Coleta, montagem, identificação e conservação dos insetos cf. ALENCAR (2019). O presente artigo quer abordar as questões referentes À coleta, montagem, identificação e conservação de insetos no sertão nordestino, auxiliado pel otrabalho de Alencar(2019).

CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL

UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

Disciplina: Entomologia

Profa.: Flávia M. S. Moura

 

Aluno: Francisco Hermes Batista Alencar. Data: 07/07/19. Reposição Avaliação III

1. Descreva dois métodos de coleta entomológica ativa e dois métodos de coleta entomológica passiva. E diga quais grupos taxonômicos são mais coletados através desses métodos.

2. Descreva os procedimentos básicos para conservação e montagem de insetos em coleções entomológicas.

*Coleta, montagem, identificação e conservação dos insetos cf. ALENCAR (2019)

Para montarmos uma coleção entomológica deverão ser usadas técnicas adequadas de Coleta, montagem e preservação, para que a coleção possa ser utilizada para fins científicos e didáticos, para assim se constituir uma fonte importante de informação. A coleta é de grande importância na montagem da coleção. Há duas categorias de coleta: -Coleta ativa, onde os coletores presentes utilizam instrumentos para a coleta direta; Coleta passiva, onde o coletor deixa que as armadilhas façam o trabalho de captura. Coleta ativa: nessa categoria de coleta podem ser utilizados instrumentos como redes, aspiradores e guarda-chuvas entomológicos, para a captura dos insetos.

-Coleta passiva usa armadilhas para a coleta de insetos; a vantagem do coletor é não precisar de muito esforço para a coleta, pois a armadilha pode ficar muito tempo em ação, só necessitando de visitas constantes para a retirada dos insetos coletados.

-Equipamentos de coleta ativa: Guarda-chuva entomológico; aspirador; pinças; vidros com álcool ou outras substâncias; rede de varredura: aro mais reforçado (25 cm), captura em arbustos e vegetação rasteira; rede entomológica, para borboletas e mariposas em vôo, captura em árvores e topo de arbustos (25 cm); pano de batida; acondicionamento temporário (envelopes, triângulos e mantas).

-Equipamentos de coleta passiva: Armadilha interceptora de vôo (Malaise): captura diversos grupos de insetos, exige maior mão de obra, nas extremidades h[a bojo com inseticida fumigante; armadilha de solo (Pitfall): com atrativo alimentar para insetos que se deseja capturar, atrativo biológico ou físico, captura de insetos ambulantes (álcool 70%); armadilha luminosa: coletas noturnas, usa-se extremidade de sacos de material telado (voile) ou recipiente contendo solução mortífera (álcool); pano para insetos noturnos: ---lâmpada elétrica de mercúrio de 150W ou lâmpada comum de 300 a 500W é colocada no meio, 30 cm do pano branco (3x2 m) suspenso verticalmente por cordinhas e com a margem inferior dobrada; Insetos atraídos pela luz no pano são coletados; melhores resultados em noites escuras e após chuvas; armadilha --Delta: uso de atrativo químico, formato tipo Delta, fundo de cola adesiva e septo, usada para monitoramento; com feromônio feminino para controle; armadilha Macphail: exclusivo para mosca-das-frutas, usa-se atrativo alimentar, atrativo sintético ou não; armadilha Stick, amarela para pulgões, captura de insetos voadores, cartela contendo cola especial em ambos os lados; bandejas coloridas, com fundo colorido, para pulgões, tripés e outros insetos, interior – água com gotas de detergente, insetos morrem *afogados, para coleção montada, ou em álcool 70%.

Sacrificar os insetos: gás tóxico (éter, formaldeído) em câmara mortífera para besouros, vespas, abelhas, formigas e outros. Deve conter tiras de papel absorvente para que os insetos não se choquem durante o transporte em pote de vidro. Álcool 70%: Insetos adultos de corpo mole e insetos jovens em geral *(sobretudo ninfas), colocados vivos em frascos contendo álcool 70% (não usar para mariposas e borboletas, pois perdem sua coloração). Comércio há duas concentrações: 70% e 96%, para o segundo, 70ml de álcool 96% diluídos em 26ml de água, diluição nesta regra de três. - Água quente: para matar lagartas (fase jovem de borboletas e mariposas), colocadas vivas em água quente (antes do ponto de ebulição), como o fogo desligado e deixadas por aproximadamente dois minutos. Se estas são sacrificadas -em frasco mortífero ou álcool diretamente podem perder a coloração. Congelamento: insetos colocados em frascos de vidro ou plástico, no congelador ou freezer doméstico, por 24hs ou vários dias, cuidado com a umidade. Baixa: insetos muito secos dificultam a alfinetagem. Elevada: Provoca condensação de água e os insetos podem mofar após a alfinetagem. Para evitar problemas é aconselhado que se coloque absorvente entre insetos e o fundo do recipiente, e não se estenda o período de armazenamento, montando-se em alfinetes assim que possível.

