INSTITUTO LUTERANO DE ENSINO SUPERIOR DE ITUMBIARA

CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA

 

 

 

GABRIEL TENÓRIO LEMOS

ADRIENE GONÇALVES SOUZA

ALEFY JUNIOR SANTOS SILVA

DANIELY FRANCO ARAUJO BORGES

JÚLIO CESAR MORAIS DA SILVA

YASMIN SILVA BELARMINO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA ADOLESCENTES OBESOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Itumbiara

2020

 

 

GABRIEL TENÓRIO LEMOS

ADRIENE GONÇALVES SOUZA

ALEFY JUNIOR SANTOS SILVA

DANIELY FRANCO ARAUJO BORGES

JÚLIO CESAR MORAIS DA SILVA

YASMIN SILVA BELARMINO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA ADOLESCENTES OBESOS

 

 

Projeto de pesquisa interdisciplinar do Curso de bacharelado em Educação Física do Instituto Luterano de Ensino Superior de Itumbiara, com a finalidade de nota parcial em todas as disciplinas do semestre.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Itumbiara

2020

  1. INTRODUÇÃO

 

O tema abordado neste projeto de pesquisa se refere ao papel do Treinamento Funcional para o controle da obesidade em adolescentes. Empiricamente percebeu-se um aumento significativo de peso da população jovem, adolescentes entre 10 e 20 anos que esta ligada principalmente a falta de pratica de atividades físicas. A vida sedentária facilitada pelos avanços tecnológicos (TV, Vídeo games) faz com que os adolescentes fiquem mais presos em casa e não precisem se esforçar fisicamente. (MESQUITA, 2016)

Hábitos alimentares incorretos como o consumo de alimentos gordurosos: sanduíches, batatas fritas contribuem excessivamente para a obesidade. Há má alimentação não é o único responsável pela obesidade na adolescência, existem também problemas psicológicos como a ansiedade que não afeta somente os adultos, mas também adolescentes, a depressão que altera o apetite e faz com que o individuo coma mais e não pratique atividades físicas, fatores hormonais, fatores genéticos onde, se os pais são obesos, as chances dos filhos também serem são grandes. (JUNIOR et al. 2010) 

Treinamento funcional é mais atrativo e dinâmico que os treinos convencionais. E conhecido por trabalhar diferentes capacidades físicas combinadas com vários exercícios, trabalhando todo o corpo. Esse tipo de treinamento trabalha força muscular, flexibilidade, coordenação, equilíbrio e capacidade respiratória. (TEOTONIO, et al. 2010)

Os exercícios são realizados com o peso corporal onde à medida que o aluno evolui aumenta-se o grau de dificuldade inserindo equipamentos como: Bosu, minitrampolim, medicine Ball, kettebell, bola suíça, plataforma de equilíbrio etc. Esse tipo de treinamento faz com que o organismo tenha um gasto energético maior, contribuindo para a melhora da flexibilidade, emagrecimento, coordenação motora, equilíbrio, alem de ajudar também na auto-estima do indivíduo que a pratica. (TEOTONIO, et al. 2010)

Com base no seu contexto, apresenta-se como problemaComo controlar a obesidade na adolescência por meio do Treinamento Funcional?

Este projeto tem como objetivo geral apresentar os benéficos do treinamento funcional na vida do adolescente obeso; em especifico identificar os equipamentos usados no treinamento funcional para o adolescente obeso; verificar quais são as principais causas e conseqüências da obesidade na adolescência; e averiguar os problemas sociais causados pela obesidade na adolescência; e se justifica pela busca em conhecer e apresentar o treinamento funcional como forma de prevenção da obesidade na adolescência e como esse treinamento ira auxiliar nesse trabalho; em um âmbito social poderá contribuir com a população que sofre ou não com essa doença, apresentando os benefícios do treinamento funcional, em um âmbito cientifico ira auxiliar em novas pesquisas feitas por acadêmicos e também para profissionais da área de educação física que buscam conhecimento nessa área.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. REFERÊNCIAL TEORICO

 

 

2.1 O que são adolescentes

 

Para a Organização Mundial da saúde (OMS) a adolescência constituiu em um processo fundamentalmente biológico, durante o qual se aceleraria o desenvolvimento cognitivo e a estruturação da personalidade. Abrange as idades de 10 a 19 anos divididas nas etapas de pré adolescência 10 a 14 anos e de adolescência entre 15 a 19 anos. (SILVA; LOPES, 2009)

Este período de transição dura em media 10 anos. Tem inicio em media aos 12 anos e vai ate os 20 anos. Segundo Papalia e Olds (2000), apud DOMINGUES e DOMINGUES (2009), a puberdade é o processo que leva a maturidade sexual ou fertilidade. A partir de certa idade a criança começa a sofrer mudanças físicas, começam a crescer rapidamente, as formas do corpo começam a mudar.

