Ângela Conceição dos Anjos Pena[1]

Priscila Duarte Dias[2]

[1] Psicopedagoga e Professora da Escola Superior Madre Celeste – ESMAC. Presidente do Colegiado do Curso de Pedagogia [email protected]

[2] Pedagoga formada pela Escola Superior Madre Celeste – ESMAC  [email protected]

RESUMO

O Projeto de Intervenção Social “Brinquedoteca Mundo Encantado: Espaço para Brincar e Aprender”; vem demonstrar que a brincadeira é uma atividade voluntária e consciente; é uma forma de atividade social infantil onde a característica imaginativa e diversa do significado da vida, favorece uma ocasião educativa única para a criança. Por muitos anos acreditou-se que brincar era um passatempo sem nenhum objetivo, porém vários estudiosos comprovaram a importância do brincar no desenvolvimento infantil. Neste sentido a brinquedoteca assume uma grande responsabilidade, pois é um espaço onde a criança passa a vivenciar situações do seu cotidiano e a criar e desenvolver sua própria personalidade, valores, ética e atitudes diante outras criança. Cada vez mais os educadores recomendam que os jogos e brincadeiras ocupem um lugar de destaque no programa escolar desde a Educação Infantil. Diante disso os objetivos deste estudo foi oferecer aos alunos um espaço onde tenham a oportunidades de aprender por meio da ludicidade, que seja um ambiente onde suas individualidades sejam respeitadas, desenvolvendo valores significativos para o crescimento sociocultural. O presente projeto trata-se de uma forma de educar prazerosamente, em uma escola com finalidade filantrópica, cuja missão é principal é promover ações de incentivo ao esporte, cultura, exercício pleno da cidadania do protagonismo social com a participação alunos da educação infantil e o 1º e 2º anos de ensino fundamental; oferecendo um ensino gratuito e de qualidade, a uma comunidade carente do bairro do Icui-Guajará, em Ananindeua-PA. Para sua concretização, a direção da instituição educacional, não só abraçou a causa, como cedeu o espaço onde está localizada a brinquedoteca, destinada à educação infantil. Depois do diagnóstico com as turmas de educação infantil, veio a aplicação dos instrumentos de pesquisa, cujos resultados deram base para a preparação de material didático (jogos, atividades, etc.); depois dessas etapas houve a organização da brinquedoteca, que foi entregue à escola para ser utilizada como área pedagógica da escola pelos professores da Educação infantil e fundamental. Os resultados da intervenção demonstrou que os brinquedos, quando bem administrados, não são apenas uma forma de divertimento, também são meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual. Isso ficou evidente no entusiasmo percebido no momento em que as crianças interagiram com o espaço da brinquedoteca, pois não só trabalha o aprendizado de conhecimentos universais, como o lado emocional, como a criatividade, o lúdico, a valorização do seu eu, suas potencialidades e suas habilidades.

PALAVRAS CHAVE: Brinquedoteca, Crianças, Jogos, Ludicidade, Brincadeiras.

INTRODUÇÃO

A experiência da vida demonstra que a brincadeira é uma atividade voluntária e consciente; é uma forma de atividade social infantil onde a característica imaginativa e diversa do significado da vida, favorece uma ocasião educativa única para a criança. Sendo assim, é através da brincadeira que a criança representa o discurso externo e o interioriza construindo o seu próprio pensamento, desenvolvendo assim suas potencialidades. Neste sentido a brinquedoteca assume uma grande responsabilidade, pois é um espaço onde a criança passa a vivenciar situações do seu cotidiano e a criar e desenvolver sua própria personalidade, valores, ética e atitude e diante outras criança.

A história demonstra que por muitos anos acreditou-se que brincar era um passatempo sem nenhum objetivo. Todavia, vários estudiosos e pesquisadores comprovaram a importância do brincar no desenvolvimento infantil. Demonstram que é através das brincadeiras que a criança passa por uma experiência imaginária e reproduz situações reais, ampliando sua capacidade de criar, pensar, falar e agir. Cada vez mais os educadores recomendam que os jogos e brincadeiras ocupem um lugar de destaque no programa escolar desde a Educação Infantil.

Mediante isso se pode dizer que essa pesquisa tem o intuito reforçar e conscientizar educadores e pais sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil. É preciso, pois, engajar os alunos em práticas sociais do interesse deles pode trazer inúmeras oportunidades de usar a língua em diferentes gêneros, refletir sobre esse uso, além de possibilitar a sistematização de conhecimentos sobre o sistema de escrita alfabético. A ideia é envolver os alunos na montagem de uma brinquedoteca (ludoteca) na escola, levando-os a pesquisar brincadeiras de hoje e do passado no Brasil e na região onde vivem.

A brinquedoteca deve ter disponíveis brinquedos diversificados e ensinar o manejo do jogo, explicando-lhes as regras caso seja necessário. A criança deve frequentá-la por vontade própria e pelo prazer de brincar e não pela obrigação de aprender. Por esta razão, pode-se reflexionar a importância da brincadeira, em que diversos argumentos poderiam alinhar, mas atem-se àqueles que elegeu-se como prioritários. Com isso, pode-se afirmar que é no âmbito de uma brinquedoteca infantil que a criança constrói o conhecimento, afirmando que através do jogo os processos mentais elementares vão se transformando em processos mentais superiores.

