Todo fim é um recomeço de algo que deve ser encarado como uma nova fase, com novas pessoas e novas concepções de ver e encarar a vida. O que passou, passou... Quem ficou, ficou... Seguirão somente aqueles por quem se tem um vínculo de respeito, carinho e amor, convergidos em uma verdade emocional inexplicável, que faz lembrar em todos os momentos e por quem se tem uma responsabilidade por fazer parte da felicidade. Bem diferente de quem vai somente pelo vínculo da utilidade estética, financeira, da aparência e do "status" social. De certa forma é uma mudança que pode ocorrer de fora para dentro em primeiro lugar, mas que inevitavelmente tem que acontecer dentro, no coração, na alma. Na forma de pensar, depois na forma de agir, então, naquilo que se acha merecedor ou incapacitado para receber de volta. Ir e vir, parar e continuar... E é recomeçando que se nota o tamanho daquilo que se perdeu (porque fim também é perda). Que se sente a falta que vai fazer e o tanto que se deixou de doar para que jamais ocorresse esta ruptura de vínculos, antes, ditos e cantados diariamente como "para sempre"...