Palavras chave: saúde; articulações; artrite; exercício 

O presente estudo verifica por meio de pesquisa bibliográfica, qual a influencia do exercício físico na saúde de pessoas com artrite reumatóide e como elas podem se beneficiar de um tratamento que envolva programas de exercícios físicos em sua rotina. Trata-se de uma patologia que afeta o sistema musculoesquelético atingindo mais especificamente as articulações, causando dor e desconforto. Portanto torna-se importante que a ciencia avance com mais estudos nesta área. esta pesquisa tem como principal objetivo apontar os exercícios físicos que podem ser utilizados no tratamento da Artrite reumatoide. Corroborando com outros estudos que apontam o exercício físico como estratégia que combate e diminui os sintomas da artrite reumatóide.

  1. INTRODUÇÃO

“Segundo dados do Ministério da Saúde, a ARTRITE REUMATOIDE (AR) foi responsável em média, por 0,4% das internações hospitalares no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), com gastos correspondentes a 0,2% do montante destinado aos custos das internações na faixa etária acima de 60 anos.” (DARIO, 2011)

Segundo Cornelian et al., (2015) a artrite reumatoide (AR) é uma patologia que afeta o sistema musculoesquelético mais especificamente as articulações, é uma doença que persiste acima de 6 meses,é de origem desconhecida e atinge cerca de 1% da população no mundo, e está relacionada com o alto índice de morbimortalidade.“Segundo dados do Ministério da Saúde, a ARfoi responsável em média, por 0,4% das internaçõeshospitalares no âmbito do Sistema Único deSaúde (SUS), com gastos correspondentes a 0,2%do montante destinado aos custos das internaçõesna faixa etária acima de 60 anos.” (DARIO et al., 2009).

A AR afeta várias articulações, causando dores e desconforto, podendo ocasionar a destruição das mesmas. Existe uma principal característica da AR, que é o processo pro-inflamatório, que promove ou aumentam o aspecto de inflamação da articulação. As dores e rigidez são agravadas pela manhã, são características inerente à patologia, bem como, o indivíduo não consegue realizar movimentos nesse período até uma hora depois de se despertar, em alguns casos surgem nódulos reumatoides em articulações mais frágeis. (CORNELIAN et al., 2015)

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (2008), o diagnóstico de AR é feito quando pelo menos 4 dos seguintes critérios estão presentes por, pelo menos, 6 semanas:rigidez articular matinal durando pelo menos 1 hora, artrite em pelo menos três áreas articulares, artrite de articulações das mãos: punhos, interfalangeanas proximais (articulação do meio dos dedos) e metacarpofalangeanas (entre os dedos e mão), artrite simétrica (por exemplo, no punho esquerdo e no direito), presença de nódulos reumatoides, presença de fator reumatoide no sangue, alterações radiográficas: erosões articulares ou descalcificações localizadas em radiografias de mãos e punhos. (TOIGO e CALEGARI, 2014)

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (2012), a AR tem maior índice de predominância em mulheres, é uma doença mais frequente nos pés e nas mãos, porém, se o diagnóstico for realizado previamente, a remissão na evolução clínica pode ser um fator determinante, visto que essa patologia diminui a qualidade de vida, a mobilidade e autonomia do sujeito. A deformidade que atinge as articulações é inconvertível, sendo assim, é uma doença que diminui a expectativa de vida, assim sendo, pode serdemonstrada a seriedade dessa enfermidade. 

Na artrite reumatoide, o sistema imunológico, responsável por proteger o nosso organismo de vírus e bactérias, também ataca os tecidos do próprio corpo especificamente a membrana sinovial, uma película fina que reveste as articulações. O resultado desse ataque é a inflamação das articulações e consequente dor, inchaço e vermelhidão, principalmente nas mãos e nos pés. É importante lembrar que, por ser sistêmica, ela pode ocorrer em outras articulações, tais como joelhos, tornozelos, ombros e cotovelos, além de outras partes do organismo (pulmão, olhos, coluna cervical). Em outras palavras, embora a principal característica da artrite reumatoide seja a inflamação das articulações, várias regiões do corpo também podem ser comprometidas. (NA ARTRITE..., 2016)

O tratamento fármaco para esta patologia é através da utilização de drogas antiflamatoriasesteroidais, não esteroidais e antirreumáticas que agem na diminuição das dores articulares causadas por esse processo inflamatório, esses medicamentos podem ser naturais ou sintéticos, contudo esse procedimento farmacológico não trás benefícios satisfatórios em relação ao processo patológico, ele atua na diminuição dos sintomas. Uma das características da doença é a perda de massa muscular, o uso desses remédios além de não atuar de forma eficaz nas alterações ocasionadas, promove sérios efeitos colaterais.(CORNELIANet al.,2015)

     “O diagnóstico depende da associação de uma série de sintomas e sinais clínicos, achados laboratoriais e radiográficos. A orientação para diagnóstico é baseada nos critérios de classificação do Colégio Americano de Reumatologia.” (LAURINDO et al., 2004).

     Nos tempos atuais a Artrite Reumatoide vem sendo redescoberta, novos procedimentos vem facilitando a identificação da doença na fase inicial, essa descoberta tem como objetivo apontar a origem e as etapas, para que novos métodos e estratégias possam serutilizados. Os primeiros 12 meses são uma lacuna de oportunidade para o tratamento farmacológico, visto que é um período em que a intervenção é mais eficaz, proporcionando a melhoria e diminuição nos efeitos deletérios que essa enfermidade causa.(SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA, 2012).

