A IMPORTÂNCIA DA PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO PARA A EDUCAÇÃO
 
A IMPORTÂNCIA DA PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO PARA A EDUCAÇÃO
 


INTRODUÇÃO
Inicialmente a psicologia do desenvolvimento estuda aspectos do desenvolvimento humano cognitivo, afetivo, social e motor, se perguntando sobre a interferência do tempo de vida do processo da criança, tais processos são o de conhecimento, socialização, e de progresso. Assim como, ao longo do tempo a criança deverá adquirir mais competências e mais capacidades e não somente capacidades mais ao longo do processo de desenvolvimento a criança irá se transformar. De acordo com alguns processos do desenvolvimento tais como; desenvolvimento cognitivo (conhecimento, razão e afetivo), desenvolvimento afetivo, desenvolvimento social, desenvolvimento motor. Uma vez que se torna uma aliada da educação, visto que a mesma questiona a interação com o meio como um dos principais fatores para o desenvolvimento.
Assim a psicologia do desenvolvimento busca uma área de conhecimento onde se preocupa com as transformações do ser humano ao longo da sua vida podendo assim trazer muitos benefícios no âmbito da educação, pois a mesma busca responder perguntas sobre como funciona o desenvolvimento humano, ou seja, todas as etapas do seu desenvolvimento ao longo da vida. Para PIAGET (1924) a construção do desenvolvimento mental se dá através do meio, e todo o conhecimento se inicia com um ponto anterior, ou seja, a criança deve interagir com o meio e construir um conhecimento levando em consideração do conhecimento anterior. Sendo assim PIAGET diz que a mediação é a ação da criança que inicialmente é uma ação física ou motora e depois é mental, logo, a cada nova ação a criança vai construir um equilíbrio e depois desconstruir para construir um outro novamente, ou seja, a cada ação inicia-se um novo processo de construção de conhecimento partindo do conhecimento prévio e a construção de novas hipóteses. Assim a cada nova conduta vai se restabelecer um equilíbrio e construir um equilíbrio ainda mais estável do que o anterior, visto que o equilíbrio implica em acomodação.
Deste modo o construtivismo ressalta que a ação do sujeito no processo de desenvolvimento cognitivo, ou seja, tudo é reflexo das ações que se manifestam em operações do pensamento coerentes e lógicas, visto que, possuem alguns fatores que contribuem tais como, a maturação, a experiência com o mundo físico, experiências sociais e equilibração (auto-regulação). Para PIAGET o indivíduo aprende com a interação com o outro, destacando a interação entre parceiros e a maturação, pois é diante da interação que o indivíduo desenvolve a sua inteligência e se apropria de conhecimentos de sua herança social, ou seja, de acordo com o meio em que vive desenvolve novas percepções e interage aprendendo. No episódio de interação entre crianças, há um confronto e perspectivas de desordem na resolução de um problema. Ou seja, este conflito implica em um processo de reorganização cognitiva do indivíduo. No caso é um processo de compreensão e depois desestrutura para transformar em outra hipótese.
Para VYGOTSKY (1978) a cultura é um elemento constituinte do desenvolvimento do ser humano, ou seja, o seu desenvolvimento se relaciona ao meio e a interação da cultura que vivencia, o mesmo atribui a interação social como um papel constitutivo para construir conhecimentos superiores, assim uma criança que não possui interação com estruturas cognitivas mais exigentes dificilmente irá desenvolver tais habilidades. Neste caso VYGOTSKY se refere à Zona de Desenvolvimento Proximal; como a distância entre o nível de desenvolvimento atual, determinado pela solução de problemas feita individualmente, e Nível Potencial de Desenvolvimento; definido como a solução de problemas com orientação de adulto ou colaboração de parceiros mais capazes. Ou seja, a aprendizagem consiste na internalização do processo de intercâmbio social.
Contudo a Psicologia do desenvolvimento envolve estudos de variáveis afetivas, cognitivas, sociais e biológicas em todo o período da vida do indivíduo. Algumas considerações foram feitas sobre a maturação orgânica do individuo, e suas bases genéticas (as variáveis internas), a outra influência do ambiente (o meio em que vive). Busca entender as diversas interações que ocorrem e como se dá o desenvolvimento humano. Assim como, promove a pesquisa e a elaboração de intervenções no âmbito educacional e da saúde, contribuindo assim com o processo educacional que visa promover o desenvolvimento e a aprendizagem.
BIAGGIO, Angela M. Brasil. Psicologia do desenvolvimento. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

BOCK, Ana M. ET AL. Psicologias ? uma introdução ao estudo de psicologia.13ª ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

COLL, César; PALACIOS, Jesús; MARCHESI, Alvaro. Desenvolvimento psicológico e educação. 2.ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. 3 v.

RAPPAPORT, C. Regina et. al. Teorias do desenvolvimento: conceitos fundamentais. São Paulo: EPU, 1981.

Complementar

DUSKA, Ronald e Mariellen Whelan. O desenvolvimento moral na idade evolutiva ? um guia a Piaget e Kohlberg. São Paulo: Loyola, 1994.

SABINI, M. A. Cória. Psicologia do desenvolvimento. São Paulo: Ática, 2007.
BARROS, C. S. Guimarães. Pontos de psicologia do desenvolvimento. 12 ed. São Paulo: Ática, 2000.

GUTIERRA,Beatriz C. Cruz. Adolescência, psicanálise e educação ? o mestre possível de adolescentes. São Paulo: Avercamp, 2003.

ZAGURY, Tânia. O adolescente por ele mesmo. 15 ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.
 
Avalie este artigo:
4 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Roseli Ramos Cruz
Talvez você goste destes artigos também