Marcos Vinício de Lima - Graduado em Fisioterapia pela Universidade Salgado de Oliveira – UNIVERSO em Belo
Horizonte/MG.


RESUMO
A lombalgia é conhecida como uma doença que interfere na vida de várias pessoas, causando dor, limitação funcional e custos elevados com cuidados em saúde. Trata-se de um estudo randomizado que teve como objetivo principal estudar os casos de lombalgias e as condições de saúde e trabalho (ergonomia) em um grupo 40 Bombeiros Militares Operacionais do 3º Batalhão, situado na Avenida Antonio Carlos, 4013 em Belo Horizonte/MG. Para indicar a localização da região em que os sintomas álgicos se manifestam, foi utilizada a ferramenta desenvolvida por Corlett (1992), além de uma escala de dor (EVA) e uma sequência de perguntadas com respostas individuais. Os resultados permitiram constatar uma incidência dolorosa em geral de 90 % (36 casos) dos pesquisados, de lombalgia atingiu a casa dos 60% (24 casos), em segundo lugar dor no ombro direito com 22,5% (09 casos), associadas a falta de adequação das condições de trabalho às Normas do Ministério do Trabalho (NR 17). Com base nestes dados conclui-se que os resultados obtidos neste estudo possibilitam maior conhecimento acerca da população avaliada, em relação às condições de trabalho e prevenção de alterações físicas, possibilitando no futuro o desenvolvimento de uma estratégia ampla de um programa de intervenção para Bombeiros Militares com lombalgia no CBMMG (Corpo de Bombeiros Militares de Minas Gerais).


Palavras-chave: Ergonomia, lombalgia, Bombeiros Militares, NR 17.


INTRODUÇÃO
O presente trabalho visa identificar os casos de lombalgias e as condições de saúde e trabalho (ergonomia) de militares operacionais do Terceiro Batalhão de Bombeiros Militares, com sede na cidade de Belo Horizonte/MG, entre os meses de agosto e outubro do ano de 2010. O 3º BBM é dividido em duas seções; administrativa e operacional, essa última, foco do trabalho, conta hoje com um contingente de aproximadamente 120 profissionais. Estes militares estão lotados na sede e Pontos de Apoio (PA), cuja carga de trabalho é plantão de 24 horas e 48 horas de descanso, sendo as primeiras 24 horas descanso e as outras 24 horas de folga. As atividades operacionais de Bombeiros são atendidas em viaturas e equipamentos especializados para este fim, com características próprias que nem sempre conseguem atingir um nível de condição ergonômica exigido pela norma (NR 17).


A ergonomia em todo mundo é considerada, um ponto de contribuição para o trabalho, devido ao seu pioneirismo em vários aspectos do desenvolvimento industrial e tecnológico. No concernente ao trabalho dos militares, especialmente no serviço operacional, onde as especificidades das funções exercidas são variadas, causam a dificuldade da sua aplicação.


O presente trabalho tem por objetivo geral, verificar a incidência de casos de lombalgias e as condições de saúde e trabalho (ergonomia), de militares envolvidos em tarefas operacionais, dentre os objetivos gerais do trabalho, cita-se:


• verificar os episódios de dor desta população;
• correlacionar os episódios encontrados com as condições de trabalho;
• comparar as condições de trabalho com a ergonomia e as Normas Regulamentadoras (NR).
Consultando as bibliografias publicadas não foram encontrados trabalhos que envolvam a área militar ligados com episódios de dores nas costas, ou relacionadas condições de trabalho. Assim, fundamentado nessas constatações, este trabalho de conclusão de curso, aborda o levantamento de dados referentes à dor, lombalgia e atividade física em um grupo de Militares operacionais do 3º Batalhão de Bombeiros de Minas Gerais.


METODOLOGIA
O trabalho realizado contou com palestras explicativas a respeito da pesquisa e distribuição de 50 questionários, onde somente 40 (quarenta) voluntários entregaram devidamente preenchidas. Os militares restantes do Batalhão não foram incluídos por se tratar de uma pesquisa randomizada com número estipulado de 50 (cinquenta) participantes.

O fator de inclusão para participar da pesquisa era ter mais de 10 (dez) anos de serviço, trabalhar no serviço operacional2 e de exclusão era ser do sexo feminino. Esse fator de exclusão (ser do sexo feminino) se deu pelo motivo do Batalhão possuir apenas uma mulher com mais de dez anos de serviço. Para indicar a localização da região em que os sintomas álgicos se manifestam, foi utilizada a ferramenta desenvolvida por Corlett (1992) (anexo D). O objetivo foi facilitar a identificação, para o avaliado, além da dor lombar, outras regiões nas quais se refere dor com frequência.

Foram analisadas as principais viaturas e equipamentos, todos os participantes preencheram o termo de consentimento para realização da pesquisa. Como base de conhecimento e discussão, foram utilizados os seguintes bancos de dados: Scielo, USP e Lilacs, sendo encontrados 20 trabalhos, sendo 13 em português e 07 em inglês, com datas entre os anos de 1984 a 2005.

A análise dos dados foi realizada utilizando-se o banco de dados Excel 2003 para a tabulação das informações.