Este trabalho propôs como tema o ensino da Geografia nas Escolas Secundárias da cidade de Nampula: uma reflexão sobre o valor educativo do ensino da geografia na escola secundária de Napipine. Para a efectividade da pesquisa o autor teve como objectivo analisar o ensino de geografia na escola secundária de Napipine em termos do seu valor educativo para os alunos de forma particular e para a sociedade em geral, especificamente explicar o essencial do valor educativo da Geografia para a sociedade; propor as variantes metodologias que permitam a percepção da leccionação das aulas; identificar os problemas de ensino de Geografia nas escolas secundárias de Nampula, como problema da pesquisa tivemos: Qual é o valor de ensino de Geografia na cidade de Nampula em particular na escola secundária de Napipine? Será que da maneira como ela é leccionado na nossa realidade elucida o valor educativo? Qual seria a sua a sua finalidade ao se leccionar nas escolas? Como questão do fundo tivemos: Será que o ensino de Geografia em Moçambique tem o valor educativo? Como respostas provisórias à questão central ou ao problema da pesquisa tivemos: O que leva os alunos a terem menor interesse por ensino de geografia ou por ciência geográfica é por simplesmente ser uma ciência que muitos consideram ser uma ciência que estuda a localização dos espaços geográficos; é necessário que o professor tenha conhecimentos sólidos sobre a ciência geográfica, para além de ser criativo e dinâmico; Através dos recursos didácticos diferenciados, o aluno pode desenvolver ou produzir conhecimento. Para realização da pesquisa foram utilizadas variantes metodologias para a recolha de dados ou informações necessária para execução da pesquisa, como: método indutivo, quanto a natureza o tipo de pesquisa é descritivo, quanto aos objectivo é exploratório, quanto a sua abordagem é qualitativa, só para citar alguns, não ficaram de fora as técnicas como: a observação, consultas bibliográfica, entrevistas e questionários. Os resultados do estudo mostram que a ciência geográfica tem sim um valor educativo no seio dos alunos e na sociedade, e que a desvalorização da mesma surgi das metodologias usadas para sua leccionação e a forma como é a percebida pêlos alunos e a sociedade.

Introdução De todas “disciplinas escolares a Geografia” é a única susceptível de proporcionar ao homem moderno uma imagem e uma explicação que correspondem as exigências da sua vida. (UNESCO, 1978:21), compete a um ensino geográfico bem orientado fazer compreender aos alunos, consoante a idade, os problemas, locais, regionais e mundiais, para incutir os alunos o espirito de solidariedade que deveria existir entre todos os homens, isto significa que: Geografia preocupa-se essencialmente com fenómenos visíveis. A Geografia descreve os aspectos reais e actuais da superfície da Terra. Interessa-se igualmente pêlos factores “não visíveis” (psicológicos, políticos, religiosos) desde que dêem conta dos factos visíveis; A Geografia tem a preocupação constante da localização e extensão dos fenómenos que estuda. Em primeiro lugar, porque uma das suas tarefas consiste em “cartografar” o mundo; em segundo lugar porque da análise da localização dos factos nascem os problemas e factores de explicação. A Geografia dedica um cuidado especial ao estudo das relações entre os fenómenos, sobretudo entre os que pertencem a categorias diferentes. Independentemente de toda a opção a favor ou contra o determinismo, ela analisa o jogo de influências reciprocas das condições naturais e grupos humanos. A Geografia deve apresentar-se como na realidade é tanto no ensino elementar e médio como no superior ou investigação científica, deve ser uma ciência actual e pratica, uma ciência aplicada. Olhando para toda essa relevância que a Geografia nos proporciona, é de facto uma ciência que se deve leccionar nas nossas escolas não só pelo seu conteúdo científico, mas também pelo seu valor educativo que permite que o aluno vivencia a ciência com o seu dia-adia. A Geografia e o seu ensino, no âmbito da “aldeia global” e do processo da globalização, deverão permitir a todos os seus intervenientes (alunos, professores e a restante comunidade educativa) o conhecimento das suas potencialidades e fragilidades para que a coabitação seja harmoniosa. Neste quadro, o conhecimento geográfico integral (físico e humano) é de extrema importância e conduz ao “saber pensar o espaço”. A reflexão sobre a Geografia e o seu ensino revela-se como tarefa necessária e urgente que impõe uma atitude dinâmica a todos que participam