Já é de amplo conhecimento público o indicador de avaliação IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, elaborado pelo PNUD da ONU. Em grande parte porque a mídia lhe dá destaque cada vez que uma atualização é publicada, e autoridades públicas sobre ele se manifestam na ocasião.
Também diversos estudos são elaborados sobre o índice, acadêmicos ou não, na procura de avaliar o progresso do Brasil ou de justificar os problemas não equacionados. Ainda assim, nos parece que em nosso país a importância do mesmo na elaboração ou atualização de políticas públicas é bem inferior ao que se observa em outros países.
Bem menos conhecido e utilizado no Brasil é o SPI – Social Progress Index ,elaborado pela ONG internacional ‘Social Progress Imperative’, liderada por Michael Green e nada menos que Michael Porter e a universidade de Harvard. Um documento básico sobre este projeto é o “Going Beyond GDP - Measuring Social Progress”, que assim pode ser apresentado:
“To respond to this criticism, the Social Progress Imperative was founded in 2012. A year later they published their first research product - The Social Progress Index (SPI), in its beta version. In April 2014, the first official SPI was introduced, gathering and comparing information from 132 countries around the world. The Social Progress Imperative Foundation was created in cooperation between academia, global corporations, and civil organizations. Chaired by Professor Michael Porter (the creator of the Shared Value concept), with partners such as Deloitte and the Skoll Foundation, the organization established a new groundbreaking measurement, which incorporates 54 indicators, addressing many of the flaws of the previous measurements. It provides the most holistic and accurate representation of reality so far.”
O SPI é composto por três Dimensões (Basic Human Needs, Foundations of Wellbeing e Opportunity), cada uma composta por quatro Componentes, os quais são compostos por Indicadores (50 no total) captados em organizações internacionais, como a ONU, World Health Organization, Unicef, etc. Trata-se pois, e como assim é reconhecido na comunidade internacional, de um amplo e importante sistema de avaliação da situação social dos países, para além do PIB, PIB per Capita ou Renda per Capita (os quais não entram no indicadores).
O website do projeto (www.socialprogressindex.com e www.socialprogressimperative.org) apresenta todas as informações sobre o mesmo, um sistema de visualização dos índices dos diversos países (236) além da planilha geral de dados para download (com a qual construímos nosso sistema, como se verá a seguir).
No entanto, quando se pensa em analisar o SPI com mais profundidade, verificamos a oportunidade de se desenvolver um sistema de visualização dos dados mais detalhado, o que fizemos e publicamos em nosso website: www.inicio.com.br/default.asp?spi=1. Esperamos que com esta ferramenta os interessados em estudar o SPI não se limitem aos que têm expertise em Excel, pois qualquer leigo em estatística poderá obter inúmeros resultados diretamente em nosso sistema.
Nosso foco foi extrair dados de forma original e visualizar correlações entre os dados dos diversos países, aspecto não desenvolvido no website do projeto. Aos dados originais do projeto acrescentamos alguns outros, como o IDH, de forma a enriquecer as análises possíveis.
 

Revisado por Editor do Webartigos.com