O cuidado de enfermagem ao recém nascido em uso de ventilação mecânica internado em uma unidade...
 
O cuidado de enfermagem ao recém nascido em uso de ventilação mecânica internado em uma unidade de terapia intensiva neonatal
 


O CUIDADO DE ENFERMAGEM AO RECÉM NASCIDO EM USO DE VENTILAÇÃO MECÂNICA INTERNADO EM UMA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA NEONATAL

Camila Regis de Oliveira*

 

 

RESUMO

Objetivos: o estudo visa avaliar a importância do cuidado de enfermagem prestada a um recém nascido internado em uma unidade de terapia intensiva neonatal que está fazendo uso de ventilação mecânica. Métodos: estudo de revisão literária, onde foi feito um levantamento bibliográfico na biblioteca virtual em saúde e feito uma leitura exploratória, sendo selecionados 25 artigos, onde apenas 16 desses artigos foram utilizados. Resultados: foram identificados os cuidados prestados ao RN em ventilação mecânica e os fatores que contribuem para os acidentes e o que leva a diminuição dos acidentes a estes RN´s de alto risco. Conclusão: Este trabalho mostrou que o cuidado de enfermagem é de grande importância para que diminua os acidentes relacionados à Ventilação Mecânica, e que é necessário recursos humanos, trabalho em equipe e capacitação do profissional para que o trabalho seja efetivo, e que aumente a sobrevida e RN´s de alto risco que estão internados em uma unidade de terapia intensiva neonatal.

PALAVRAS-CHAVE: Cuidados de enfermagem. Recém nascido. Ventilação Mecânica. Unidade de terapia intensiva.

 

ABSTRACT
Objectives: The study aims to evaluate the importance of nursing care provided to a newborn hospitalized in a neonatal intensive care unit that is making use of mechanical ventilation. Methods: Aliterature review study, which was done a literature review onvirtual health library, where he was made  an exploratory reading, 25 articles were selected, where only 16 of these articles wereused. Results: We identified the care provided to infants on mechanical ventilation and the factors that contribute to accidents and that leads to reduction of accidents with these high-risknewborns. Conclusion: This study showed that nursing care is of great importance in order to decrease accidents related tomechanical ventilation, and it is necessary human resources,teamwork and professional training for the work to be effectiveand to increase survival and high-risk newborns are hospitalized in a neonatal intensive care unit.
KEYWORDS: nursing care. The newborn. Mechanical Ventilation. Intensive care unit.

 

 

 

 

 

 

 

*Enfermeira graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás- PUC-GO. Enfermeira da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital do Oeste. Barreiras-Ba.

 

1.INTRODUÇÃO

 

O recém- nascido (RN) internado numa Unidade de Terapia intensiva neonatal (UTIN) é alvo de inúmeras tecnologias que são indispensáveis para manter a vida. Durante décadas, os avanços nos cuidados intensivos têm possibilitado maior sobrevida aos RNs prematuros extremos (CARVALHO et al, 2005).

Através da tecnologia e também do cuidado intensivo de toda a equipe são obtidos avanços que estão cada vez mais presentes, isso se dá ao grande número de RN´s prematuros que conseguem sair de uma UTI neonatal após meses de tratamento.

Após o nascimento, o RN precisa fazer uma série de adaptações à vida extra-uterina, que inclui a maturação morfofisiológica e bioquímica do parênquima pulmonar. Os recém-nascidos, em particular os prematuros, não possuem a função pulmonar adequada, e, na maioria das vezes, necessitam do uso de oxigenioterapia logo após o nascimento (TAMEZ et al, 2004).

A ventilação mecânica (VM) é uma tecnologia comumente utilizada na Unidade de Terapia Intensiva. E tem como função substituir total ou parcialmente atividade ventilatória do paciente, com o objetivo de estabelecer o balanço entre a oferta e demanda de oxigênio, diminuindo a carga de trabalho respiratório de pacientes com insuficiência respiratória (ZUÑIGA, 2004, p.18).

A enfermagem atua na assistência ventilatória de diversas formas, tendo como principal precursora, Florence Nighintgale, que ao atuar na guerra da Criméia em 1854, qualificou a assistência através da adoção de técnicas inovadoras, separação dos enfermos oriundos da guerra de acordo com grau dependência, obtendo como resultado a diminuição da taxa de mortalidade e implementação da idéia de vigilância constante de enfermagem, contribuindo assim para o avanço tecnológico da ventilação mecânica prolongada. (MALTA & NISHIDE, 2008, p.1).

