Como dói ver gente por aí repousando sobre a dor alheia. É uma forma de causar uma hemorragia silenciosa na alma dos outros. Não que as pessoas precisem de "compaixão" ou que "sintam dó" delas, pelo contrário. Mas não precisa pisar e repousar sobre a carcaça de quem está aos pedaços. De quem não está sendo quem poderia ser. Ou quem está se esquecendo de ser quem deveria ser. Repousar sobre a dor alheia é uma forma triste de querer ser vista ou ouvida. Colocar suas preferências e prioridades à frente de tudo e de todos. Fazer dos relacionamentos um vínculo permanente de utilidade, mas com nenhum significado. É pisar no coração e esquecer nos acostamentos da vida alguém (quem sabe alguém que você já amou de alguma forma), justamente, hoje, por ser a pessoa mais inútil na tua vida. E porque não te serve para absolutamente mais nada... Por não ter nada a te oferecer... Por isso mesmo, acha que não merece nada de você, ou somente a indiferença de atitudes egoístas. Regozijar-se porque você tem alguém ao lado, mas não aprofundar-se neste alguém (ou nos outros que andam por aí, profundamente magoados, tentando encontrar um lugar para acomodar suas dores do mundo). Enfim, tem muita gente por aí repousando seus quereres sobre as dores de outras pessoas, como se pensar o quanto é valioso para si próprio fosse mais relevante do que tentar decidir um jeito de ser valioso para alguém.