MURMÚRIO

Autor: Francisco Silva Júnior

 

EU OUVI!

O desespero, o choro inconsolável.

As inúmeras vezes em que repetistes:

- Não sei como vai ser a minha vida sem você!

Teu semblante mostrava o quanto sofrias.

A dor do filho, que agora órfão

Contempla no caixão frio

O pai que jamais voltará!

 

OUVI TAMBÉM!

Um rapagão, já homem feito!

Gritando, tom agressivo

Chamando-o de velho imprestável!

Nem parecia que ao seu pai reporta

A raiva explodindo no rosto tenso

Sangrando o coração paterno

Que logo o perdoará.

 

PASMEM COM O QUE OUVI!

Do adolescente mimado!

Que pensa já saber tudo!

Negando o velho pai

Zombando com a galera

Careta, careta, careta!

Minto, engano, consigo o que eu quero!

Só não consigo meu amor demonstrar.

 

AH COMO OUVI!

O arrependimento tardio

De um coração trucidado

Que já não tem a quem recorrer.

O herói que na infância fostes

E que por sei lá quais motivos

Por longos anos deixastes de ser!

Ah pai, quão injusto eu fui com você.

Revisado por Editor do Webartigos.com