na sua difusão, mas também reconhecendo-se o grande desafios. O presente trabalho tem como tema O ensino da Geografia nas Escolas Secundárias da cidade de Nampula: um estudo sobre o valor educativo da Geografia na Escola Secundária de 15 Napipine, (11ª classe) 2012-2015. Esta pesquisa enquadra-se na linha de pesquisa de Departamento da Ciências da Terra e Ambiente, Qualidade de Ensino e Avaliação. Esta pesquisa tem como objecto de estudo o ensino de Geografia nas escolas secundárias de cidade de Nampula (uma reflexão do valor educativo de Geografia na Escola Secundária de Napipine). E tem como objectivo geral Analisar o ensino da Geografia em termos do seu valor educativo nas escolas secundárias da cidade de Nampula concretamente na escola secundária de Napipine. Mas especificamente visa Explicar o essencial do valor educativo do ensino de Geografia para a sociedade; Propor as variantes metodológicas que permitam a percepção das aulas e Identificar os problemas de ensino de Geografia nas escolas secundárias de Nampula. Esta pesquisa tem como objectivo descrever o ensino da Geografia nas Escolas secundárias da cidade de Nampula, no que diz respeito sobre o valor educativo da Geografia na Escola Secundaria de Napipine. A escolha deste tema deveu-se ao caracter de pertinência do mesmo, visto que o ensino da Geografia possui muitas potencialidades educativas para os alunos, ela permite a compreensão da organização dos espaços, isto é, ela desperta no aluno o interesse pelo mundo que o rodeia, desenvolvem o espirito de patriotismo e solidariedade com os outros povos. Para entendermos geograficamente o mundo que vivemos hoje em suas distintas especialidades e seus rumos possíveis, de uma forma articulada, coerente e compreensível é necessário estabelecer anexos ou conectores socio espaciais entre as informações e os factos, entre a realidade e a escala de abordagem destes espaços e a realidade do dia-a-dia, do lugar ou local ate global. A Geografia se revela cada vez mais útil ao homem e indispensável para se ensinar para que o individuo saiba se situar ou se posicionar e agir de forma racional entre ele e o meio ambiente e para saber interpretar os fenómenos geográficos e resolver alguns problemas nelas inerentes. A globalização trouxe uma pujança a Geografia, com advento da internet o mundo tornou-se mais dinâmico ficamos actualizados das notícias mundiais sobre questões naturais como: clima, vegetação, relevo, hidrografia, e mesmo questões ambientais como: cheias, terramotos, queimadas, desmatamento, poluição, escassez da água ate mesmo questões humanas e demográficas como: migrações, fome, miséria, conflitos éticos ou guerras. 16 O ensino de Geografia pode contribuir para que o aluno tenha auto-estima, respeitando o seu passado, compreendendo o presente e até perspectivar o futuro mesmo que refere ao do espaço, dessa maneira o ensino da geografia seria de formar o aluno criativo e consciente do processo de produção do espaço. O ensino de Geografia é necessário não somente com objectivo de descrever e assimilar os conhecimentos, também como forma de compreender e interpretação o espaço, torna-se necessário localizar, comparar, analisar, entender a dinâmica dos espaços, não de uma forma de memorização dos conhecimentos, mas de forma sistemática dos conhecimentos geográficos como a base de entender a organização dos espaços. Em suma a Geografia desde os primórdios preocupou o homem, na localização de lugar para se esconder dos animais ferozes, procurar alimentos e água, e esses conhecimentos o homem passava dos mais velhos aos mais novos. No império romano a Geografia foi usada para fins de guerra, para conquistar novas terras e trazer relatos das terras já conquistadas ou seja para fins políticos militares, mas também a Geografia foi usada nas grandes navegações marítimas onde os grandes viajantes descriam as novas terras descobertas. Nos últimos seculos a geografia ganha uma outra visão deixa de simples descrição dos lugares nuca antes vistas torna-se uma ciência de análise e interpretação dos espaços. Justifica-se também a escolha do tema pêlos momentos que a Geografia vem sofrendo, principalmente o seu valor, vejo que cada dia que passa essa disciplina esta sendo ignorado, tanto por alunos, assim como por sociedade, só para termos ideia do quanto a Geografia esta sendo desvalorizada no meio social, durante o meu estagio tive oportunidade de questionar alguns alunos porque estudam a geografia e qual é a sua importância, eles se limitavam a dizer porque queremos nota para passar de