GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES: REFLEXÕES SOBRE O TRABALHO DESENVOLVIDO NA COAPEM EM SÃO LUÍS (2008-2013)

*Lorena Lima Ribeiro

Sabe-se que a escola, de forma geral, dispõe de dois tipos básicos de estruturas: administrativa e pedagógica. A primeira assegura a locação e a gestão de recursos humanos, físicos e financeiros. A segunda está ligada ás questões educativas, como corpo discente, docente, dentre outros.

Dessa forma, ao analisarmos a trajetória da estrutura organizacional de um espaço escolar, estamos ao mesmo tempo, avaliando á luz dos pressupostos teóricos, ao situar os obstáculos e vislumbrar as possibilidades. Vamos aos poucos desvelando a realidade escolar, estabelecendo relações e definindo finalidades comuns, configurando assim novas formas de organizar as estruturas administrativas e pedagógicas para a melhoria do trabalho de todo o espaço escolar.

Considerando o contexto, as possibilidades, limites, recursos (humanos, materiais e financeiros) e a própria realidade escolar, cada instituição educativa assume sua marca, tecendo, de maneira coletiva seu projeto político-pedagógico, propiciando a construção de uma nova forma de organização.

Conforme Manes (1999), o processo que possibilita uma evolução tanto das oportunidades quanto das ameaças existentes, assim como das dificuldades e condições existentes no espaço institucional, podem de certa forma oferecer condições de melhor explorar os pontos de necesidades e assim desenvolver novas e significativas estratégias para então vencer os obstáculos que se apresentam. Isto significa acima de tudo que o planejamento envolve tomar e tomar decisões, bem como antecipar o que será feito, projetando os objetivos, prazos e recursos. Nesse contexto, é importante antes de mais nada pensarmos nas organizações não somente como espaços de classificação de pessoas por tarefas, mas como importantes componentes, os quais descrevem a instituição nos fornecendo a imagen da mesma, a partir dos diferentes pontos de vista que Caracteriza um espaço institucional.

Arguín (1993), diz que é o processo de gestão que nos permite melhor visualizar o futuro das decisões de uma instituição, pois, é oriunda de vários aspectos, que vão desde a filosofia da instituição, até a definição de estratégias para alcançar os objetivos propostos.

Conforme estudos realizados no seminário “La gestión de las organizaciones”, podemos destacar como componentes principais do trabalho que envolve a observação e a discussão em torno das gestões de instituições escolares, os seguintes elementos:1-El contexto; 2-Los condiconantes; 3-Los escenários; 4-El método FOFA; 5-La visión; 6-La misión; 7-Las estratégias; 8-Los objetivos; 9-Las metas; 10-Las viabilidades.

Navarro, (1996: 116): propõe uma forma de planejamento "que, em face de conflitos emergentes, planeje soluções através do trabalho cooperativo, participativo e criativo de grupos autogeridos"; uma forma de trabalho que obriga os grupos em interação a colocarem sua instituição como objeto de estudo e que "por meio de linhas de ação comprometidas, negociadas e comprometidas, chegam a encontrar propostas que esclarecem a incerteza, que descobrem as possíveis resistências, que viabilizem respostas transformadoras e, em síntese, concretizem as ações que conduzem aos resultados, que permitam resolver demandas institucionais e individuais ".

Cada ator institucional deve ter a vontade de trabalhar de forma colaborativa nos processos de melhoria que, para Apocada e Grao, (1997: 202) são os protagonistas institucionais que trabalham para a "conquista de uma cultura organizacional voltada para a conquista de conquistas coletivo ".

Nossa análise será toda baseada em uma experiência de gestor vivenciada durante os anos de 2008 a 2013, na Secretaria Municipal de Educação(SEMD), no Município de São Luís, capital do Estado do Maranhão, localizado na região nordeste do Brasil.

1-Breve descrição do setor

A COAPEM (Comissão de Aplicação do Estatuto do Magistério) foi criada no ano de 1999 com o objetivo de esclarecer dúvidas e organizar a vida funcional dos servidores do magistério nas carreiras da educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamenta na cidade de São Luís.

Localizado na Rua 07 de Setembro, no centro de São Luís, o setor faz parte do organograma da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), e funciona como assessoria do Secretário Municipal de Educação, assim como local de orientação aos professores da rede pública municipal de São Luís.

Funciona em dois turnos, matutino e vespertino, sendo o matutino expediente interno, como análise de documentos, atualização de cursos de formação de professores, organização de pastas de professores sobre suas vidas funcionais, dentre outros; O turno vespertino é destinado ao atendimento de professores, nos mais diferentes aspectos, que vão desde dirimir dúvidas sobre sua vida funcional á solicitação de promoções, conforme prazos e datas estabelecidos pela legislação vigente, através do Estatuto do Magistério( Lei n°4.749, de 03.01.2007 e o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos profissionais do magistério de São Luís( Lei nº4931 de 07.04.08, leis específicas que tratam sobre direitos e deveres dos professores da rede.

Está localizado em uma parte da Coordenação de Recursos Humanos, onde são disponibilizadas duas salas, uma onde fica o arquivo com as pastas sobre as vidas funcionais dos professores e a outra para atendimento ao público.

O setor é um importante espaço de informação e esclarecimento de dúvidas acerca de direitos e deveres dos professores da rede municipal de ensino. Até o ano de 2013, funcionava com um número total de 7(sete) funcionários, sendo 02(duas) analistas, 01(uma) no turno da manhã, e outra no turno da tarde, as quais tinham como função analisar documentos e atualizar pastas de professores conforme período e prazos determinados.

Contava ainda com 01(um) serviços gerais, responsável pela limpeza do setor, 01(um) arquivista o qual mantinha o arquivo com as fichas funcionais dos servidores atualizados após a organização das analistas, 02(dois) atendentes para o turno vespertino, 01(um) digitador que ficava nos dois turnos para a organização de documentos internos e externos a secretaria, uma especialista em educação, a qual tinha como função a informação de processos sobre solicitações de pedidos dos professores e uma Presidente a qual organizava as atividades de informações de processos advindos dos mais diferentes setores da secretaria, assim como participava de reuniões em todos os setores os quais fosse solicitado, representando muitas vezes o Secretário de Educação em algumas discussões.

O setor conta ainda com a existência de um grande arquivo, no qual estão organizadas todas as pastas com a vida funcional dos servidores, em especial no que concerne á formação e capacitação dos mesmos, complementando assim o arquivo funcional maior, que faz parte da Coordenação de Recursos Humanos da Secretaria Municipal de Educação – SEMED. [...]