-Casos especiais – Lepidópteros, as mariposas de corpo volumoso podem ser mortas com um aperto lateral no tórax. Como transportar? Pode ser feito no vidro letal ou no caso dos lepidópteros em triângulos de papel, ou triângulo entomológico (BONONN et al., 1989). Os lepidópteros ficam de asas fechadas no envelope.

-Para a conservação, podem ser usado método como: Refrigeração, preservação em via líquida (álcool 70%), em via seca (triângulo de papel), caixa entomológica com insetos alfinetados. Em alguns casos quando o inseto desidrata e torna-se quebradiço é utilizada a câmara úmida.

-Montagem: Começa pela alfinetagem, devendo ser usados alfinetes entomológicos que são próprios para coleções entomológicas. Estes são numerados conforme o inseto trabalhado.

-Alfinetagem direta: pode ser feita numa placa de isopor ou bloco de madeira, Usa-se vários alfinetes para posicionar pernas e antenas dos insetos em posição correta. Alfinete inserido verticalmente (90º em relação ao eixo longitudinal do corpo do inseto: 1 cm abaixo da cabeça do alfinete; alfinetar no lado direito do inseto (UPTON, 1991).

-Montagem em ponta, segundo UPTON,1991; Prancha de montagem (ALMEIDA et al., 1998). A prancha para lepidópteros com certa inclinação para facilitar a montagem: borboleta, gafanhoto, no abrir de suas asas. Insetos montados com triângulo, na etiqueta devem ir local de coleta, nome do coletor, informações básicas que vão na etiqueta. Posição dos apêndices: Pernas, 1º par voltado para frente, 2º e 3º par voltado para trás. Antenas: voltadas para frente, quando longas, voltada para trás (contornando corpo do inseto). – Posição dos apêndices, Asas: maioria fechada, cobrindo o abdômen. Exceto borboletas e libélulas. Técnica para esticar os apêndices antes da secagem dos espécimes: Por exemplo, Besouro alfinetado a uma folha de espuma, mostrando as antenas e as pernas seguradas com alfinetes; 1 tábua de montagem com louva-deus e borboleta, mostrando asas abertas mantidas no lugar por meio de papel de fixação alfinetado (Cf. UPTON, 1991).

-Etiquetas e alfinetes fazem o contorno, e um trabalho bem cuidadoso para não extraviar os materiais (antenas e asas, especialmente). Etiquetagem: Todos os insetos devem ter etiquetas contendo informações básicas sobre procedência, por exemplo (comprimento: 2 x 1):

 

BRASIL, Minas Gerais, Viçosa           Simopelta mínima (Brandão, 1989)

Campus Universidade Fed. Viçosa       Pesquisador XY, 2007 (det.)

20º45’46, 3’S, 42º51’45,1’W.               Etiqueta de identificação

Armadilha tipo pitfall

02.11.2007

Schmidt, F. A./Solar, R. R. C. col.

Etiqueta de procedência ou localização

 

-Preservação. Após montada a coleção deve-se tomar alguns cuidados: Manter em local seco; não expor ao sol; evitar fungos e outros insetos (uso de naftalina). Uma dica é coletar na caixa naftalina, ajuda a manter os insetos intactos por mais tempo e afasta traças e baratas. Maior a caixa, maior será a quantidade de naftalina depositada, sempre havendo naftalina naquela caixa da coleção entomológica.

Referências:

MARCONDES, C.B. - Entomologia médica e veterinária. 2ª edição. São Paulo, Editora Atheneu, 2011. 526 p.

ROMANA, A.; NIVEA, Y; CARVALHO, R.; REIS, B.; RIBEIRO, D. e PIRES, A. A importância da Entomologia forense nas investigações criminais. Palmas, VII CONNEPI, 2012.

LARA, Fernando Mesquita. Editora: Icone. Martins Fontes: Rio, 2018. Temas: Zoologia, Animais, Insetos.