Estudo de Caso Broncopneumonia
 
Estudo de Caso Broncopneumonia
 


ESTUDO DE CASO

 

ANAMNESE

 

1. Identificação:

Nome: J. V. S. P

Idade: 6 meses                         Estado Civil: Solteiro

Cor: Branca                              Nacionalidade/Naturalidade: São Paulo, Brasileira

Sexo: Masculino

Religião: Católico

Endereço: R: José da Silva Oliveira, 259, Grajaú, São Paulo, SP

Nome da Mãe: A. A. P.

Nome do Pai: F. P.P

Moradia: Própria, mora três pessoas na casa com quatro cômodo.

Fonte da Anamnese: a mãe respondeu as perguntas

Data da entrada: 23/03/2009

 

1.1 Quando você procurou atendimento médico?

 ( ) 6 Meses ( ) 4 Meses ( ) 2 Meses (x) 1 Mês 

 

1.2 A criança apresenta alguma deficiência auditiva ou visual?

 ( ) Sim (x) Não ( ) Não sei ( ) As vezes

 

1.3 A criança apresenta alguma deficiência física?

 ( ) Sim (x) Não ( ) Não sei

 

1.4 A criança já se envolveu em acidentes?

 ( ) Sim (x) Não

 

1.5 A criança já foi internada em Hospital?

 (x) Sim ( ) Não

Quando:  Ficou internado no período de 03/02/2009 a 17/03/2009

Porque: A criança estava sentindo muito cansada, foi diagnosticada Broncopneumonia.     

 

1.6 A criança apresenta alguma doença que necessita acompanhamento ambulatorial (como Diabetes, Insuficiência Renal, Hemofilia, problemas Cardíacos, Batedeira, cansaço fácil, problemas Neurológicos, etc)?

 ( ) Sim ( ) Não (x) Não sei

 

2. Queixa Principal (QP). (palavra do acompanhante)

 A mãe referiu que a criança estava sentindo cansada à dois dias, tosse produtiva, a criança estava chorando muito e com falta de ar.

 

3. Diagnostico

Broncopneumonia:

Broncopneumonia é uma infecção que inicia nos brônquios e bronquíolos, comprometendo os alvéolos, podendo ser uma infecção bacteriana ou viral, os agentes mais comuns estafilococo, pneumococo e hemófilo.

A broncopneumonia tem uma reação inflamatória purulenta, inespecífica, um tecido alveolar frouxo, que oferece pouca resistência ao acúmulo de grande quantidade de exsudato, proporcionando assim vias livres de disseminação. A consolidação lobular pode ter distribuição focal por todo o lobo, mas é mais comum ser multibolar e, frequentemente, bilateral e basal, por causa da tendência das secreções de se acumularem por gravidade nos lobos inferiores.

  A broncopneumonia, particularmente na infância, pode permanecer no interstício, isto é, nos septos alveolares, provocando uma alteração inflamatória limitada às paredes alveolares, com pouca exsudação nos espaços aéreos. A e.coli é o principal agente para este padrão de reação na infância; já nos adultos os adultos os agentes mais comuns são os estreptococos do grupo B-hemolítico.

Microscopicamente - Exsudato purulento na luz dos alvéolos e bronquíolos, associado à destruição da parede desses componentes e edema de grau variado. Pode ocorrer formação de abscessos; Complicações - Extensão a pleura (pleurite) ou ao pericárdio (pericardite) e disseminação à distância; Broncopneumonia por aspiração: provocada pela inalação de restos alimentares e/ou secreções digestivas. Mais frequente em lactentes, crianças, idosos, doentes mentais, pessoas anestesiadas, portadores de doenças neurológicas ou com fístula esôfago-traqueal.

 

Sintomas:

  • Dispnéia;
  • Taquicardia;
  • Dores no corpo;
  • Febre alta;
  • Sudorese;
  • Tosse produtiva e
  • Expectoração.

 

Como se preveni da Broncopneumonia

 

Manter um estilo de vida saudável é a melhor maneira de se prevenir. Isso inclui tomar vacina contra a gripe anualmente, pois a gripe é um precursor comum dessa doença, assim como não fumar, fazer uma dieta saudável, exercitar-se e repousar. Esses bons hábitos preservam o sistema imunológico e impedem que o resfriado ou a gripe se transforme em algo muito mais grave.

