Continente Africano
 
Continente Africano
 


Este trabalho fala um pouco das características físicas e contrastes sociais existente na África. A realidade africana, onde a maioria sofre com a fome, com a aids e com a falta de políticas governamentais para distribuir a riqueza de um continente tão rico, rico em recursos minerais. Enquanto a maioria vive na miséria a minoria goza das riquezas existentes naquela região.

1 INTRODUÇÃO

Desde a época da colonização do continente Africano, quando os colonizadores se apropriaram do continente com a exploração dos recursos naturais. Onde os nativos eram afastados das funções administrativas, o desrespeito com a população africana e a separação de grupos tribais trouxe sérias conseqüências para a população do continente.

A realidade do continente é de pobreza, guerras civis, aids e mais do que tudo exclusão social, tecnológica e econômica do mundo. O capitalismo contribui também para a miséria da África.

O continente africano tem sua localização entre os trópicos de Câncer e de Capricórnio e é um continente tropical, suas paisagens são formadas pelo Vale do Rift onde concentram alguns vulcões, lagos grandes e profundos, florestas equatoriais, savanas, e concentra o maior deserto do mundo o Saara. O Saara divide o continente africano, duas porções com características distintas, a África do norte da África subsaariana, embora o deserto ocupe parte das duas áreas.


2 CONTRASTES DO CONTINENTE AFRICANO

A situação do continente africano é marcada por guerras civis, aids e, mais do que tudo, exclusão social, tecnológica no mundo globalizado. Os países com os 19 piores IDHs no relatório do Desenvolvimento Humano de 2004, da ONU, são africanos e comprovam essa exclusão.
Apesar de a África do Sul ser classificada como país subdesenvolvido industrializado, com os melhores indicadores socioeconômicos da África subsaariana, regrediu na classificação da ONU em 2004.

Diversos motivos levaram a África a essa situação de miséria e desalento. A forma que os colonizadores europeus se apropriaram do continente foi a principal causadora das mazelas africanas. A administração das colônias através da exploração dos recursos minerais, do afastamento da população nativa das suas funções administrativas e, principalmente, do desrespeito à separação dos territórios tribais trouxe sérias conseqüências para o continente.

Segundo Richter 2005 "a descolonização africana se deu durante o período da guerra fria, o continente sofreu inúmeros conflitos originados da disputa entre capitalistas e socialistas pelos novos países que se libertavam do domínio colonial."

Por causa desse passado de dominação e exploração, ao qual pode-se acrescentar a transferência compulsória de populações africanas para a América, estimada entre 10 e 15 milhões de pessoas, na época do colonialismo, a África chega ao século XXI como o continente mais pobre e menos respeitado.

Há riquezas na África principalmente riquezas naturais segundo Paganucci 2009:

Na África tem muitas riquezas minerais como diamantes, ouro, cobre, urânio entre outros. A Zâmbia, República Democrática do Congo e a África do Sul são os maiores exportadores de cobre no mercado mundial. Na África e na Zona da antiga União Soviética encontram-se as reservas mundiais de minerais para várias indústrias das quais os EUA são inteiramente dependentes. Metade do cobalto do planeta está na República Democrática do Congo; 98% das reservas mundiais de cromo estão no Zimbábue e na África do Sul, que também concentra 90% das reservas de metais do grupo de platina. O continente Africano corresponde a 2% do comercio mundial fundamentalmente porque sua matéria-prima vendesse a preços baixos. Por causa da pobreza, violência e fome.

A exploração da África pelos países ricos, e a falta de uma política que controle estas riquezas fazem com que o povo a africano não consiga se beneficiar de suas próprias riquezas. Outro problema é o capitalismo, que causa a desigualdade social onde poucos se beneficiam da riqueza, a riqueza fica distribuída em mãos de poucos, enquanto a maioria vem em uma pobreza extrema.
 
Avalie este artigo:
(3 de 5)
27 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Edemar Vieira Machado
Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Sou aluno da Uniasselvi área de Licenciatura em Geografia
Membro desde agosto de 2010
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: