ENERGIA SOLAR: UMA VANTAGEM COMPETITIVA

Sabe-se que no atual momento do mundo, as empresas necessitam estar bem preparadas para um alto grau de competitividade no mercado.

Estas empresas precisam estar inseridas na busca por inovações e assim gerar vantagens competitivas no seu processo produtivo, para que possam gerar valor econômico, e consequentemente, a sua viabilidade mercadológica. Isto significa que, as empresas necessitam permanentemente da diferenciação no mercado, por meio de estratégias deliberadas, visando a obtenção de vantagens competitivas que proporcionem lucros de monopólio, mesmo que temporários.

Em contrapartida, ao mesmo tempo em que se procura obter um alto nível de competitividade, entende-se queexiste a necessidade por parte das empresas de conservar os recursos naturais existentes, para uma otimização destes no futuro, pois já não é possível contar com tanta oferta de recursos naturais para atender esta imensa demanda, dado o nível produtivo que a humanidade alcançou neste ultimo século.

A inflação dos preços da gasolina, do óleo para aquecimento domestico, e dos demais derivados de petróleo veio para ficar. E além disso, a exigente demanda já não tolera empresas que produzem energia queimando, carvão, óleo e gás natural.

No Brasil um dos maiores problemas enfrentados pela economia é a utilização de maneira errônea dos recursos naturais disponíveis, principalmente quando se trata de energia elétrica, pois é a partir desta que se obtém todo o resto no que se refere a produção de bens e serviços pelas empresas, logo, a energia quando alocada de maneira errônea tanto economicamente, pois gera um pesado ônus sobre a economia do país e das empresas, como também no que se refere ao meio ambiente, através das grandes inundações necessárias para a construção de uma usina hidrelétrica.As fontes de energia, recebem destaque justamente por sua grande importância no processo de criação do desenvolvimento sustentável de qualquer nação, e pela sua importância como fonte vantagem competitiva pelas unidades produtivas no mercado.

Varias fontes de energia limpa estão sendo desenvolvidas e utilizadas para sanar esta deficiência brasileira. Mas uma destas fontes de energia chama a atenção pela sua eficiência como fonte alternativa de energia, na contenção de custos com energia elétrica e outras no processo de geração de energia auto-sustentável, promovendo redirecionamento de energia vindas de hidrelétricas e diminuindo custos de energia para as empresas, é a energia solar ou fotovoltaica.

A energia solar fotovoltaica, fruto da conversão direta em eletricidade, a forma que tem apresentado o desenvolvimento mais notável nos últimos anos. Os sistemas fotovoltaicos têm recebido grande atenção da comunidade técnica internacional. Como conseqüência, têm sido apontados como umas das grandes oportunidades no setor energético neste princípio de milênio. Sistemas de geração fotovoltaica têm sido utilizados de duas formas: isoladamente e em co-geração. Em empresas que estão em localidades remotas, que não contam com fornecimento de energia elétrica convencional , em regiões de difícil acesso à rede elétrica, e em grandes centros urbanos que buscam fontes de energia alternativa para os altos índices de consumo,sistemas fotovoltaicos isolados podem ser a solução. Neste caso, a energia gerada deve ser parcialmente armazenada em bancos de baterias. O excesso de energia gerado durante períodos de elevada radiação solar, ou de baixo consumo, pode ser armazenado, para uso durante a noite, por exemplo. Sistemas fotovoltaicos podem ser a fonte principal de energia para consumo empresarial. A outra situação possível envolve a utilização de um sistema de geração fotovoltaico como uma fonte de eletricidade conectada em paralelo com a rede elétrica, em co-geração. Neste sistema, o consumidor utiliza primariamente a energia gerada localmente em painéis fotovoltaicos. Qualquer diferença entre o consumo e a geração local é fornecida ou consumida pela rede de energia, dispensando o uso de baterias. Do ponto de vista do consumidor, a vantagem é a redução direta do custo da conta de eletricidade. Do ponto de vista do sistema de energia, as vantagens são a liberação de capacidade de geração e transmissão de energia, o nivelamento da curva de carga, a redução de custos e a descentralização da geração.

Entende-se também que isto proporcionará a criação de satisfação, que é classificada entre os consumidores através da geração de uma imagem positiva no que se refere aos cuidados com o meio ambiente, nas mentes dos consumidores . Os sistemas fotovoltaicos vêm recebendo grande atenção em vários países. Painéis fotovoltaicos são disponíveis hoje em várias apresentações, além da clássica forma plana: como telhas, laminados flexíveis, placas semitransparentes etc. Isto possibilita a integração dos painéis fotovoltaicos às edificações, com um mínimo de impacto arquitetônico. A co-geração em edifícios comerciais permite a redução de custos e é particularmente vantajosa quando se lembra que as atividades nesses prédios se concentram durante o dia, no período de disponibilidade da energia solar.

No caso do Brasil, a extensão territorial e os níveis elevados de radiação solar, durante todo o ano e em praticamente todo o seu território tornam a energia fotovoltaica viável.

Conclui-se que a implantação de energia solar nas empresas brasileiras, é viável, dado que o país apresenta todas as exigências técnicas para isto ,e mais importante ainda, existe uma crescente demanda por fontes limpas de energia no país por conta da exigência por parte dos consumidores em relação aos cuidados com o meio ambiente, o que garante a demanda pela energia fotovoltaica.