As transformações bio-psico do adolescente e a sua influência no contexto social. ...
 
As transformações bio-psico do adolescente e a sua influência no contexto social.
 


Erley Penalva de Matos Santana

 RESUMO:

 A adolescência é um período extremamente importante na vida humana, que se caracteriza pelo processo contínuo de mudanças significativas em seus diferentes aspectos: nas estruturas mentais, anatômicas, fisiológicas e afetivo-emocional, que contribuem para o desenvolvimento integral do sujeito em suas múltiplas dimensões. As transformações Bio-psico que ocorrem na adolescência influenciam consideravelmente no contexto social, nas características, nos interesses e os comportamentos dos adolescentes. Percebe-se através desse pressuposto que a adolescência é uma fase difícil na vida dos sujeitos, pois neste estágio de desenvolvimentos há uma inter-relação entre as alterações físicas e mentais e as contribuições para a formação do indivíduo.

 

Palavras-chave: Adolescência, transformações, identidade e comportamento.

 

 

INTRODUÇÃO

A adolescência é um período excepcional na vida dos sujeitos. É a fase onde acontecem os primeiros namoros e a busca pela autonomia. Esse estágio de desenvolvimento humano é marcado por transformações relevantes nas dimensões Bio-psico; mudanças essas que afetam consideravelmente a vida dos adolescentes em relação ao aspecto afetivo-emocional, comportamentos e pensamentos que contribuem  para a formação  integral do indivíduo.

Segundo Muuss  in Merval Rosa (1988, pág. 43),  a adolescência possui uma concepção psicossocial que é definida nos fatores cronológicos, sociológicos e psicológicos.

Cronologicamente, a adolescência nos países ocidentais, é a fase do sujeito que varia entre 12 aos 24 anos, admitindo-se variações de ordem individual e cultural.

Sociologicamente, a adolescência caracteriza-se pela passagem de um estado de dependência dos pais para uma condição de autonomia e principalmente, em que o indivíduo começa a exercer certas funções  e responsabilidades inerentes a vida adulta.

Psicologicamente, a adolescência é o período crítico na vida humana, pois as pessoas estão definindo sua identidade profissional, sexual e filosófica, como afirma Eric Erickson (...); propiciando conseqüências para o indivíduo e a sociedade que considera os adolescentes como “aborrecentes”, pois não compreendem as mudanças nas estruturas mentais e biológicas que o indivíduo está passando.

Barros (2002, pág. 23) possui um olhar diferente em relação a Muuss, sobre a adolescência; considerando o ser humano como adolescente, enquanto não conseguir solucionar os três problemas essenciais na vida humana: O problema profissional, filosófico e sexual.

Para esse autor a adolescência é uma fase de busca e insegurança em que o indivíduo está sempre voltado para os seus próprios sentimentos e há um grande prazer em ser aprovado pelos colegas de grupo. Os adolescentes necessitam de apoio e compreensão porque vivenciam mudanças relativas ao humor, a emoção e a atenção que são decorrentes do processo de transformações Bio-psico do ser humano.

É importante ressaltar que este artigo foi realizado mediante pesquisas bibliográficas e através de pesquisa de campo que será exposta a seguir com a sua devida análise e discussão dos dados.

 

AS MUDANÇAS NA ADOLESCÊNCIA

 

De acordo com Hurlock (1988, pág. 45) in Merval Rosa (1988, pág. 45), a adolescência é um período de alteração significativo na vida humana. Hurlock menciona quatro mudanças notórias que marca esse estágio de desenvolvimento humano. A primeira delas é a variação emocional (alegria, tristeza, raiva) cuja intensidade varia conforme as alterações físicas e psicológicas que ocorrem na experiência do sujeito. A segunda mudança nessa fase da vida está relacionada à maturação sexual que acontece quando o adolescente se sente inseguro em relação a si mesmo, as suas capacidades e seus interesses. Em terceiro lugar, as mudanças que ocorrem no seu corpo, nas funções sociais criam problemas para o adolescente em relação aos valores. Muitas coisas que eles consideravam fundamentais passam a ser considerados como algo de ordem primária.

A adolescência é marcada especialmente por transformações biológicas e psicológicas. Para ratificar esse pressuposto, podem-se citar os autores Carlos Barros e Paulino (1999, pág. 43,44 e 47) que mencionam sobre as mudanças Bio-psico do adolescente.

