Artigo – A bactéria Staphylococcus aureus. Roberto Ramalho é jornalista, blogueiro e servidor da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas.

Numa definição básica, diria que Staphylococcus aureus (Estafilococos) é uma bactéria responsável por infecções da pele e dos tecidos moles, como abscessos, furúnculos e celulite.

Em brilhante artigo revisado e atualizado em três abril de 2019, publicado no site de medicina www.mdsaude.com, intitulado “Doenças infecciosas. Quais são os riscos da bactéria Staphylococcus aureus? O Dr. Pedro Pinheiro define o microorganismo “O Staphylococus aureus (Estafilococos aureus) como uma das bactérias mais comuns na prática clínica, uma vez que costuma colonizar a pele dos seres humanos”.

E segue afirmando: “Chamamos de colonização quando uma bactéria se adere a um tecido e começa a multiplicar-se, criando literalmente colônias. A colonização não significa que haja infecção e não é necessariamente uma coisa ruim. Nossa pele, nossa boca e nosso intestino, por exemplo, estão cheios de bactérias que não nos causam doença enquanto permanecem restritas a estes sítios. Existem 33 tipos de estafilococos, alguns mais virulentos que outros. O tipo mais comum na nossa pele é o Staphylococcus epidermiditis, uma espécie de estafilococo bem mais branda que o Staphylococcus aureus, o mais virulento da espécie”.

A bactéria Staphylococcus aureus, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, já é resistente aos antibióticos meticilina, com sensibilidade intermediária e resistência à vancomicina. A recomendação foi feita numa reunião realizada em fevereiro de 2017.

Ela, portanto, já é considerada uma ameaça a população como um todo, embora seja considerado um microorganismo de natureza “Gram-positivo”.

Assim que identificado o agente infeccioso, recomenda-se submeter o infectado ao tratamento com medicamentos de última geração e de largo espectro. Atualmente em até 24 horas já é possível ter um diagnóstico preciso sobre a bactéria e aplicar o antibiótico correto.

O uso abusivo e indiscriminado de antibióticos pela população mundial, sem a apresentação de receita médica, vem causando a resistência de algumas bactérias a alguns fármacos.

Em face de algumas bactérias terem se tornado resistentes aos antibióticos, muitos Laboratórios estão desistindo de pesquisar e descobrir novas drogas.

De acordo com eles (Laboratórios), o custo em pesquisa e posteriormente fabricação desses medicamentos tem sido muito mais elevados.

Referência

1. Portal www.mdsaude.com “Doenças infecciosas. Quais são os riscos da bactéria Staphylococcus aureus? Dr. Pedro Pinheiro, infectologista.

2. Organização Mundial da Saúde.