégica, assumir responsabilidades, saber agir e se comunicar dentro do ambiente de trabalho são ações extremamente necessário para que a empresa se destaque e que o colaborador ganhe êxito. Para Fagundes (2008):

A principal característica da gestão baseada em competências é que ela permita à empresa gerir seus recursos humanos de acordo com o grau de capacitação alcançado pelos seus colaboradores dentro das competências previstas para cada cargo. Desta forma, além de orientar as ações da organização, também é sinalizado para o funcionário onde ele pode investir em seu autodesenvolvimento e, na medida em que ele vá alcançando níveis maiores de competências dentro do cargo, também vai alcançando crescimento nos níveis salariais recebidos.

O conhecimento deve ser buscado de forma sistemática. Analisar e adquirir novos valores e hábitos, novas idéias e novos conceitos, vão sem dúvida alguma, gerar novos comportamentos que em muito contribuirão para uma aprendizagem plena, pois um grupo bem integrado alcança seu objetivo técnico e o mais importante, sua verdadeira dimensão pessoal. À medida que o conhecimento adquirido evolui, a estrutura do grupo ou equipe de trabalho vai se modificando gradativamente o que poderá ser conduzido para o sucesso empresarial.

É possível concluir que, o resultado satisfatório da empresa está intrinsecamente ligado às boas relações interpessoais entre a equipe de trabalho e os objetivos a serem alcançados (metas). Tendo em vista que as relações humanas serão sempre fundamentais para o sucesso em qualquer camada comercial/industrial/social, pois todos estão interligados: os clientes, fornecedores, comunidades distribuidoras e os colaboradores. A eficiência na comunicação entre membros de uma empresa é extremamente necessário, é precisa acabar com as barreiras na transmissão da mensagem, pois se não há uma comunicação clara, os resultados podem influir diretamente no desempenho empresarial, portanto o ato de se comunicar e levar uma maior valorização do profissionalé fundamental para que organizacional progrida e mantenha boas relações tanto comerciais como produtivas. O bom desempenho das relações humanas dentro de qualquer instituição, é fator responsável pela obtenção de maior liderança, planejamento e organização funcional, o que leva ao ambiente de trabalho, motivação pelo interesse das atividades, inovação, criatividade e integração pessoal. Assim o ato de se relacionar bem com o outro, ter uma comunicação efetiva e valorizar o profissional são meios que possibilitam maior interação em todos os segmentos sociais. Referências Bibliográficas

BRUNETTA,Nádia. Tecnologia em gestão de recursos humanos:o mercado e a gestão de pessoas. Londrina:Unopar, 2008.p.45.

COELHO, Priscila de Loureiro. Relações Interpessoais e Sociabilidade. 2006. Disponível em: .Acesso em: 28/10/2008.

FAGUNDES, Mário. Habilidades e competências. 2008. Disponível em: . Acesso em: 04/11/2008.

PEPE, Benedito S. Ambiente de trabalho e as relações interpessoais. 2008. Disponível em: . Acesso em: 04/11/2008.

 
Avalie este artigo:
(4 de 5)
8 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Elizangela Bispo Rocha
Talvez você goste destes artigos também