eBook gratuito: clique agora e baixe.

Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais

Curso de Ciências Contábeis

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

CONTABILIDADE AVANÇADA

CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE SOCIETARIA

DIREITO PREVIDENCIÁRIO

DIREITO TRIBUTÁRIO

PLANEJAMNETO GOVERNAMENTAL

TÓPICOS CONTÁBEIS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GERENCIAMENTO DE RESULTADOS 

FINANCEIROS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Belo Horizonte

2018

Daniel Inocencio Froes

Deyber Lorran Gomes Ribeiro

Elias Daoud Neto

Joao Victor Martins

Julia Mesquita Guerra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

GERENCIAMENTO DE RESULTADOS 

FINANCEIROS

 

 

Trabalho Interdisciplinar do 4º Período do Curso de Ciências Contábeis Noturno do Instituto de Ciências Econômicas e Gerenciais da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

 

Professores: Amaro da Silva Júnior

Angela Maria Marques Curpetinno

Antonio da Paixão Barros

João Virgílio Sifuentes Costa

José Ronaldo da Silva

Marco Antonio Pereira

Roanjali Auxiliadora Gonçalves

Salviano de Araújo

Sabino Joaquim Freitas

 

 

 

 

 

 

 

Belo Horizonte

2018

Sumário

1. INTRODUÇÃO 3

2. GERENCIAMENTO DE RESULTADOS 4

3. IMPORTÂNCIA DO LUCRO NO GERENCIAMENTO DE RESULTADO: 4

4. ANÁLISE DAS CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DO GERENCIAMENTO 5

5. GERENCIAMENTO DE RESULTADOS NO MERCADO DE CAPITAIS 7

6. ESTUDO DE CASOS 9

6.1 ANÁLISE DOS RESULTADOS 11

7. DISCUSSÃO INTERGRUPAL 12

8. CONCLUSÃO 12

9. REFERÊNCIAS 14

10. COPYSPIDER 15

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1. INTRODUÇÃO

O gerenciamento de resultados contábeis nas empresas é uma dificuldade verdadeira, sobretudo por encontrar soluções nas maleabilidades das normas e regulamentos contábeis, que permitem possibilidades diferentes para a contabilização de um mesmo acontecimento contábil. E mesmo, onde há normas, estas proporcionam ao gerente diferentes escolhas sobre a determinação dessas normas. Assim, o objetivo deste trabalho interdisciplinar é reconhecer as fundamentais causas e as consequências da execução do gerenciamento de resultados contábeis nas organizações, tendo em vista os diversos utilizadores internos e externos, das demonstrações e relatórios contábeis, considerando, dentre outros, os conceitos de transparência, de subjetividade, de flexibilidade das regras contábeis. Pode-se chegar a\ conclusão de que dentre as principais razões que levam os gestores e as organizações a gerirem as sua demonstrações de resultados contábeis estão no fato de que os princípios contábeis normalmente são aceitos e não alcançam todas as situações possíveis que as corporações e os administradores podem conseguir. Quanto às consequências, encontram-se o comprometimento das informações contidas nos demonstrativos contábeis, bem como o impacto que podem ter os informes publicados sobre as decisões dos investidores nas Bolsas de Valores.

Sendo assim, a escolha do tema justifica-se pela relevância do mesmo, à medida que vivenciamos um rearranjo no papel do gestor nas organizações, com aumento da necessidade de aperfeiçoamento e conhecimento das funções gerenciais, e tais práticas estarem diretamente ligadas ao papel do profissional contador.

Entretanto, dado que a Contabilidade é uma ciência social, o produto final da ciência contábil, as Demonstrações Financeiras, pode ser afetado devido à discricionariedade que os gestores dispõem.

Com suporte no que foi demonstrado, cabe explorarmos de que maneira o conhecimento das funções gerenciais e de resultados são importantes dentro das empresas.