São os profissionais da equipe de enfermagem que estão presentes, quase que ininterruptamente, ao lado do paciente nas 24 horas do dia, caracterizando o cuidado intensivo com vigilância e assistência continua. Portanto, são participantes ativos para a continuidade da terapia implementada (CIRINEU et al, 2009).

Em muitos casos, um RN prematuro necessita de VM, devido a imaturidade pulmonar, sendo assim, uma série de cuidados terão que ser tomados para que não ocorram acidentes durante a manipulação do RN, sendo um deles a extubação acidental, que é uma das causas de acidentes mais frequentes dentro de uma UTIN. A equipe de enfermagem tem que estar preparada, pois é ela que vai estar a frente do cuidado, manipulando com mais frequencia, devido aos cuidados rotineiros que tem que fazer.

Sendo assim, foi visto a importância da equipe de enfermagem no cuidado com o RN em uso de VM em uma UTIN. O problema central que norteou o estudo foi: Quais os cuidados de enfermagem que se deve ter a um recém nascido internado em uma UTIN que está fazendo uso de ventilação mecânica?

Diante do exposto o objetivo deste trabalho foi avaliar a importância do cuidado de enfermagem prestada a um recém nascido internado em uma UTIN que está fazendo uso de ventilação mecânica.

 

2. MÉTODO

 

Tratou-se de um estudo de revisão literária. Foi feito um levantamento bibliográfico na biblioteca virtual em saúde, as bases de dados consultadas foram: LILACS, SCIELO, INTER SCIENCE PLACE, consultados através do BVS e BIREME. Os dados foram organizados em bancos de dados no Excel, não foi utilizado nenhum instrumento especifico para a coleta desses dados, os artigos selecionados foram lidos, as palavras e frases que se referiam ao tema foram separadas e selecionadas, surgindo assim categorias de análise para melhor apreciação do conteúdo.

Os dados científicos selecionados tiveram como critério de inclusão: artigos indexados no banco de dados em concordância com os descritores previamente escolhidos pelas palavras – chaves: ventilação mecânica, cuidados de enfermagem, recém nascidos. Os critérios de exclusão foram: artigos que não tinha o idioma português e os que não possuíam dados que fundamentasse os objetivos propostos anteriormente.

Esse levantamento teórico foi fundamental para entender o assunto abordado, em primeira instancia foi feito uma leitura exploratória com a intenção de constatar se as obras pesquisadas são de relevância para a pesquisa. Após essa leitura exploratória foi feita uma seleção dos 25 artigos encontrados, onde apenas 16 desses artigos foram utilizados.

 

3.DESENVOLVIMENTO

 

3.1.                IDENTIFICAR OS CUIDADOS PRESTADOS A UM RN EM VENTILAÇÃO MECÂNICA EM UMA UTI NEONATAL

 

É em uma UTI onde se concentra os principais recursos, humanos e materiais, necessários ao suporte das funções vitais ao paciente que se encontra crítico, que precisa de assistência intensiva. O paciente assistido em uma UTI vem desde o recém-nascido até o adulto.

Para Takahashi (1985) a Unidade de Terapia Intensiva – UTI centraliza os doentes em estado crítico, na tentativa de melhorar a assistência a eles prestada. Para tanto, nestas Unidades, os recursos humanos e materiais devem ser articulados de forma a estarem adequados ao tratamento desses pacientes. Com isso, estas unidades proporcionam maiores possibilidades de recuperação de vidas humanas, constituindo–se, porém em ambientes estressantes, tanto para os pacientes quanto para os trabalhadores que atuam nessa unidade (LIMA, 1993; GOMES, 1988).

A UTIN é o local onde são recebidos recém-nascidos (RN) prematuros que não tem capacidade de estabelecer o suporte de vida, na qual recebem os cuidados médicos e de enfermagem apropriados à sua recuperação e ao seu desenvolvimento, e também contarão com máquinas e equipamentos, que nos primeiros dias de vida, lhe garantirão as funções vitais.

De muitos aparelhos indispensáveis para a sobrevida de um paciente, está incluso o Ventilador mecânico. Esta modalidade de oxigenoterapia ajuda a melhorar a ventilação alveolar, diminuindo o trabalho respiratório e reexpandindo as áreas atelectasiadas, contudo existem os riscos de seus efeitos adversos (GUINSBURG. et al, 1998).

