RESUMO

A evolução dos conceitos de direitos humanos na história foi lenta e necessitou de debates acirrados sobre a necessidade de defender os direitos fundamentais ao homem. Diante das tragédias, das desigualdades, dos desajustes políticos e suas ideologias procurou-se reivindicar a igualdade dos cidadãos em nível universal e local, isto é, a análise das casuísticas globalizadas, no mundo inteiro cedeu lugar a diretrizes e processos em defesa da convivência harmoniosa e com menos anarquia. O poder sempre ficou nas mãos de uma burguesia, de uma elite controladora e com isso a sociedade uniu-se através de documentos oficiais para denunciar o anarquismo, a falta de leis e de governos separatistas. Assim a oportunidade de lutar por cidadania e de leis que determinam a gestão menos desigual veio da democracia, vivida em tese, pela conquista da liberdade de direitos das pessoas. Ainda é uma construção iniciante, porque há muita corrupção, abusos de poder, biopoder, negação dos direitos humanos e sociais, entretanto muito já se avançou e espera-se das futuras gerações o alcance de uma cidadania mais determinada, em que direitos e deveres sejam na prática, não só na teoria, uma real e garantida busca de igualdade e felicidade entre as pessoas.                                           

Palavras-chave: Direitos humanos, poder, cidadania, democracia, igualdade.

INTRODUÇÃO

O presente artigo com o tema aqui em pautatem o objetivo de tecer uma reflexão e discernimento entre os conceitos de direitos humanos vividos no decorrer da história até a atual diversidade e pluralidade, bem como promover o pertinente debate sobre osdireitos fundamentais da pessoa. Parte do princípio de que a vida humana necessita de direitos iguais entre as pessoas e que estas vivem num verdadeiro aparthaid entre pobres e ricos, além das classes sociais separadas, numa pirâmide injusta, desigual, desumana. Mesmo com leis que teoricamente sustentam isonomia e justiça, na prática há desmandos daquelas pessoas que assumem as políticas públicas.

   Percebe-se os avanços e as adaptações em cada contexto cultural, entretanto muitos direitos só constam no papel como lei instituída. Os pressupostos filosóficos e éticos que garantem igualdade de direitos servem para burocratizar a observância e a operacionalização destes na vida pública das pessoas. Há desrespeito no cumprimento das leis, além de uma famigerada corrupção entre os políticos que impedem a realização dos humanos e o desenvolvimento das estruturas culturais, causando assim um mal-estar na civilização.

Diante desses axiomas fundamentais, percebe-se que existem inúmeras instituições sociais, jurídicas, ONG’s, leis, projetos sociais, políticas públicas em tramitação a serem votadas nas câmaras de deputados e senadores a fim de resgatar a verdadeira e plena vivência dos direitos naturais fundamentais da pessoa, tais como saúde, educação, cultura, liberdade de expressão. A vida humana, mormente no Brasil, necessita de uma série de providências e consequências positivas na atual diversidade, para que se viva mais feliz a essência humana.

Revisado por Editor do Webartigos.com