 

 

2. GERENCIAMENTO DE RESULTADOS

De acordo com Schipper que foi onde se iniciou o estudo do gerenciamento de resultado internacionalmente no ano de 1989, classifica gerenciamento de resultado como uma intervenção externa financeira no intuito de obter benefício privado. (SCHIPPER, 1989)

O gerenciamento de resultado é feito através de acumulações de contas que compõe o lucro, que seu intuito é mensurar o lucro de forma econômica, de forma a não alterar o fluxo de caixa e dar o aumento de patrimônio da entidade independente do movimento financeiro. (MARTINEZ, 2008).

Para (Fields, Lys e Vincent) a função do gerenciamento se acarreta em interesse próprio dos gestores em obter lucros mais elevados que automaticamente resultara em um elevado valor de ações e aumento de valor no mercado e um reconhecimento de reputação maior, inclusive falam em motivos para ter um gerenciamento, que podem ser interferidos em contratos ou precificações em ativos ou influência de algum terceiro. (Fields, Lys e Vincent, 2001).

 

3. IMPORTÂNCIA DO LUCRO NO GERENCIAMENTO DE RESULTADO:

A contabilidade tem como seu objetivo informar seus destinatários da informação, da forma que possam acompanhar a análise econômica financeira e obter informações para tomada de decisão. Todas informações geradas pela contabilidade são essenciais para comunicação entre a realidade da empresa e os agentes econômicos. Assim a contabilidade está ligada aos interesses dos acionistas em estimar o lucro e o valor da entidade. (COLAUTO; BEUREN, 2004)

Tendo o lucro como informação da entidade a sua divulgação é primordial, pois de acordo com Hendrinksen e Van Breda (1999, p. 174-205), é essencial o fornecimento de informações uteis para os devidos interessados nas informações, pois através do lucro é visto a eficiência para uma trajetória futura da empresa. Pois os investidores e credores estão sempre recorrendo ao lucro para fazer uma rápida avaliação de desemprenho da entidade. Sendo assim tendo uma rápida avaliação no caso de investimento na empresa ou de empréstimos. Neste mesmo raciocínio segue Francis et al (2002, p. 5) que afirma que uma maior qualidade de resultado da um sinal mais preciso e positivo ao investidor. [ CITATION Jui09 \l 1046 ]

 

De acordo com Hendrinksen e Van Breda (1999, p. 177), o grande problema dos lucros publicados é a possibilidade de distorção da realidade, devido ao procedimento contábil, pois a influência da entidade pode afetar no resultado apresentado aos investidores. Nesse mesmo sentido Lopes e Martins (2005, p. 55) dizem que os gestores selecionam informações mais relevantes aos seus interesses próprios. No sentido de iludir o usuário na real situação da entidade.[ CITATION Jui09 \l 1046 ]

 

4. ANÁLISE DAS CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DO GERENCIAMENTO

São diversas as causas nas quais impulsionam os gestores e administradores a recorrerem na prática do gerenciamento de resultados contábeis. Napier (2001 apud ZENDERSKY, 2005, p. 32) afirma que:

“Há duas razões principais para o gerenciamento de resultados contábeis, sendo a primeira delas o fato de que os Princípios Contábeis Geralmente Aceitos não alcançam todas as situações possíveis; e, a segunda, que mesmo onde há regras, os gerentes podem ter possibilidades de escolhas distintas sobre a aplicação”

Outras indagações como a pressão influenciada pelo mercado por resultados melhores e mais satisfatórios, o imenso desejo de atrair novos investidores e assim mais capital social e as ambições de adquirir compensação remunerada muito alta, dentre tantas outras, são verdadeiras tentações a que todos os gestores e executivos nas empresas estão sujeitos.

Ademais, de acordo com Santos e Grateron (2003, p, 14): “Pesquisas empíricas realizadas em países chamados do primeiro mundo destacam que, dentro das principais motivações para a manipulação contábil, os incentivos econômicos, tanto para os gestores como para as próprias empresas, são os mais frequentes impulsionadores da contabilidade criativa.”

