eBook gratuito: clique agora e baixe.

 

CRÔNICAS DE MINHA CIDADE – Parte XX – SOBRAL A CIDADE PRINCESA – A TROCA DE ENCOMENDAS E CARTAS DOS DOIS ZÉS.

 

 Por: Wilamy Carneiro

 

Na minha rua morava um Zé. Aqui apresentarei com as iniciais de JW1 e JWC2 para preservar sua idoneidade.  Sua residência ficava numa esquina da Rua do Oriente. ZW1 era um funcionário do Banco. Desde que certo dia os reverses da vida bateu na porta de uma de nossas vizinhas da casa da frente.

Uma coincidência lhes apresento agora. Suas casas eram de esquina. Um de suas filhas começou um namorico com o JW2, outro bancário que frequentava Rua do Oriente. Mais uma coincidência que virou um vexame nas trocas de cartas entre os dois sujeitos e bancários.  

 

 Vejam o causo:

 

- JW1 era um bancário, que residia em Sobral na Rua do Oriente.

- JW2 era um bancário que residia em Sobral na Rua do Feijão - (Rua Monsenhor José Ferreira).

Uma das coisas mais comum em nosso Ceará são os nomes pessoais. Vira e mexe na mesma casa existe filhos com nome de Francisco. As mulheres, por exemplo, chamam de Maria em homenagem a Virgem Santa, Mãe do Menino Jesus.

Tem a Maria das Graças, Maria do Carmo, Maria de Jesus. Os homens geralmente leva o epíteto de Francisco. Uma homenagem ao franciscano de Assis. E os de nome José homenageiam o pai adotivo de Jesus e Padroeiro do Ceará. Para isso voltemo-nos aos tempos de escola a explicar na Língua Portuguesa o que é nome Homônimos e Parônimos. Mas, aqui nos atentamos somente nos Homônimos, e preterivelmente nos Homônimos Perfeitos.

Homônimos Perfeitos são vocábulos que se pronunciam e se escrevem da mesma forma, mas têm sentido diferente.  Exemplos: (A cerca) de madeira num terreno e (A cerca) de 50 metros que marca uma distância. O (Cumprimento) = Saudação e (Cumprimento= realização de tarefas).

Explicado o que é Homônimos vamos o que interessa. Aos nomes pessoas encontramos também os homônimos. Assim os dois JW1e JW2 que passaram a residir na mesma Rua do Oriente. Digo-lhes um já morava, e o outro veio a residir tempo depois.  

 

A vizinha da casa da frente se casou com o bancário JWV2. Ao se casaram em algum tempo foram morar na rua vizinha, atual Rua Monsenhor José Ferreira, a antiga Rua do Feijão, próximo às margens do rio Acaraú.

O outro, JWV1 residia na rua adjacente, à conhecida falada Rua do Oriente. Os dois tinham o mesmo nome e trabalhavam num banco. Os bancários labutavam em bancos diferentes, mas com mesmos cognomes e agora por via do destino na mesma rua.

As trocas de correspondências chegavam à casa de um e do outro. Contas de telefone da antiga Teleceará, conta de luz, cartas, jornais, revistas Super Interesante, Revista Globo Rural, encomendas.

Era uma confusão quando se queria achar um dos JWV. Nesse embaraço um se confundia com o outro. O que não era comum entre os dois era a idade. Porém os carteiros e entregadores não sabiam diferenciá-los.

Um troca-troca de correspondência virou costumeiramente entre os dois. Desde que, uma vez por outra as cartas eram abertas e violadas. Mas, nada que não ficassem resolvidos entre eles. Uma coisa era muita coincidência. Mais comum é encontrar dois Antônios, dois ou três Franciscos, cinco Marias. Assim sendo esses tinham um nome, sobrenomes idênticos e moravam na mesma rua. Coisa do destino dizia minha mãe.  Até porque “Wilamy” escrito dessa forma não é muito comum. Encontramos William, ou Wiliams, e Wilame.

E para engrossar o caldo dessa conversa apareceu outro JW3. Este é um renomado radialista que até hoje comanda os microfones da radiofonia sobralense. Ainda bem que é radialista e não bancário. Pois dois é bom, mas três já é demais.

 

TEXO E CRIAÇÃO DE WILAMY CARNEIRO

 

Wilamy Carneiro é professor, palestrante, cronista, poeta e escritor. Bacharel em Direito. É membro da ALMECE - Academia de Letras dos Municípios do Ceará. Patrono da Cadeira de Nº 97 do município de Forquilha. Em novembro de 2017, nos dias 07, 08 e 09 participou da Primeira Feira do Livro Domingos Olympio com Literatura Popular. Entre elas a Literatura de “Luzia-Homem – A Mulher que traiu o Coração de Crapiúna”. Entre suas obras, publicou em 2018 um livro poético “Tempo de Sol – Tudo se Pode Sonhar”. No ano seguinte em 2019, publicou no Mercado dos Pinhões em Fortaleza com o evento da FliNau o livro de Literatura de Cordel “Einstein” e o Barão de Sobral.  No mesmo ano publicou “Os Estados Unidos de Sobral” lançado na Casa da Cultura de Sobral.  Em 2020, lançou em agosto o Livro Luzia- Homem em Prosa e Cordel, numa homenagem ao filho escritor Domingos Olympio com seus 170 anos. (1950-2020). É autor do Projeto de Resgate Histórico e Cultural da Residência de Domingos Olympio em transformar num MUSEU. Projeto entregue a Câmara Municipal de Sobral em 28 de setembro de 2020. Outro de seus Projetos é o “Projeto - Largo dos Poetas" nas ruas de Sobral entre a Avenida Dom José e Avenida Doutor Guarany.  


eBook gratuito: clique agora e baixe.