AS CINCO GERAÇÕES TECNOLOGICAS NA EDUCAÇÃO A DISTANCIA

 

Fontes, Marcos Aurélio Rodrigues¹.

socramforte@hotmail.com

O desenvolvimento da Educação a Distancia – EAD, ocorreu, ocorre, em função do desenvolvimento das tecnologias de comunicações e informações, as quais proporcionam a cada geração de desenvolvimento novos recursos e intermédios de se interagir e de melhorar a comunicação bidirecional na qual é baseada a EAD. Segundo (Moore & Kearsley, 2007) podemos separar esta evolução na EAD em cinco gerações distintas descritas a seguir:

Primeira geração das correspondências ou geração textual utilizava somente textos impressos enviados pelos correios, caracterizado pelo estudo por correspondências. Apesar de já estarmos na quinta geração, ainda, é comum encontrarmos cursos profissionalizantes baseados neste modelo, a qual a presenta como principal fator limitante o baixo nível de interatividade, esta geração teve como objetivos atingir alunos desfavorecidos socialmente, especialmente as mulheres, foi baseada em guias de estudos e na auto-avaliação outro ponto a destacar dessa geração é o uso de tecnologias chamadas Independentes, quando não dependem de recursos elétricos ou eletrônicos para sua utilização e/ou produção. Exemplos livros, apostilas.

 A segunda geração vem acontecer quando o radio e a TV atingiu um grau de popularidade muito grande em todo o mundo o que possibilitou maior acesso a estes meios de tecnologias por milhões de pessoas, seu marco primordial foi a criação da Radio Sorbonne em Paris em 1937.  Nesta geração teve inicio a utilização de tecnologias dependentes, quando dependem de um ou de vários recursos elétricos ou eletrônicos para serem produzidas e/ou utilizadas, como por exemplos: vídeos, filmes, internet, chat, fórum, e-mails, texto eletrônico, radio TV. Além do uso do rádio e da TV foram utilizados outros recursos didáticos, como: caderno didático, apostilas, fita K-7 por isso é também conhecida como de geração multimídia por utilizar material impresso e recursos de áudio e vídeo. Como na geração anterior, aqui também, apresenta um baixo nível de interatividade com atendimento esporádico, dependendo de contatos telefônicos, quando possível com pouca ou nenhuma interação professor/aluno. È, ainda, um modelo bastante presente em dias atuais.

A terceira geração ou geração das universidades abertas surge em 1969 com a British Open University na Inglaterra, esta geração teve como proposito oferecer ensino de qualidade com custo reduzido para alunos não universitários, utilizando-se de guia de estudo impresso, orientação por correspondência, transmissão por rádio e TV, audioteipes gravados, conferências por telefone, kits para experiências em casa e biblioteca local disponibilizando aos estudantes também suporte e orientação ao aluno, discussão em grupo de estudo local e uso de laboratórios da universidade nas férias. Além de encontros presenciais. Alguns autores a chamam de geração multimídia interativa por ocorrer uma maior interatividade e utilização de muitos recursos pedagógicos proporcionando uma maior troca de informações, aqui são utilizados as tecnologias de telecomunicações/satélite, cabo ou ISDN – Integrated Services Digital Network. Esta geração tem papel fundamental na EAD em nível superior tornando possível e acessível para muitos estudantes um curso superior, foi uma revolução em EAD em nível mundial, sobretudo na educação superior.

A geração das Teleconferências por áudio, vídeo e computador ou da audioteleconferencia é a quarta geração em EAD, sendo esta baseada no uso do computador e da internet, direcionado a pessoas que aprendem sozinhas, geralmente estudando em casa ocorrendo Interação em tempo real de aluno com aluno e instrutores a distância. A tutoria neste caso ocorre por atendimento síncrono (Informação é transmitida e recebida, num instante de tempo bem definido e conhecido pelo transmissor e receptor, ou seja, estes têm que estar sincronizados. Para se manter esta sincronia, é transmitido periodicamente um bloco de informação que ajuda a manter o emissor e receptor sincronizados), e assíncrono (No modo de comunicação assíncrona as informações do emissor e do receptor são independentes em fase e frequência, não precisam necessariamente estarem sincronizados), dependendo de contatos eletrônicos. Esta ultima ainda é conhecida também como geração da inteligência flexível.

Por fim a quinta geração ou a geração da internet web ou ainda inteligência da aprendizagem flexível é a geração atual vigente a qual esta baseada os cursos da UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO - UEMA CENTRO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS - CECEN NÚCLEO DE TECNOLOGIAS PARA EDUCAÇÃO – UEMANET e a maioria dos cursos hoje em dia em EAD. Utiliza-se de recursos da internet agregando processos automatizados avançados onde as aulas são virtuais baseadas no computador e na internet, cabe ao aluno planejar, organizar e programar seus estudos por si mesmos. Os métodos pedagógicos mais comuns são Os métodos construtivistas de aprendizado em colaboração e as comunicações ocorrem de forma síncrona e assíncrona como na geração anterior, com interações em tempo real ou não, com o professor do curso e com os colegas de curso, tutoria regular por um tutor, em determinado local e horário.

                Podemos observar que as gerações tecnológicas em EAD não se sobrepõem ou se anulam, é fácil percebermos que elementos de uma dada fase são encontrados em outra e vise versa, percebemos, ainda, que elas convivem simultaneamente, porem em função dos avanços tecnológicos é grande a diferença, principalmente, de interatividade e participação no processo ensino aprendizagem entre as gerações. Nas duas ultimas, o aluno passa a assumir um papel de gerenciador mediador na comunicação bidirecional.

Referencias:

VALENTE, José Armando. Por quê o computador na educação? Disponível em: <http://pan.nied.unicamp.br/publicacoes/publicacao_detalhes. php?id=51>. Acesso em: 01 agosto. 2012.

CORRÊA, Juliane. O cenário atual da educação a distância. In: SENAC. Curso de especialização a distância. E-Book. Rio de Janeiro: Editora Senac Nacional, 2005, (CD-ROM) Disponível em: <http://www.unifebe.edu.br/02_ead/fund_teorica_EAD_Unifebe_13mar2006.p> Acesso em: 01 agosto. 2012.

GOMES, Silvane Guimaraes Silva. Evolução Histórica da EAD. e-Tec Brasil – Tópicos em Educação a Distância, Disponível em: <http://ftp.comprasnet.se.gov.br/sead/licitacoes/Pregoes2011/PE091/Anexos/Eventos_modulo_I/topico_ead/Aula_02.pdf> Acesso em: 31 jul. 2012