A PRECE

 

A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar nele, é aproximar-se dele; é pôr-se em comunicação com ele. A três coisas podemos propor-nos por meio da prece: louvar, pedir, agradecer. (LE, cap. 3, questão 659)

Hoje eu gostaria de publicar uma prece recebida por meio do processo de psicografia:

 

“Nós vos dirigimos esta prece, Senhor, por nós mesmos e por todas as criaturas sofredoras, encarnadas e desencarnadas, por nossos familiares, por nossos amigos, por aqueles que por alguma razão se consideram os nossos inimigos e por todos os que suplicam a vossa assistência, a vossa misericórdia e a vossa benção.

 

Cremos em vós, Senhor, pois em tudo nos revela o vosso poder e a vossa bondade. Nos destes a faculdade de escolher entre o bem e o mal para que tenhamos o mérito e a responsabilidade dos nossos atos.

 

Sabemos Senhor, que todas as misérias deste mundo decorrem da violação das vossas leis, pois não há uma única infração que não nos traga suas conseqüências. Permita Senhor, que tenhamos a força de resistirmos às sugestões dos maus espíritos que tentam desviar-nos da senda do bem, inspirando-nos maus pensamentos.

 

Afasta Pai, do nosso espírito a idéia de negar a vossa justiça, ao vermos a prosperidade temporária do mal e a infelicidade que abate, às vezes, o homem de bem.

 

Permita-nos praticar a caridade e entender que ela também consiste no esquecimento e no perdão de todas as ofensas contra nós praticadas. Permita-nos Senhor, que tenhamos a força de sufocarmos em nosso íntimo todo ressentimento, todo ódio e todo rancor. Que sejamos merecedores da vossa indulgência Pai.

 

Permita-nos Senhor, exercitar a nossa inteligência pelo trabalho intelectual ou material em busca do alimento necessário à manutenção de nossas forças físicas. Daí-nos também Pai, o alimento espiritual que permita o desenvolvimento do nosso espírito.

 

Bendito seja o vosso nome Senhor, por nos haverdes ensinado que a nossa sorte não está irrevogavelmente fixada após a morte; que encontraremos, em outras existências, os meios de resgatarmos e repararmos as nossas faltas e de realizarmos numa nova vida aquilo que nesta não pudemos fazer para o nosso adiantamento.

 

Permita-nos Senhor, que todas as coisas em que não nos é dado compreender, sejam feitas segundo a vossa santa vontade, porque vós só quereis o nosso bem e sabeis melhor do que nós o que nos convém.

 

Que possamos um dia compreender e praticar em sua plenitude, as Leis Morais, Divina, de Adoração, do Trabalho, de Reprodução, de Conservação, de Destruição, de Sociedade, do Progresso, de Igualdade, de Liberdade e de Justiça, Amor e Caridade.

 

Graças a Deus.”