POR QUE MOISÉS NÃO ENTROU EM CANAÃ?
 
POR QUE MOISÉS NÃO ENTROU EM CANAÃ?
 


 

POR QUE MOISÉS NÃO ENTROU EM CANAÃ?

 

Pr. Alexandre Augusto

Itajubá/MG

Redigida Em: 19/12/09

Quadrangular

www.pralexandreaugusto.wordpress.com.br

 alt

ESTA MENSAGEM MUDARÁ A SUA VIDA. ACREDITE.

Texto:

APOCALIPSE - 03

01.          Os filhos de Israel, a congregação toda, chegaram ao deserto de Zim no primeiro mês, e o povo ficou em Cades. Ali morreu Miriã, e ali foi sepultada.

02.          Ora, não havia água para a congregação; pelo que se ajuntaram contra Moisés e Arão.

03.          E o povo contendeu com Moisés, dizendo: Oxalá tivéssemos perecido quando pereceram nossos irmãos perante o Senhor!

04.          Por que trouxestes a congregação do Senhor a este deserto, para que morramos aqui, nós e os nossos animais?

05.          E por que nos fizestes subir do Egito, para nos trazer a este mau lugar? lugar onde não há semente, nem figos, nem vides, nem romãs, nem mesmo água para beber.

06.          Então Moisés e Arão se foram da presença da assembléia até a porta da tenda da revelação, e se lançaram com o rosto em terra; e a glória do Senhor lhes apareceu.

07.          E o Senhor disse a Moisés:

08.          Toma a vara, e ajunta a congregação, tu e Arão, teu irmão, e falai à rocha perante os seus olhos, que ela dê as suas águas. Assim lhes tirarás água da rocha, e darás a beber à congregação e aos seus animais.

09.          Moisés, pois, tomou a vara de diante do senhor, como este lhe ordenou.

10.          Moisés e Arão reuniram a assembléia diante da rocha, e Moisés disse-lhes: Ouvi agora, rebeldes! Porventura tiraremos água desta rocha para vós?

11.          Então Moisés levantou a mão, e feriu a rocha duas vezes com a sua vara, e saiu água copiosamente, e a congregação bebeu, e os seus animais.

12.          Pelo que o Senhor disse a Moisés e a Arão: Porquanto não me crestes a mim, para me santificardes diante dos filhos de Israel, por isso não introduzireis esta congregação na terra que lhes dei.

 

Ø      INTRODUÇÃO

                   Neste momento quero compartilhar de uma mensagem que vai encher seu coração de algo que só pode vir do alto trono de Deus. E para mostrar que realmente Deus pode fechar e abrir portas que mais ninguém pode abrir ou fechar! Separei a vida de um dos maiores homens da história bíblica, seu nome é Moisés, ou Moshê Rabênu (Moisés o fiel pastor). E à luz da bíblia, juntos iremos chegar a uma mensagem que deverá ser levada aos quatro cantos da terra por todos que compartilharem deste conteúdo.

               

Ø      QUEM FOI MOISÉS (MOSHÊ RABÊNU)

Na história do Êxodo (em grego-saída) do Egito, encontramos a figura de Moshê Rabênu (Moisés) um homem sem igual em toda a História. Deus tentou convencer Moshê durante uma semana para que aceitasse ser o emissário Divino para libertar o povo da escravidão. No final, Moshê se convenceu, e tornou-se o personagem de maior importância no Êxodo. Após a abertura do Mar Vermelho, e a milagrosa salvação do povo, consta no versículo (Êxodo-14:31): "Acreditaram em Deus e em Moshê, Seu servo." Vemos que este versículo compara a fé em Deus à de Moisés.

Por que será que Deus necessitou de Moisés para libertar seu povo? Ele não podia fazê-lo sozinho? Portanto, devemos afirmar que a presença de Moisés no Êxodo não veio "auxiliar" a Deus, porém havia uma conotação mais profunda. A escravidão do Egito era oriunda de um estado espiritual de limitações, (leia minha mensagem OS DOIS NÍVEIS DE LIBERDADE, em meu blog). Isto significa que o fato de estarem fisicamente no Egito como escravos se devia ao estado espiritual inferior em que se encontravam. Não eram apenas escravos do Faraó, mas principalmente, escravos do próprio mau instinto. Os judeus se encontravam então no mais baixo nível de impureza.