 

 

Entre os incentivos mais visualizados podem-se destacar os seguintes

exemplos:

• Obtenção de benefícios diretos sobre os resultados alcançados, margens das vendas, participação no mercado.

• Obtenção de concessões, bonificações e prêmios extras.

• Melhoria da imagem para inclusão no mercado financeiro, bolsas de valores e financiamentos externos.

• Obtenção ou manutenção de subvenções para a indústria, ramo de atividade ou setor.

• Alcançar medidas de proteção das agências governamentais e organismos internacionais de financiamento.

• Obtenção de benefícios fiscais através da isenção e redução das bases de tributação.

• Controle de dividendos.

• Estratégias competitivas e de mercado, além de outras não menos importantes.

Ficam também evidenciados que as principais causas estão interligadas à continuidade do empreendimento, o que é importante para o utilizador olhando-se pelo ponto de vista do investimento realizado e o seu retorno esperado. Nesse aspecto o gerenciamento é muito importante, pois resguarda o cliente investidor, transferindo para períodos mais a frente o ganho ou a perda pela prática do controle e manipulação contábil da empresa. Já os resultados do gerenciamento contábel estão relacionados de modo direto com o nível de transparência da informação contábil e com a divulgação dos relatórios contábeis, de forma a indicar as análises e o processo para as tomadas de decisões.

O que sempre se questiona profundamente não é o fato de existir ou não o gerenciamento dos resultados contábeis, mas a importância que essa prática pode ter junto aos usuários que creditam confiança, segurança, solidez e tomam decisões econômico financeiras com base nas demonstrações contábeis publicadas pelas corporações. Dessa forma, nem sempre estarão refletindo a imagem real e concreta, apesar de estarem corretamente representadas nos moldes e padrões exigidos pelos dispositivos contábeis legais. A Resolução nº 774/1994, do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), conceitua que o objetivo da contabilidade emprega-se na correta apresentação do patrimônio e na apreensão e análise das causas das suas mutações.

Do ponto de vista objetivo, a contabilidade de uma instituição deve buscar informar os usuários com informações econômicas, financeiras e físicas a respeito do Patrimônio da empresa e suas mutações, compreendendo registros, demonstrações, análises, diagnósticos e prognósticos.

A principal razão da existência do gerenciamento de resultados contábeis está na intenção de fiscalizar a modificação, alteração e distorção da informação contábil, com efeito de aumentar o valor da empresa. Controlando assim a polêmica de o fato de que a imagem fiel da empresa pode não estar condizente com os relatórios e demonstrações contábeis publicados, influenciando qualquer decisão, considerada prejudicial para a empresa e investidores.

Dessa forma, as consequências são de fato os efeitos gerados nos investidores e transações econômicas, como por exemplo, a falta de assimetria de informação, os custos de transação, que levam a interpretações erradas e com impactos sociais, econômicos e financeiros para a corporação, os investidores e a sociedade como um todo.

 

5. GERENCIAMENTO DE RESULTADOS NO MERCADO DE CAPITAIS

As Normas Brasileiras de Contabilidade estabelecem conceitos e regras de conduta profissional a serem observados quando da realização do exercício da contabilidade em consonância com os Princípios Fundamentais de Contabilidade. O objetivo principal da contabilidade é fornecer informações confiáveis e fidedignas, estruturadas através de informes contábeis que auxiliem seus usuários na tomada de decisão, podendo assim, contribuir para o desempenho da empresa.

Entretanto, dado que a Contabilidade é uma ciência social, o produto final da ciência contábil - as Demonstrações Financeiras – pode ser afetado devido à discricionariedade que os gestores dispõem. Pois, pode-se tomar decisões e fazer escolhas que não sejam baseadas apenas em fatos contábeis, mas também em fatores externos a estes fatos. Assim, possuindo esta discricionariedade, os gestores aplicam seu julgamento e análise profissional modificando os fatos contábeis e, como consequência disso, a divulgação aos usuários, por meio das Demonstrações Financeiras, também podem conter alterações.