classe e se agente não estudar não vamos ter o nosso certificado e ainda diziam que a geografia deveria ser tirada do currículo porque não estão a ver a vantagem de se leccionar. Mas também tive oportunidade de trabalhar com alguns professores de Geografia na escola secundária de Napipine e fiz algumas perguntas e ai tive respostas surpreendentes os próprios professores de geografia a dizerem que estavam a leccionar porque querem salário e se formaram em geografia porque acharam ser o curso mais fácil de se fazer e aumentarem o salário, foram estas e mais questões que me deparo com elas dia a pois dia, quando as pessoas me perguntam qual é o curso que fazes e eu digo Geografia, a respostam que me dão é não tinha outro curso para fazeres? Esse curso não ti leva a lugar nenhum e outros dizem esse é curso de mulher porque não fez cursos de ciências exactas ou naturais? 17 Dai surgiu o meu interesse de estudar ou pesquisar esta área de saber, ou seja procurar estudar sobre o valor educativo de Geografia tanto para o ensino assim como na vida social. Face a essa dura realidade surgiram questões centrais que culminaram com a minha pesquisa: 1º Qual é o valor educativo do ensino de Geografia em Moçambique e especificamente na cidade de Nampula, caso da escola Secundaria de Napipine? 2º Qual é a finalidade de se leccionar a disciplina de Geografia nas escolas? 3º Da maneira como ela é leccionada ajuda o aluno a compreender o seu valor na formação da personalidade dos alunos em termos dos saberes geográficos? Ao problematizar a minha pesquisa culminou numa questão central: será que o ensino de Geografia em Moçambique tem um valor educativo no seio dos alunos e da sociedade em geral? Em função dessa reflexão de questões propomos as seguintes hipóteses:  O que leva os alunos a terem menor interesse por ensino de geografia ou por ciência geográfica é por simplesmente ser uma ciência que muitos consideram ser uma ciência que estuda a localização dos espaços geográficos, e com ajuda do avanço das tecnologias, num mundo cada vez mais globalizado, muitos alunos pensam que isso podem saber sem se preocuparem muito com os conteúdos tratados na sala de aulas.  O ensino de Geografia abre a possibilidade de estudo da relação homem-meio, possibilitando assim, melhor explicar a sociedade e sua organização no espaço. A Geografia ao analisar esta organização para melhor compreensão e a construção do conhecimento geográfico implica desenvolvimento de métodos que contribuam com o ensino desta Ciência. Essa é outra realidade dos nossos alunos perderem interessem por conteúdos leccionados porque muito das vezes os métodos usados não se adequam a realidade dos alunos, ou seja por ser uma ciência de convivência do dia á dia do aluno, o professor acaba a dotando métodos mais concentrados nos alunos, (elaboração conjunta, estudo independente o ele acaba usando o método mais concentrados no próprio professor, isto é exposição, sem equilibrar esses métodos.  O ensino de Geografia contribui para o desenvolvimento de habilidades, como observar, descrever, analisar, orientar-se, argumentar, entre outros; portanto, é necessário que o educador esteja preparado para estimular, auxiliar o aluno a desenvolver tais 18 habilidades. Para tal é necessário que o professor tenha conhecimentos sólidos sobre a ciência geográfica, para além de ser criativo e dinâmico agindo de acordo com o nível de assimilação e compreensão dos conteúdos por parte dos educandos. Para que isso aconteça não basta a boa vontade do professor é necessário que ele tenha uma boa formação profissional.  Através dos recursos didácticos diferenciados, o aluno pode desenvolver ou produzir conhecimento, mas como a nossa realidade dita onde temos a falta desses recursos indispensáveis para o ensino pode contribuir para que ele perca o interesse em explorar mais conhecimentos de área geográfica já que esta área exigem muita leitura e laboratórios para melhor compreensão. Para que este trabalho torna-se uma realidade contou com vários procedimentos metodológicos e técnicas de recolha de dados, que durante o desenvolvimento do trabalho vai se profundar no capítulo II, que versa sobre procedimentos metodológicos. O mesmo encontra-se estruturado da seguinte maneira, capítulo I: localização e caracterização da área em estudo; capítulo II: procedimentos metodológicos; capítulo III: embasamento teórico dos conceitos geográficos; capítulo iv: análise e interpretação dos dados e por fim apresenta conclusão, sugestões, apêndices e anexos.

Revisado por Editor do Webartigos.com