Em uma visão biológica, a puberdade tem inicio quando genes aliciam a glândula pituitária que fica na base do cérebro que envia mensagens para as gônadas aumentarem a produção de hormônios sexuais. Como conseqüência, nos meninos os testículos aumentam a produção de andrógenos principalmente a testosterona, estimulando o crescimento dos genitais e pelos corporais masculinos. Nas meninas os ovários aumentam a produção do hormônio feminino estrogênio, que estimula o crescimento dos genitais femininos e o desenvolvimento dos seios. (DOMINGUES; DOMINGUES, 2009)

 

2.2 Treinamento funcional

 

O treinamento funcional tem como objetivo melhorar a capacidade funcional, melhorando a consciência sinestésica e do controle corporal, o equilíbrio muscular estático e dinâmico, diminui a incidência de lesão e aumenta a eficiência dos movimentos. (ZANELLA; AGUIAR 2014)

O treinamento funcional tem como objetivo atenuar os desequilíbrios causados pela realização de tarefas feitas de maneira estacionaria e sob grande estresse que geram disfunções e desequilíbrios sistemáticos causando impactos nas estruturas do movimento quando fazemos algo funcional quanto simplesmente caminhar, inserindo um treinamento bem realizado e com propósito, respeitando as peculiaridades de cada individuo. (AGUILAR, 2012, apud RODRIGUES; TRICHÊS, 2012)

O treinamento funcional deve abranger todos os aspectos do movimento humano (FIELDS, 2011, apud RODRIGUES; TRICHÊS, 2012). Observando por exemplo, crianças brincando, adultos trabalhando e atletas competindo, podemos analisar o movimento humano em diferentes aspectos, portanto o treinamento de um individuo deve refletir esta realidade.

 

2.3 Equipamentos usados no Treinamento Funcional

 

Existem vários aparelhos e modalidades ligados ao Treinamento Funcional, um desses exercícios funcionais são os agachamentos que é muito utilizado para a reabilitação e a execução de prevenção, o agachamento é um exercício que estabelece em todas as articulações envolvidas, pois, não se restringe apenas ao fortalecimento dos músculos dos membros inferiores que desenvolve a musculatura do core (conjunto de músculos do abdômen, coluna, lombar), os movimentos do agachamento irão causar maior toque na região lombar onde em muitos casos melhora a execução e da flexibilidade que se faz necessária. Ele é um dos exercícios com maior gasto calórico e da um aumento considerado no metabolismo basal, que é um funcionamento que usamos para emagrecer, o agachamento melhora na funcionalidade que ele atua em grandes músculos que melhora em qualquer pessoa a flexibilidade e o equilíbrio que pode promover a velhice mais ativa os agachamentos tem suas execuções corretas como o agachamento sumo, agachamento hack, agachamento com halteres, agachamento frontal e agachamento livre. (GUSMÃO; RIBEIRO, 2010)

Elástico é usado no treinamento funcional e pode ser usado em diferentes tipos de treinamentos e necessidades que estimulam e melhoram a coordenação motora  que também tem um papel  muito importante  nos exercícios  de musculação  e ginástica,  ele melhora  a flexibilidade  e a mobilidade  física,  da resistência  e contra  as lesões,  a execuções  dos movimentos  que exigem  um maior  reagrupamento  de fibras  musculares  no que  resulta  na queima de calorias que para uma pessoa obesa é um ótimo exercício, pois, fortalece  os músculos e  também  trabalha com o  treinamento de emagrecimento. (MALHEIROS)

A corda é outro objeto usado no treinamento funcional, onde, melhora a coordenação motora e estimula a atividade cardiorrespiratória, atua como um treinamento aeróbicoe anaeróbico que resulta  no aumento  de força muscular  das pernas,  pular corda  durante  15  a 20 minutos  serve  para um agente emagrecedor,  esta atividade  queima  de 500 a 800  calorias e é um exercício  de alta intensidade, pular corda tem seus benefícios, pois, pode ser praticado em qualquer lugar,  ajuda na tonificação muscular pois é um exercício onde você usa quase todos os músculos e apenas o seu peso corporal. Ela melhora a estrutura dos pés, o equilíbrio, a coordenação e a agilidade. (LENZI, 2016)

A Caminhada é usada no treinamento funcional, é uma atividade que podeser feita em qualquer lugar e em qualquer idade, a caminhada é muito saudável  e queima bastante calorias,  é também  muito importante  para a circulação, fazer caminhada em um local tranqüilo e com bastante paisagem  é ótimo para o tratamento de depressão e estresse. Os benefícios da caminhada diária são muito variados e pode incluir redução do inchaço nas pernas e tornozelos, prevenção da obesidade e ajuda na perca de peso, melhora da circulação sanguínea, fortalecimento de todos os músculos do corpo, melhora da postura corporal, melhora da ansiedade e estresse, relaxamento dos músculos da nuca e dos ombros, prevenção de complicações cardiovasculares como infartos e hipertensão.  (LIMA 2016)

 