A assistência ao RN de alto risco em uma UTI neonatal é composta principalmente por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, que devem trabalhar como uma equipe, de forma proporcionar ao paciente uma sobrevida, evitando também problemas futuros, que o tratamento pode ocasionar. Para isso, o cuidado de enfermagem ao paciente em VM é de fundamental importância, pois é a equipe de enfermagem que estará prestando o cuidado direto, desde o banho no leito, a aferição dos sinais vitais, a mudança de decúbito, aspiração traqueal, pesagem, entre outras. É ela que deve estar atenta a qualquer alteração que o RN vier a apresentar. E

Essa assistência requer um cuidado pautado na abordagem humanística, associando os saberes técnicos e científicos ao cuidado humano no qual está inserido o homem como um ser dotado de sentimentos e singularidades. Assim, o papel do enfermeiro é imprescindível, pois o cuidar é a sua essência. O neonato na UTIN suscita cuidados especializados da equipe de saúde, em especial da enfermagem, para mesclar competência técnica e humanização (CAMPOS, 2003).  

 

 

3.2.                IDENTIFICAR FATORES QUE CONTRIBUEM PARA OS ACIDENTES RELACIONADOS À VENTILAÇÃO MECÂNICA E VERIFICAR OS FATORES QUE LEVAM A DIMINUIÇÃO DOS ACIDENTES

 

O cuidado de enfermagem prestado em um RN em ventilação mecânica vem desde o contato direto, como: pesagem, mudança de decúbito, banho no leito, troca de fixação, aspiração traqueal, entre outros, até a observação a beira leito, como a monitorização respiratória, que é de suma importância, para identificar quaisquer problemas respiratórios que um RN em ventilação mecânica possa vir a ter. Um profissional que não tenha experiência, ou até mesmo que não faça o cuidado adequadamente irá ocasionar acidentes, como a extubação acidental, sendo uma das causas mais freqüentes de acidente relacionados à ventilação mecânica.

A extubação acidental ou não planejada, é entendida como a retirada inadvertida e não intencional do dispositivo ventilatório e caracterizada como um evento adverso do cuidado, quando ocorre ocasiona aumento da morbidade e mortalidade, e, estando relacionada ao cuidado de enfermagem exige reflexão sobre as causas que levaram à sua ocorrência(YAKOY, 2000).

Para Yakoy (2000) quando uma extubação acidental ocorre há conseqüências para o paciente em diversos aspectos. Sempre se torna necessário a reintubação e há um aumento do tempo de ventilação mecânica que gera maior tempo de internação. Conseqüentemente aumenta o risco de hipoxemia, atelectasia, pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV), lesão em traquéia, instabilidade hemodinâmica, parada cardíaca e às vezes até a morte.

Para que haja um melhor atendimento ao RN de alto risco e evitar possíveis acidentes durante a manipulação, uma série de medidas podem ser tomadas, que vão desde a capacitação do profissional, o trabalho em equipe e até mesmo o aumento dos recursos humanos, pois a falta dela faz com que se torne mais dificultoso a assistência ao RN, prejudicando o cuidado.

 A demanda de atendimento da clientela, com necessidades cada vez mais complexas, tem imprimido sobrecarga de trabalho aos integrantes da equipe de enfermagem, influenciando e dificultando a implantação de qualquer medida que favoreça a qualidade da assistência prestada (GAIDZINSKI, 2005).

Segundo Kurcgant (1991) o trabalho em equipe é o conjunto ou grupo de pessoas com habilidades complementares comprometidas umas as outras pela missão e objetivos comuns obtidos pela negociação entre os atores sociais envolvidos e um plano de trabalho em comum.

Isso mostra que a relação interpessoal e o diálogo são essenciais no caso de bebês de alto risco, e imprescindíveis para efetivação do cuidado humanístico (ROLIM, 2006).

A capacitação profissional é indispensável para toda a equipe da Unidade de Terapia Intensiva neonatal, com um enfoque maior a equipe de enfermagem, que está mais próxima ao paciente, ou seja, os que prestam o cuidado direto. O que acontece na realidade e que profissional acaba adquirindo experiência com a prática, com a ajuda de colegas mais experientes, e com o dia-a-dia no trabalho.

A partir do século XIX até os dias de hoje, com o avanço científico e tecnológico, o hospital constitui-se em um espaço terapêutico, inclusive de formação e produção de saberes que, numa linguagem científica, chamamos de conhecimento em saúde (KRUSE, 2003).

Há também a alta rotatividade dos profissionais, ocasionando sempre a entrada de profissionais pouco qualificados para exercer o cuidado, o que acaba ocasionando um aumento de acidentes relacionado à extubação acidental.

Então, pode-se afirmar que na maioria dos casos em que RN está em ventilação mecânica a extubação acidental ocorre associada a algum procedimento prestado pela equipe de saúde. As complicações nesses casos, em virtude do comprometimento neurológico dos pacientes, podem ser ainda maiores, sendo sempre necessária a reintubação (CHEVRON, 2004).