[...] é importante iniciar o tratamento o quanto antes, informando-se sobre o plano de tratamento, quais medicações poderão ser usadas e as possíveis complicações da doença para evitar que ocorram as manifestações sistêmicas e o desenvolvimento de sequelas. Também é fundamental manter uma comunicação constante com o seu médico, avisando-o sobre qualquer sintoma que apareça para que ele possa determinar a causa e ajustar o plano de tratamento.“(http://www.artritereumatoide.com.br)

Os tratamentos fármacos tem como objetivo a melhora da qualidade de vida no aspecto geral, na mobilidade, diminuição da dor e rigidez, assim sendo, nessa situação o exercício físico entra como colaborador, auxiliando na lubrificação articular, ganho de massa muscular, força e amplitude muscular, ocasionando diminuição nas dores e melhorias na motilidade do individuo, aumentando sua expectativa de vida e autonomia. O sujeito que é acometido por esta doença em sua grande maioria se torna um indivíduo inativo, as dores são o principal motivo que levam a esse estado ocioso. A inatividade física pode ser um fator agravante, visto que o exercício físico promove lubrificação na capsula articular diminuindo o atrito e aliviando as dores, um sujeito que pratica exercício físico diminui os riscos de lesões articulares. (CORNELIAN et al.,2015)

“O paciente deve ser informado sobre o papel dos exercícios e da proteção articular e as técnicas especificam defisioterapia e de reabilitação, para que possa dedicar-se asatividades de prevenção de deformidades articulares”.(SOCIEDADE BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA, 2012).

            Ainda que, seja recomendado por profissionais da saúde repouso nessa fase de dor aguda o indivíduo deve ser estimulado a continuar a realização de atividade supervisionada para que seja evitável a atrofia muscular e o aumento na produção de liquido sinovial para diminuir o processo de inflamação. O repouso total por um período de dor pode ser necessário, porém, por um tempo prolongado pode prejudicar a produção do liquidosinovialquelubrifica e diminui o atrito, o mesmo é produzido através do exercício e a ausência do mesmo consequentemente ocasiona o aumento da rigidez articular. (CORNELIAN et al., 2015).

Eexistem diversas dúvidas do reumatologistareferentea existência de testes de aptidão física para esses indivíduos, e qual programa de exercício seria ideal, a intensidade, o volume e frequência, uma vez que essas variáveis são de extrema importância para o encaminhamento de pacientes para a pratica de exercícios físicos. (NASCIMENTO et al., 2014)

            Diante do exposto, os autores ressaltam a importância do profissional de educação física em conjunto com uma equipe multidisciplinar, na aplicabilidade de exercícios físicos que buscam o fortalecimento muscular e amplitude articular destes indivíduos. O exercício intercalado com o repouso é essencial para assegurar os benefícios e a segurança do tratamento, exercícios de alongamento, flexibilidade e com peso devem ser empregados de forma moderada, respeitando a individualidade e gravidade da doença, e levando em consideração a sensação de fadiga que cada sujeito apresentar durante o treinamento. (CORNELIAN et al., 2015)

            O papel do exercício físico na evolução de indivíduos com AR, e ressalta a importância da supervisão e da adequação de exercícios para pessoas que possuem essa patologia. Além dos aspectos musculares que são melhorados através da atividade física supervisionada o sistema cardiorrespiratório também sofre alterações em resposta ao exercício, melhorando o desempenho nas atividades diárias. A hidroterapia vem sendo utilizada como meio terapêutico, a água na temperatura entre 33° e 36° graus promove o alivio das dores e possibilita um trabalho com maior amplitude articular, aspecto que pode beneficiar o indivíduo com AR, a literatura ainda é escassa no que se refere à utilização da piscina como forma de reabilitação para essa doença, contudo existem evidênciasque os exercícios realizados dentro d’água são superiores em relação aos executados em terra. (EUZÉBIO et al., 2013)

            “[...] o exercício físico é apontado como capaz de trazer benefícios ao portador de AR, seja diminuindo a dor ou retardando a incapacidade funcional por meio da manutenção da função articular.”(CORNELIAN, 2015)

            Existem diversas constatações que o exercício dentro e fora da água são excelentes mecanismos de tratamento, contudo, se vê a necessidade de uma maior aprofundamento no tema em questão. Dentro do estudo realizado, o treino dentro da piscina promoveu resultados superiores aos que são realizados no solo. (EUZÉBIO et al., 2013)

A partir do exposto acima, o presente trabalho busca responder ao seguinte problema:como os exercícios físicos auxiliam no tratamento daartrite reumatoide?

Tem-se comohipóteseque os exercícios físicos são um mecanismo de tratamento da Artrite Reumatoide

O objetivo geraldeste trabalho é conhecer os exercícios físicos que podem ser utilizados no tratamento da Artrite reumatoide.

Como objetivo específico, identificar quais são os exercícios físicos que diminuem os efeitos deletérios da AR,apontar os benefícios do exercício físico para o tratamento de AR e identificar o papel do profissional em Educação Física na intervenção do tratamento de AR.

            A justificativa social deste trabalho se baseou em demonstrar a importância do exercício físico na qualidade de vida de indivíduos que são acometidos por essa patologia, evidenciando o papel do profissional de Educação Física no tratamento da AR.

            Contudo a justificativa científicademonstra sua relevância por estimular novas pesquisas e estudos referentes ao tema em questão, podendo corroborar com as dúvidas em relação ao tipo de exercício, os cuidados, benefícios e a atuação do profissional de EF no tratamento. [...]