Notavelmente isso, cria divisionismo ou até mesmo, movimentos que inspiram desabafos descontraídos em vários pontos do mundo. De amor a rapariga deveria se entregar em casório sim. Assim como faz a maioria dos homens, nos casos aqui tratados, nem tanto isso funcione.

A necessidade de mudar de vida, de forma fácil, fala mais alto que o amor. Ainda que o autor deste artigo acredite tanto no amor, quem ira sustentar os caprichos das manas do Gueime[1]? ou melhor, dá-se por prioridade a sustentabilidade e depois o amor. Essa tem sido a realidade vivida hoje em dia, nas terras do Samora. Para agradar mais este artigo, vamos ao trecho musical do meu primo Yannick Afromen[2], o amor não enche a barriga.

Essas manas do gueime são de admirar, tão pouco e pouquinho de ficar atrapalhado por elas, vá consciente ter com elas. Vê só, o que pode acontecer, costumam procurar amor dentro casamento, além disso, costumam amar e ter prazeres favoráveis ao seu gosto, dentro do casamento, atenção! não com o conguês.  Muita pena, pena porque? Assim que essa virar independente, irá te fazer comer o fruto proibido e a culpa será de quem? Nessa época, tu já não a levas a lua, nem os joelhos dela tremem da satisfação carnal, como é possível se virar nessa situação? Se essa independência financeira, esta a trazer uma visão, que elas, não tinhas antes? Ou mesmo os homens são desatento?

Outra visão sobre as do Gueime, que amam sem amor. Se ela tiver uma independência financeira antes do matrimonio, obrigatoriamente essa jovem ira estabelecer critérios de amar, na maioria dos casos nunca abaixo do seu rendimento, será que isso, é o amor?

tNas palavras da minha prima Soraia Ramos, de lá de Cabo Verde, aquando do seu vídeo musical realizado em Veneza uma cidade Italiana, intitulada: “tu és meu marido, meu mundo”. Prova vive do reconhecimento que me leva a acreditar em uma só possibilidade, de que maior parte dos homens aqui em menção, não medem esforço em criar família, e lhes ser ofertado uma homenagem a esse nível. Nesta visão, o que acontece do errado para importa? O que deve ser feito para manter a família firme importa? Muita das vezes em Moz, a parte masculina não mede esforço pela esposa e pela família, ao contrário disso, o feminismo, somente os seus frutos.

Esse homem que falamos, nem critérios têm para contrair matrimonio, basta ser fisgado, ah, ah, ah, … Se os olhos estiverem alimentados, o coração agradece, como forma de gratidão, a ilusão da combinação da roupa fazendo uma poesia com o corpo violino, já é motivo da moça do gueime acordar pelada na residência do mano. Dai vem a hípica estória de peça a peça da roupa ser deixada nos cómodos do rapaz, isso mostra com clareza que existe muito materialismo no homens e sentimentalismo por parte das mulheres, pelo grau de credibilidade de relações afrontam o esbanjamento e exibição de bens material.

 

[1] Gueime: Calão usado em Moçambique para designar Mulher malandra.

[2] Yannick Afromen: Rapper Angolano, fazedor de músicas de intervenção social.