O fato de ser possível que os resultados sejam modificados ou “gerenciados” pelos gestores representa um grande problema, uma vez que para que um usuário tenha uma boa interpretação das Demonstrações Financeiras é necessário que ele avalie a real situação econômica da empresa e identifique a natureza das possíveis alterações que possam ter sido realizados.

Segundo os principais pesquisadores da área, um dos motivos que leva os gestores a gerenciarem seus resultados é a expectativa do mercado de capitais.

Estudos estrangeiros, assim como o de Dechow, Sloan e Sweeney (1995); Kasanen, Kinnuanen e Niskanen (1996); Teoh, Wong e Rao (1998); Degeorge, Patel e Zeckhauser (1999) e Bartov, Givoly e Hayn (1999), avaliam os estímulos do mercado de ações para o gerenciamento de resultados, para que haja uma redução do gap entre o desempenho da empresa e as expectativas dos analistas e dos investidores.

O gerenciamento de resultados é realizado com o intuito de alterar a percepção de risco no que diz respeito a investimentos nas ações da empresa, de uma maneira que possibilite a busca por financiamentos externos – assim como lançamentos de títulos -, evite danos e minimize a oscilação dos resultados, responda às expectativas de lucro dos acionistas, assim como o pagamento de dividendos a estes.

Transparência e clareza são quesitos dos demonstrativos contábeis que os vários usuários da contabilidade utilizam como balizadores para a tomada de decisões, levando em consideração a necessidade de informações que cada um tem sobre a entidade e sobre suas operações. Pode-se concluir que, estes quesitos são afetados pelo gerenciamento de resultados contábeis.

Por este motivo, o gerenciamento de resultados contábeis é definitivamente repudiado por muitos autores, que consideram que as causas desta prática, bem como suas consequências, podem trazer um grande impacto nos informes contábeis que são divulgados, influenciando assim as decisões de investidores nas Bolsas de Valores.

 

 

O grande motivo da existência do gerenciamento de resultados contábeis é o interesse de alterar, modificar e transformar a informação contábil, efetivamente e especialmente no que diz respeito ao valor da empresa. Fato é que, o gerenciamento de resultados faz com que a situação divulgada da empresa por meio dos relatórios e demonstrações contábeis, possa não ser condizente com a sua real situação e imagem fiel, influenciando assim, nas decisões dos usuários. Influência esta que pode ser considerada muito prejudicial.

 

 

6. ESTUDO DE CASOS

O estudo de caso foi realizado na JM varejo Ltda, empresa de distribuição e varejo de alimentos e derivados, com sede no Ceasa, Contagem. A empresa já está no mercado a mais de 14 anos e conta com uma equipe de mais de 200 colaboradores.

O diagnóstico do uso da contabilidade para o gerenciamento de resultados financeiros foi feito através de uma entrevista, com o objetivo de tornar mais dinâmico e mais compreensível o uso dos resultados financeiros da empresa.

Na primeira etapa foram feitas 3 questões abertas onde relacionava o uso da informação para tomada de decisão e a forma de divulgação. Foram entrevistados o Gerente comercial e o Diretor Comercial da empresa.

Questão 1) A informação contábil auxilia no processo comercial da empresa, no quesito de investimento?

Questão 2) A empresa é auditada? Se sim, quais os principais riscos de fraudes em um ramo como esse?

Questão 3) A empresa sempre busca uma divulgação clara de seus demonstrativos? Você considera que uma demonstração bem detalhada pode ter impacto positivo na gestão?

Observando as respostas, foi observado que a empresa se preocupa bastante na elaboração de seus demonstrativos e estão em fase de transição, onde estão passando por auditorias e treinamentos para deixar a informação mais estratificada possível, pois o interesse da empresa é abrir capital em breve.

A empresa possui uma equipe apenas para gestão de negócios e gestão de riscos, onde discutem melhores caminhos para a empresa. Diretor comercial respondeu que as demonstração é muito válida na hora de fechar algum acordo comercial com fornecedores ou clientes, onde conseguem por serem uma empresa organizada em relação a gestão e deixam claro isso nos relatórios, acordos com condições melhores.