As modificações biológicas dos adolescentes variam de acordo com o sexo. Nas meninas ocorrem aos 12 e nos meninos ocorrem aos 13 anos de idade. No sexo feminino as mudanças caracterizam-se pelo surgimento dos pêlos em diversos locais do corpo (nas axilas e ao redor do órgão genital), o desenvolvimento dos seios, o amadurecimento dos órgãos sexuais, isto é, o pênis e os testículos adquirem o tamanho adulto.

Com o avanço da puberdade, os pêlos no órgão genital aumentam, os ombros tornam-se mais largos que os quadris e os músculos se desenvolvem. É no período da adolescência que os adolescentes possuem a primeira ejaculação. Isso significa que ele já possui maturação sexual, ou seja, pode gerar filhos.

A adolescência destaca-se sobretudo por modificações psicológicas, ou seja, na mente dos seres humanos. Essas alterações propiciam mudanças relativas ao comportamento e interesses.

Na adolescência os adultos e os familiares passam a cobrar mais maturidade, mais responsabilidade nos estudos e nas suas ações. É nesta etapa da vida que os adolescentes buscam autonomia, independência financeira e geralmente questionam os valores da sociedade e as regras. Portanto, é normal os sujeitos dessa fase revoltar-se contra as normas estabelecidas, porque os indivíduos na adolescência  se orientam pelos seus próprios  sentimentos e idéias.

Os autores anteriormente citados (Carlos Barros e Paulino) mencionam sobre as mudanças biológicas e mentais, porém deixam de ressaltar as conseqüências das transformações biológicas na sociedade. Para explicitar esta ideologia, pode-se mencionar Merval Rosa (1988, pág. 66):

As modificações biológicas que ocorrem durante a adolescência provocam  conseqüências em relação ao seu auto-conceito e a sua vida social. Para reafirmar esta concepção, pode-se abordar como exemplo: os jovens que desenvolvem sua musculatura precocemente podem praticar determinados tipos de esporte e, devido este desenvolvimento, pode receber dos seus colegas  e dos adultos, atividades que são realizadas apenas por sujeitos mais avançados na idade. Se caso o adolescente for capaz de desempenhar a atividade que foi atribuída com sucesso, o resultado será maior confiança do grupo e sensação positiva em relação à sua capacidade.

 

 

        CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

A adolescência é um período fundamental na vida dos sujeitos, pois este estágio de desenvolvimento humano é marcado por transformações significativas nas dimensões Bio-psico-social. Nesta fase o indivíduo começa a definir sua identidade sexual, profissional e filosófica, como afirma Eric Erckson (...).

A adolescência é sobretudo um marco na vida dos seres humanos, pois os sujeitos passam por mudanças consideráveis na formação da personalidade, nos interesses e a sociedade começa a exigir atitudes mais adultas e responsabi-lidades. Os adolescentes buscam autonomia, querem se guiar pelas suas próprias opiniões, sentimentos e libertar-se dos pais. E essas atitudes dos adolescentes, geram conflitos na família, porque eles começam a questionar os valores da sociedade e as normas.

É essencial enfatizar que a adolescência é um período crítico na vida dos indivíduos, porque é uma fase de transição, conforme salienta  Hurlock in Merval Rosa (1988, pág. 45): o adolescente não é mais criança, nem é adulto. Esta ambivalência pode gerar confusão na mente do adolescente que não sabe especificamente qual a função que possui na sociedade. Portanto é imprescindível que a família compreenda os adolescente, e dialoguem com  eles; objetivando assim, amenizar os conflitos e frustrações, decorrentes do processo de alterações biológicas e mentais que os adolescentes sofrem.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 

BARROS, Carlos e PAULINO, Wilson Roberto. O corpo humano, 59º ed. São Paulo: Editora Ática, 1999.

BARROS, Célia Silva Guimarães. Pontos de Psicologia do desenvolvimento, 12ºed. São Paulo: Editora Ática, 2002.

 ROSA, Merval. Psicologia evolutiva, 5º ed. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1988.

 
Avalie este artigo:
(5 de 5)
7 voto(s)
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Talvez você goste destes artigos também
Sobre este autor(a)
Caro visitante, Sou Erley Penalva de Matos Santana,irei publicar alguns artigos voltados para a área educacional e empresarial,que irão oferecer subsídios para o desenvolvimento pessoal e profissional dos leitores;pois a leitura favorecer o processo de reflexão do ser humano podendo propiciar muda...
Membro desde junho de 2006
Facebook
Informativo Webartigos.com
Receba novidades do webartigos.com em seu
e-mail. Cadastre-se abaixo:
Nome:
E-mail: