DATA: 28.07.2016, por volta das onze horas, estava na Delegacia Regional de Tubarão e durante o intervalo de uma das audiências de ouvida de testemunha em mais num procedimento disciplinar aproveitei para retornar ao gabinete do jovem Delegado Regional Bermudez para continuarmos nosso diálogo anterior. Meu interesse era tratar do anteprojeto da lei orgânica e da importância histórica do momento, sobretudo, do papel histórico do Delegado Ulisses Gabriel (Presidente da Adepol/SC). O foco da nossa conversa era o segundo mandato na Adepol e que o Delegado Ulisses não poderia fugir a um desafio real (porque os dois primeiros anos foram bem “light”), pois caberá a ele a defesa e luta por um projeto de magnitude fundamental como lei orgânica e que se realmente tivesse algum projeto pessoal no plano político isso passaria pela aprovação de algo de impacto institucional e certamente a classe saberá fazer seu julgamento.  Abrimos uma brecha e procurei falar da gafe cometida por Ulisses quando publiquei meu artigo com críticas sobre a Adepol, cuja nota final de rodapé esclarecia que aquilo havia sido divulgado anos atrás. Só que Ulisses não leu o artigo até o final e achou que as críticas eram contemporâneas e endereçadas para ele. Comentei que Ulisses fez uma réplica na rede rebatendo as críticas que eram dirigidas a um presidente antigo. Depois dos meus esclarecimentos comentei que Ulisses havia me pedido "perdão" quando se deu conta do seu erro de julgamento. .

Bermudez  ouviu atentamente meu relato e teceu o seguinte comentário:

- Doutor, o senhor sabe que o Ulisses é extremamente vaidoso...".

Respondi que esse era o meu medo, que sua vaidade o cegasse.Mas lembrei que no nosso primeiro contato pela manhã Bermudez observou meu relógio "Diesel" no pulso e fez um comentário:

- Bonito relógio esses seu.

Saí do gabinete de Bermudez com a certeza que apesar de me esforçar para manter uma dose de simplicidade meu interlocutor também talvez também denotasse uma boa dose de vaidades... Lembrei do seu traje (terno), da sua barba rala aparada, da sua Mitsubishi Triton estacionada no pátio da DRP. E me perguntei se também não seria dotado desses pecados capitais? Tinha certeza que tanto Ulisses como Bermudez pertenciam a uma safra de novos Delegados colm suas ambições (especialmente de fazer carreira rápido, ocupar cargos de direção, ministrarem aulas em Faculdades e na Acadepol, dentre tantas outras coisas...). Também contava que esses dois Delegados possuíam grandes méritos profissionais, intelecutais, pessoais..., mas estariam conscientes dos nossos desafios históricos ou trocariam isso por projetos pessoais? Novamente, só o fator tempo é que poderá nos dar respostas e revelar os fatos.

E na ordem do dia, nosso presidente da Adepol vai gerando aquilo que pode ser definido como a sua "Era". O que pretende com isso? Não sei, sinceramente, só o tempo... Depois de avançar mais um pouco nos estudos, resolvi mandar o projeto da Lei Orgânica para Ulisses, só que não houve retorno alguma,mais uma vez. Lembrei do Delegado Bermudez e espero que esteja errado quanto a questão das "vaidades".

Assunto:
    

Anteprojeto - Lei Orgânica
    


De:
    

Felipe Genovez     

Adicionar contato


Denunciar Spam

Enviada em:
    

03/08/16 13:28

Para:
    

ulisses.pcsc@gmail.com

ulisses.pcsc@gmail.com   

Resposta para:
    

Felipe Genovez


Estou reenviando o anteprojeto já em fase de conclusão, com os anexos, pq remeti há instantes e não consegui salvar nos meus "enviados".
Att.