Aparelhos como bolas medicineballs que podem ser usadas de diversas formas, desde apoio na hora do abdominal até o treino de levantá-las, já que as bolas podem pesar um, dois, cinco, sete ou dez quilos. Elas são utilizadas para desenvolver força e potência. Kettlebell trata-se de uma bola de ferro fundido com uma alça, que facilita os treinamentos de força, potência, flexibilidade e resistência. Podem ser erguidas em série ou manuseadas entre as pernas.A corda de pular ainda é popular entre as crianças, mas podem ser utilizadas como um aliado do treino funcional para desenvolver resistência aeróbia. Com uma ponta em cada mão, deve-se girar a corda ao redor do tronco e pular. Pode ser usada dentro de casas e apartamentos, desde que não incomode o vizinho.São portáteis e versáteis, além de ter um manuseio simples. Elástico ou borracha existem várias formas de usá-las, como por exemplo, segurando com o pé enquanto puxa a outra ponta com uma das mãos. Também existem vários tipos e utilidades, mas a básica seria a de desenvolver resistência de força. (FAIGENBAUM, 2003).

 

2.4 Quais são as principais causas e conseqüências da obesidade no adolescente.

 

A obesidade talvez seja o maior problema que estamos enfrentando hoje em todo o mundo. Os fast-foods, comida barata de pouca qualidade nutricional e repleta de gordura vem fazendo parte da vida das crianças e adolescentes. Os adolescentes passam horas na frente da televisão, redução do lazer, insegurança e tantos outros motivos tiveram um papel importante na mudança de estilo de vida desses adolescentes. Movimentos simples como andar, subir escada, jogar bola, andar de bicicleta são deixados de lado. A conscientização para os adolescentes sobre a importância da atividade física regular deve ser tratada como prioridade. (BARBOSA, 2009)

A modernização e as modificações observadas mais recentes do comportamento social dos jovens estão associadas a um estilo de vida sedentário. Transportes motorizados, equipamentos mecanizados estão substituindo a necessidade de realizar esforço físico no dia-dia. Isso contribui para que a população se entregue para o sedentarismo aumentando a incidência da obesidade. (GUEDES E GUEDES, 2006, apud PALMERIM et al 2015)

As ofertas de alimento tornaram-se constantes em qualquer época do ano, com um visual atraente e rico em gordura os alimentos estão disponíveis a qualquer hora do dia. Os adolescentes desde o nascimento têm uma cultura de excesso de alimentos e pouca atividade física, alguns dos motivos para isso é a vida nos grandes centros urbanos que restringem as atividades físicas espontâneas. Nas grandes cidades os quintais, as peladas, as brincadeiras de rua estão cada vez mais raras e também o medo, a insegurança e a violência contribuem para esse resultado. (BARBOSA, 2009)

Nos supermercados é possível adquirir alimentos resfriados, congelados, temperados, preparados e a maior parte desses produtos tem como indicação o cozimento e a fritura. Dessa forma, o aumento da concentração energética pode dar pelos recheios, molhos, temperos e pelo modo de preparo. (SOARES; SOUZA 2008)

A vida dos adolescentes é caracterizada com excessos. Os jovens passam grande parte do dia fora de casa e por esse motivo muitos fazem suas refeições na rua, onde são ingeridos doces, alimentos ricos em gorduras, bolachas e refrigerantes que terá como função acumular gordura em excesso. Essa gordura poderia ser eliminada com a pratica de atividades físicas, porem, os jovens estão presos nas tecnologias como computadores, jogos e celulares tornando os mesmos mais sedentários. (MENDONÇA, 2014)

 

As necessidades nutritivas dos jovens são grandes, devido a rapidez do crescimento, são comuns nessa idade mesmo sendo adolescentes de classe media e superior, os maus hábitos alimentares, a omissão de refeições ou a troca por sanduíches e outros alimentos. Esses aspectos alimentares juntamente com a falta de atividade física são considerados os grandes responsáveis pelo aumento de adolescentes com obesidade. (BARBIERI, 2011)

A adolescência é um período onde ocorrem muitas mudanças, tanto físicas quanto psicológicas influenciadas por fatores genéticos, étnicos onde os hábitos dos familiares são refletidos e principalmente dos amigos e também a cultura que o individuo esta inserido. A origem da obesidade na vida adulta e suas conseqüências costumam residir na adolescência. Adolescentes que ganham peso têm grandes chances de se tornarem adultos com peso excessivo e com um maior risco de hipertensão, insulina elevada e doença cardíaca. (SOARES; SOUZA 2008)

A obesidade causa grave danos a saúde, o que é ignorado pela maioria dos obesos, um adolescente obeso tem mais de 70% de chances de se tornar um adulto obeso. Um dos fatores que fazem com que o individuo busque ajuda é o incomodo com a imagem, em especial na adolescência onde a aparência física determina a aceitação em grupos que pode afetar a auto-estima do adolescente. Esse incomodo é maior principalmente em um contexto de que os corpos magros são mais valorizados e as roupas da moda são confeccionadas em tamanhos pequenos. Isto é vivenciado com sentimentos de raiva, angustia, e culpa o que acarreta um custo emocional alto. (BARBOSA, 2009)