Posteriormente foi realizado um questionário com 3 fornecedores da empresa, onde foi aplicado perguntas sobre como é a imagem da empresa no mercado, qual a confiabilidade da empresa, como é a qualidade das informações da empresa, qual a utilidade das demonstrações para fechar condições de negócios. Os fornecedores responderam com notas de 0 a 5 para avaliar a empresa.

 

 

Imagem da empresa no mercado

Confiabilidade da empresa para pagamentos

Qualidade das informações da empresa

Utilidade dos demonstrativos para consolidar negócios.

Fornecedor 1

4

5

4

3

Fornecedor 2

5

5

5

4

Fornecedor 3

4

4

4

3

Fornecedor 4

5

5

4

5

 

 

 

 

 

 

 

6.1 ANÁLISE DOS RESULTADOS

Por intermédio da análise realizada na referida empresa, pode-se perceber que, a empresa está em plena mudança e está investindo bastante para melhorar como é passada sua demonstração do resultado para fornecedores.

Para os fornecedores foi observado que o mais importante é a qualidade das informações, pois nela conseguem mensurar o risco e analisar fluxo de caixa da empresa, assim facilitando condições de negócios com a empresa.

Com o questionário consegue-se analisar que:

 

Fonte: Própria 

Após essa análise conclui-se que as demonstrações possuem diversas utilidades, tanto para quem as divulga e para os que usam, onde favorecem os dois lados. Quanto melhor uma demonstração, melhor será interpretada e os benefícios tendem a ser maiores para ambos. Além que previne fraudes, onde se tem tudo esclarecido e auditado, o que é imprescindível para a continuidade da empresa.

As demonstrações contábeis auxiliam investidores, gestões da empresa, clientes, empresários, fatores econômicos, financeiros, sociais e ate o governo.

 

 

 

7. DISCUSSÃO INTERGRUPAL

O presente estudo, depois de apresentar os conceitos de gerenciamento de resultados e fazer um estudo de caso sobre tal, para que tenta-se entender o funcionamento desse gerenciamento, bem como seu desempenho, reunindo-se para elaborar um questionário com o objetivo de conhecer as principais atribuições desse gerenciamento, buscando responder tais perguntas, obtendo-se bons resultados assim conseguindo chegar a uma conclusão.

O objetivo do grupo era basicamente, saber se o quanto é importante a o gerenciamento de resultados na manutenção e crescimento da empresa, em comparação com pesquisas de outros autores sobre o tema, descobrimos que, o gerenciamento que é a empresa faz e desempenha e divulga é de suma importância para tal organização em todos os aspectos da empresa e sociais.

8. CONCLUSÃO

“O gerenciamento de resultados contábeis é um problema real”, como afirmou Cardoso (2004, p. 19). Por isso, conhecer profundamente o que leva à prática do gerenciamento de resultados contábeis, bem como suas consequências, é um desafio crescente, porém corrigi-lo em toda a sua extensão é um desafio ainda maior.

Hepworth (1953) foi um dos primeiros a mencionar essa prática. A sofisticação das estruturas financeiras e econômicas das companhias e os motivos pelos quais os gestores cada vez mais gerenciam seus resultados, com a intenção de alterar propositalmente a imagem da empresa, têm se tornado alvo de estudo e discussão de diversos autores, despertando atenção redobrada dos órgãos reguladores. Haja vista que o principal motivo para a prática do gerenciamento se encontra nas brechas legais, normativas e nos dispositivos regulamentares que facultam o gerente escolhas diferentes para reportar resultados distintos.

A transparência das informações contábeis publicadas pelas empresas torna-se requisito essencial para que os usuários tenham a garantia de estarem referenciando suas decisões em relatórios confiáveis. De outra forma, haverá como consequência um descrédito por parte destes usuários, com relação às demonstrações contábeis emitidas pelas companhias que gerenciam seus resultados contábeis ou não.

