Esse artigo visa demostrar que a Literatura Infantil é um gênero de suma importância para a educação e desenvolvimento da criança no ambiente escolar, uma vez que ela é elemento de suma importância para o desenvolvimento da imaginação e fantasia despertados nas crianças, ao passo que oferece a compreensão da realidade. 

Todavia, para serem desenvolvidas tais características, é necessário que a criança tenha contato com a leitura desde os primeiros anos de vida, porém, geralmente, a criança só tem acesso ao universo da leitura através de seus professores, na escola.

É por meio da literatura que o aluno acorda uma nova afinidade com distintas visões de mundo e sentimentos, ajustando, portanto, qualidades para o acréscimo intelectual e o desenvolvimento de princípios pessoais para codificar e medir as próprias ações e sentimentos. Segundo Coelho

[...] a instituição escolar é, hoje, o ambiente privilegiado, em que carecerão de ser difundidas os alicerces para a desenvolvimento do sujeito. E, nesse ambiente, privilegiamos as pesquisas literárias, pois que, de modo mais compreensivo do que alguns outros, eles instigam o exercício do pensamento; a observação do real em suas diversas significações; a percepção do eu em afinidade ao outro; a interpretação do mundo em seus diversos níveis e, sobretudo, dinamizam à pesquisa e noção da língua, do procedimento verbal significativo e consciente para a plena realidade do ser. (COELHO, 2000, p.16)

Portanto, a prioridade no âmbito escolar é o desenvolvimento dos alunos que também sejam leitores, uma vez que boa parte do que precisamos compreender no mundo depende da leitura.

O conceito de infância, assim como a figura da criança, passou por várias mudanças e interpretações, por uma evolução cultural, social e histórica. Segundo Áries (1981, p. 17), a arte mostra que na idade média, se desconhecia a infância e a criança era vista como um adulto em miniatura que acompanhavam a vida social dos adultos e só eram distinguidas pelo seu tamanho e não pela sua idade.

Pereira (2007) aborda em seu texto a importância da literatura infantil e seu impacto na formação das crianças. Segundo ela, o papel da literatura infantil é permitir que a criança sinta prazer ao ler e desenvolva a sua reflexão e criticidade.

Portanto, urge mencionar que o ato de ler histórias para crianças auxilia a instigar o uso da imaginação, despertando a curiosidade e diversas emoções através das histórias ouvidas e lidas pelos alunos.

Desse modo, a leitura auxilia na construção de conhecimento, favorecendo o desenvolvimento motor, emocional, cognitivo e social das crianças. É importante destacar que a leitura desperta áreas adormecidas do cérebro, ajuda o aluno a crescer pessoal e socialmente e por isso, quanto mais cedo a criança tiver contato com os livros e com a leitura, maior será a probabilidade desta criança no futuro se tornar um adulto leitor.

Segundo Coelho:

A literatura infantil é antes de tudo, literatura; ou melhor, é arte: fenômeno de criatividade que representa o mundo, o homem, a vida, através da palavra. Funde os sonhos e a vida prática, o imaginário e o real, os ideais e sua possível/impossível realização... (2000, p. 27).

Através da literatura a criança tem a possibilidade de conhecer culturas totalmente diferentes sem necessariamente, precisar deslocar-se do lugar, utilizando para isso o imaginário que faz relação com o maravilhoso e o real.

Podemos concluir que a leitura sempre foi e será indispensável para a história e compreensão da nossa sociedade, uma vez que ela é fonte inesgotável de sabedoria e conhecimento, permitindo que a criança tenha contato com diversos gêneros literários e despertando assim, o hábito pela leitura.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione,1997.

AGUIAR, V.T. & BORDINI, M.G. Literatura: a formação do leitor: alternativas metodológicas. 2. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993.

ARIES, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1981.

BRAGA, Maria. Leitura no cotidiano escolar. 2. ed. São Paulo: Brasiliense,1985.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. 29 ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

CAGLIARI, L. C. Alfabetização e linguística. São Paulo: Scipione, 2009.

COELHO, N. N. Literatura infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Moderna, 2000.

COSSON, R. Letramento literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2009.

LAJOLO, M. Do mundo da leitura para a leitura do mundo. São Paulo: Ática, 2002.

PEREIRA, Maria Suely. A importância da literatura infantil nas séries iniciais.

Revista Eletrônica de Ciências da Educação, Campo Largo, v. 6, n. 1, jun 2007. Disponível em: .  Acesso em: 22 de Novembro de 2022

LIDIANE DA SILVA XAVIER - Graduada em Pedagogia; Especialista em Educação Infantil e professora na Rede Municipal de Ensino Público na cidade de Rondonópolis. 

RAQUEL SANTOS SILVA - Graduada em Letras; Especialista em Educação Infantil e professora na Rede Municipal de Ensino Público na cidade de Rondonópolis.

VALQUIRIA RODRIGUES DIAS- Graduada em Pedagogia (UFMT); Especialista em Psicopedagogia (UNISERRA) e professora na Rede Municipal de Ensino Público na cidade de Rondonópolis.