Desde os primeiros momentos da vida a alimentação esta ligada as emoções e influencias culturais. Na adolescência, a necessidade de marcar novas posições ou se desvincular da família pode também se expressar por questões afetivas ou conflitos na área da sexualidade e que são transferidos para a alimentação. Comer muito ou não comer pode significar formas inconscientes de satisfazer ou estar na moda, comer fora de casa, criar amizades novas e também o modismo alimentar. (EISENSTEIN 1998 apud PINTO 2011)

A depressão, baixa auto-estima e fuga de situações sociais são problemas psicossociais. A auto-estima do obeso é comprometida, principalmente em adolescentes obesos do sexo feminino, é sempre importante estar atento a essas quentões,pois, o adolescente obeso tem maior facilidade de desenvolver distúrbios de comportamento alimentar e também no inicio da vida adulta. (BARBOSA, 2009)

A obesidade na adolescência traz várias conseqüências como: alterações na postura, problemas nos ossos devido o excesso de peso, hipertensão arterial, problemas respiratórios, problemas dermatológicos, colesterol e triglicerídeos altos devido a má alimentação e problemas psicossociais. (MENDONÇA, 2014)

Na população adulta, a obesidade aumenta o risco de doença e morte, enquanto na população jovem a obesidade tem sido associada ao aparecimento precoce de hipertensão arterial, aumento da ocorrência de diabetes tipo 2, distúrbios emocionais, compromete a postura e causa alterações no aparelho locomotor. (ENES; SLATER, 2010)

Os fatores da obesidade podem ser classificados em: Internos ou biológicos que são os que isolados ou associados desencadeiam a obesidade. Externos ou ambientais que fazem parte do ambiente que o individuo vive. (BARBOSA 2009)

Fazem parte dos fatores internos à genética que significa que o adolescente tem uma predisposição, ou seja, se na família apresenta excesso de peso as chances do individuo ter é maior. A metabólica que é o modo como o organismo de cada um funciona. Há indivíduos que nascem com um metabolismo que facilita o aumento de peso sem que comam muito, há também as que comem muito e não ganham peso. Os fatores externos são os alimentares, onde, os tipos de alimentos, as formas de preparo, o modo como comemos podem elevar a ingestão de alimentos e conseqüentemente ao consumo elevado de calorias. Os psicológicos onde podem levar o adolescente a comer mais como um mecanismo de defesa. A atividade física, onde o estilo de vida reflete no desenvolvimento da obesidade. Adolescentes que não praticam atividades físicas têm um gasto energético menor acumulando mais gordura corporal. (BARBOSA, 2009)

Fatores sociais, econômicos e culturais são fortemente ligados a obesidade, a concentração da população no meio urbano e a diminuição da atividade física, a busca de alimentos práticos e de fácil preparo e conseqüentemente alimentos com alto índice calórico.

 

As rotinas diárias modernas e a crescente industrialização e versatilidade dos alimentos práticos, de fácil acesso, atraentes e saborosos parecem condicionar o crescimento da obesidade. Esses são alguns dos fatores identificados nas ultimas décadas que contribuem para as mudanças do padrão antes estabelecido como mais saldáveis. (MENDONÇA p.60)

 

 

O padrão atual de vida da população tem favorecido a pratica de atividades físicas sedentárias e o consumo de alimentos de alto poder calórico e baixo valor nutritivo. Há ampla disponibilidade de maquinas de refrigerante, doces e fritura em espaços públicos contribui também para a obesidade na adolescência. (MANTOVANI, 2008)

 

A obesidade na adolescência é considerada uma patologia multifatorial que resulta de um histórico familiar, biológico, econômico, social, cultural e psicológico. Adolescentes obesos apresentam maior incidência a complicações de saúde e desordem emocional. São grandes os riscos de doenças cardiovasculares, os adolescentes são conscientes de seu problema com o peso e suportam rejeições, descriminações e sofrimentos sem ajuda especifica, principalmente quando os pais também são obesos que não modificam seus hábitos alimentares. Quando mais cedo estes jovens forem tratados os resultados serão melhores, evitando complicações na vida futura. (MENDONÇA, 2014)

 

 

  1. Problemas sociais causados pela obesidade na adolescência

 

A função do treinamento funcional é ajudar a emagrecer, melhorar a flexibilidade e o seu condicionamento físico, tudo isso é importante para a ajuda do emagrecimento do adolescente obeso e a volta de sua elevada auto-estima. O treinamento funcional é um treino mais dinâmico que os convencionais, pois ele mescla diferentes capacidades físicas em um único exercício, os movimentos trabalham a força muscular, flexibilidade, sistema cardiorrespiratório, coordenação motora e o equilíbrio. (HOLANDA, 2016)

