LER E VIAJAR NO MUNDO DAS LETRAS

Autora: Zélia Damião da Silva

Resumo:

A prática da leitura implica num instrumento motivador desde muito tempo. Entretanto vale lembrar que o ato de ler conduz o ser a uma viajem emocionante e muito proveitosa enriquecedora de talentos e emoções fascinantes. E quando esse contato inicial com o mundo da leitura não acontece no seio familiar, fica para a escola a responsabilidade de dar um começo significante a esta tarefa tão relevante. O prazer por ler ponto muito debatido nas universidade tem sido o núcleo de muitos estudos mostrando que importância grandiosa possui o ato de ler na construção do saber interessante. Nos fazendo compreender que a leitura é uma fascinante viajem no mundo letrado da imaginação.

Palavras – chave: Leitura infantil. Incentivo. Conhecimento

Abstract:

The practice of reading implies a motivating instrument since a long time. However it is worth remembering that the act of reading leads the being to an exciting and very fruitful journey enriching fascinating talents and emotions. And when this initial contact with the world of reading does not take place within the family, it is the responsibility of the school to give a significant start to this important task. The pleasure to read much debated point in the university has been the nucleus of many studies showing that great importance has the act of reading in the construction of the interesting knowledge. Making us understand that reading is a fascinating journey in the literate world of imagination.

Key - words: Child reading. Incentive. Knowledge.

 

INTRODUÇÃO:

O que faz o pequeno aprendiz desenvolver o prazer pelo ato de ler? Este prazer vai bem mais além do que simplesmente ler, aguça o gosto por ler, faz o indivíduo sair do seu mundo e mergulhar no mundo das letras, implica numa conjuntura de alguns pontos importantes como o incentivo por ler, o contato com o mundo da leitura e a maneira como é instigada. Portanto ler é bem mais do que simplesmente decodificar letras, vocábulos ou frases soltas, ler implica em se familiarizar com o que lemos e assim podermos sentir o mundo letrado como algo fascinante.

               Indo de encontro ao que nos diz Abramovich, (1993), que é de suma significância para se trabalhar a formação letrada do indivíduo, ouvi-las, contar Histórias, incentivar estas a recontar, ler e assim instiga-las ao prazer de ler, transformando tais atitudes em meios valiosos para se desenvolver leitores apaixonados e consequentemente cidadãos pensantes e atuantes.

           Como também vale ressaltar que, o trabalho desenvolvido referente a leitura de forma prazerosa, que conduza o leitor a uma linda viajem no mundo das letras, irá nos conduzir ao leitura com significado, a leitura capaz de entende e interpretar o que foi lido.

E assim se construiu esse artigo, onde tem como tema: LER E VIAJAR NO MUNDO DAS LETRAS, sendo dividido em três pequenos capítulos, onde o primeiro irá falar um pouco sobre a origem da leitura e escrita, o segundo sobre ler com prazer e o terceiro irá referir-se sobre os procedimentos metodológicos utilizados para a construção deste, fazendo uso de algumas referências bibliográficas, como Corrêa, (2001), Fragoso (2011), Coelho (2000), entre outros.

 

 

I CAPITULO

A ORIGEM DA LEITURA E ESCRITA

Para Bajard (1994), a inventividade da escrita aconteceu não para germinar a oralidade e sim para somar ao desenvolvimento do processo da leitura e escrita, num todo. Uma cultura letrada que vem se propagando de geração para geração. Lembrando que segundo Kilian e cardoso (2012), a transformação do homem passa precisamente pelo filtro seja da escrita ou de outros elementos como desenhos representativos originados dos nossos antepassados.

De acordo com Kilian e Cardoso (2012, p. 2), conforme mostram as exposições históricas e antiquada, foi na Babilônia onde tudo teve seu início e atualmente dessa cidade só restam ruínas na região Mesopotâmica do Egito. Seu povo foi o iniciador de muitos avanços da civilização como, por exemplo, agricultura, arquitetura, comércio, astronomia, direito, escrita. Assim surgem as preliminares que deram origem ao surgimento de uma habilidade prática inovadora a leitura.

                Segundo Pinheiro e Alves (2012, p. 2449), a leitura, expõe um universo oficial e valores, sendo capaz, em alguns casos, de transformar o leitor quanto a forma de enxergar o mundo. Passa-se a ver o mundo com outro sentido, sendo capaz de viajar no mundo mágico da imaginação.

 

II CAPÍTULO

LER COM PRAZER

 

É de suma significância saber a importância do ler no desenvolvimento infantil, o qual possui como principal objetivo transformar os pequeninos em leitores assíduos, como alega Silva (2005):

”Parece certo dizer que não existe tradição de leitura no Brasil. Dada as condições do desenvolvimento histórico e cultural do país, a leitura, enquanto atividade de lazer e atualização, sempre se restringiu a uma minoria de indivíduos que teve acesso à educação e, portanto ao livro”, (SILVA, 2005, P. 123).

                        Outro ponto de suma significância ressaltado por Silva (2005), a prática da leitura implica numa série dinâmica voltada para leitura, através de informações que servirão de notícias aguçadoras.Um outro ponto muito relevante salientado por Filhos (2010), escutar outras histórias é um evento tão repleto de muito prazer, que aguça o interesse das pessoas em qualquer faixa etária.

 

 

Um outro ponto muito importante citado por Almeida (2009), é queler não se resume tão somente a caminhar sobre as letras, mas ter condições de fazer inferências sobre o que foi lido, é compreender o que disseram as letras em seus enunciados. Portanto o ato de ler implica em saber representar o mundo através das letras, fazendo lembrar que ler e escrever implica numa ação que resulta em liberdade.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Nos dias atuais a leitura e escrita tem sido um dos mais estudados temas, o ler com prazer implica uma atividade de muita importância para o potencial cognitivo do ser, no entanto ler hoje representa numa barreira a ser vencida para muitos. A leitura quando praticada sem nenhum prazer, acaba se tornando numa atividade mecânica sem muita importância para quem ler, muitas vezes por falta de métodos propícios, métodos inovadores, o ler acaba erroneamente se tornando em algo cansativo.

Para que uma criança possa desenvolver interesse obtenha o interesse pela leitura, é necessário que ela entenda que a leitura não é uma obrigação e sim uma satisfação. O interesse pela leitura começa antes mesmo de seu ingresso em uma escola, pois a criança tem uma curiosidade natural por tudo que a cerca. A leitura deve ser vista como uma atividade prazerosa e não algo que lhe seja doloroso.

                   Assim sendo fica evidente que ler com prazer, representa um avanço no processo de ensino e aprendizagem onde o trabalho pedagógico ganha mais sentido.

Como nos diz Aguiar (1996), o ler, muito embora seja uma tarefa rotineiro, temos que embora que existem alguns lugares que não é bem assim, para se ter prazer pelo ler se faz necessário instigar o ato de ler. Porém para isso se faz preciso aprender a linguagem oral e escrita.

 

III PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:

 

A elaboração deste artigo teve por meta principal mostrar com precisão a relevância da leitura com prazer, o qual foi construído fazendo uso de referências bibliográficas e leitura prazerosa de algumas obras de autores especialistas no assunto.

                   Se fez uso também de recursos encontrados em reportagens de jornais, revistas, entre outros. Em seguida se realizou uma pesquisa reflexiva bibliográfica, contribuindo assim para mostrar com por meio dos pressupostos utilizados para realização deste.

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

ALMEIDA, Fernando José de. Folha Explica Paulo Freire. São Paulo: Editora Publifolha, 2009.

CASSIANO, Adriana Aparecida. O prazer de ler: o incentivo da leitura na educação infantil. Londrina: Universidade Estadual de Londrina. 2009. p. 48. Curso de Pedagogia, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2009.

CASTRO, Eline Fernandes de. A importância da leitura infantil para o desenvolvimento da criança. [S.L.], 2010. Disponível em: http://meuartigo.brasilescola.com/educacao/aimportancia-literatura-infantil-para.htt. Acesso em: 10 set 2011.

CERISARA, Ana Beatriz. Professoras da educação infantil: entre o feminino e o profissional. 2ª. Ed. São Paulo: Cortez, 2002.

 

COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise e didática. São Paulo: Moderna, 2000. CORRÊA, Elisa Cristina Delfini;

 

FILHOS DE A a Z. A importância da leitura nos primeiros meses de vida. Disponível em:. Acesso em: 05 de out. de 2011.

 

KILIAN, Carina; CARDOSO, Rosane Maria. Práticas de leitura literária: os casos de França e Brasil. [2012]. Disponível em: http://www.unifra.br/eventos/sepe2012/Trabalhos/5338.pdf. Acesso em: 12 de outubro de 2015.

 

OLIVEIRA, Karina Costa de; BOURSCHEID, Laura da Rosa; SILVA, Lucélia Naside da. Bibliotecario escolar: um educador? Revista ACB, Santa Catarina, v.7, n.1, 2002. Disponível em:. Acesso em: 07 dez. 2011.

 

SILVA, Ezequiel Theodoro da. O ato de ler: fundamentos psicológicos pra uma nova pedagogia da leitura. 10ª. Ed. São Paulo: Cortez, 2005.

Revisado por Editor do Webartigos.com