eBook gratuito: clique agora e baixe.

Os primeiros sere humanos

Os primeiros seres humanos surgiram no mundo em uma data ainda desconhecida. E, possivelmente, nunca saberemos quando foi. Mesmo porque, nos informam os pesquisadores, os humanos não surgiram todos na mesma época nem no mesmo lugar. Houve um longo e amplo processo de humanização.

O que sabemos é que esse processo de surgimento aconteceu há milhares de anos. Também sabemos que os primeiros seres humanos eram deferentes de nós. Graças a um processo evolutivo, o ser humano incorporou mudanças que melhoraram sue aspecto físico e seu intelecto. Podemos dizer, com segurança, que houve um processo de evolução e não de transformação ou metamorfose. Ou seja, o ser humano surgiu no mundo como humano e nessa condição evoluiu. Por isso, também, podemos dizer que é um equívoco dizer que um determinado ser “virou” homem. Uma espécie não se transforma em outra. O que ocorre é aperfeiçoamento – evolução.

A esse respeito vale a pena lembrar e parafrasear a afirmação de K. Marx e dizer que o pior dos arquitetos é infinitamente melhor do que a melhor dos “joão-de-barros”. Isso porque o ser humano, antes de construir, planeja sua obra. E por esse motivo os estilos e tipos de habitação humana evoluíram e foram se aperfeiçoando ao longo de milhares de anos.

Esse processo evolutivo transformou o ser humano e permitiu a ele transformar a natureza ao seu redor. Também foi possível transformar elementos da natureza em ferramentas e instrumentos para melhor agir sobre a natureza. E agir intencionalmente, visto que tanto as formigas como os elefantes também agem e transformam a natureza, mas não o fazem de forma intencional, planejada, calculada, como os humanos, mas sempre e de acordo com sua espécie. Uma espécie de pássaro não se inspira no ninho de outra espécie para aperfeiçoar sua morada. Mas o ser humano sempre faz isso. Seus projetos, por mais criativos que sejam sempre guardam um quê de outro projeto de outro ser humano. Por isso a afirmação de que a ação humana é criativa e intencional.

Essa ação humana, transformando e utilizando e se inspirando em outros, é o que chamamos de trabalho. E o trabalho passa a ser a principal característica para diferenciar o ser humano dos demais viventes. Pelo trabalho o ser humano age intencionalmente e a partir dessas intenções transforma o mundo não de forma espontânea, mas de acordo com projetos e planos previamente traçados. Enquanto todos os outros viventes agem e realizam ações que são específicas de sua espécie o ser humano amplia seus horizontes realizando aquilo que lhe é conveniente.

Partindo dessa constatação é que os pesquisadores afirmam que quando os primeiros seres humanos habitaram o mundo deixaram sua marca pelos locais por onde passaram. Essas marcas, ou vestígios humanos, formam aquilo que hoje chamamos de sítios arqueológicos, os quais são constituídos de restos humanos ou de animais que se preservaram ao longo de milhares de anos. Muitos desses vestígios formam aquilo que se denomina de fósseis.

Graças aos fósseis os pesquisadores de hoje conseguem compreender práticas e posturas dos primeiros seres humanos. Também por meio dos fósseis os pesquisadores de hoje, podem dizer como viviam os primeiros seres humanos, pois os restos fossilizados guardam informações sobre hábitos alimentares, sobre como conseguiam alimentos, sobre comportamentos sociais e onde viviam,.

É verdade que não podemos ter certezas a respeito do passado. Mas a partir das pesquisas dos arqueólogos e antropólogos os historiadores podem formar ideias aproximadas a respeito dos povos antigos e seus comportamentos. E com isso se pode escrever a história dos primeiros seres humanos.

Neri de Paula Carneiro.

Mestre em educação, filósofo, teólogo, historiador.

Rolim de Moura – RO

eBook gratuito: clique agora e baixe.