Para ocorrer o Êxodo físico, era antes necessária a libertação espiritual e a busca de conceitos mais Divinos. Porém, o povo se encontrava muito afastado de Deus, e para aproximá-lo era necessário um intermediário. Aqui surgiu a importância de Moshê Rabênu. Por um lado era ele um ser humano; por outro lado, era totalmente anulado perante Deus. Deus poderia Sozinho libertar o povo judeu da escravidão física, porém era necessário à figura de Moisés para libertá-los espiritualmente e aproximá-los de seu Deus. Por isto, Moshê Rabênu é chamado pelo Zôhar, o Livro do Explendor, de Ra'yá Mehemná ("pastor fiel"), porém este conceito pode ser interpretado como "o pastor da fé", ou seja, ele pastoreia, alimenta o povo judeu com fé. Por isto, a fé em Moisés foi comparada (Ex-14:31) à fé em Deus, pois é Moisés que aproxima o povo de Deus.

Moisés não apenas foi o maior profeta da História da humanidade. Foi, também, modelo supremo do líder judeu, pastor fiel e zeloso. E um pastor fiel e zeloso é aquele que jamais deixa de lado seu rebanho, sem perder de vista nenhum de seus membros, pelos quais assume contínua e total responsabilidade.

 

Ø      A HISTÓRIA

Um dos relatos mais controvertidos da Bíblia é o episódio das "águas da discórdia", após o qual Deus decretou que Moshé Rabenu não teria permissão de entrar na terra de Israel. Sábios, comentaristas bíblicos e até mesmo o próprio Moisés, empenharam-se em dar um significado a esse incidente, relatado no quarto livro da bíblia, em hebraico, Sefer Shemot  livro do Êxodo.

O texto narra que os Filhos de Israel, após terem vagado pelo deserto durante quarenta anos, chegam a Kadesh, ou Cades, na fronteira da Terra Prometida. Não há água por perto e o povo está sedento. Como faziam sempre que algo lhes afligia ou preocupava, lamentaram-se, murmuraram contra Moisés: ..."Se, ao menos, tivéssemos perecido quando morreram nossos irmãos"... "Por que trouxeste a Congregação do Eterno a este deserto para que, aqui, nós e nossos animais, perecêssemos? E por que nos fizeste sair do Egito, para nos trazer a este lugar do mal?..." (Números-20: 3-5).

Embasado neste contexto, eu fiquei a indagar a Deus o porquê de Moisés não ter entrado na terra prometida, se foi ele tão merecedor de tal mérito? Por que Moisés teria pagado o preço de não conhecer seu sonho? Se foi o povo que murmurou contra Deus? E por isso separei algumas supostas possibilidades para que ele, Moisés, não entrasse em Canaã junto com seu povo.

 

Ø      POR QUE MOISÉS NÃO ENTROU NA TERRA DE ISRAEL?

PRIMEIRO - MOISÉS DEVERIA FALAR COM A ROCHA E NÃO BATE-LA

Moisés e seu irmão Aarão rezaram a Deus para que surgisse água para o povo. O Senhor respondeu, ordenando a Moisés: &"Toma teu cajado e reúne a congregação, tu e teu irmão Aarão, e, na presença deles, dirige-te à rocha, e da rocha jorrará água" (Nm-20:8). O povo judeu reuniu-se diante da pedra e Moisés clamou: "Agora, escutai, ó rebeldes! Será que tiraremos água desta rocha para saciar vossa sede?" E Moisés levantou sua mão e, com o cajado, bateu duas vezes na pedra. Dela jorra água em abundância e o povo e os animais se saciam. A seguir, Deus diz a Moisés: "Como não acreditaste em Mim, para me santificar aos olhos dos Filhos de Israel, não te caberá levá-los à Terra que Eu lhes dei".

O que teria Moisés feito de errado nesse incidente, que ficou conhecido pelos judeus como as Águas da discórdia? Deus instruiu Moisés a falar à pedra e não a golpeá-la. Se tivesse ele extraído água da rocha apenas por se ter dirigido à mesma e falado à ela, ter-se-ia realizado um milagre de proporções muito maiores, e, este sim, haveria santificado a Deus, aos olhos dos Filhos de Israel. Então Moisés, não deveria ter batido na rocha, pois ela era uma tipificação de Jesus, o filho de Deus, que em nosso meio disse que Ele era a Rocha em que se deve habitar, e também sendo a rocha forte de seu povo, também disse que Ele, era a fonte de água viva. Moisés não deveria ter batido na rocha, e sim falado à ela.