Percebe-se ainda, que existe um impasse ético e de interesses nessa questão: de um lado, os gestores que atuam sob a perspectiva da administração dos recursos da empresa, com a função de fazê-la continuar, “crescer e lucrar”, sob o código da ética, da moral e da preservação do profissional das ciências contábeis, de outro lado, os proprietários, acionistas majoritários, com poder de voto, portanto de decisão, ávidos por obter ganhos maiores e uma melhor rentabilidade de seus dividendos.

No entanto, não existem soluções fáceis de serem implementadas nas empresas que gerenciam seus resultados contábeis, impelindo- as a utilizarem métodos criteriosos mais próximos da realidade, de forma a atender objetivos como a transparência dos relatórios contábeis por meio do conceito da assimetria de informações. Ademais, é necessário desenvolver mais estudos sobre o gerenciamento de resultados contábeis, antes de se chegar a alguma conclusão, pois tanto as causas como as consequências afetam diretamente todas as partes interessadas pelas informações geradas pela Contabilidade.

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

9. REFERÊNCIAS

Marin, A. C. (s.d.). GERENCIAMENTO DE RESULTADOS: UMA ANÁLISE DOS RESULTADOS DAS PESQUISAS EMPÍRICAS NO BRASIL. Acesso em 8 de Out de 2018, disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/140591/000965697.pdf?sequence=1

 

 

Nardi, P. C., Silva, R. L., Nakao, S. H., & Valle, M. R. (12 de 2009). A RELAÇÃO ENTRE GERENCIAMENTO DE RESULTADOS CONTÁBEIS E O CUSTO. Revista Universo Contábil, 5, 26. Acesso em 08 de Out de 2018, disponível em: www.furb.br/universocontabil


 

REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO CONTEMPORÂNEA VERSÃO IMPRESSA ISSN 1415-6555 VERSÃO ON-LINE ISSN 1982-7849 REV. ADM. CONTEMP. V.11 N.SPE2 CURITIBA 2007. Acesso em 12 de Out de 2018, disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552007000600007&lng=pt&tlng=pt


 

DIFERENÇA ENTRE O LUCRO CONTÁBIL E LUCRO TRIBUTÁVEL: UMA ANÁLISE SOBRE O GERENCIAMENTO DE RESULTADOS CONTÁBEIS E GERENCIAMENTO TRIBUTÁRIO NAS COMPANHIAS ABERTAS BRASILEIRAS. Acesso em 14 de Out de 2018, disponivel em: http://www.redalyc.org/html/1230/123012561003/


 

MANIPULAÇÃO DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS: UMA ANÁLISE TEÓRICA E EMPÍRICA SOBRE OS MODELOS OPERACIONAIS DE DETECÇÃO DE GERENCIAMENTO DE RESULTADOS. Acesso em 16 de Out de 2018, disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-28012008-113439/en.php

 

AMAT. O.; GOWTHORPE, C. CREATIVE ACCOUNTING: NATURE, INCIDENCE AND ETHICAL ISSUES. JOURNAL OF ECONOMIC LITERATURE, 2004. DISPONÍVEL EM WWW.SSRN.COM.

 

 

CARDOSO, RICARDO LOPES. GOVERNANÇA CORPORATIVA OU GERENCIAMENTO DE RESULTADOS? REVISTA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE, BRASÍLIA/ DF, ANO 33, N. 150, P. 18-37, NOV./DEZ. 2004.

 

 

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO CFC Nº 774/1994. APROVA O APÊNDICE À RESOLUÇÃO SOBRE OS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE. Disponível em: http://www.cfc.org.br/resolucoes_cfc/RES_774. DOC. Acesso em: 11 de Out de 2018.

 

 

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. RESOLUÇÃO CFC Nº 836/1999. APROVA A NBC T 11 – IT 3 – FRAUDE E ERRO. Disponível em: http:// www.cfc.org.br/resolucoes_cfc/RES_836 .DOC. Acesso em: 11 de Out de 2018

 

 

eBook gratuito: clique agora e baixe.