Apesar de não ser um dos mais indicados para obesos sedentários, pelo fato de conter complexidade evoluída, e o corpo não tem o habito desses treinos, mas podendo começar com exercícios mais simples e evoluindo para os treinos funcionais, que exige mais do ser humano. Já os obesos que praticam atividades físicas e exercícios as vezes, pode ir direto ao treinamento funcional, contendo um profissional qualificado, te auxiliando nos treinos, com cargas e exercícios ideais para o peso do seu corpo. Pois aquele personal que não está qualificado para esse tipo de treinamento, pode te causar varias lesões e podendo fazer desistir dos treinamentos do adolescente obeso, ainda mais nessa fase que eles não sentem vontade de treinar e exercitar, apenas de comer e se distanciar da sociedade. Importante ressaltar que todos podem praticar, portanto também precisa do aval médico, passando por exames e consultas. (HOLANDA, 2016)

O treino funcional vem crescendo e conquistando ser espaço de forma personalizada e dentro de academias, sua forma de explicação é diferente das outras e auxilia as pessoas nas funções cotidianas, mas a metodologia de como é o treino não é recente, pois foram os profissionais da área de fisioterapia que o originou, fisioterapeutas foram os pioneiros no uso de exercícios que simulavam o que os pacientes faziam no tratamento no decorrer da terapia, para que volte a sua vida normal e funções habituais, após cirurgias e lesões. Depois deste sucesso na reabilitação, o treinamento funcional, passou a ser empregado em programas de condicionamento físico, desempenho atlético e minimizar possíveis lesões. (PRANDI, 2011)

Este treinamento funcional está amparado, propondo a melhoria de aspectos neurológicos que conduzem a capacidade do corpo humano, exercícios são empregados para estimular os diferentes componentes do sistema nervoso, gerando sua adaptação. (SILVA, 2011)

O treinamento faz de seu corpo uma ferramenta que produza movimentos mais eficientes, tendo em vista um processo de aprendizagem, desafio e evolução constante. Os objetivos, necessidades reais e o potencial de cada aluno e o que, determina a dinâmica de tudo que é feito, o funcional é um seguimento com boa aplicação para o treinamento esportivo, inclusive jovem e crianças. Existem no treinamento funcional oito pilares que são fundamentos básicos de construção da sessão de treinos, sendo eles: Agilidade, velocidade, preparo muscular, potencia, treinamento do core, desenvolvimento do sistema energético, tarefas de transferências e regeneração, prevenção de lesão. (D’ELIA, 2013)

Dados do treinamento funcional, a pessoa pode ter gasto médio de 800 calorias em uma hora de funcional, correndo por esse mesmo tempo o gasto é de media 100 caloria, consideravelmente bem abaixo, por isso se vê o sucesso do treinamento funcional. Os acessórios utilizados são: cordas, bolas, cones, discos e hastes. Indica-se praticar três vezes por semana. (HOLANDA, 2016)

Cada vez mais os jovens que sofrem com excesso de peso. A obesidade afeta qualquer tipo de pessoa e idade, pelo dia-a-dia que os adolescentes levam é cada vez mais comum ver jovens sofrer de obesidade na adolescência. O problema afeta todo o sistema de saúde e ainda danifica um dos pontos mais importante para a vida enquanto adulto, mantendo a força para agüentar a vida, que é a auto-estima. Jovens que sofrem com isto, sua auto estima fica extremamente baixa, dificultando que sua socialização seja saudável, e encontrando amizades por onde passam. (HOLANDA, 2016)

A vida desses jovens tem como características o excesso, comem muito, fazendo varias refeições que não são saudáveis, doces, bolachas, refrigerantes, alimentos que não fazem parte de um cardápio rico em saúde. A pratica do treinamento funcional ajuda a voltar a uma vida saudável, corpo legal, auto estima elevada. Isso tudo combinando com alimentação. Não vai adiantar o adolescente deixar de praticar o treino regularmente, para ficar no computador, jogando game, isto não irá ajudá-lo a emagrecer. Então o foco é importante para ajudar no emagrecimento do individuo que é obeso, que planeja a melhora da sua vida, quanto adolescente, adulto ou idoso. (HOLANDA, 2016)

Atualmente o treinamento funcional é bastante recomendado para vários tipos de pessoas, sendo alto, magro, obeso, entre outros. Esse treinamento ajuda muito o adolescente obeso, na sua vida, seu corpo e o principal a ser falada, sua auto-estima. Hoje em dia se observa e as pesquisas apontam o aumento do peso da população jovem, o motivo desse aumento seria os obesos dentro de casa, sem se exercitar, correr, pular, brincar, essas atividades são importantes para os adolescentes que estão acima do peso. Por isso cada dia se torna mais comum ler e ouvir falar em reportagens na televisão, jornal que os meninos e meninas não querem sair de casa por estar acima do peso, por serem ridicularizados pelos seus colegas na escola, não conseguem ter vontade de se relacionar com ninguém, e com isso o bullying se aproxima desses jovens, que psicologicamente só pioram o seu rendimento e sua vontade de treinar. Querem esquecer o mundo lá fora.