 

SEGUNDO - PERDER A PACIÊNCIA COM O POVO

Uma outra explicação diferente é que o pecado de Moisés teria sido o de perder a paciência com o povo judeu, quando seus membros reclamaram acerca da falta d'água. Pessoa alguma, sobretudo um líder de sua estatura, considerado o homem mais espiritual que já existiu, deveria dar sinais de impaciência, ao falar. Suas palavras foram: teria sido o desabafo "Escutai, o rebeldes!", bradado por Moisés, o que lhe teria custado a entrada na Terra Santa. Moisés fez um julgamento que o próprio Deus teria feito sobre o povo, mas um povo que pertencia a Deus, pois foi Ele , e não Moisés que tirou o povo de Egito, e ao perder a paciência, julgando o povo em um julgamento espiritual e mão o de juiz de causas humanas, Moisés teria pecado em se fazer como Deus no critério de Juiz.

 

TERCEIRO - TER DESVIADO A FÉ DO POVO PARA SI

Se foi tão errado Moisés ter golpeado a rocha, para que lhe teria próprio Deus lhe ordenado levar consigo o cajado, quando da extração de água para o povo judeu? De fato, a Bíblia ressalta que Moisés tomou o cajado diante de Deus, como Este lhe ordenara (Nm-20:9). Outro sim, em ocasião anterior, Deus instruíra Moisés a extrair água da rocha, golpeando-a (leia Êxodo-17:6). Então não teria sido razoável Moisés supor que Deus lhe dissesse para levar consigo o cajado para servir de idêntico propósito, como outrora?

Mas outro erro de Moisés foi o de dizer ao povo judeu: "Extrairemos, nós, portanto, água desta rocha para saciá-los?". Suas palavras poderiam induzir-nos a acreditar que fora Moisés e não Deus quem realizaria o milagre de tirar água de uma simples pedra. Qualquer um, especialmente um líder espiritual que leva as glórias por um feito sobrenatural está usurpando o lugar de Deus. Quando um líder desenvolver seu próprio ego, ele terá fracassado em sua missão. Percebemos nas palavras de Deus a Moisés: "Por não teres acreditado em Mim"&, que seria uma indicação de que Moisés falhara não em uma questão de atitude a de golpear a rocha ou se dirigir a seu povo com impaciência, mas em uma questão de fé. Mas, obviamente, esta explicação passível de ser contestada, pois, como atesta a própria bíblia, homem algum jamais se aproximou do grau de humildade pessoal e de entendimento sobre Deus, alcançado por Moisés. Mas Moisés errou em se dirigir ao povo com a frase aquela frase.

 

QUARTO - UMA EXPLICAÇÃO SOBRENATURAL

Quarenta anos antes do incidente das Águas da discórdia, ocorreu um evento que marcou, para sempre, a história do povo de Deus. Doze homens - os líderes de cada uma das Tribos de Israel - são enviados em uma missão de espionagem à Terra Santa. Ao voltarem, dez dos doze "espias", relatam ao povo judeu que a Terra, de fato, era grandiosa, mas que não teriam condições de conquistá-la, já que não tinham chance alguma frente aos gigantes que lá habitavam. E, muito embora Deus lhes houvesse prometido que conquistariam a terra, ao ouvir o relato dos espiões, os judeus caem em prantos, desesperados.

Desapontado com a falta de fé de Seu Povo, Deus decreta que a geração que saíra do Egito, em sua totalidade, a dizer, os homens com mais de 20 anos morreriam no deserto. As únicas exceções seriam os dois espiões que não haviam sustentado o relato dos demais dez, e estes eram Yehoshua, filho de Nun, Josué e Caleb, filho de Yefuneh, Calebe.

Mas, por que razão teria Deus assim agido, especialmente em se tratando de seu servo mais fiel? Se Moshé era inocente do pecado de sua geração, por que teria sido forçado a partilhar de sua sorte, a de perecer no deserto?

Há uma outra explicação, esta um tanto mística, para o fato de Moshé não ter entrado na Terra de Israel. Dizem os sábios Judeus que tudo o que o profeta Moisés conseguiu, conquistou e construiu, era eterno. As inúmeras leis que nos transmitiu são eternas e jamais serão abandonadas pelo povo de Deus. O Mishkan, Tabernáculo Santo que ele ergueu em pleno deserto, nunca foi destruído, como o foram o Primeiro e o Segundo Templos. A tradição ensina que o Tabernáculo foi misteriosamente escondido, onde até hoje permanece intacto. E preservadas, também o foram, as duas primeiras tábuas de safira, contendo os Dez Mandamentos, que Moisés se viu forçado a quebrar, e que foram abrigadas no Aron Hacodesh, a Arca Sagrada, que ainda segundo a tradição judaica, está oculta em algum ponto, sob o Monte do Templo, em Jerusalém.

