O PAPEL DA FAMÍLIA NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

Aline Morgan de Queiroz Dias, pedagoga e psicopedagoga.

A família, enquanto instituição, é fundamental para que a criança ganhe confiança, para que se sinta valorizada e assistida. Mas como traz Chalita, nem todos têm esse privilégio,

a grande maioria se encontra à margem, são frutos do relento, da pobreza, da miséria. É o oitavo ou nono filho de quem não ouviu falar em preservativos, de quem nem sabe o que está fazendo. E aí surge um novo ser sem o devido respeito, sem a necessária festa de quem vem para ficar (2001, p.26).

Infelizmente neste mundo há incluídos e excluídos, visto que algumas crianças são criadas em uma redoma de vidro, com todo cuidado, enquanto outros são lançados à própria sorte.

Ainda hoje não se experimentou nenhuma forma de se socializar, melhor do que a família, pois ela, como defende Lasch apud Núcleo de Estudos e Pesquisas Psicossocias do Cotidiano, a família é o principal agente da socialização, que reproduz valores e padrões culturais no indivíduo, além de conferir normas éticas, regras sociais e moldar o caráter de uma criança. Difunde modos de pensar e hábitos, devido à enorme influência emocional.

A união de amor e disciplina, gera um ambiente carregado emocionalmente, que transmite uma predisposição inconsciente a agir de determinada maneira. Ensinar valores e transmitir cultura não é algo só racional, se o fosse, seria matéria ministrada na escola (2007, p.92).

Segundo Chalita, qualquer projeto educacional sério depende da participação familiar: “em alguns momentos, apenas do incentivo; em outro, de uma participação efetiva no aprendizado, ao pesquisar, ao discutir, ao valorizar a preocupação que o filho traz da escola” (2001, p.18).

Segundo a professora 3, muitas crianças não recebem afeto em casa, “mas se na escola elas recebem carinho e afeto, ela se sentirá bem e ficará mais fácil passar a aprendizagem, melhorando assim o seu desenvolvimento”.

Mas é preciso saber, que a escola, por melhor que seja, nunca irá suprir totalmente a carência deixada por uma família ausente, por isso a necessidade da família acompanhar de perto o que se desenvolve dentro do ambiente escolar.

É interessante e importante que os pais trabalhem em conjunto com a escola, ajudando seu filho nas tarefas escolares, conversando com os professores sobre a evolução ou não de seu filho, verificando quais as dificuldades dele, além de incentivar ao processo de ensino-aprendizagem, dando toda estrutura para que ele se desenvolva da melhor maneira possível.

Entretanto a realidade não é bem esta. Muitas vezes os pais chegam cansados e querem ver televisão, navegar na internet, deitar no sofá, e o filho quer mostrar o desenho, a lição de casa, o que aprendeu na escola aquele dia, porém não encontra a devida atenção. O que os pais precisam se conscientizar, é que, delegar o processo de educação apenas à escola, não é suficiente.

Para se construir uma nova sociedade e mudar a educação no Brasil, é preciso haver uma transformação na dinâmica familiar e uma melhor organização das instituições, ou seja, não é preciso só um novo sistema de ensino ou uma nova formação docente, a solução está também em uma relação mais intensa entre família e escola.

Em um depoimento, certa professora relata que

tem crianças com condições de aprender, mas não tem ambiente familiar, tem muita agressão dos pais entre si e contra os filhos. Elas não têm condições emocionais para aprender. Se é bem alimentada, se tem carinho da mãe, atenção do pai, alguém que olhe o caderninho dela, não tem por onde ser reprovada. Mas elas não têm nada disso. O principal é carinho, pode até ter um pouco de fome, mas precisa sentir que tem alguém interessado nela, que gosta dela  (PATTO,1990, p.197).

É preciso que a criança seja estimulada pelos pais, incentivada a aprender, rodeada de afeto e atenção, pois no ambiente familiar a criança também aprende muita coisa. Segundo Vygotsky, “o aprendizado das crianças começa muito antes de elas freqüentarem a escola. Qualquer situação de aprendizado com o qual a criança se defronta na escola tem sempre uma história prévia” (2007, p.94), e isto deve ser levado em consideração.

Dessa forma, o afeto, a atenção e o respeito, devem ser atitudes encontradas no ambiente familiar diariamente, para que a família, juntamente com escola possa desenvolver-se melhor e facilitar o processo de ensino-aprendizagem das crianças.

Revisado por Editor do Webartigos.com