Resumo:

           O presente estudo explora discursos sobre a venda e consumo das bebidas alcoólicas pelos indivíduos entre os 12 á 25 anos de idades ao redor das Escolas Primarias e Secundárias em relação aos comportamentos de riscos. Esse artigo permite perceber a interação estabelecidas entre os vendedores e os consumidores para relacionar os hábitos, as crenças e algumas atitudes frequentes quanto aos comportamentos de risco.

Da literatura analisada percebemos que, o assunto é abordado em duas perspectivas. Em que na primeira foca-se a questão biomédica, retratando o consumo numa perspectiva patológica e ao mesmo tempo mobilizando os profissionais de saúde para diminuir índices de problemas decorrentes do uso de álcool, Joaquim (2017). A segunda, foca para a funcionalidade social, onde explica que, apesar das diferenças entre as diversas concepções analíticas sempre emerge uma abordagem comum que tende a conceber a “socialização como um mecanismo explicativo de inúmeras condutas individuais” (Dubar:1997:62). Assim, concordamos com Joaquim (2017), ao afirmar que, os indivíduos não consomem a materialidade dos produtos como entendem os economistas, mas sim adquirir por meio deles as propriedades que lhes são atribuídas socialmente.

Para a construção desta pesquisa usamos a técnica da observação que nos permitiu identificar a compra das bebidas alcoólicas por parte de alguns indivíduos na escola primária e completa de Sinacura e Escola Secundaria 25 de Setembro. A recolha de dados foi feita com base na observação directa, entrevista semi-estruturada com os vendedores das bebidas alcoólicas e os compradores, as entrevistas serão de ordem formal no caso das necessidades de anotar pontos-chave, e informal quando o participante aceitar ser gravado. Na segunda fase realizaremos a revisão de literatura e na última fase organizaremos e analisaremos os dados para compreender o significado desta actividade e o modo de vida dos consumidores. Este método compreendem as fases de ver, ouvir e escrever, as relações sociais que as pessoas estabelecem no seu quotidiano, permitindo perceber o significado que as mesmas práticas são atribuídas dentro da sociedade a ser estudada, durante o processo da recolha de dados, Oliveira (2006).

Palavras-chave: Consumo do Álcool, Sexualidade, DTS e Legislação.

Introdução:            

 O artigo aborda sobre a venda e consumo das bebidas alcoólicas pelos indivíduos entre os 12 á 25 anos de idades ao redor das Escolas. Com este artigo podemos desenvolver estudos de caracter sensibilista em relação aos comportamentos de riscos.

Por ex.: a administração pública é em grande parte o sinónimo de um crescimento poder do governo central, mas as repartições governamentais locais e as comunidades podem assumir a responsabilidade pela planificação e implementação para o desenvolvimento, desde que o governo esteja comprometido com a divulgação da autoridade e um reforço dos órgãos locais. E assim, criar associações dos ou nos órgãos locais e centrais baseada na própria divisão de funções locais. Mas, haver responsabilidade local na planificação e administração não significa que as autoridades centrais não tenham envolvimentos significativos.

        Assim, as actividades educacionais devem ser orientadas para grupos etários e bem específicos. Por exemplo: para as raparigas devem ser aplicadas maior participação e continuidade na educação primária e incluir informações sobre a saúde mesmo a nível da educação primária uma vez que, nos adultos e adolescentes são ensinadas as maneiras como se comportar na vida familiar. Confiar as comunidades a responsabilidade pelo desenvolvimento é também uma forma de mobilizar novos recursos para complementar o esforço do governo. Visto que, para reforçar a organização e a responsabilidade local requer que os recursos da comunidade sejam devotados aos objectivos da comunidade e não usados como um meio de preencher as falhas nos orçamentos dos programas do governo pois melhorar o nível de vida das comunidades e reforçar as organizações locais requer que as pessoas tenham acesso aos necessários conhecimentos e informações bem como a oportunidade para a adquirir os conhecimentos necessários para a realizarem eficientemente as suas funções, (UNICEF 1988:72).