Alguns acreditam ser esta a razão para o veto à entrada de Moisés na Terra de Israel. Se ele tivesse sido o construtor do Templo Sagrado, este jamais teria sido destruído. Tivesse ele liderado nosso povo Judeu já na terra Santa, de lá jamais teríamos sido exilados. E, sendo assim, não tivesse ele morrido no deserto, o povo judeu jamais se teria dispersado pelos quatro cantos da Terra.

Assim podemos perceber que ainda paira algumas indagações que permeiam nossas mentes mortais, mas que com toda certeza nos levam a busca de uma mensagem profética e sobrenatural para os dias de hoje. Talvez não saibamos ao certo o porque de Moisés não ter entrado na terra prometida na liderança do povo de Israel, mas com certeza Deus o sabe e um dia nos irá revelar, se não neste mundo, será no mundo vindouro.

 

A MENSAGEM

                Depois dessas conclusões gostaria de expor o que Deus me falou ao coração.

                Não há dúvidas da intimidade intima entre Deus e Moisés, não há dúvidas que ambos se amavam de forma mística e sobrenatural, não há dúvidas de que Deus cultivava por seu servo Moisés um imenso desejo de lhe prover tudo o que seu coração desejava. Como Josué e Calebe, Moisés também tinha como seu grande sonho, o de conhecer a Terra que emanava leite e mel, e sendo ele um amigo de Deus, o qual o próprio Deus falava boca a boca, penso que O Eterno Deus tinha coisa melhor para seu fiel servo, algo que mente alguma poderia imaginar.

                O maior pedido de Moisés a Deus foi o de ver sua face. O que lhe foi negado, podendo somente ver Deus pelas costas, mas isso nunca saiu do coração de Deus. O outro era o de ver a Canaã prometida. Ele não viu a face de Deus e nem a Canaã prometida, isso é o que muitos pensam, mas estamos enganados.

                A Bíblia diz que um dia para Deus pode ser como mil anos, e mil anos podem ser como um dia (Sl-90:04, II Pe-03:08). Então partindo deste princípio vejamos.

                Dois mil anos depois, ou dois dias, um homem chamado, Jesus estava com seus discípulos e ele chama Pedro, Tiago e João, para subirem em um lugar chamado O Monte Tabor, e lá algo sobrenatural acontece que deixa os três discípulos estarrecidos. O rosto de Jesus se torna como o sol, e suas vestes se fazem brancas, e eis que lhe aparecem dois merecedores de ver a face de Deus, e quem eram eles, Moisés e Elias.

                Isso me mostra que Deus realmente realizou o sonho número um de Moisés, pois agora ele pode olhar o rosto de Deus através do filtro, que é Jesus, então Moisés vê a face de Deus, e creio eu que em uma conversa não revelada, Deus, através da boca de seu filho, diz para Moisés: Moisés! Esta é a terra prometida, que emana leite e mel, e este que está em sua frente é o verdadeiro leite e o verdadeiro mel.

                Deus realizou o segundo sonho de Moisés.

 

Ø      CONCLUSÃO

Nunca devemos desistir de nossos sonhos, mas sem nos esquecermos que sonhos que não estão na presença de Deus, e homens que não servem fielmente a Deus, acabam por isentar Deus de qualquer compromisso de realizar os seus sonhos.

Para aqueles que servem fielmente a Deus, quero lhes dizer que Deus não dever nada a ninguém, muito menos àqueles a quem ama. Por isso continue fiel na presença de Deus, que seus sonhos e projetos irão se realizar no tempo de Deus.

Muitas vezes Deus nos tira algo, ou nos impede de fazermos algo, assim como foi com seu servo Moisés. Parece que Deus foi injusto com Moshê, mas não. Ele apenas estava fechando uma porta, para abrir uma porteira. Por isso quero que guarde este versículo.

 

Apocalipse - 3:8)

Eu sei as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome.

 

 

Pr. Alexandre Augusto

Contatos:

0(xx)35.9199.71.01

Ou 0(xx)35.3621.16.17

[email protected]

 

 

 
Avalie este artigo:
 
Revisado por Editor do Webartigos.com


Leia outros artigos de Pr. Alexandre Augusto Pereira
Talvez você goste destes artigos também