 

Risco para contrair a Broncopneumonia

 

Pessoas com problemas no sistema imunológico têm um risco maior de contrair, o que inclui crianças com menos de 2 anos, pessoas com mais de 65 anos e pessoas com problemas de saúde crônicos, como doença pulmonar ou cardíaca, anemia falciforme e diabetes. As pessoas que lutam contra o câncer ou a AIDS também correm risco. Pessoas hospitalizadas, especialmente na unidade de tratamento intensivo e/ou que estejam usando respirador e as que vivem em casas de repouso são mais suscetíveis a desenvolver essa doença.

Como se desenvolve a Broncopneumonia

 

A doença se desenvolve quando a imunidade da pessoa está baixa. A pessoa inala um microorganismo, através da respiração, e este chega até aos pulmões, onde causa a doença; Outra maneira frequente é quando bactérias, que normalmente vivem na boca, se proliferam e acabam sendo aspiradas para um local do pulmão.

 

Que impacto teve a doença sobre a vida do paciente:

            A mãe referiu que mudou - se de sua casa logo que apareceu a doença na primeira internação do filho com dois meses, a sua casa não tinha acabamento e produzia muito pó, piorando a saúde da criança. Refere que passa o dia inteiro limpando a casa por causa da sensibilidade do filho.

 

4. História patológica pregressa (HPP)

            A criança é o primeiro filho do casal, os pais referiram não ter tido nenhuma doença respiratória, os primeiros sintomas apareceram com dois meses de vida da criança, ela foi hospitalizada por 21 dias.

            A mãe referiu que a criança não teve nenhuma doença própria da infância como: sarampo, rubéola, coqueluche, varíola, caxumba, febre reumática, escarlatina, poliomielite. Não sofreu nenhum acidente ou trauma.

            A criança já foi hospitalizada por duas vezes, a primeira com dois meses de idade no período 15/12/2008 a 05/01/2009 por bronco espasmo, a segunda internação aconteceu no período de 03/02/2009 a 17/03/2009 por broncopneumonia.

 

5. História fisiológica

A mãe referiu ter feito pré-natal.

Parto normal (transvaginal).

Nenhuma complicação no parto.

Peso: 2.900 gr.

Amamentação: a mãe referiu que a criança amamentou exclusivamente até aos dois meses de idade e amamenta com complemento até hoje.

6. Histórico Familiar

Mãe: 23 anos do lar refere não ter tido doenças.

Pai: 26 anos, motorista, refere não ter tido doenças.

Avó materna: doenças- H.A.S e Diabetes.

Avó paterna: doenças- H.A.S.

Avô paterno: doenças- Diabetes.

 

7. Histórico Social e epidemiológica

Casa de tijolo, com 4 cômodos, 3 pessoas reside, água encanada, rede de esgoto, coleta de lixo seletivo e não tem animais domésticos. 

Alimentação: arroz, feijão e raramente carne.

 

8. Revisão dos sistemas

Dia 15/04/2009

Tº: 36,5ºC.

P: 95 bpm.

FR: 34 rpm.

Saturação: 96%.

Ao exame físico: Corado, hidratado, ativo, dispnéico, gânglios palpáveis, pupilas isocóricas, AC: BRNF 2T sem sopro, AP: MV+ com RA roncos + estertores; Abdome globoso, flácido, indolor a palpação, RHA+; eliminações vesical presente, intestinal presente asp. AC.

 

9.Medicamentos.

 

Budesonida é um gricocorticosteróide com grande efeito antiinflamatório local. Indicado para controle de inflamação das vias respiratória. Reações adversas: irritação de garganta, tosse, insônia, boca seca, dor abdominal, cefaléia, taquicardia, agitação e náusea.

 

Acetilcisteina é um medicamento expectorante indicado para o tratamento de infecções respiratórias caracterizadas por hipersecreção densa e viscosa. Reações adversas: o seu uso sistêmico pode determinar a ocorrência de epigastralgia, o produto provoca o aumento de fluidez do muco gástrico protetor.

