O NOVO RURAL E O NOVO ASPECTO DO URBANO NO MUNICÍPIO DE ALTO GARÇAS.

Ana Paula Konrad1

1. Mestre em Desenvolvimento Regional-Departamento de Geografia – UFMT
 

INTRODUÇÃO:

Esta pesquisa discute a questão da transformação Urbana do município de Alto Garças através da sua nova lógica de produção capitalista o agronegócio. O ambiente urbano é entendido como uma resultante social, historicamente construído no tempo e espaço. Assim como no Estado de Mato Grosso, o município de Alto Garças a partir da década de 1980 insere-se em um novo modelo de produção o agronegócio, tendo como cultura predominante o soja. Esta cultura entra ocupando o espaço da pecuária, produção de arroz, mandioca e hortaliças. O objetivo principal deste artigo é relacionar a transferência populacional do campo para a cidade no município, e caracterizar as mudanças sociais sobre uma nova abordagem da formação do espaço geográfico relacionado à evolução da malha urbana no decorrer das décadas de 1970 a 2007.

METODOLOGIA:

A pesquisa de gabinete foi efetuada através de revisão bibliográfica de dissertações de doutorado, mestrado e monografias de graduação e especialização, e demais obras sobre a temática urbana local e regional. Realizaram-se trabalhos de campo objetivando colher dados em loco nas áreas periféricas da população de baixa renda, através de fotografias das moradias, estradas, e conversa com a população local. Colheram-se dados na base estatística do IBGE, SEPLAN MT e MAPA.

RESULTADOS:

Os fatores geográficos influenciaram o direcionamento da mudança da área urbana, fatores estes como a estrutura agrária, que sofreu transformações no decorrer do tempo. O município de Alto Garças nasce do garimpo em 1915 abrigava uma população de quase 1.000 habitantes que viviam da extração do minério e da produção de culturas perenes, para sua própria sobrevivência. Mas a partir de meados dos anos 1970 e 1980 o território municipal sofreu uma série de transformações advindas da introdução de outros elementos na estrutura produtiva, a exemplo da expansão da agricultura moderna de grãos. Este novo modelo de produção trás consigo a mecanização, informatização da agricultura e os pequenos agricultores sem poder acompanhar tal processo vendem suas propriedades para os grandes produtores e vão para a área urbana do município. Nesta perspectiva podemos ver a mudanças da população municipal, que em 1970 tinha 1.070 pessoas a mais na área rural em relação a área urbana, sendo que em 1980 o numero inverte, tendo-se assim um numero populacional maior na área urbana. Já na década de 2000 apenas 800 pessoas estão vivendo no campo. Este fato pode ser explicado pelo alto grau de modernização agrícola, que vem trocando a mão de obra humana pela maquina.

CONCLUSÕES:

O município tem enorme importância na produção agrícola do Estado e País, pois nele está situada a maior produtora de sementes para plantio do Estado, fazenda Adriana, que produz sementes melhoradas. Mas toda esta lógica capitalista faz com que nele se encontre presente a desigualdade econômica, onde no urbano vemos nitidamente casas com todo conforto do alto poder aquisitivo que detém os meios de produção, e casa desprovidas de todo conforto e infra estrutura para a população mais carente que em sua maioria encontra-se no entorno da cidade em loteamento ocupados, pois as pessoas que ali residem vendem sua força de trabalho, isto quando conseguem emprego. Casas estas, cobertas de lona ou desprovidas de recursos financeiros construções estilo meia água. O município enfrenta problemas urbanos, como falta de áreas de laser como bosques, pista de caminhada, feiras etc. As estradas na avenida principal paralelas a BR 364 estão em péssimas condições de uso, o município não possui rede de esgoto, nesse caso os moradores utilizam fossa séptica no quintal ou canalizam o esgoto para as ruas a céu aberto, o lixo no espaço urbano pode ser encontrado com frequência jogado nas ruas e nos quintais. Apesar de existir um deposito de lixo no municipio este encontra-se muito proximo a area urbana.

Palavras-chave: Transformações no urbano, Alto Garças, Expansão da fronteira agrícola.

 E-mail para contato: konradgeo@hotmail.com