Uma releitura do contexto sociocultural da criança é ampliado e modificado e recriado através dos papeis que ela elege para representar através do estudo, mostrar que ao longo da história, a evolução da importância do brincar, passou de um simples ato de lazer para uma contribuição na área cognitiva; auxiliando no processo de ensino e aprendizagem, e na construção de referenciais do mundo, deixando de ser uma prática somente da realidade da educação infantil, podendo ser utilizada em todos os níveis de ensino.

Dessa forma torna-se evidente a importância de uma brinquedoteca nas escolas, contribuindo de maneira significativa para o fortalecimento de relação entre família, escola e comunidade, pela qual será “quebrada” a monotonia e a rotina de sala de aula, proporcionando um ambiente lúdico para as crianças. Possibilitando ainda o gosto pela aprendizagem, assim como, resgatando a sensibilidade e as brincadeiras infantis; contudo sem esquecer a necessidade da participação tanto da família, quanto da comunidade, que podem contribuir, auxiliando diretamente na educação dos filhos. Portanto, faz-se necessário que as escolas tenham uma estrutura como a brinquedoteca, que é um espaço lúdico, de socialização e lazer, pois a criança aprende brincando e brincando ela é feliz.

Observa-se, no entanto, que no agitado mundo contemporâneo, nem todas as crianças tem oportunidades reais e iguais de exercerem a infância.  Por isso, a importância da criação de uma brinquedoteca para resgatar e garantir o direito à brincadeira e a infância. Direito esse que está sendo de tantas maneiras desrespeitadas. Com isso, tem-se a brinquedoteca como um espaço que visa estimular crianças e jovens a brincarem livremente, pondo em prática sua própria criatividade e aprendendo a valorizar as atividades lúdicas. Estudos comprovam que uma criança, jovem ou mesmo adulto, tem mais facilidade de aprender através de brincadeiras lúdicas.

Pelas definições acima, vê-se que as brinquedotecas são essenciais às crianças, como forma de apreensão da realidade que as circunda; ou seja, as coisas do mundo real podem ser apresentadas de diversas formas, como no desenho próprio, na escultura, na colagem, na música, na dramatização, na mímica, na dança, na leitura, entre outras. O que deve ser encorajado pelos técnicos em recreação infantil com relação aos menores e a capacidade de criação dos mesmos, ao se comunicarem e se expressarem livremente.

O Projeto de Intervenção Social “Brinquedoteca Mundo Encantado: Espaço para Brincar e Aprender” surgiu da constatação de que a Associação Escola Amintas Pinheiro, apesar de ser ampla não apresenta um espaço lúdico pedagógico, com qual se possa trabalhar a criatividade, a interação e o senso de responsabilidade da criança.  Deste modo, a escolha da temática surge a partir do desejo de se contribuir com a educação infantil e com a qualidade do ensino na presente escola, tendo em vista que, o direcionamento requer uma estrutura de trabalho pedagógico eficiente e porque não eficaz.

Com isso, a problematização surgiu diante da preocupação com a realidade regional, no concernente ao desamparo e à exclusão, em que o poder instituído relega imensa parcela de crianças. Então diante da angústia com a omissão do poder público dessa realidade, e com a convicção de há capacidade de transformar e criar novas alternativas, é que se propôs construir o presente trabalho, demonstrando que a brinquedoteca é um espaço de aprendizagem, que não é valorizado pela maioria da rede de ensino quer pública ou partícula.

Vivenciou-se alguns ambientes e constou-se a necessidade de um trabalho pedagógico, capaz de reverter o quadro observado durante o diagnóstico, em que se percebeu que na sua grande maioria, nas escolas não existe a inclusão de espaços necessários para atender as crianças no brincar, ocorrendo muitas vezes à inibição dessa ação tão importante para o desenvolvimento infantil. Em outros momentos, deparou-se com a falta de preparo dos profissionais que atuam com a educação infantil, quando deixam as crianças brincarem condicionadas a determinados hábitos, sem conotações pedagógicas, demonstrando que tudo a fazer é apenas deixar as crianças distraídas com algum tipo de atividade, sem um valor pré-determinado para ação do imaginário dos alunos. 

Observou-se, assim, que a escola não possuía um espaço reservado para brincar, muito menos uma brinquedoteca, justificado pela falta de recursos próprios, não só por ser uma escola de cunho social, mas por apresentarem barreiras físicas ou até mesmo, a inexistência de um educador preparado para atuar e utilizar nesse espaço. Diante desse questionamento surge a seguinte problemática: Qual a importância da brinquedoteca, como um espaço destinado especialmente, a atividade do brincar, como um local de descobertas, estimulação e criatividade, que busca o resgate do lúdico e da ludicidade infantil? [...]