A ajuda de seus pais é fundamental na vida dos adolescentes que sofrem deste mal, eles precisam de animo para enfrentar as dificuldades, precisam obter animo para treinar, perder gordura e alimentar bem para começar a ter de volta a sua auto-estima. Podendo dizer que o treinamento funcional trás isto de volta para a vida das garotas e garotos obesos, a interação com os colegas dentro do espaço de treinamento, ajudam eles a se socializar com os demais, até o profissional que te ajuda é seu amigo, além de te ajudar a colher bons resultados, te aconselha a não desistir e manter o foco sempre.

Um fato legal do treinamento funcional é que ele mescla as atividades, não fica com um mesmo exercício, tornando ele repetitivo e enjoativo para o adolescente, tornando o ambiente descontraído e mais disposição vontade para a pratica desses treinos interessantes. (HOLANDA, 2016)

Atualmente a obesidade é um problema de saúde que trás sérias consequências sociais, psicológicas e físicas. Ela é caracterizada doença multifatorial de complexa interação entre fatores comportamentais genéticos, culturais, fisiológicos e psicológicos. (MOTA E ZANESCO 2007). Associando o excesso de peso com estilo de vida sedentário, é uma das maiores ameaças para a saúde dos indivíduos no mundo atual. A obesidade não é mais apenas para os adultos, pesquisas informa que a prevalência da obesidade em adolescentes triplicou nos últimos 30 anos. (CDC, 2010)

A obesidade trás diversas doenças em curto prazo, como: problemas ortopédicos, respiratório, diabetes, hipertensão e também problemas psicossociais. Pesquisa mostra que crianças e adolescentes de 5 a 17 anos mostraram que 70 % dos jovens obesos tinham pelo menos um fator de risco para desenvolver doença cardiovascular. (CDC, 2010)

Existem vários tipos de fatores para surgimento da obesidade, a influencia do ambiente, como o sedentarismo e maus hábitos alimentares. Exemplo a ser seguido são os pais que tem o mesmo ambiente, que se alimenta mal, alimentos ricos em gorduras, tudo isso ajuda o adolescente no ganho de peso. (MATSUDA 2006)

É clara a importância da atividade física na vida dos jovens, assim como a orientação nutricional é mais um complemento para a melhora do corpo do adolescente obeso. Mostra a importância de atividades no controle dessa condição. (BERLEZE, 2008)

                                                                    

 

                                                                               

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3. METODOLOGIA

 

Para realização deste projeto foram realizadas visitas e reuniões periódicas em uma Biblioteca de uma Instituição Superior de Ensino em busca de livros, artigos científicos, revistas e todo um material já publicado e de cunho cientifico, além de pesquisa em Bibliotecas Virtuais e sites de Universidades sobre o tema em questão, Foi feita uma analise de todo o material encontrado visando apresentar os benefícios do Treinamento Funcional na vida do adolescente obeso e seus modos de intervenção para auxiliar não somente a parte física, mas também aspectos ligados a auto-estima desse adolescente.

Para tanto, foram utilizadas as seguintes Bases de Dados: Efdesportes, Treinamento Funcional, Ciaathletica, biblioteca virtual (Pearson), foram utilizados 11 artigos, 3 sites, 3 periódicos e 2 livros.

 Segundo Raupp (2003) a pesquisa bibliográfica é desenvolvida a partir de um material já elaborado, praticamente livros e artigos científicos. O material utilizado na pesquisa abrange todo referencial que o publico já teve acesso em relação ao tema estudado, tanto em publicações avulsas como jornais, boletins, revistas, livros, pesquisas, monografias, teses, entre outros.

Para realização desse Projeto foi realizada uma pesquisa bibliográfica que segundo Mioto (2007) é um processo importante para se produzir mais conhecimento em assuntos pouco estudados, contando com uma nova forma de interpretação, apresentando assim novos aspectos para que próximas pesquisas possam ser realizadas.

De acordo com Silveira (2009) a pesquisa bibliográfica é feita a partir de referências teóricas já analisadas, e publicadas por meios escritos e eletrônicos, como livros, artigos científicos, páginas de web sites. Todo trabalho científico inicia com uma pesquisa bibliográfica, que permite ao pesquisador conhecer o que já se estudou sobre o assunto. Contudo pesquisas científicas se baseiam especificamente na pesquisa bibliográfica, procurando referências teóricas publicadas com o objetivo de recolher informações ou conhecimentos sobre o problema a respeito do qual se procura a resposta.