 

Fenoterol é um broncodilatador, que apresenta elevada eficácia no tratamento de infecções respiratórias, possui efeitos locais na vias respiratórias. Reações adversas: leves tremores dos músculos esqueléticos e nervosismo; menos freqüentes são taquicardia, inquietação, vertigens, palpitações, fadiga, cefaléia (principalmente em pacientes hipersensíveis), sudorese, secura da boca e transtornos ventriculares do ritmo cardíaco.

 

Ranitidina é um antagonista H 2 da histamina, o seu efeito é inibitório sobre a secreção basal, reduzindo o volume de ácido gástrico no estômago. Reações adversas: cefaléias ou erupções cutâneas. Pode causar diarréia, constipação, vômito, dor abdominal.

 

Espironolactona é um Diurético, anti-hipertensivo. Ambos os efeitos, diuréticos e anti-hipertensivo, ocorrem pela ação de bloqueio do intercâmbio de sódio por potássio no túbulo distal renal, o que provoca um aumento na secreção de água e sódio e a retenção de potássio. Reações adversas: ginecomastia, intolerância gastrintestinal, sonolência, cansaço, cefaléia, erupção cutânea, urticária, confusão mental, febre, ataxia, impotência, menstruação irregular ou amenorréia e metrorragia pós-menopáusica.

 

Hidroclorotiazida é um diurético, que agem nos rins reduzindo a reabsorção de sódio no tubo contornado distal. Isso eleva a osmolaridade no lúmen, fazendo com que menos água seja reabsorvida pelo dutos coletores, o que ocasiona aumento da produção de urina. Reações adversas: vertigens, tremores, cefaléias, parestesias, náuseas, vômitos, anorexia, pancreatite, constipação, leucopenia, agranulocitose, anemia aplástica e hemolítica, hipotensão ortostática, hiperglicemia, hiperuricemia, glicosúria, distúrbio visual.

Cefepime é um antibiótico utilizado no tratamento das infecções causadas por bactérias sensíveis à cefepime. A eficácia de cefepime é refletida pela melhora do estado geral do paciente com regressão dos sinais e sintomas da infecção. Reações adversas: diarréia, erupções de pele, náuseas e vômitos.

 

Furosemida é um diurético, atua no rim aumentando a quantidade de urina, deste modo diminui a quantidade de líquido que circula pelos vasos sanguíneo o que ajuda diminuir a pressão arterial e a força que o coração necessita para bombear o sangue para todo o corpo. Reações adversas: sede, boca seca, taquicardia, tonturas e agitação.

 

Ibuprofeno é um fármaco do grupo dos anti-inflamatórios não esteróides(AINE), utilizado freqüentemente para o alívio sintomático da cefaléia, dor dentária, mialgia, moléstias da menstruação e dor pós-cirúrgica. Também é usado para tratar quadros inflamatórios, como os que apresentam-se em artrites, artrite reumatóide (AR) e artrite gotosa. Reações adversas: dor de cabeça, dor de estômago, vômitos, e diarréia.

 

Domperidona é um medicamento utilizado no tratamento de distúrbios do aparelho digestivo como a doença do refluxo gastresofágico, incluindo esofagite em adultos, neonatos e lactentes. Também atua contra náuseas e vômitos. Reações adversas: cefaléia, sonolência, diarréia, erupções cutâneas e urticária.  

Prednisolona é um  corticóide sintético que possui potente ação antiinflamatória, anti-reumática e antialérgica. Reações adversas: Retenção hídrica; insuficiência cardíaca congestiva; perda de potássio; alcalose hipocalêmica; hipertensão; fraqueza muscular; perda de massa muscular; osteoporose;úlcera péptica com possível perfuração e hemorragia; pancreatite; distensão abdominal; esofagite ulcerativa; petéquias e equimoses; eritema facial; retardo na cicatrização; atrofia cutânea e sudorese excessiva.

 

 

 

 

 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
13 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Leandro Divino Espirito Santo
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Enfermeiro
Membro desde maio de 2009
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: