Após estudarmos o período medieval e as consequências do Feudalismo na Europa Ocidental, daremos início ao contexto moderno, ou seja, as mudanças que vão correr em torno da transição do Feudalismo e a consolidação do sistema Capitalista.

Esta transição levará em torno de trezentos anos, até a implantação definitiva do capitalismo. As fases deste sistema econômico e as mudanças que efetivaram os novos focos da economia, sociedade e demais aspectos, tanto da Europa como demais partes do mundo serão estudados neste período histórico e, como os demais, apresenta-se cheios de avanços e recuos.

Começamos pelas mudanças sociais. Um grupo chamará a atenção, pois dentro do Feudalismo começaram a se despontar. Trata-se dos habitantes dos burgos que viviam por meio de seu comércio. Os habitantes destes locais lutaram pelas suas cartas de franquias e, desta forma surgem às primeiras cidades, seus moradores eram chamados de burgueses. Estes irão lutar por muito tempo pelo fim das interferências ligadas à Igreja e nobres. Será um grupo que terá muita interferência na história.

Outro movimento que chamará a atenção neste período é o Renascimento, o primeiro movimento moderno existir a mudança de mentalidade, o homem passa a ser condutor de sua própria história, sem intervenção da Igreja. Os inúmeros nomes de artísticas, escritores e intelectuais deste movimento, contribuíram em muito para que os resquícios medievais fossem colocados em xeque.

Não podemos deixar de mencionar a respeito da reforma religiosa que também veio abalar as estruturas de poder, sobretudo da Igreja Católica, que também não ficou calada frente aos avanços reformistas; obviamente que reis e outros grupos sociais tinham um profundo interesse neste aspecto religioso, sempre focados na questão do poder.

O surgimento de dinastias e o que se denominou chamar de Absolutismo, não pode ser esquecido, pois aqui se salienta o aspecto político com a centralização na figura do rei. Lembrando: no Feudalismo a figura do senhor feudal era descentralizada e o contexto moderno buscava uma centralização de poder. Os teóricos do Absolutismo escrevem para ascender à figura do rei, dentre estes se destacaram Hobbes e Bossuet.

A questão econômica, mencionada anteriormente, ligada as fases do sistema Capitalista, passando pelo comercial e o mercantilismo, chegando ao advento da revolução industrial, com o capitalismo industrial e posteriormente o financeiro, trouxeram grandes mudanças no cenário mundial, sobretudo na Europa; mas tais transformações estão no contexto de outra fase da história com que irão configurar o mundo contemporâneo.

Estudar a história moderna é aprofundar-se na no contexto histórico de nosso país, afinal foi neste período que os portugueses se encontram com os índios e passamos a ter a interferência portuguesa nas terras brasileiras. Essa relação foi de exploração, uma vez que a metrópole visava apenas explorar sua colônia. Em que pese às várias revoltas que existiram no período colonial, demorou a aparecer os ideais de liberdade. Algo que não posso deixar de lembrar são os negros que nesta terra vieram viver, mas que continuam esquecidos e desprezados.

O desafio foi lançado - estude história - mas para ser um cidadão consciente, tenha a noção que os escritores da história, em muitos momentos, comprometeram-se com os poderosos. Cabe aos que desejam viver em um país mais livre, ter vontade de aprimorar seus estudos para que todos possam ganhar com as novas possiblidades de ver, contar e registrar a história.