Para Almeida (2009) a pesquisa bibliográfica tem o documento como objeto de investigação, é um tipo de pesquisa e análise de documentos de cunho científico tais como livros, periódicos, enciclopédias, ensaios críticos, dicionários e artigos científicos. A principal finalidade da pesquisa bibliográfica é proporcionar aos pesquisadores e pesquisadoras o contato direto com obras, artigos ou documentos que tratem do tema em estudo, o mais importante para quem faz opção pela pesquisa bibliográfica é ter a certeza de que as fontes a serem pesquisadas já são reconhecidamente do domínio científico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

RESULTADOS E DISCUSSÕES

De acordo com Silva e Lopes (2009), para a organização Mundial da Saúde a adolescência constitui em um processo fundamentalmente biológico, onde acelera o desenvolvimento cognitivo e a personalidade.

Segundo Papalia e Olds (2000) apud Domingues e Domingues (ano), a puberdade é o processo que leva a maturidade sexual e fertilidade. A partir de uma determinada idade ocorrem às mudanças físicas, as formas do corpo começam a mudar.

Ainda segundo o autor acima citado, nos meninos os testículos aumentam a produção de andrógenos principalmente a testosterona. Nas meninas os ovários aumentam a produção de hormônio feminino estrogênio, que estimula o crescimento dos genitais femininos e o desenvolvimento dos seios.

De acordo com Zanella e Aguiar (2014), o treinamento funcional tem o objetivo de melhorar a capacidade funcional, melhorando a consciência sinestésica e o controle corporal, equilíbrio muscular estático e dinâmico, diminui as lesões e aumenta à eficiência dos movimentos, já para Aguilar (2012) apud Rodrigues e Trichês (2012), o treinamento funcional tem como objetivo melhorar os desequilíbrios causados pela realização de tarefas estacionárias e sobe quando estresse.

Segundo Barbosa (2009) e Mendonça (2014) a obesidade talvez seja o maior problema enfrentado hoje no mundo. A vida dos adolescentes é caracterizada com excessos.  As comidas baratas, os fast foods fazem parte da vida das crianças e adolescentes. Os adolescentes deixam de lado movimentos simples como andar, subir escadas, jogar bola para ficar em frente a TV. Os jovens ficam grande parte do dia fora de casa, fazendo as refeições na rua, alimentos ricos em gordura, refrigerantes. Essa gordura poderá ser eliminada com a pratica de atividade física, porem, os jovens estão presos em tecnologias como computadores e vídeo game.

De acordo com Guedes e Guedes (2006) apud Palmerim et al (2015), as modernizações observadas no comportamento social dos jovens estão ligadas a um estilo de vida sedentário. Os esforços realizados no dia-dia estão sendo substituídos por equipamentos mecanizados e transportes motorizados, contribuindo para uma população sedentária, aumentando a incidência da obesidade.

Para Barbieri (2011), devido seu rápido crescimento são comuns na adolescência os maus hábitos alimentares, a omissão de refeições, a troca de alimentos saudáveis por outros tipos de alimentos. Esses aspectos juntamente com a falta de atividade física são um dos grandes responsáveis para o aumento de adolescentes com obesidade.

Segundo Mendonça (2014) e Enes e Slater (2010), a obesidade na adolescência traz várias conseqüências como: alterações na postura, problemas nos ossos devido o excesso de peso, hipertensão arterial, problemas respiratórios, problemas dermatológicos, colesterol e triglicerídeos altos devido a má alimentação, aumento da ocorrência de diabetes tipo 2, e distúrbios emocionais

De acordo com Soares e Souza (2008), a adolescência é um periodo onde ocorrem muitas mudanças tanto físicas como psicológicas influenciadas por fatores genéticos, étnicos e hábitos familiares. A origem da obesidade na vida adulta e suas conseqüências costumam vir da adolescência.

Segundo Barbosa (2009), a depressão, baixa auto-estima e fuga de situações sociais são problemas psicossociais. O adolescente obeso tem mais facilidade de desenvolver distúrbios de comportamento alimentar e também no inicio da vida adulta.

Ainda segundo o autor acima citado, a obesidade pode ser classificada por fatores internos e externos. Faz parte dos fatores internos a genética, ou seja, se na família apresenta excesso de peso as chances do individuo ter é maior. Já na externa são os alimentares, onde o tipo de alimento e sua forma de preparo contribuem para um consumo elevado de calorias. Os psicológicos onde podem levar o adolescente a comer mais. Fatores sociais, econômicos e culturais estão fortemente ligados a obesidade.

De acordo com Mendonça (2014), a obesidade na adolescência é considerada uma patologia que vem de um histórico familiar, biológico, econômico, social, cultural e psicológico. Adolescentes obesos apresentam maiores complicações de saúde e desordem emocional.

 

 

 

 

 

 

CONCLUSÃO

O Desenvolvimento do presente trabalho possibilitou verificar como é o treinamento funcional para os adolescentes obesos. A função é estabelecer um treinamento saudável e obter benefícios para a mente e para o corpo. Esse treinamento contribui muito para os adolescentes obesos que tem a alta- estima baixa ou que tenha algum outro problema de saúde, proporcionando melhorar o funcionamento físico e psicológico. Obtendo um bom desenvolvimento físico nos exercícios o sedentarismo pode acabar, pois nos dias atuais os adolescentes não ligam para os hábitos alimentares que são grandes responsáveis pelo aumento da obesidade.