 

  1. CONCLUSÃO

 

Sendo assim, ressalta-se mais uma vez a importância do cuidado intensivo de enfermagem, uma vez que é através do cuidado ao RN, juntamente com toda a equipe e com os suportes que se tem em uma UTIN que se consegue uma maior sobrevida de RN´s prematuros considerados de alto risco. Mas para isso é preciso um trabalho rigoroso e intenso para que não ocorra acidentes devido a falta de cuidado, como a extubação acidental, que pode afetar o paciente como um todo, podendo até deixar seqüelas futuras.

Nesse caso é preciso capacitações freqüentes, tendo como foco toda a equipe de saúde e ressaltando a capacitação da equipe de enfermagem, uma vez que é a equipe de enfermagem que está em constante rotatividade. Para isso é também importante que busque profissionais mais qualificados e que tenha mais experiência na área de atuação para que possa garantir uma melhor qualidade de vida para o RN internado em uma

UTIN.

 

 

  1. REFERÊNCIAS

 

CAMPOS, A.C.S. O significado de ser mãe de um recém-nascido sob fototerapia: uma abordagem humanística [tese]. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará; 2003.

 

CARVALHO, M; GOMES, M. A. A mortalidade do prematuro extremo em nosso meio: realidade e desafios. J Pediatria (Rio Janeiro). 2005;81(1 Supl):S111-8.

 

CIRINEU, A.A; SOARES, A. A.M; ARAUJO, C.S; SANTOS, L.S; DIAS, L.S; MELO, M.S. Visão e conduta do enfermeiro acerca de ventilação mecânica. Disponível em: http://www.webartigosos.com/artigos/visao-e-conduta-do-enfermeiro-a-acerca-da-ventilacao-mecanica/16441/.

 

CHEVRON , V; MENARD, J.F; RICHARD, J.C; GIRAULT, C.; LEROY, J. Extubação não planejada: fatores de risco de desenvolvimento e de critérios preditivos para reintubação. Rev.Méd. Cuidados 1996. Disponível em:  http://www.ncbi.nlm.nih.gov/entrez/query.fcgi?cmd=Retrieve&db=pubmed&dopt=Abstract&list_uids=14967182.

 

GAIDZINSKI, R.R; FUGULIN, F.M.T; CASTILHO, V. Dimnsionamento do pessoal de enfermagem nas instituições de saúde. Rio de Janeiro:Guanabara Koogan; 2005.

 

GUINSBURG, R; MIYOSHI, M.H. Ventilação pulmonar mecânica convencional. In: Kopelman BI, Miyoshi MH, Guinsburg R. Distúrbios respiratórios no período neonatal. São Paulo: Atheneu; c1998. p.429-39.

GOMES, A.M. Enfermagem na unidade de terapia intensiva. 2. ed. São Paulo, EPU, 1988.

 

LIMA, M. G. Assistência prestada pelo enfermeiro em unidade de terapia intensiva: aspectos afetivos e relacionais. Ribeirão Preto, 1993. 129p. Dissertação (Mestrado) – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

 

MALTA, A.; NISHIDE, V.M. Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva, retrospectiva histórica, 2008. Disponível em:

http://www.hospvirt.org.br/enfermagem/port/uti-retrosp.htm, Acesso em: 04 de Nov. 2011.

 

ROLIM, K.M.C; CARDOSO, M.V.L.M.L. O discurso e a prática do cuidado ao recém nascido de risco: refletindo sobre a atenção humanizada. Rev. Latino am Enferm 2006;14(1):85-92 

 

TAMEZ, R. N.; SILVA, M. J. P. Impacto do ambiente da UTI Neonatal nodesenvolvimento neuromotor. In: ______. Enfermagem na UTI neonatal: assistência ao recém-nascido de alto risco. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

 

TAKAHASHI, E.I.U. As fontes de estresse emocional que afetam a enfermeira na assistência à criança grave. Rev.Esc.Enf.USP, v.19, n.1, p.5–20. 1985.

 

KURCGANT, P. Administração em enfermagem. São Paulo:EPU; 1991.

 

KRUSE, M.H.L. Os poderes dos corpos frios: das coisas que ensinam às enfermeiras (tese). Porto Alegre: Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2003.

 

YAKOY. Manual de procedimentos invasivo realizados no CTI - Atuação das Enfermeiras. Rio de Janeiro: Medsi; 2000.

 

 ZUÑIGA, Q.C.P. Ventilação Mecânica Básica para Enfermagem. Editora Atheneu, 2004.1º Edição. 1:1-39

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também