DX em VHF (FM e TV): Desafios modernos para um hobby de várias décadas

George S. Martins1

A história do DX é tão antiga quanto a invenção do rádio e da TV. Captar sinais além das fronteiras dos transmissorespor centenas e/ou milhares de km de distância.Inicialmente, surgido das captações em AM e depois em SW e com apenas simples receptores e antenas interna e telescópica forneciam ótimas escutas, principalmente noturnas madrugada adentro. Os sinais de rádio nessas faixas são refletidos nas altas camadas da atmosfera, mais precisamente na ionosfera2, a centenas de km de altitude. O termo DX, portanto, vem da escuta de sinais distantes, principalmente oriundo da telegrafia, usada por radioamadores, na distante década de 20 do século passado.Os contatos distantes passaram inicialmentea ser confirmados através de cartões apropriados chamados de cartões QSL.Emissoras de rádio comerciais também confirmavam (e ainda confirmam) escutas feitas através de cartões apropriados confeccionados pelas mesmas.A partir de 1940, a faixa dedicada à TV e FM era reservada a frequências mais baixas (42-50mhz), o que permitia um comportamento de reflexão bastante semelhante ao AM e SW citados anteriormente, fazendo com que transmissões de programações de um país atingissem fronteiras ultramarinas, até chegando a atrapalhar as recepções locais de outros países, levando à modificação das alocações como forma de evitar essas interferências. Com a realocação de frequências a partir de 1945, 88-108MHz no caso de FM, a abrangência dos sinais ficaria restrita a um raio que não ultrapassasse muito seus limites regionais.Entretanto, mesmo assim, descobriu-se que alguns fenômenos naturais relacionados ao comportamento da ionosfera e de ordem meteorológica ainda agiam no sentido de prolongar de modo substancial as distâncias percorridas pelos sinais de TV e FM, como as fortes ionizações das camadas E e F da ionosfera e a formação de ductos troposféricos3, com camadas de ar com características de temperatura e umidade específica, levando seus sinais a milhares de km dos transmissores, essa descoberta deu um novo impulso ao hobby do DX nessas faixas.O uso de sistemas de antenas de maior ganho e aparelhos receptores e amplificadores ganhou reforço e o hobby ganhou uma maior atividade além de um custo adicional.O aparecimento de Dxistas em FM e TV cresceu principalmente nos anos 60 e 70. Nos anos 80, continuao interesse com colunas dedicadas ao DX em revistas especializadas, como a revista britânica “PracticalTelevision“,edições de livros e bibliografias. Alguns exemplos podem ser citados: “Long Distance Television Reception (TV-DX) for the  Enthusiast” de 1981 e TV DXer's Handbook de 1986. No Brasil, nos anos 80, Algumas edições de revistas especializadas no tema sobre DX em VHF ganharam destaque principalmente em artigos de radioamadores como a Revista Eletrônica Popular (EP) com colunas dedicadas ao estudo da propagação , Saber eletrônica a partir do ano de1976, Por aqui, ainda era “chick” ouvir FM a centenas de km, aproveitando inclusive, as próprias antenas de TV, que devido à proximidade com a faixa de FM serviam perfeitamente como instrumento essencial. Com programações variadas e músicas recém lançadas nas paradas pops nacionais e internacionais, além da ótima qualidade de som estéreo desse tipo de modulação.

Eis que entramos na era dos anos 2000 e com ela, mudanças radicais chegaram e atualmente, a atividade Dxista passa por uma situação no mínimo inspiradora de análise, tendo em vista a continuação e manutenção do duradouro hobby.

A implantação da tecnologia digital em TV e finalização das transmissões analógicas nos canais baixos de VHF que já é uma realidade, a faixa de FM experimentando um adensamento de emissoras, principalmente provindas do AM que está em migração atualmente em diversas partes do mundo, inclusive o Brasil. Na era da Internet, algumas mudanças ocorreram como o sistema de“transmissão”como áudios de emissoras “on line” (streaming)através da rede mundial de computadores, onde as emissoras percorrem o mundo todo. Paralelamente a isso, um certoesvaziamento das ondas curtas há alguns anos já vem ocorrendo, com extinção de tradicionais emissoras internacionaise do AM em função da dita migração para FM.Internet via rádio(wireless) se espalharam em uma alta velocidade nas residências passando a serum ítem quase imprescindível hoje em dia. As tecnologias digitais em TV, com funcionalidades como scan automático com pouca detecção de sinais fracos ou oscilantes. Tudo isso faz com que o DX em VHF hoje tenha se tornado um hobby cada vez mais difícil, é bem verdade que a internet também passou a integrar mais dxistas mundialmente, mas com desafios que colocaram em cheque e contra a parede a atividade. Algumas questões são relacionadas como: Iremos nós Dxistas sobreviver a essa “modernidade”, tendo que procurar meios de adaptação, procurando novas formas e possibilidades de DX em outras faixas como UHF, por exemplo? A faixa estendida do FM descendo até 76 MHz com a saída da TV analógica, poderá ser um novo “nicho” de DX no futuro, uma vez que a possibilidade de reflexão nas camadas ionosféricas é maior e essa “sub-faixa” ficará menos congestionada em tese? As emissoras tradicionais captadas à distância deixarão de ser ouvidas em função do número maior de emissoras locais na faixa tradicional? E se o rádio digital também aparecer, como será? E uma das perguntas principais no caso de FM: Quem irá ter interesse de escutar emissoras via rádio quando praticamente todas poderão ser ouvidas via internet (streaming) ou via satélite em casa?

Essas e outras questões carecem de discussão, análise e talvez da criatividade de nós dxistas para que o hobby do DX em FM e TV ainda possa continuar entre os descendentes desse encantador e apaixonante passatempo.

 

 

E-mail: georgesampaio@yahoo.com.br

Sobral, Ce – Fevereiro de 2019

 

ALGUMAS REFERÊNCIAS

The Hobbyists Obsessed With Picking Up TV Signals From Thousands of Miles Away.https://motherboard.vice.com/en_us/article/kb77zz/the-hobbyists-obsessed-with-picking-up-tv-signals-from-thousands-of-miles-away. Acesso. Fev.2019

TV and FM DX. https://en.wikipedia.org/wiki/TV_and_FM_DX. Acesso fev.2019

Primeira-saber-eletronica-hist049.PrimeiraSabereletrônica.http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/historia/11914-

Antena.Ediçõestécnicas.http://www.anep.com.br/index.php?Escolha=27&Noticia=N00004.Acesso fev.2019.