Assim levando os adolescentes a um isolamento social. O treinamento funcional e importante e ajuda o emagrecimento, melhora a flexibilidade e equilíbrio, alguns adolescente a inicialmente não se sentem a vontade na hora de treinar em ambiente fechado como  academia, o profissional de educação física  vendo isso  pode entrar com o treinamento funcional  ao ar livre, onde o adolescente ira se sentir mas a vontade  usando  alguns outros tipos de objetos de fácil manuseio  e diversificar as atividades  visando  incentivos positivos , que leva saúde e qualidade de vida  aos adolescentes obesos. Sendo que aumenta o metabolismo do adolescente ajudando no condicionamento físico. A maioria dos adolescentes que começa a praticar esse treinamento funcional tem satisfação no resultado  e não para de fazer o treinamento .

Em relação às causas da obesidade pode-se constatar que o modo como os adolescentes vivem contribui de forma significativa para o aumento da obesidade. O modo de vida sedentário, a falta de praticas de atividades físicas causadas pelos excessos dos usos da tecnologia como TV, vídeo game, celular e também a substituição de alimentos saudáveis por comidas rápidas como fast foods, doces, refrigerantes, comidas ricas em gordura         encontradas facilmente e sendo priorizadas devido à correria do dia-dia. Hábitos familiares podem também contribuir para a obesidade na adolescência onde se os pais forem obesos são grandes as chances do filho também ser.

Conclui-se que o treinamento funcional bem orientado é fundamental para a saúde do adolescente obeso, melhorando a parte física, evitando problemas graves que  a obesidade causa na vida do individuo, contribuindo também para auto-estima desse adolescente que muita das vezes sofre com sua aparência, se isola, perde a capacidade de socializar piorando mais ainda seu estado.

4. REFERÊNCIAS

BARBOSA, Vera Lucia Perino, Prevenção da Obesidade na Infância e na Adolescência, 2 ed. Barueri-SP, Manole, 2009.

                                         

MENDONÇA, Rejane Teixeira, Obesidade Infantil e na Adolescência, São Paulo, Rideel, 2014.

 

Treinamento Funcional para crianças e adolescentes, Disponível em:<http://treinamentofuncional.queroconteudo.com/2013/06/musculacao-e-treinamento-funcional-para.html> Acesso em: 16 mar.2017

 

 OBESIDADE NA INFANCIA E NA ADOLESCENCIA, Disponível em: <http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/obesidade-infantil.htm> Acesso em: 16 mar. 2017

 

 OS BENEFICIOS DO TREINAMENTO FUNCIONAL, Disponível em: <http://www.ciaathletica.com.br/blog/motivacao-e-superacao/os-beneficios-do-treinamento-funcional/> Acesso em: 16 mar. 2017

 

MESQUITA, Priscila Aragão; CUNHA, Francisca Maria Aleudinelia Monte, EXERCICIO FÍSICO E OBESIDADE NA ADOLESCENCIA, Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd214/exercicio-fisico-e-obesidade-na-adolescencia.htm> Acesso em: 16 mar. 2017

 

GOIS, ismailei Marinara; BAGNARA, Ivan Carlos, OBESIDADE: Conseqüências e Tratamento, Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd156/obesidade-consequencias-e-tratamento.htm> Acesso em: 16 mar. 2017

 

 SOARES, Felipe Alves, OBESIDADE NA ADOLESCENCIA E SUAS IMPLICAÇÕES FUTURAS, Disponível em: <http://www.efdeportes.com/efd121/obesidade-na-adolescencia.htm > Acesso em 16 mar. 2017

 

PARMERIM, Lindaci dos Santos; DA SILVA, Marcelino Antônio Ramos; ZANELLA, André Luiz, A prevalência da obesidade entre jovens adolescentes no Brasil. Uma revisão acerca do tema, Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd210/a-prevalencia-da-obesidade-entre-jovens-adolescentes.htm>

 

JUNIOR, Renato Sobral Monteiro et al, Obesidade e exercício físico: um estudo piloto sobre o cenário atual, Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd150/obesidade-e-exercicio-fisico-o-cenario-atual.htm>

 

TEOTONIO, Joyce de Jesus Silva Oliveira et al, Treinamento funcional: benefícios, métodos e adaptações, Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd178/treinamento-funcional-beneficios-metodos.htm>

 

RODRIGUES, Fernanda Reinert; TRICHÊS, Patrícia Barbosa Martins, Aspectos relevantes do treinamento funcional, Disponível em: < http://www.efdeportes.com/efd173/aspectos-relevantes-do-treinamento-funcional.htm>

 

 ZANELLA, André Luiz; AGUIAR, Clodoaldo Duarte, A eficiência do treinamento funcional: uma revisão de literatura à cerca de seus aspectos, Disponível em:< http://www.efdeportes.com/efd202/a-eficiencia-do-treinamento-funcional.htm>