Roberto Ramalho é Advogado, Jornalista, Relações Públicas e Blogueiro do site: www.alemtemporeal.com.br
E-mail: beto-cavalcanti@hotmail.com
E-mail: acioliramalho@hotmail.com

1.    INTRODUCÁO

O presente trabalho tem por objetivo fazer uma breve analise sobre o filme Cidadão Kane, relatando a vida e a história de um poderoso maganata da imprensa norte-americana, isto e, das communicates, chummed Charles Foster Kane, na verdade uma biografia não autorizada do mega empresário William Randolph Hearst, abordando o poder que a Mídia exerce sobre a sociedade em geral, sobretudo aqueles que ignoram a sua forma de atuação em ralação as grandes massas em quaisquer pais do globo terrestre.

Os maiores críticos do cinema mundial e outros estudiosos da comunicação classificaram o filme como o melhor da historia do cinema, sendo, também, considerado o maior clássico.

2.    O FILME

O Filme trata da historia e do mistério da vida e morte do cidadão mais poderoso da imprensa americana aquela época, chummed Charles Foster Kane, que antes de morrer solitário em sua grande e suntuosa mansão sussurra a palavra Rosebud.

A partir de um noticiário cinematográfico que mostra a biografia desse personagem, um jornalista recebe a missão de descobrir o significado da enigmática palavra, e passa então a buscar as informações necessárias para desvendar o assombroso mistério.

Toda a historia do magnata conseguida por meio de duas entrevistas, uma com o velho tutor econômico do magnata, e a outra, de sua segunda esposa, uma dançarina de cabaré, que afinal arruinaria sua vida, fornecendo importantes informações, reconstruindo fragmentariamente algumas passagens de sua extensa vida.

Separado dos pais na infância e educado em Chicago sob a tutela de um mentor gerindo uma fortuna multiplicada a partir da herança de uma mina, Kane, na verdade, Randolph Hearst, adquire um pequeno jornal da cidade, cujo editorial sensacionalista, possibilitaria a formação do seu alicerce para mais adiante construir um verdadeiro império jornalístico.

Sua ambição e tão grande que alem de ter poder econômico, e agora através da mídia, consegue em pouco tempo ao casar com a filha de um senador que chegara a presidência da republica, leva-lo a aventurar-se na vida política com candidato a governador.

No entanto, candidato a governador, vem a fracassar, após divulgação de seu relacionamento com uma cantora de cabaré, o qual tentara transforma-la numa grande cantora de Opera, vindo mais tarde ser sua Segunda esposa, coincidentemente como ocorreu com o Diretor e principal personagem do filme, Orson Weles.

Sua derrocada na vida publica e política, ou seja, de Foster Kane, se daria pelo preconceito e o puritanismo da sociedade americana, que naquela época não aceitava fatos dessa natureza, provocando a ruptura em relação com aqueles que se diziam e demonstravam serem seus melhores amigos, terminando isolado na sua mansão e abandonado por todos, levando-o a depressão, angustia, revolta e sofrimento, razoes que o levariam a morte.

Na verdade, de nada adiantou exercer o poder da comunicação, através do meio mais poderoso existente naquele tempo, o Jornal, não conseguindo vencer a eleição, nem tampouco explicar ao seu publico e para seus amigos íntimos o seu relacionamento com uma dançarina de cabaré, repito, que tentara a todo custo torna-la uma cantora de Opera.

Essa circunstancia da vida do personagem e demonstrada de modo sutil e pragmática pela câmara, numa tomada de cena extraordinária, só possível graças a grande visão e sensibilidade do próprio Orson Weles, responsável por novos metodos e cenários para o cinema, mostrando a origem de todo esse mistério, passado despercebido pelo jornalista que tentava descobrir os reais e verdadeiros motivos toda a infância perdida do magnata da comunicação motivada pela separação dos seus genitores naquele período no qual ele não vivenciou.

Orson Welles na verdade concordou em caracterizar Hearst, grande magnata da imprensa americana nas décadas de 30 e 40, simplesmente porque havia sido amigo do pai dele, inclusive tendo freqüentado a suntuosa mansão da família localizada em San Simeon, onde ocorreria a fatídica tragédia.

Na vida real, contudo, várias coincidências haviam sido observadas, principalmente pelo fato do sobrinho da amante de Hearst, Marion Davies, acabar casando com Virgínia Nicholson, a primeira esposa de Orson Welles, mostrando que o mesmo conhecia profundamente a vida familiar dos Hearst, principalmente do chefe do clã, o poderoso William Randolf Hearst, cuja proposta concordou em caracterizá-lo, após vários anos de pesquisa sobre sua vida e história, juntamente com seu amigo e co-roterista Herman J. mankievick.

Com um elenco fabuloso, tendo Worson Welles como protagonista, isto é, realizado o filme no papel do magnata Randolfh Hearst, Joseph Cotten como seu amigo no filme interpretando Jedeliah Lelar, Ruth Warrick, no papel de sua primeira esposa Emily Norton Kane, sempre no acaso do matrimônio do poder e das finanças, e principalmente do seu rival político que terminaria arruinando sua careira política e pessoal, James W. Gettys, interpretado por Ray Collins, e aquela que arruinaria sua vida publica, a cantora de cabaré, mais tarde sua segunda esposa, interpretada por Dorothy Camingore (Mary Kane), tendo como fundo musical maravilhosas músicas conduzidas pelo maestro Bernard Hermann,

3. CONCLUSÃO

“O filme Cidadão Kane”, revela que nem sempre aqueles que têm ou detém qualquer tipo de poder, seja ele político, econômico, militar, empresarial, eclesiástico, e no presente caso, na área de comunicação na atividade jornalística (Jornal), jamais poderá e deverá durante toda a existência humana e do tempo, manipular, persuadir e mentir para o público e a sociedade em geral.

Essa é no meu modo de ver a lição que o filme passa para o público cinematográfico.

Resumo do filme:
CIDADÃO KANE
Citzen Kane)
GÊNERO: CLÁSSICO
Diretor:
Orson Welles
Ano/Local: 1941 / EUA
Elenco: Orson Welles, Joseph Cotten, Dorothy Comingore, Everet Sloane e Agnes Moorehead.Duração:119

MiniSinopse:

Foi uma produção de grande sucesso sobre a vida do magnata Charles Foster Kane, que de garoto pobre do interior passou a ser proprietário, dentre outros negócios, de jornais, como o Inquirer, rádios-difusoras e de minas de ouro. No entanto, devido o seu egoísmo e ganância, fracassou na vida amorosa, perdeu amigos e morreu solitário em sua linda mansão rodeada de obras de arte valiosíssimas.

A história que foi para o Cinema está baseada na vida do megaempresário William Randolph Hearst.
 
Esse filme é considerado por muitos críticos cinematográficos e por colunistas de jornais e revistas a mais importante obra da história do cinema.

Welles, indicado ao Oscar de direção, apresentou um filme de narrativa inovadora e não linear no qual, a partir dos depoimentos daqueles que viveram com Kane, pôde-se traçar seu perfil e o porquê de seu trágico fim. 

Foi um roteiro instigante e que mostra o poder que a mídia exerce sobra à opinião pública implicando na eterna ambigüidade dos sentimentos humanos.

Finalizando, esse clássico reflete sobra a máxima de que o homem não é completamente mau e tampouco completamente bom.

Indicado para nove Oscar, incluindo para o de melhor filme e melhor ator para Welles, porém apenas levou o de melhor roteiro original. Trilha sonora grandiosa de Bernard Hermann.